Podcasts de história

Carl Sandburg

Carl Sandburg

Carl Sandburg nasceu em Galesburg, Illinois, em 6 de janeiro de 1878. Os pais de Sandburg, August e Clara Anderson Sandburg, eram imigrantes suecos e, aos treze anos, abandonaram a escola e encontraram trabalho como operário. Ele também trabalhou como pedreiro e motorista de caminhão.

Em 1897, Sandburg se tornou um vagabundo. Um biógrafo apontou: "Suas experiências de trabalho e viagens influenciaram muito sua composição e visões políticas. Como um vagabundo, ele aprendeu uma série de canções folclóricas, que mais tarde executou em palestras. Ele viu em primeira mão o forte contraste entre os ricos e pobres, uma dicotomia que instilou nele a desconfiança do capitalismo. "

Depois de lutar na Guerra Hispano-Americana, ele retornou a Galesburg e estudou no Lombard College enquanto trabalhava como bombeiro. Ele se juntou ao Poor Writers 'Club, uma organização literária formada pelo professor lombardo Philip Green Wright. Os membros se reuniam para ler e criticar o trabalho uns dos outros e Wright imediatamente reconheceu o talento de Sandburg e o encorajou a continuar a escrever. Wright pagou pela publicação do primeiro volume de poesia de Sandburg, Êxtase imprudente, em 1904.

Após a faculdade, Sandburg mudou-se para Wisconsin, onde trabalhou como redator de publicidade. Nessa época, Sandburg era um socialista convicto e em 1907 conheceu Lilian Steichen, irmã do fotógrafo Edward Steichen, no escritório do Partido Social Democrata. Eles se casaram no ano seguinte e nos anos seguintes Lilian (ele a chamava de Paula) deu à luz três filhas (Margaret, Janet e Helga). Sandburg também foi organizador distrital do Partido Socialista Americano e em 1910 tornou-se secretário de Emil Seidel, o prefeito socialista de Milwaukee.

Sandburg tornou-se jornalista freelance e acabou sendo contratado pela Chicago Daily News onde conheceu outro aspirante a escritor, Ben Hecht. Outros amigos durante este período incluíram Theodore Dreiser, Sherwood Anderson e Edgar Lee Masters. Ele também produziu artigos para o Revista Socialista Internacional, um jornal publicado por Charles Hope Kerr em Chicago.

Em 1911, E. W. Scripps decidiu publicar um jornal totalmente livre de publicidade. O jornal do tamanho de um tablóide foi chamado The Day Book, e por um centavo a cópia, visava um mercado da classe trabalhadora, lutando por salários mais altos, mais sindicatos, fábricas mais seguras, tarifas de bonde mais baixas e o direito de voto das mulheres. Também abordou as histórias importantes ignoradas pela maioria dos outros jornais diários. Carl Sandburg foi contratado pela Scripps em 1913. Como socialista, Sandburg gostava de trabalhar para o The Day Book. De acordo com Duane C. S. Stoltzfus, autor de Freedom from Advertising (2007): "The Day Book serviu como um importante aliado dos trabalhadores, um vigilante agudo dos anunciantes, e redefiniu as notícias ao fornecer um exemplo de jornal que tratava seus leitores primeiro como cidadãos com direitos, em vez de simplesmente como consumidores. "O jornal deixou de ser publicado em 1917.

Sandburg também contribuiu com poemas e artigos para As massas, um jornal socialista editado por Max Eastman e dirigido por uma cooperativa de escritores e artistas radicais. Outros membros do grupo incluíram Floyd Dell, John Reed, William Walling, Sherwood Anderson, Upton Sinclair, Michael Gold, Amy Lowell, Louise Bryant, John Sloan, Art Young, Boardman Robinson, Robert Minor, KR Chamberlain, Stuart Davis, Lydia Gibson , George Bellows e Maurice Becker.

