Podcasts de história

William Bradford Timeline

William Bradford Timeline

  • 1590 - 1657

    Vida de William Bradford, 2º governador da Colônia de Plymouth.

  • Março de 1590

    William Bradford é batizado na Igreja de Santa Helena em Austerfield, Inglaterra.

  • 1597

    William Bradford vive com seu tio após a morte de sua mãe; lê a Bíblia e adota a visão puritana.

  • 1607

    William Bradford deixa a Inglaterra com o resto da congregação para a Holanda.

  • 1613

    William Bradford se casa com Dorothy May, da congregação; casal tem um filho, John.

  • 1620

    William e Dorothy Bradford deixam a Europa com a congregação para a América do Norte; John fica para trás.

  • Novembro de 1620

    William Bradford é a segunda pessoa a assinar o Mayflower Compact estabelecendo um governo democrático para a Colônia de Plymouth.

  • Dez 1620

    Dorothy Bradford se afoga na costa de Massachusetts.

  • Abril de 1621

    William Bradford é eleito governador da Colônia de Plymouth após a morte de John Carver.

  • 1623

    William Bradford se casa com sua segunda esposa, Alice Southworth; o casal tem três filhos.

  • 1657

    William Bradford morre de causas naturais na Colônia de Plymouth.


Acredita-se que William Bradford tenha nascido em Austerfield, Yorkshire, Inglaterra, em março de 1590, com registros indicando que seu batismo foi realizado nessa época. Seus pais morreram no início de sua infância, deixando Bradford aos cuidados de vários parentes. Freqüentando um serviço religioso em Scrooby antes de sua adolescência, o jovem ingressou na denominação separatista, um ramo mais radical do puritanismo que acreditava em se retirar da Igreja da Inglaterra. Ele e outros congregantes eventualmente fugiram para a Holanda para escapar da perseguição, embora em sua terra adotada, eles ainda enfrentassem ataques, devido à afiliação do país & # x2019s com a Inglaterra & # x2019s Rei James I.

Bradford ficou na Holanda por mais de uma década, com a ideia se enraizando entre a congregação Separatista de que eles deveriam viajar para o Novo Mundo e se estabelecer ao norte da já estabelecida Colônia da Virgínia. Bradford estava em uma posição de liderança e lidava com a maior parte das funções administrativas, incluindo a obtenção de apoio financeiro para a viagem e reivindicações de terras relacionadas. Depois que um dos dois navios comissionados foi considerado impróprio para viagem, em setembro de 1620 o grupo de 102 passageiros mais tarde apelidado de & # x201Cpilgrims & # x201D partiu da Inglaterra no Mayflower. Os viajantes consistiam em pessoas chamadas & # x201CSaints, & # x201D aqueles que seguiram a ideologia separatista, e & # x201CStrangers, & # x201D aqueles que pagaram pela passagem sem levar em conta a filiação religiosa.

A viagem turbulenta levou mais de dois meses e, devido ao mau tempo e sendo forçado a sair do curso, o navio chegou a uma distância significativa de seu destino planejado, em Cape Cod, onde a esposa de Bradford caiu ao mar e se afogou. Pouco depois, Bradford e os outros viajantes masculinos assinaram o contrato colonial conhecido como Mayflower Compact, um documento que enfatiza o autogoverno.


The Mayflower Voyage:

Os peregrinos viajaram para a América do Norte em um navio de carga alugado chamado Mayflower. O navio deixou Plymouth, na Inglaterra, em setembro de 1620 e finalmente pousou na costa de Massachusetts em novembro.

Os colonos se dirigiam originalmente para a Virgínia, onde tinham uma patente de terra para colonizar a área, mas haviam se desviado do curso durante a viagem marítima e atingido a costa quando ficaram sem suprimentos.

Embora eles não tivessem permissão oficial para se estabelecer no que hoje é o atual Massachusetts, eles decidiram ficar e se estabelecer na área de qualquer maneira, porque seus suprimentos haviam acabado e o inverno estava se aproximando.

Os peregrinos desembarcaram primeiro no que hoje é a Provincetown. Depois de algumas escaramuças com a tribo nativa americana local, os peregrinos decidiram navegar para a vizinha Plymouth.

& # 8220Primeira visão dos índios. & # 8221 Ilustração publicada em A Pictorial History of the United States por volta de 1852

Quando os peregrinos chegaram, eles desembarcaram em uma aldeia indígena abandonada, chamada Patuxet, cujos habitantes morreram na infame epidemia de doença de 1616-1618.

& # 8220A aterrissagem. & # 8221 Ilustração publicada em A Pictorial History of the United States por volta de 1852

Lá eles encontraram abundantes campos de milho plantados pelos Patuxet anos atrás e muitas áreas, que já haviam sido desmatadas pelo Patuxet, onde poderiam construir suas casas.


William Bradford Timeline - História

A história de Bradford perpetua e desmistifica o status mítico que a cultura americana dominante conferiu aos "Pilgrims" da Nova Inglaterra. Este pode ser um lugar útil para começar: as maneiras pelas quais a narrativa de Bradford mitologiza o heroísmo da primeira geração e ainda expõe as brigas, o egoísmo e a ganância humanos demais dos colonos de Plymouth.

A tensão entre o desejo de Bradford de construir um lugar para Plymouth em um plano histórico divino e seu eventual e implícito reconhecimento da diminuição do status de Plymouth se presta à discussão da natureza da escrita da história em geral. Essa tensão, que envolve a dolorosa negociação de Bradford para ler corretamente o desígnio providencial, mostra aos alunos como o gênero supostamente objetivo de & quothistory & quot, como todas as formas de narrativa, é uma construção de ideologias predominantes.

Como no Winthrop's Journal, o relato de Of Plymouth Plantation sobre as realidades cotidianas de uma sociedade de fronteira desmonta os estereótipos quase vitorianos que os alunos trazem para o conceito de & quotPuritano & quot (ou, neste caso, Separatista). Como um texto composto, para todos os efeitos, na fronteira, os alunos podem considerar como essa realidade histórica também molda o tratamento de Bradford aos ameríndios.

A questão da composição de sua história por Bradford pode levantar questões sobre a coerência do texto. Os alunos veem assuntos distintos, motivos temáticos ou tons narrativos em cada uma das duas partes?

Temas principais, perspectivas históricas e questões pessoais

O conceito de comunidade permeia todo o texto de Bradford. A história demonstra a manutenção problemática da aliança nacional - a dedicação coletiva da comunidade para viver pela pureza das ordenanças de Deus - como um paralelo à aliança da graça, pela qual cada indivíduo & quotsaint & quot foi redimido (por meio de Cristo) pela própria crença. Ironicamente, a extensão lógica de um povo "pactuado" era um empreendimento comunitário que a princípio simulava uma espécie de socialismo, que logo se mostrou insustentável. No relato de Bradford sobre essa crise menor está (como em um romance bem elaborado) um prenúncio da eventual dispersão e fragmentação que mais tarde assolou a colônia. Neste contexto, Of Plymouth Plantation relata tanto as ameaças internas (ganância material, "maldade") e externas (Thomas Morton, o Pequod - na medida em que Bradford os percebe) que assediavam constantemente a comunidade.

A relação entre história sagrada e secular, se teologicamente reconciliável, coloca outra tensão temática no texto. A insistência de Bradford nas "providências especiais" de Deus (aquelas reservadas para os eleitos em tempos de crise) existe em contraposição aos catálogos detalhados de negociações humanas, artifícios e maquinações que descrevem a vida diária na Inglaterra e na América.

