Além disso

Conceitos de Funcionalismo

Conceitos de Funcionalismo

Vários conceitos-chave sustentam o funcionalismo. Os conceitos primários do funcionalismo são consciência coletiva, consenso de valores, ordem social, educação, família, crime e desvio e a mídia.

O conceito de função:

Sociólogos funcionalistas como Parsons e Durkheim têm se preocupado com a busca de funções que as instituições possam ter na sociedade. No entanto, outro sociólogo funcionalista R. Merton adotou um conceito de disfunção - isso se refere aos efeitos de qualquer instituição que prejudique a conservação da sociedade. Um exemplo de uma função que ajuda a manter a sociedade é a da família; sua função é garantir a continuidade da sociedade, reproduzindo e socializando novos membros. Outra instituição que desempenha uma função importante é que os sociólogos funcionalistas da religião acreditam que ela ajuda a alcançar a solidariedade social e normas e valores compartilhados, no entanto, pode-se argumentar que ela falha em fazer isso como resultado do aumento da secularização nos últimos anos e, portanto, cria uma divisão entre membros da sociedade em vez de uni-los (cola moral).

Consciência coletiva e consenso de valor:

Os funcionalistas acreditam que sem consciência coletiva / valores e crenças compartilhados, alcançar a ordem social é impossível e a ordem social é crucial para o bem-estar da sociedade. Eles acreditam que o consenso de valor forma o princípio básico de integração na sociedade. E se os membros da sociedade compartilham valores, eles também têm identidades semelhantes, isso ajuda a cooperação e evita conflitos. O consenso em valor também garante que as pessoas compartilhem: - Metas, papéis e normas. As normas podem ser descritas como diretrizes específicas de comportamento apropriado; por exemplo, na fila ao comprar coisas.

Alternativas funcionais:

R. Merton sugeriu que instituições como religião e família podem ser substituídas por alternativas como ideologias como o comunismo e argumentou que elas ainda seriam capazes de desempenhar as mesmas funções na sociedade.

Ordem social:

Os funcionalistas acreditam que existem quatro necessidades básicas principais que um indivíduo necessita para existir na sociedade. Eles também acreditam que essas quatro necessidades básicas são essenciais para manter a ordem social. São eles: comida, abrigo, dinheiro e roupas.

Funcionalismo e Educação: Durkheim acredita que a educação transmite as normas e valores da sociedade. A educação reúne uma massa e as transforma em um todo unido que leva à solidariedade social. Parsons (1961) acredita que a educação leva a valores universalistas e que a educação estabelece um vínculo entre a família e a sociedade em geral, o que, por sua vez, leva à socialização secundária. A educação também permite que as pessoas treinem para seus futuros papéis na sociedade.

As escolas instilam o valor da conquista e o valor da igualdade de oportunidades.

A educação ajuda a combinar as pessoas com empregos adequados a elas.

Funcionalismo e Família: George Peter Murdock acredita que a família fornece quatro funções vitais para a sociedade: sexual, reprodutiva, econômica e educacional.

A família é o principal ponto de socialização, pois fornece valores e normas às crianças. A família também estabiliza as personalidades adultas. Uma unidade familiar fornece segurança emocional para cada pessoa no relacionamento.

Funcionalismo e Mídia: A mídia opera no interesse público, refletindo os interesses do público. Retrata a opinião pública. A mídia entende que a sociedade tem uma grande diversidade de cultura e isso é mostrado pelas diferentes quantidades de histórias que cobre.

Funcionalismo, Crime e Desvio: Durkheim nos mostra que existe uma sociedade e que é essa entidade chamada sociedade que cria crime e desvio. Crime e desvio são socialmente construídos - não são categorias naturais, óbvias ou teologicamente inspiradas. São conceitos que foram trazidos ao mundo unicamente pela humanidade. Além disso, Durkheim vai além disso e nos mostra como as definições socialmente construídas de crime e desvio estão ligadas a uma estrutura social mais ampla.

Funcionalismo e religião: A religião contribui para a estrutura social e o bem-estar da sociedade. Faz isso ensinando valores e consenso. Emile Durkheim argumentou que toda a sociedade se divide entre o sagrado e o profano (não religioso). Durkheim descobriu que o totenismo era a forma mais básica de religião, com pequenos grupos usando símbolos como plantas ou animais. Durkheim via a vida social como impossível de alcançar sem os valores e normas compartilhados alcançados através da consciência coletiva. A religião vem com valores e normas que são compartilhadas entre grupos. Isso ajuda a fortalecer a integração da sociedade. Parsons argumentou que as crenças religiosas fornecem diretrizes e que essas diretrizes estabelecem princípios gerais e crenças morais que fornecem estabilidade e ordem para a sociedade.

Funcionalismo e Política: Talcott Parsons acreditava no consenso de valor. O poder é usado para alcançar objetivos coletivos, por exemplo Prosperidade material. Todo mundo se beneficia do poder (uma soma variável de poder). A autoridade é geralmente aceita como legítima pela maioria, pois ajuda a alcançar objetivos coletivos.

Cortesia de Lee Bryant, Diretor da Sexta Forma, Escola Anglo-Europeia, Ingatestone, Essex


Assista o vídeo: O que é Funcionalismo? (Julho 2021).