A reputação de Sandburg como um grande poeta foi estabelecida em 1916 com a publicação de Poemas de Chicago. O livro, com seus temas urbanos e o uso do coloquialismo de Sandburg, anunciou um novo desenvolvimento na poesia americana. Sandburg produziu várias coleções de poemas nos quinze anos seguintes, incluindo Cornhuskers (1918), Fumaça e Aço (1920), Lajes do Oeste Queimado pelo Sol (1922) e Bom Dia America (1928).

Além de sua poesia, Sandburg é conhecido por uma série de livros sobre a vida de Abraham Lincoln. Isto incluiu Abraham Lincoln: os anos da pradaria (1926), um livro para crianças, Abe Lincoln Cresce (1928), Mary Lincoln: esposa e viúva (1932) e Abraham Lincoln: os anos de guerra (1939). Este trabalho ganhou um Prêmio Pulitzer, assim como seu Poemas completos (1950). Outros livros incluem o romance, Pedra da Memória (1948) e uma autobiografia de sua infância, Sempre os jovens estranhos (1952).

Sandburg continuou a escrever poesia e alguns críticos acreditam que Mel e sal (1963) publicado quando o autor tinha 85 anos, contém alguns de seus melhores trabalhos.

Carl Sandburg morreu em 22 de julho de 1967.

Através da porta de uma jaula de aço da prisão do condado de Cook, Big Bill Haywood hoje falou o desafio dos Trabalhadores Industriais do Mundo a seus inimigos e captores.

Bill não bateu na porta, sacudiu as braçadeiras de ferro, nem pediu pena, nem fez qualquer tipo de jogo de herói. Ele espiou pelos buracos quadrados das ripas de aço e falou com a voz serena de um jogador de pôquer que pode ou não ter uma mão vencedora. Era a voz de um homem que dorme bem, digere o que come e não precisa de sedativos para acalmá-lo nem simuladores para agitá-lo.

O homem acusado de participação em 10.000 crimes separados e distintos ergueu um rosto quadriculado pela estrutura de aço e disse com um sorriso lento: "Olá, estou feliz em vê-lo. Sabe quando eles vão trazer o resto dos meninos aqui? Gostaríamos de tê-los de todo o país juntos aqui. Seria um lar para todos nós ficarmos juntos. "

Ele foi questionado sobre os 10.000 crimes de que I. é acusado.

"Não vejo onde eles possam encontrar 10.000 crimes, a menos que afirmem que distribuímos 10.000 cópias do livro de Pouget sobre sabotagem." Isso com um meio sorriso, e então mais intensamente:

"Dez mil crimes! Se eles podem fazer o público americano ou qualquer júri imparcial acreditar nisso, eu não vejo como eles farão isso. Ora, eles não podem colocar os dedos em um único lugar onde nós impedimos o governo na continuação da guerra.

"O I. não fez nada na guerra de uma forma ou de outra. É verdade que convocamos greves, mas eles não visavam parar a guerra. Veja! Em uma indústria onde uma greve foi convocada, eles poderiam ter pago aos trabalhadores $ 10 por dia e então teve lucros gordos.O I. tem lutado e continuará lutando por salários mais altos para pagar por um custo de vida mais alto.

"Os ovos há algum tempo custavam dois por um níquel. Agora custam um níquel cada. Uma costeleta de porco custa o dobro do que custava. Um lenhador gasta uma semana de pagamento para comprar uma camisa de lã."

"Milhares de homens casados ​​e com famílias pertencem ao I. O leite subiu para eles. Com 13 centavos de dólar o litro, eles não podem comprar leite para seus bebês, a menos que recebam mais dinheiro como salário. Leia o testemunho que investigadores federais pegaram no Alcance do Mesaba. São as condições e não a filosofia que torna o IW "

O rosto xadrez nas ripas de aço e a luz elétrica mantinham uma calma perfeita. Onde LaFollette é explosivo e o prefeito Thompson exageradamente plausível e doloroso, Haywood pega leve. Ele discute os alegados 10.000 crimes com o lazer massivo de Hippo Vaughn lançando um fechamento.

"Você está acusado de queimar campos de trigo", lembrou ele.

"Eu nego. Por que os trabalhadores deveriam queimar seu próprio emprego? Eles seriam tolos."