Alguns estudiosos acreditam que a esposa de Bradford cometeu suicídio enquanto esperava o desembarque do Mayflower. Essa tragédia pessoal, junto com os ciclos de decepção e sucesso pelos quais Bradford passou, e a luta constante para manter o ideal comunitário, levantam a questão do tom de sua narrativa. O texto modula teores de determinação, tristeza e humildade.

Forma, estilo ou convenções artísticas significativas

Of Plymouth Plantation exemplifica, talvez como qualquer texto colonial da Nova Inglaterra, as virtudes estéticas do "estilo simples". A simplicidade de seus ritmos sintáticos e a concretude de suas imagens e tropos demonstram o poder retórico do eufemismo. O estilo simples refletia teoricamente a necessidade de apagar o eu (o que Bradford também consegue ao referir-se a si mesmo como & quotthe governador & quot) no próprio ato da criação, fazendo com que as palavras de alguém se aproximem estilisticamente da Palavra de Deus bíblica. A história de Bradford, no entanto, mostra aos alunos como os rigores teológicos do pensamento puritano, no entanto, permitiram o surgimento de "vozes" distintas, neste caso, a voz exclusivamente compassiva, humilde e, às vezes, amarga de Bradford.

A questão da tipologia puritana - que lê o Antigo Testamento não apenas como uma prefiguração do Novo Testamento, mas também da história contemporânea - também é um tanto problemática na história de Bradford. A correlação, em outras palavras, entre os hebreus do Antigo Testamento e os Plymouth & quotsaints & quot não é estável. Por exemplo, quando Bradford alude ao Monte Pisgah no capítulo IX, ele, na verdade, sugere uma distinção entre a Terra Prometida dos israelitas e os terrores selvagens da Nova Inglaterra.

Público Original

A natureza privada da história de Bradford e sua publicação tardia no século XIX complicam a questão da recepção do texto. Uma leitura atenta, no entanto, sugere que Bradford parecia ter previsto vários públicos para o texto. Como alguns estudiosos notaram, a narrativa parece ser dirigida aos anglicanos mornos em casa, à Congregação Scrooby restante, aos membros da maior colônia da Baía de Massachusetts e, talvez mais visivelmente, aos membros da segunda geração que se afastaram dos fundadores. visão original.

Além disso, os alunos devem ser lembrados de que, apesar de sua publicação atrasada, o manuscrito influenciou significativamente vários historiadores posteriores da Nova Inglaterra, como Nathaniel Morton, Cotton Mather e Thomas Prince.

Comparações, contrastes, conexões

Embora as últimas seções dos diários de Winthrop tenham sido escritas retrospectivamente, Of Plymouth Plantation fornece uma distinção útil entre uma narrativa retrospectiva e uma crônica contínua de eventos históricos.

O estilo de prosa relativamente austero de Bradford, bem como seus momentos problemáticos na interpretação da providência - e, portanto, o significado da Nova Inglaterra - contrasta notavelmente com as produções de Cotton Mather. Essas distinções ajudam a prevenir as tendências dos alunos de ver o & quotPuritanismo & quot como um monólito. Existem paralelos, entretanto, entre a mitificação de Bradford de fundadores de primeira geração como Brewster e John Robinson e o tipo de biografia que Cotton Mather conduz no Magnalia.

A história de Bradford é um dos primeiros exemplos de temas prevalecentes na imigração americana e nas literaturas de fronteira. Os ciclos de luta, sobrevivência e declínio caracterizam, por exemplo, um escritor muito posterior - como Willa Cather, que estava muito distante da Nova Inglaterra puritana. A instabilidade da comunidade nesses gêneros cria uma linha de continuidade temática entre Bradford e escritores de romance de fronteira, como Catharine Maria Sedgwick e James Fenimore Cooper.

Bibliografia

Cressy, David. Vindo: migração e comunicação entre a Inglaterra e a Nova Inglaterra no século XVII. Cambridge: Cambridge University Press, 1987.

Daly, Robert. & quotWilliam Bradford's Vision of History. & quot American Literature 44 (1973): 557-69.

Howard, Alan B. "Art and History in Bradford's Of Plymouth Plantation." William and Mary Quarterly, 3rd ser., 28 (1971): 237-66.

Levin, David. & quotWilliam Bradford: The Value of Puritan Historiography. & quot Major Writers of Early American Literature, ed. Everett Emerson, 11-31. Madison: University of Wisconsin Press, 1972.

Wenska, Walter P. & quotBradford's Two Histories & quot Early American Literature 8 (1978): 151-64.


Fatos e informações importantes

VIDA PESSOAL

  • Nascido em março de 1590 em Austerfield, Yorkshire, William Bradford viu o auge da Reforma Protestante na Inglaterra. Quando menino, ele se tornou membro do movimento puritano de esquerda.
  • Em busca de liberdade religiosa, ele se juntou a um grupo não-conformista e migrou para a Holanda.
  • Em 1620, ele liderou uma expedição de peregrinos ao Novo Mundo. Seu grupo era composto por cerca de metade dos passageiros do Mayflower.
  • Enquanto no Mayflower, Bradford foi um dos criadores do Mayflower Compact, que mais tarde se tornou a base do governo em Plymouth.

MAYFLOWER E O COMPACTO MAYFLOWER

  • O Mayflower era um navio cheio de peregrinos que zarpou no início da América colonial. Eles foram transportados da Inglaterra para Plymouth, Massachusetts, no Novo Mundo, onde o primeiro assentamento inglês permanente foi estabelecido.
  • Enquanto estavam a bordo, os peregrinos e outros colonos que buscavam estabelecer um assentamento no norte da Virgínia assinaram um pacto que detalhava as regras de autogoverno. No entanto, quando o navio pousou em Massachusetts e não na Virgínia, os passageiros sentiram que o pacto era nulo e estava fora da jurisdição da Virginia Company.
  • Em 11 de novembro de 1620, 41 dos colonos adultos do sexo masculino assinaram o pacto. Um dos colonos famosos que assinou foi Myles Standish.

BRADFORD NA COLÔNIA

  • Ao chegar, Bradford assinou o primeiro conjunto de leis para a colônia, chamado Mayflower Compact.
  • Bradford se ofereceu para participar das primeiras expedições para encontrar um lugar para se estabelecer.
  • Ele fez parte do grupo que descobriu o porto de Plymouth, onde os peregrinos construíram a colônia de Plymouth.
  • Infelizmente, ao retornar, Bradford soube que sua esposa havia caído do Mayflower e se afogado.
  • O primeiro inverno na Colônia de Plymouth foi brutal porque cerca de metade dos colonos originais morreu naquele primeiro ano de doença ou fome, incluindo o primeiro governador, John Carver.
  • Naquela primavera, William Bradford foi eleito o novo governador da Colônia de Plymouth. Ele serviu um total de trinta anos como governador.
  • A forte liderança de Bradford era exatamente o que a colônia precisava para sobreviver.
  • Ele trabalhou para manter a paz com os nativos americanos locais e distribuiu terras agrícolas para todos os colonos.
  • Bradford também era escritor. Ele escreveu uma história detalhada da Colônia de Plymouth intitulada Of Plymouth Plantation. Este documento é um dos melhores registros das lutas dos Peregrinos & # 8217 para sobreviver nos primeiros anos e também dá uma grande visão sobre a vida diária dos colonos. Ele cobre grande parte da história dos peregrinos até 1647, vinte e sete anos após sua chegada a Plymouth.
  • Bradford casou-se com sua segunda esposa, Alice Southworth, em 1623, e tiveram três filhos juntos.
  • Descendentes famosos de William Bradford incluem o ator Clint Eastwood, a chef Julia Child, o inventor George Eastman, o presidente do tribunal de justiça dos Estados Unidos William Rehnquist e o acadêmico Noah Webster.
  • Ele presidiu o que muitos historiadores consideram a primeira celebração do Dia de Ação de Graças no outono de 1621.
  • Um dos parceiros de Bradford & # 8217 na liderança da colônia foi o capitão Myles Standish, que cuidou da defesa e dos aspectos militares da colônia.
  • Bradford realizou a primeira cerimônia de casamento na Colônia de Plymouth em 1621.
  • William Bradford morreu em Plymouth em 9 de maio de 1657.

Planilhas do governador William Bradford

Este é um pacote fantástico que inclui tudo o que você precisa saber sobre o governador William Bradford em 20 páginas detalhadas. Estes são planilhas prontas para usar do governador William Bradford que são perfeitas para ensinar aos alunos sobre William Bradford (1590-1657), que foi o fundador e governador de longa data do assentamento da colônia de Plymouth. Nascido na Inglaterra, ele migrou com a congregação Separatista para a Holanda quando era adolescente.

Lista completa das planilhas incluídas

  • Fatos do governador William Bradford
  • Governador Bradford
  • Mayflower Compact
  • The Mayflower
  • Bradford e a Colônia
  • Primeiro dia de ação de graças
  • Em uma terra estrangeira
  • Tempo de fome
  • Diga a verdade
  • Santos e estranhos
  • Lição de Bradford

Link / cite esta página

Se você fizer referência a qualquer conteúdo desta página em seu próprio site, use o código a seguir para citar esta página como a fonte original.

Use com qualquer currículo

Essas planilhas foram projetadas especificamente para uso com qualquer currículo internacional. Você pode usar essas planilhas no estado em que se encontram ou editá-las usando o Apresentações Google para torná-las mais específicas para seus próprios níveis de habilidade dos alunos e padrões de currículo.


Trechos de William Bradford De Plymouth Plantation Com perguntas dependentes de texto

Os alunos entenderão melhor o que levou e o que aconteceu durante a jornada dos peregrinos para a América depois de ler esses trechos de De Plymouth Plantation.

William Bradford foi um dos primeiros peregrinos a chegar em Plymouth no Mayflower. Ele ajudou a escrever e também assinou o Mayflower Compact quando o navio chegou a Cape Cod. Bradford foi o governador designado de Plymouth de 1621 a 1656, exceto por cinco anos como assistente do governador. Ele escreveu muitos textos sobre a plantação de Plymouth, incluindo parte de Mourt’s Relation, A Journal of the Pilgrims at Plymouth(escrito em 1622 com Edward Winslow) e uma série chamada Diálogos sobre o governo da igreja, que mais tarde foi publicado nas Publicações da Sociedade Histórica de Massachusetts. Os seguintes trechos são de seu texto De Plymouth Plantation, que conta a história da colônia de 1620-1647.

Crenças religiosas

Por um lado [os reformadores] trabalharam para ter a devida adoração a Deus e a disciplina de Cristo estabelecida em sua igreja, de acordo com a simplicidade do evangelho, sem a mistura de invenções masculinas, e para ter e ser governado pelas leis de Palavra de Deus, dispensada nesses escritórios, & amp por aqueles oficiais de pastores, professores e anciãos, & ampc. de acordo com vós, Scripturs.

A outra parte [a Igreja da Inglaterra], embora sob muitas pretensões e pretextos, se esforçou para ter sua dignidade episcopal (depois de sua postura papista) com seu grande poder e jurisdição ainda retidos com todos aqueles tribunais, canhões e cerimônias, juntamente com todos tais meios de subsistência, rendimentos e oficiais subordinados, com outros meios como antigamente sustentavam suas grandezas anticristãs, e os capacitavam com poder senhorial e tirânico para perseguir vocês servos pobres de Deus.

Perguntas para crenças religiosas

  1. Em que os reformadores acreditavam?
  2. O que os peregrinos (reformadores) veem como o problema da Igreja da Inglaterra?

Mudança para a cidade de Leiden, Holanda (1609)

Por essas e outras razões, eles mudaram para Leyden, uma cidade justa e bonita, mas que se tornou mais famosa por sua universidade com a qual é adornada, na qual ultimamente tantos homens eruditos estiveram. Mas querer aquele tráfego marítimo que Amerstdam desfruta, não foi tão benéfico para seus meios de vida e propriedades exteriores. Mas agora que ouvem pitchet, eles caíram nas negociações e nas implementações de amplificadores que melhor puderam valorizar a paz e aumentar seu conforto espiritual acima de quaisquer outras riquezas. E no final eles vieram para criar uma vida confortável e competente, mas com trabalho duro e contínuo.

Estando assim estabelecidos (depois de muitas dificuldades), eles continuaram muitos anos em uma condição confortável, desfrutando de muitas sociedades suaves e deliciosas e comforte espiritual unidos nos caminhos de Deus, sob seu ministério capaz e governante prudente do Sr. John Robinson, e o Sr. William Brewster, que foi seu assistente no lugar de um Ancião, para o qual foi agora chamado e escolhido pela igreja.

Então, à medida que eles cresciam em conhecimento e outros dons e graças de seu espírito de Deus, e viviam juntos em paz, amor e santidade, muitos vieram a eles de diversas partes da Inglaterra, de modo que se tornaram uma grande congregação. E se a qualquer momento surgissem quaisquer diferenças, ou ofensas surgissem (como não pode ser, mas algum tempo depois, mesmo entre vocês os melhores dos homens), eles sempre foram tão afetados, e nipt em seus betim de cabeça, ou de outra forma tão bem composta, enquanto o amor, a paz e a comunhão ainda eram continuados, ou então a igreja purificada daqueles que eram incuráveis ​​e incorrigíveis, quando, depois de muita paciência usada, nenhum outro meio serviria, o que raramente acontecia.

Perguntas para mudar para a cidade de Leiden, Holanda (1609)

Decidindo emigrar para a América

Todas as ações grandes e honrosas são acompanhadas de grandes dificuldades e devem ser empreendidas e superadas com coragem responsável. Era certo que os perigos eram grandes, mas não desesperadores, as dificuldades eram muitas, mas não invencíveis. Pois embora houvesse muitos deles prováveis, ainda assim eles não eram cartaine, pode ser que coisas temidas de vocês nunca pudessem prejudicar os outros pelo cuidado providente e uso de bons meios, poderiam em grande medida ser evitados e todos eles, através de vocês a ajuda de Deus, por força e paciência, pode ser suportada ou vencida.

É verdade que tais tentativas não deveriam ser feitas e empreendidas sem um bom fundamento e razão, não precipitadamente ou levianamente como muitos fizeram por curiosidade ou esperança de ganho, & ampc. Mas sua condição não era normal, seus fins eram bons e honrosos, sua vocação era lícita e urgente e, portanto, eles podiam esperar a bênção de Deus em seus procedimentos. Sim, embora eles devessem perder suas vidas nesta ação, ainda assim eles poderiam ter conforto na mesma, e seus esforços seriam honrados. Eles viveram como homens no exílio, e em uma condição pobre e como grandes misérias possivelmente os assolassem neste lugar, pois vocês 12 anos de trégua [a trégua entre a Holanda e a Espanha] estavam agora fora, & amp lá não era nada além batimento de tambores, e preparação para o mandado, os eventos dos quais são totalmente incertos.