"Você é acusado de cravar espinhos em pinheiros necessários para aviões de guerra."

"Negue com certeza. E veja só, garoto: pelo que sabemos, nem um dólar alemão sujo chegou às nossas mãos. Volte atrás em nossos discursos e literatura e você vai descobrir que há um ano, dois anos atrás e antes da guerra Sempre que começamos, éramos a favor de cortar a garganta do Kaiser. Cada dólar que temos agora e cada dólar que a organização receberá vem dos trabalhadores. "

Mulher com um milhão de nomes e mil faces,

Procurei por você sobre a terra e sob o céu.

Te procurei nas procissões de passagem

Em antigas rodovias numerosas

Onde máscara, fantasma e vida passam.

Vagueando e vagando, da pradaria ao mar,

Da cidade ao deserto, lutando e orando,

Eu olhei.

Empoeirado e rebelde, eu era o soldado,

Sentinela há muito tempo, passeando pela noite,

Quem ouviu sua voz na brisa noturna,

Quem viu nas sombras do pinheiro seu cabelo,

Quem tocou no piscar de estrelas vibrantes

Sua alma!

Quando te vi, te conheci como você me conhecia.

Nós sabíamos há muito tempo atrás

Quando as colinas eram poeira e o mar uma névoa.

E a labuta é uma bagatela e a luta uma glória

Com Você, e ruína e morte, mas fantasias,

Mulher com um milhão de nomes e mil rostos.

Conheci Carl Sandburg e ele leu alguns de seus poemas manuscritos. Todos eram impressionistas, nebulosos, de contornos suaves, delicados; Lembro-me de ter gostado particularmente daquele sobre o nevoeiro que "vem nas patas do gato". Carl Sandburg ainda não havia tocado a nota que em breve tocaria Poemas de Chicago.


História + Highballs: um passeio na floresta com Carl Sandburg

Não deixe o Mês Nacional da Poesia terminar sem esta noite virtual de prosa e contação de histórias do mundo do poeta, biógrafo, jornalista, ativista dos direitos civis e músico Carl Sandburg. Sandburg chamou Flat Rock (condado de Henderson) de sua casa de 1945 até sua morte em 1967, morando com sua família na fazenda de 245 acres conhecida como Connemara.

A noite começará com Oursler lendo o poema de Sandburg, "I Am the People, the Mob." Flanagan apresentará um pouco da história sobre a casa de Sandburg - que era conhecida por seu proprietário original, Christopher Memminger, como Rock Hill. Suas histórias serão seguidas pela visão mais íntima de Carlisle sobre o relacionamento e a vida dos Sandburgs - Carl e sua esposa, Lilian Steichen “Paula” Sandburg. Oursler encerrará a noite com a leitura de seu poema premiado, "When Dreams Are Overrun".

Flanagan atuou recentemente como presidente da Historic Flat Rock Inc. e é um defensor apaixonado de todas as coisas do Flat Rock. Carlisle teve uma carreira no teatro, cinema e televisão que durou mais de 30 anos e incluiu performances off-Broadway, trabalho com Charles Nelson Reilly e a National Shakespeare Company e turnês com shows em escolas e teatros de todo o país, bem como papéis em várias novelas e programas do horário nobre. O residente de Flat Rock se aposentou da Western Carolina University em 2013. Ele escreveu The Sandburgs of Connamara, uma peça de um ato composta por 12 vinhetas representando os Sandburgs de 1945 a 1967, seu irmão, Michael, criou a trilha sonora da peça e suas três canções. Oursler é um poeta Flat Rock que venceu o Concurso Estudantil de Poesia Carl Sandburg de 2018.

Dois dos livros de Carl Sandburg, Poemas de Chicago , e The Chicago Race Riots , estão disponíveis na Loja do Museu! Você pode encomendá-los aqui.