Perguntas para decidir emigrar para a América

Chegando com segurança em Cape Cod

Sendo assim, chegaram a um bom porto e foram trazidos a salvo para a terra, eles caíram de joelhos e abençoaram o Deus do céu, que os trouxe sobre o vasto e furioso oceano, e os livrou de todos os perigos e misérias deles, novamente para pôr seu pé em terra firme e estável, seu próprio elemente. E não é de admirar se eles estivessem tão alegres, visto que o sábio Sêneca estava tão afetado por navegar algumas milhas na costa de sua própria Itália, como afirmou, que ele teria permanecido vinte anos em seu caminho por terra, então passaria por mar para qualquer lugar em um curto espaço de tempo tão tedioso e terrível que vocês eram o mesmo para ele.

Mas ouvir, não posso deixar de ficar e fazer uma pausa, e ficar meio impressionado com a condição presente desse povo pobre e assim acho que o leitor também, quando ele bem considerou vocês mesmos. Tendo passado assim por um vasto oceano e um mar de problemas em sua preparação (como pode ser lembrado por você que foi antes), eles agora não tinham amigos para recebê-los, nem pousadas para entreter ou refrescar seus corpos castigados pelo tempo, sem casas ou muito menos cidades para reparar também, para buscar o sucesso.

Que seja também considerado o que esperamos de suprimento e succourre que eles deixaram atrás deles, você pode manter suas mentes nesta condição sade e julgamentos que eles estavam sob e eles não poderiam deixar de ser muito machos. É verdade, de fato, vocês afeições e amor por seus irmãos em Leyden foram cordiais e inteiramente com eles, mas eles tinham pouco poder para ajudá-los, ou a si próprios e como vocês se meteram entre eles e vocês marchants em sua partida, tem já foi declarado. O que não poderia sustentá-los senão vós, espírito de Deus e sua graça? Não podem e não devem os filhos desses pais dizer com razão: Nossos fiéis eram ingleses que atravessaram este grande oceano e estavam prestes a perecer neste willdernes, mas clamaram a vós, Senhor, e ele ouviu sua viagem e olhou para sua adversidade ...

Perguntas para chegar com segurança a Cape Cod

Terras da festa de exploração dos peregrinos em Plymouth

Dali eles partiram, & amp co [a] sted o tempo todo, mas não discerniram nenhum lugar provável para o porto e, portanto, apressaram-se para um lugar que seu pillote, (um Sr. Coppin que tinha bine em seu cuntrie antes) lhes assegurou que era um bom porto, no qual ele estivera, e eles poderiam buscá-lo antes da noite, o que os deixaria contentes, pois começava a ser mau tempo.

Depois de algumas horas de navegação, começou a nevar e chover, e em torno de você no meio de você à tarde, o vento aumentou, e o mar tornou-se muito agitado, e eles quebraram seu leme, & amp; era o máximo que 2 homens podiam fazer para dirigi-la com uma xícara de remos. Mas sua pílula fez com que eles tivessem bom ânimo, pois ele viu vocês abrigarem, mas o storme aumentando, e a noite avançando, eles carregaram o que podiam para entrar, enquanto podiam ver. Mas logo depois eles quebraram seu mastro em 3 pedaços e seu barco caiu sobre bord, em um mar muito crescido, de modo que eles gostariam de ter sido jogados fora, mas pela misericórdia de Deus, eles se recuperaram em vós harbore.

Mas quando veio também, ye pillott foi enganado em seu lugar, e disse, ó Senhor, seja misericordioso com eles, pois seus olhos nunca viram seu lugar antes e ele e o sr. companheiro a teria executado em terra, em uma enseada cheia de arrebentadores, antes de você winde. Mas um marinheiro vigoroso que guiava, mal os que remavam, se fossem homens, com ela, ou todos eram jogados fora o que faziam com rapidez. Assim, ele pediu-lhes que tivessem bom ânimo e brigassem com vigor, pois havia um som de faire diante deles, e ele não duvidava, mas deveriam encontrar um lugar ou outro onde pudessem cavalgar com segurança. E embora estivesse muito escuro e chovesse muito, no fim eles ficaram sob a proteção de uma pequena ilha e permaneceram lá a noite toda em segurança. Mas eles não sabiam que isso era uma ilha até de manhã, mas estavam divididos em suas mentes alguns iriam mantê-los com o barco por medo de que pudessem estar entre os índios, outros eram tão fracos e fracos que não podiam suportar, mas conseguiram uma costa, e muito barulho pegou fogo (estando todas as coisas tão úmidas) e vocês descansaram contentes de vir até eles, porque depois da meia-noite o vento mudou para o noroeste e congelou com força.

Mas embora este tivesse sido um dia e noite de muitos problemas e perigo para eles, ainda assim Deus lhes deu uma manhã de conforto e refrescante (como normalmente faz com seus filhos), pois o dia seguinte foi um belo dia de sol, e eles descobriram eles venderiam para estar em uma ilha segura de vocês índios, onde eles poderiam secar seu material, consertar suas peças e descansar, e deram graças a Deus por sua misericórdia, em suas múltiplas libertações. E sendo este o último dia de vocês, eles se prepararam lá para guardar o Sabath.

Em domingo, eles sondaram seu porto e o acharam adequado para o transporte e marcharam para sua terra [Plymouth], e encontraram diversos campos de milho e pequenos riachos, um lugar (como eles supunham) adequado para a situação, pelo menos era o melhor que podiam encontrar, e você temperar, & amp; sua necessidade presente, os deixava contentes por aceitá-la. Assim, eles voltaram ao navio novamente com esta notícia para o resto de seu povo, o que muito confortou seus cervos.

Perguntas para Terras da festa de exploração dos peregrinos em Plymouth

  1. A que os peregrinos atribuem sua segurança e sobrevivência?
  2. O que aconteceu com o grupo de exploração dos peregrinos antes de chegarem a Plymouth?
  3. Como os peregrinos reagiram ao ouvir sobre Plymouth?

Encontrando Squanto, o nativo americano que falava inglês

Tudo isso enquanto os índios vinham se esgueirando sobre eles, e às vezes se mostravam indiferentes, mas quando alguém se aproximava deles, eles fugiam e uma vez roubavam suas ferramentas onde haviam trabalhado e foram jantar.

Mas por volta do dia 16 de março, um certo índio veio corajosamente entre eles e falou com eles em um inglês ruim, que eles podiam entender muito bem, mas ficaram maravilhados. Por fim, eles compreenderam, por meio de conversas com ele, que ele não era dessas partes, mas pertencia às partes orientais, onde alguns navios ingleses vinham pescar, os quais ele conhecia e poderia nomear vários deles pelos seus nomes, entre os quais ele tinha obteve sua linguagem. Ele se tornou lucrativo para eles ao familiarizá-los com muitas coisas a respeito do estado do país nas partes orientais onde ele vivia, o que foi posteriormente lucrativo para eles como também para as pessoas aqui, de seus nomes, número e força, de sua situação e distância deste lugar, e quem era o principal entre eles. Seu nome era Samoset. Ele contou-lhes também sobre outro índio cujo nome era Sguanto, um nativo deste lugar, que tinha estado na Inglaterra e falava inglês melhor do que ele.

Sendo depois de algum tempo de entretenimento e presentes dispensados, um pouco depois ele voltou, e mais cinco com ele, e eles trouxeram novamente todas as ferramentas que foram roubadas antes, e abriram caminho para a vinda de seu grande Sachem, chamado Massasoit. Quem, cerca de quatro ou cinco dias depois, veio com o chefe dos seus amigos e outros assistentes, com o referido Squanto. Com quem, após entretenimento amigável e alguns presentes dados a ele, eles fizeram as pazes com ele (que agora continua 24 anos) nestes termos:

1. Que nem ele nem qualquer um de seus membros devem ferir ou fazer mal a qualquer um de seu povo.

2. Que se algum de seus feriu algum deles, ele deveria enviar o ofensor, para que eles pudessem puni-lo.

3. Que se alguma coisa fosse tirada de algum deles, ele deveria restaurá-la e eles deveriam fazer o mesmo com a dele.

4. Se alguém guerreava injustamente contra ele, eles o ajudariam, se alguém fizesse guerra contra eles, ele deveria ajudá-los.

5. Ele deve enviar aos seus vizinhos confederados para certificá-los disso, para que eles não possam prejudicá-los, mas podem ser igualmente incluídos nas condições de paz.

6. Que quando seus homens viessem a eles, deveriam deixar seus arcos e flechas para trás.

Depois dessas coisas, ele voltou para seu lugar chamado Sowams, a cerca de 40 milhas deste lugar, mas Squanto continuou com eles e foi seu intérprete e um instrumento especial enviado por Deus para o bem deles, além de suas expectativas. Ele os instruiu sobre como plantar o milho, onde pescar e como adquirir outras mercadorias, e também foi seu piloto para levá-los a lugares desconhecidos para seu lucro, e nunca os deixou até que morresse.

Ele era um nativo deste lugar, e quase não restou ninguém vivo além dele. Ele nós carregamos com vários outros por um Hunt, um mestre de um navio, que pensou em vendê-los como escravos na Espanha. Mas ele fugiu para a Inglaterra e foi recebido por um comerciante em Londres, e empregado na Terra Nova e em outras partes, e por último trouxe para essas partes por um certo Sr. Dermer, um cavalheiro empregado por Sir Ferdinando Gorges e outros para descobertas e outros projetos nestas partes.

Perguntas para encontrar Squanto, o nativo americano que falava inglês

  1. O que dizia o acordo entre Squanto e os peregrinos?
  2. Por que os peregrinos deviam gratidão a Squanto?

O inverno de 1621

Nestes inícios difíceis e difíceis, eles encontraram alguns descontentes e murmúrios surgindo entre alguns, e discursos amotinados e carruagens em outros, mas eles foram tão sufocados e superados por sua sabedoria, paciência e quase igual carga de coisas por seu governo e melhor parte, que clave fielmente togeather em você maine. Mas o que foi mais triste e lamentável foi que em 2 ou 3 meses a metade de sua empresa morreu, espetacularmente em janeiro e fevereiro, estando a profundidade do inverno, e querendo casas e outros confortos sendo infectados com sua escória e outras doenças, que esta longa violência e sua condição inadequada haviam trazido sobre eles, de modo que algumas vezes morreram 2 ou 3 vezes por dia, no tempo previsto, de 100 e outras pessoas, escassamente 50 restaram.

And of these in ye time of most distres, ther was but 6. or 7. sound persons, who, to their great comendations be it spoken, spared no pains, night nor day, but with abundance of toyle and hazard of their owne health, fetched them woode, made them fires, drest them meat, made their beads, washed their lothsome cloaths, cloathed & uncloathed them in a word, did all ye homly & necessarie offices for them wch dainty & quesie stomacks cannot endure to hear named and all this willingly & cherfully, without any grudging in ye least, shewing herein their true love unto their friends & bretheren. A rare example & worthy to be remembred. Two of these 7. were Mr. William Brewster, ther reverend Elder, & Myles Standish, ther Captein & military comander, unto whom my selfe, & many others, were much beholden in our low & sicke condition.

Questions for The Winter of 1621

The First Thanksgiving Feast

They begane now to gather in ye small harvest they had, and to fitte up their houses and dwellings against winter, being all well recovered in health & strenght, and had all things in good plenty fFor as some were thus imployed in affairs abroad, others were excersised in fishing, aboute codd, & bass, & other fish, of which yey tooke good store, of which every family had their portion. All ye somer ther was no want. And now begane to come in store of foule, as winter approached, of which this place did abound when they came first (but afterward decreased by degrees). And besids water foule, ther was great store of wild Turkies, of which they tooke many, besids venison, &c. Besids, they had about a peck a meale a weeke to a person, or now since harvest, Indean corn to yt proportion. Which made many afterwards write so largly of their plenty hear to their freinds in England, which were not fained, but true reports.

Questions for The First Thanksgiving Feast

  1. The Pilgrims have been in Plymouth for almost a year. Which line from this excerpt signifies this?
  2. What was the result of the harvest and the Thanksgiving feast?

Overall Question for William Bradford’s Of Plymouth Plantation

Why might Bradford have written this in third person point of view instead of first person narrative?


William Bradford Timeline - History

Immigrant Ships Transcribers Guild
THE COMPASS

THE MAYFLOWER
Some sites are listed under several topics due to the
vast amount of information contained within the sites.

Mayflower II
A diagram illustrates some of the important areas and equipment aboard ship. Big Doings Down at Mayflower II: What is involved in long-term restoration and what will the Mayflower look like at the end of the current restoration effort?
The First Mayflower - 1620: What was the Original Vessel Like?
Re-creating the Mayflower: The Story of Mayflower II.
The Mayflower Compact: The Pilgrims in American Culture
Mayflower Passengers
The Mayflower's Crew - 1620
Mayflower II Crew: 1957

From England to New England: (The Voyage of the Mayflower)
The first permanent settlers of New England, later known as the Pilgrims, arrived on the English ship the Mayflower at Plymouth, Mass., in 1620. The 180-ton vessel was about 12 years old and had been in the wine trade.

Mayflower Links
Five generations before and seven generations after Gov. William Bradford. Links to info about the Mayflower. They include passenger lists, history about the ship itself, stories written by 5th grade children about what they thought life was like for the children on the Mayflower, wills, the Mayflower Compact, and others.


Mayflower Passenger List
Nome
Era
Ocupação
Marital Status The Mayflower: Article and Passenger List
The Mayflower sailed from England on the 16th of September, 1620, with 102 passengers. ----->

Caleb Johnson's Mayflower Web Pages - The most complete Mayflower related site on the WWW.
Passenger Lists
Mayflower, 1620 (includes history and genealogy of each passenger)
Fortune, 1621
Anne, 1623
About the Mayflower
History of the Mayflower
About the Crew
Dimensions and Images
About the Voyage Itself
1624 Inventory of the Mayflower
Mayflower Documents
Mayflower Compact (1620)
Peace Treaty with Massasoit (1621)
Peirce Patent (1621)
Division of Land (1623)
Division of Cattle (1627)
Pilgrim-related Leyden Documents from the Leiden Archives (1609+)
Thanksgiving Proclamation (Abraham Lincoln, 1863)
Mayflower Passenger Wills
All Known Wills of Mayflower Passengers
Estate Inventories of the Pilgrims
Full Texts of Pilgrim Writings
Books and Journals written by Pilgrims
Letters written by Pilgrims
Contemporary accounts written about the Pilgrims
Historical Information
Girls on the Mayflower
Women on the Mayflower
Common Mayflower Myths
The Pilgrims' Religious Beliefs
Crime and Punishment at Plymouth
The Native Americans
Biography of Tisquantum (Squanto)
The "First" Thanksgiving
Clothing of the Pilgrims
Weapons of the Pilgrims
Criminal Histories of some Pilgrims
Historical Info from the Plimoth Plantation Museum web site:
The Pilgrim Village in 1627 (includes information on Pilgrim houses)
Hobomok's Homesite
The Mayflower II
Pilgrim Clothing
Wampanoag Clothing
Myths about the Pilgrims
Games played by Pilgrim Children
Mayflower "Lists"
Passengers with Descendants Living Today
Passengers who Died the First Winter
Common Mayflower Genealogy Hoaxes
The Merchant Adventurers (Plantation share-holders)
Separatists who Remained in Leyden
Revolutionary War Soldiers with Mayflower Ancestry
U.S. Presidents with Mayflower Ancestry
The London and Leyden Contingents of the Mayflower
Genealogy Research
List of Professional Genealogists
Important Addresses for Mayflower Researchers
Mayflower Museums
Plimoth Plantation Museum
Pilgrim Hall Museum
Leiden American Pilgrim Museum
Leiden Archives
John Alden House
The Pilgrim Monument and Museum
Myles Standish Monument

Thru the Looking Glass - Mayflower and Early Families Document Center: Hundreds of New England And Miscellaneous Early American Documents
Mayflower Families
Governor Bradford's List
First Family Stats
Mayflower Daughters
Genealogies
Intermarriages
Mayflower Ship: Diagram, Photos, Passenger List and Other Ship Notes.
Pilgrim Anniversaries: The important first events for the Pilgrims.
Colonial Life
King James Grant
Mayflower Compact
O primeiro dia de ação de graças
The Pilgrims-Overview
A Piece Of The Rock
The First Colonists
Colonial Life
Child's Play
Colonial Diseases
Later Emigrants
General Laws
General Laws 2
Man and Master
Morality and Sex
Cooke & Early MA: searchable, Gedcom format.
People, Events, Towns
Connecticut Milestones
Early Families, Stories
Decease Of The Fathers Of New England
Early Town Inhabitants
MBC Charter 1629
Weston & Pratt
Town Histories
Vital Records
Saybrook VR 1
Plymouth County VR
Diaries & Such
The Brewster Book
Jeremiah Bumstead Diary1
Jeremiah Bumstead 1723
Jeremiah Bumstead 1724
Jabez Delano Letter
The Prince Bible
Warren Weston Journal
Voyage To India
Ship Passengers
Mayflower & Early Ships
Early Wills & Deeds
Wills & Deeds 1
Wills & Deeds 2
Essex County Wills
Nativos americanos
Indian Children Put To Service
Indian Disposition
Native American Records
Indian Resettlement
User Resources
Town Name Changes
Pirates & Treasures
Surname List, Index and Search The Story of John Alden and the Mayflower -->

Mayflower Genealogy
Brewster, Sampson/Samson and Warren lines.

Crocker's Corner
Crocker-Ashley Genealogy
Block-Stacker-Hinson Genealogy

Irish Ridge Writings and Genealogy: Mayflower 1620 Greene-Browne Connection
History has over dramatized those first to set foot on Plymouth Rock. Still the journey was not without incident and mortal danger and it seemed important to see if there was a family connection.

Because They Came to America, I am here!!
Richard Warren came on the Mayflower 1620. The Mayflower is first recorded in 1609, at which time it was a.

Jeannie Winter's Mayflower Lines
Governor William Bradford (thru Wm.)
Governor William Bradford (thru Jos.)
Elder William Brewster
John Alden (thru Eliz.)
John Alden (thru Jos.)
William Mullin
Richard Warren
Peter Browne

Winslow Family: First Generation.
Timothy Winslow is the son of Joseph Winslow, who was the son of John Winslow who arrived on the ship Fortune in 1621, and Mary Chilton, a Mayflower immigrant, who arrived on the Mayflower in 1620 as a 13 year old girl with her parents.

False and Faked Mayflower Genealogy
A collection of the most commonly known false and faked Mayflower lines.

Plimoth Plantation & Mayflower II
Plimoth Plantation: The Museum
The 1627 Pilgrim Village
Hobbamock's (Wampanoag Indian) Homesite
The Carriage House Crafts Center
Mayflower II
The Library: Historical Information
The Pilgrim Story
Plymouth Colony: 1620 - 1692
The Wampanoag Indians
Ação de graças
Educational Outreach and Programs
Education Programs
Field Trips
Adult & Family Programs
Teachers' Workshops
Educational Resources
Kids' Page

Duane A. Cline's The Pilgrims and Plymouth Colony: 1620 (This site has a great deal of information.)
A Study Guide for anyone interested in topics relating to the Mayflower journey and Plymouth Colony.
Pilgrim Background
The Bible From Latin to English
The State Church
Pilgrims Not Puritans
Separatists
Puritans
First Attempt to Leave England
The Separatists Depart for Holland
The Leiden Separatists
Decision to Leave Holland
The Speedwell Sails for Southampton
The Mayflower's Final Departure
Voyage of the Mayflower
The Ship
Christopher Jones: Master of the Mayflower
Animals on Board
Provisões
Confecções
Mobiliário
Tools and Other Equipment
Arrival in the New World
A Near Mutiny
The Mayflower Compact
The Concepts of Democracy
The First Explorations
Cape Cod Bay
Cape Cod
Pilgrim Spring
Corn Hill
First Encounter Beach
New Plimoth (now Plymouth)
Home-Building Begun
The Spring of 1621
The Mayflower Departs
Their Native American Friends
Samoset and Squanto
The Indian Peace Treaty
Treaty With Massasoit
The First Pilgrim Thanksgiving
Starvation Time
1622 Summer Harvest Fails

People of Plymouth: Its History and People
Plymouth, Massachusetts
Pilgrims
John Alden
William Bradford
William Brewster
John Carver
Myles Standish
The Winslows
Mayflower Compact
Plymouth: The Mayflower
Mayflower
Wampanoag Tribes
Visão geral
Views of the Seventeenth Century
Wampanoag Thanksgiving Tradition
Massasoit
Samoset
MayFlower Passenger List

The American Sense of Puritan
Context and Developments
The Pilgrims and Plymouth Plantation
The Mayflower Compact
Thanksgiving and the Indians
Massachusetts Bay Colony: The Puritans
Salem Witchcraft
The revealed word, antinomianism, individualism
Caveat--a note on the Jeremiad
Tradition as a Cultural Tool
The Pilgrims in the Capitol: The images in the U.S. Capitol

The Plymouth Colony Archive Project at the University of Virginia
This Plymouth Colony Archive presents a collection of searchable texts, including court records, Colony laws, seminar analysis of various topics, biographical profiles of selected colonists, probate inventories, wills, a "Glossary and Notes on Plymouth Colony", and "Vernacular House Forms in Seventeenth Century Plymouth Colony".

Archives and Analysis of Plymouth Colony, 1620-1691: Seminar and Analysis
Papers, Laws, Court Records and Texts
Topical Analyses
Plymouth Colony Legal Structure
Early Settlement of Plymouth Plantation
Servants and Masters and Related Laws and Court Records
Sexual Misconduct and Related Laws and Court Records
Domestic Violence in the Plymouth Colony
Coroner's Inquests
Profiles in Tedium: The Constables of Duxbury
Vernacular House Forms of the 17th Century Plymouth
Glossary and Notes on Plymouth Colony
Colony Laws, Court Records and Texts
Laws of the Colony of New Plymouth in New England
Pierce Land Patent, 1621
Land Division of 1623
Cattle Division of 1627
Bradford Land Patent, 1629
Patent Surrendered to Freemen, 1640
Laws and Court Records on Servants and Masters
Laws and Court Records on Sexual Misconduct
Mourt's Relation: A Journal of the Pilgrims at Plymouth, 1622
Goode Newes from New England, 1624

Probate Inventories
Selected Probates 1628-1672
Selected Probates 1673-1675
Selected Probates 1676-1682
Selected Probates 1683-1687

Analysis of Selected Wills
Last Wills & Testament of:
William Mullins, 1621
Samuel Fuller, 1633
Stephen Hopkins, 1644
Love Brewster, 1650/1651
Edward Winslow, 1654
Edward Doty, 1655
Myles Standish, 1655/56
William Bradford, 1657
Bartholomew Allerton, 1659
Isaac Allerton, 1659
Francis Cooke, 1663
John Howland, 1672
Mary Winslow, 1676
George Soule, 1677
Gyles Hopkins, 1682/1683
Henry Sampson, 1684
Elizabeth Howland, 1686
John Cooke, 1694
Peregrine White, 1704

Room 20's Colonial Web Page: The New England Colonies
Who settled the New England Colonies, and why
Industries in the New England Colonies
About the New England People

Informed ReSource Documents: The Mayflower Compact adopted November 11, 1620
Agreement for the system of governance to be adopted by the Mayflower Pilgrims upon landing in the New World.


Plimoth Plantation(tm) The Living History Museum of the 17th-Century
Plymouth
1627 Pilgrim Village
Hobbamock's Wampanoag Indian Homesite
Mayflower II
Irreconcilable Differences, 1620-1692

The "First Thanksgiving": Facts and Fancies
Primary source references to the "First Thanksgiving"
Alternative claimants to the First American Thanksgiving
A First Thanksgiving Dinner for Today
The 1621 Bill of Fare
Thanksgiving in American history
The "First Thanksgiving": Facts and Fancies
A 17th Century Harvest Feast
The Alleged Gov. Bradford First Thanksgiving Proclamation
Who Attended The 1621 "First Thanksgiving"?

Ação de graças
America's First Thanksgiving
The Mayflower Compact
Thanksgiving Proclamations: Timeline
Poems for Kids

Thanksgiving Its True History
Research materials provided by Terye Gonzalez, Apache, on the history of Thanksgiving. Welcome to Familyhonor's Thanksgiving Page!
Many Thanksgiving Links -->


The Pilgrim Society: America's Museum of Pilgrim Possessions
The Pilgrim Story
Who were the Pilgrims?
Religião
The Pilgrims in Holland
The Pilgrim Press
Who were the Native People?
The Native People & colonial exploration
The voyage of the Mayflower & Speedwell
The Pilgrims' arrival in America
The Sparrow-Hawk
It came on the Mayflower?
Politics and coexistence
The "First Thanksgiving"
Compacts and contracts
Pilgrim houses
Making a living in the new world
Pilgrim possessions
Leadership in Plymouth Colony
Plymouth Colony grows
Community life
King Philip's War: the causes, the war, the effects
The continuous presence of Native People
Affluence & style
Ação de graças
The "First Thanksgiving" and the Pilgrims
The Evolution of the Modern Thanksgiving
The Native American National Day of Mourning
Beyond the Pilgrim Story
Text of The Mayflower Compact
Passenger List of the Mayflower
Text of Massasoit's Treaty
Bibliography on the history of Plymouth Colony & the Pilgrims
Of Plymouth Plantation,the Journal of William Bradford
Love & Legend: the Courtship of Myles Standish
In Their Own Write : Native American documents from the collections
of Pilgrim Hall Museum
New Exhibits
Coleções
Library & Archives
Pilgrim Press Books
Patents
Furniture : Chairs
Furniture : Chests
Furniture : Cradles
17th Century Personal Effects & Household Items
Portraits
History paintings
Education: museum programs designed for students Thomas Rogers Society
Thomas Rogers was a signer of the "Mayflower Compact". --> Massachusetts Society of Mayflower Descendants
Publishing Research Library -->

Orange County Colony of the Mayflower Society
On-line tours of Pilgrim and Early American related museums, landmarks and possessions
Important web sites related to the Pilgrims and Early American life. (under construction)
Re: Mayflower ship: The last probate record of The Mayflower. The General Society of Mayflower Descendants
"A New Map of New England" 1720
perguntas frequentes
Fascinating Articles For People Interested in Pilgrims
O primeiro dia de ação de graças
An Insight Into Pilgrim Life
The Distinctions Between Pilgrims and Puritans
Were the Pilgrims Intolerant?
Mayflower Passengers List
List of Publications
The Pilgrims & Plymouth Colony: 1620
The Mayflower Society Library -->

Back to Ships Page

Research for the original information found in the ISTG COMPASS was conducted by Harriet Rosch and the late Donna Jackson. The ISTG Compass began to guide researchers in September 1999, and is an invaluable research site for genealogists.




If you find an ancestor on a ship on ISTG and would like to link to your email address or home page, please submit a short paragraph about the passenger, where settled, children, etc., with the name of the ship and date of arrival, and send to the transcriber at the bottom of the manifest or to the
ISTG Production Coordinator.

Copyrights, Trade Marks, & Registered Trade Marks within this web site are protected under international copyright law. All rights reserved by the respective holders of any &trade © ® included within this site. 1998-2021

ISTG™ NOTICE: These electronic pages are Copyright 1998-2021 and may NOT be reproduced in whole or part in any format for presentation, distribution or profit by anyone without the express written consent of the Immigrant Ships Transcribers Guild LLC. All content on these electronic pages may NOT be obtained by unacceptable means which include use of any spider, robot, retrieval application or any device to retrieve any portion of the site. Immigrant Ships Transcribers Guild is independently owned.


Of Plymouth Plantation Summary

William Bradford , the Governor of the Plymouth Plantation in North America, records the history of the colony, promising to write in a plain, honest style that reflects his commitment to the truth.

Bradford begins by discussing the history of the Plymouth colony before 1620. In England, Henry VIII and his daughter, Queen Elizabeth , instituted a series of religious reforms that limited the role of Roman Catholic ceremony in Christian practice. However, some Christian reformers worried that the English crown hadn’t gone far enough, and broke with the English church altogether.

Many of the English reformers migrated to Holland, where they believed they’d enjoy more religious freedom. However, life in Holland was difficult, and the reformers had to compete with other religious sects for their congregants. William Brewster and John Robinson , two of the key leaders of the English reform movement, resolved to bring their congregants to America to find a new home. After ten years in Holland, the English reformers were able to make arrangements with the Virginia Company, which had gathered investors to send an expedition to Plymouth, located in New England.

In 1620, the English reformers in Holland, now calling themselves Pilgrims, sail for England aboard the Mayflower . During this period, John Carver and Robert Cushman serve as the Pilgrims’ business contacts in England, ensuring the Virginia Company’s cooperation. Many of the English reformers in Holland have to stay behind, both because of the size of the ship and because it is feared that they won’t be able to survive the long voyage.

In 1620, the Mayflower docks in Cape Cod, near the Hudson River. Before the settlers go ashore, they agree to recognize John Carver as their first governor, and to abide by the laws of the community. Under the command of Captain Myles Standish , an expedition of Pilgrims goes out to explore the surrounding area, and quickly encounters a group of Native Americans. The Pilgrims steal some food from the Native Americans, promising to return it when they’re able to do so. The Native Americans attack the Pilgrims, and the Pilgrims fire back, killing several people.

In the second, much longer part of his book, Bradford uses a more concise, chronological approach, and includes many excerpts from people’s letters. By 1621, much of the Mayflower expedition has died off due to disease, cold weather, and starvation. However, the Pilgrims benefit from the presence of Squanto , a Native America who has spent time among English traders and speaks good English. Squanto is instrumental in forging alliances between the Pilgrims and the Native Americans in the surrounding area. Around the same time, a plague breaks out among the Native Americans, and thousands die. Governor Carver also becomes ill and dies, and William Bradford is appointed the new governor, with Isaac Allerton as his assistant.

Throughout the 1620s, the Plymouth settlement is embroiled in a dispute concerning its considerable debts to the investors who made the Virginia Company’s Plymouth venture possible. Though the Virginia Company itself goes under, many investors demand that the Pilgrims honor their agreement and pay off their debt over the next few years. Thomas Weston , a former investor in the Company, sells off his shares, but then tries to send his own ship to the New World in the hopes of starting a new colony. Weston begins a new colony in Massachusetts, but quickly falls on hard times. By 1623, he’s wanted by the English crown for illegally selling trading licenses and other goods in America, endangering the health of England’s colonies. Meanwhile, the Pilgrims receive ships sent by Robert Cushman and the remaining investors in England, with the understanding that the Pilgrims will pay off their debts as soon as possible.

In spite of its outstanding debts to investors, the Plymouth plantation begins to thrive. Its population is disciplined and well-organized, and when Bradford makes the decision to allow each family to farm its own land, the overall health of the colony greatly improves. Bradford encounters a challenge when he learns that two new settlers in Plymouth, John Oldham and John Lyford , are secretly writing letters to their friends in England that insult the colonists, and seem to be plotting to reduce the Pilgrims’ religious authority. Bradford arranges for Lyford and Oldham to be expelled from Plymouth. Around the same time, Bradford orders for the first execution in Plymouth.

The Plymouth leadership sends Isaac Allerton to England to negotiate with outstanding investors. At first, Allerton does a good job, negotiating for a more gradual repayment and obtaining a lucrative land patent for the Plymouth colonists. However, he then begins to use his access to England for his own selfish purposes. Allerton starts to bring large quantities of goods back from England, against the Pilgrims’ request, and then selling them for inflated prices. James Sherley , a business contact of the Pilgrims, sends a secret letter to Plymouth, explaining that Allerton is no longer loyal to the colonists’ interests. Meanwhile, the Plymouth colonists begin to develop good relations with the Dutch traders in New Amsterdam. Bradford also strikes up a friendship with John Winthrop , the governor of the Massachusetts Bay Colony.

The Pilgrims face another crisis when the White Angel , a ship sent to Plymouth by Sherley and manned by Isaac Allerton, brings no cargo for Plymouth—and Sherley still charges the colonists for the shipment, plunging them further into debt. Bradford suspects that Allerton has hidden the ship’s cargo in order to sell it for his own profit, and argues to Sherley that the colonists shouldn’t be charged for the cargo. Allerton later sells the White Angel to Spain, further endangering the Pilgrims’ financial stability. The Pilgrims write to Sherley that they shouldn’t be punished for Allerton’s wrongdoings, but Sherley continues to insist that the Pilgrims pay off the debt from the White Angel . Around the same time, the Pilgrims enter into a dispute with French settlers, but due to their lack of resources, they’re unable to wage a war against the French.

Toward the end of the book, Bradford describes the growing conflict with the Native Americans. The Pequot and the Narragansett tribes begin to fight, and try to enlist the colonists in their war. In 1637, the Massachusetts Bay Colony and Plymouth Colony begin a war with the Pequot tribe, resulting in the beheading of their chief. Meanwhile, the Pilgrims decide to dismiss Mr. Sherley as their business contact, since he seems to have done nothing to ease the Pilgrims’ debts by paying off the investors. By 1640, the Pilgrims negotiate a final agreement with Mr. Sherley: to pay off 1400 pounds in outstanding debts.

The Plymouth leadership forms a Council of the United Colonies, enlisting the settlers in Massachusetts, Connecticut, and other areas in New England. Meeting in Boston, representatives from all colonies agree to support one another in times of war and support peaceful trade between one another. The Council’s first test arrives in 1645 when the Narragansett tribe begins to feud with the colonies and with the Monhig Native Americans. The Council sends hundreds of soldiers in preparation for war—intimidating the Narragansett into surrendering.

In the final chapter of the book, Bradford lists the original settlers of the Plymouth Plantation and thanks God for blessing the colony with health and strength.


William Bradford

William Bradford (September 14, 1755 – August 23, 1795) was a lawyer and judge from Philadelphia, Pennsylvania, and the second United States Attorney General in 1794-1795.

He was the son of the printer William Bradford and was born in Philadelphia. He began his education at the Academy of Philadelphia, then attended Princeton University where he formed a lifelong friendship with Virginian James Madison, before graduating in 1772. When he returned to Philadelphia he read law with Edward Shippen. His progress was delayed by the American Revolutionary War.

In 1776, when the Pennsylvania militia was called out, William volunteered as a private. Later that year, the militia was organized into a “flying camp” with Daniel Roberdeau as the first brigadier general in the states forces. General Roberdeau chose the young man as an aide, and later promoted him to brigade major on his headquarters staff.

When his militia term expired, he joined the Continental Army as a captain and company commander in the 11th Pennsylvania Regiment commanded by Richard Hampton. By the end of the year, he saw action in the Battle of Trenton. While at Morristown, New Jersey, he was named a deputy to the muster master-general on April 10, 1777, and he was promoted to lieutenant colonel. During the encampment at Valley Forge in late-1777 and early-1778, his headquarters was at the David Harvard House. He resigned after two years due to ill health and returned home in early 1779.

Bradford joined the bar before the Pennsylvania Supreme Court in September 1779. He was named as the state’s Attorney General in 1780, and served until 1791. In 1784, he married Susan Vergereau Boudinot, the only daughter of Elias Boudinot. On August 2, 1791 Bradford represented General William West and argued the first recorded case before the U.S. Supreme Court, West v. Barnes losing the decision. On August 22, 1791, Bradford was appointed to the Supreme Court of Pennsylvania, and served for three years.

In 1793, Governor Thomas Mifflin asked his help to reduce the use of the death penalty. His report to the legislature was in the form of an essay, “An Inquiry how far the Punishment of Death is Necessary in Pennsylvania”. In the next reorganization of Pennsylvania’s penal code, the use of capital punishment was substantially reduced. Other states followed the Pennsylvania example.

On January 8, 1794, George Washington named him Attorney General for the United States to replace Edmund Randolph. He died while in office in 1795, and is buried with his wife’s family in Saint Mary’s Episcopal Churchyard in Burlington, New Jersey.


  • The Exxon-Valdez oil spill is the second largest oil-spill in U.S. history, the Deepwater Horizon spill in the Gulf of Mexico being the largest.
  • Since the area that experienced the most damage is not easily accessible, the clean up time was much longer. Which, consequently, created longer lasting damage to the area.
  • The oil spilled out over 1300 miles of coastline and 11,000 square miles of ocean.
  • The animals that call Prince William Sound home were all affected by this spill.

The story of the building of the trans-Alaska pipeline

Note: This Embedded video resides on the official Alaska National Parks YouTube channel

Transcript

>>Oil, hot crude, flows from the richest wells on the frozen arctic shore.

>>So much effort at such great cost to be ready to carry a 12 million barrel daily capacity

>>It took $8 billion, 20,000 workers, 12-hour days, and 7-day weeks, to finish it in three years, inside the deadline.

>>First, they built the road, 360 miles long, supplying 30 construction camps, using extra gravel to insulate the permafrost.

>>Then they needed supports to raise up the pipeline to prevent it from heating up the ground.

>>Half of the pipeline rests on 78,000 supports, 60 feet apart.

>>It’s a new design for constructing to be part of the land so caribou can march under it,

and earthquakes can rock and sway it.

>>Then the pipe 70,000 sections joined and laid, then buries or raised, crossing 3 mountain ranges, 800 riverbeds, tundra, forests, and lakes, all the way from the arctic to the pacific.

>>And now, from the richest oil field in America, 35,000 gallons of oil can flow every minute through a 48-inch pipe stretched 800 miles, the length of Alaska, to the ice-free port of Valdez.

>>In April, 1974, it began with the haul road, and on August 1, 1977, this film documented the first tanker leaving for the south, full of oil.


Assista o vídeo: LONGINES CHRONOSCOPE WITH SEN. HENRY CABOT LODGE, JR. (Dezembro 2021).