Carl Sandburg

Carl Sandburg nasceu em Galesburg, Illinois, em 6 de janeiro de 1878. Seus pais, August e Clara Johnson, emigraram para a América do norte da Suécia. Depois de encontrar vários August Johnsons em seu emprego na ferrovia, o pai do Sandburg mudou o nome da família. Os Sandburg eram muito pobres. Carl deixou a escola aos treze anos para fazer biscates, desde assentar tijolos até lavar louça, para ajudar no sustento de sua família. Aos dezessete, ele viajou para o oeste para Kansas como um vagabundo. Ele então serviu oito meses em Porto Rico durante a guerra hispano-americana. Enquanto servia, Sandburg conheceu um estudante no Lombard College, a pequena escola localizada na cidade natal de Sandburg. O jovem convenceu Sandburg a se alistar na Lombardia após seu retorno da guerra.

Sandburg trabalhou seu caminho na escola, onde atraiu a atenção do professor Philip Green Wright, que não apenas encorajou a escrita de Sandburg, mas pagou pela publicação de seu primeiro volume de poesia, um panfleto chamado Êxtase imprudente (1904). Embora Sandburg tenha estudado na Lombard por quatro anos, ele nunca recebeu um diploma (mais tarde receberia títulos honorários da Lombard, Knox College e Northwestern University). Após a faculdade, Sandburg mudou-se para Milwaukee, onde trabalhou como redator de publicidade e repórter de jornal. Enquanto estava lá, ele conheceu e se casou com Lillian Steichen (a quem ele chamava de Paula), irmã do fotógrafo Edward Steichen. Simpatizante do socialismo naquela época de sua vida, Sandburg então trabalhou para o Partido Social-Democrata em Wisconsin e mais tarde atuou como secretário do primeiro prefeito socialista de Milwaukee de 1910 a 1912.

Os Sandburgs logo se mudaram para Chicago, onde Carl se tornou redator editorial do Chicago Notícias diárias. Harriet Monroe tinha acabado de começar Poesia: uma revista de versos, e começou a publicar os poemas de Sandburg, encorajando-o a continuar a escrever no verso livre, no estilo Whitman que ele havia cultivado na faculdade. Monroe gostou do discurso caseiro dos poemas, que distinguiu Sandburg de seus predecessores. Foi durante esse período que Sandburg foi reconhecido como membro do renascimento literário de Chicago, que incluía Ben Hecht, Theodore Dreiser, Sherwood Anderson e Edgar Lee Masters. Ele estabeleceu sua reputação com Poemas de Chicago (1916), e então Cornhuskers (1918), pelo qual recebeu o Prêmio Pulitzer em 1919. Logo após a publicação desses volumes, Sandburg escreveu Fumaça e Aço (1920), sua primeira tentativa prolongada de encontrar beleza no industrialismo moderno. Com esses três volumes, Sandburg ficou conhecido por seus poemas em versos gratuitos que retratavam a América industrial.

Nos anos 20, ele deu início a alguns de seus projetos mais ambiciosos, incluindo o estudo de Abraham Lincoln. Desde a infância, Sandburg amou e admirou o legado do presidente Lincoln. Durante trinta anos, ele buscou e coletou material, e aos poucos começou a escrever a biografia definitiva em seis volumes do ex-presidente. Os anos 20 também viram as coleções de folclore americano de Sandburg, as baladas de The American Songbag e The New American Songbag (1950), e livros para crianças. Esses volumes posteriores continham peças coletadas de breves turnês pela América que Sandburg fazia a cada ano, tocando seu banjo ou violão, cantando canções folclóricas e recitando poemas.

Na década de 1930, Sandburg continuou sua celebração da América com Mary Lincoln, esposa e viúva (1932), As pessoas sim (1936), e a segunda parte de sua biografia de Lincoln, Abraham Lincoln: os anos de guerra (1939), pelo qual recebeu o Prêmio Pulitzer. Ele recebeu um segundo Prêmio Pulitzer por seu Poemas completos em 1950. Seus volumes finais de versos foram Poemas de colheita, 1910-1960 (1960) e Mel e sal (1963). Carl Sandburg morreu em 22 de julho de 1967.

Sandburg foi nomeado para o American Poets 'Corner na Catedral de St. John the Divine em Nova York em 2018.


Carl Sandburg - História

Observação: a foto abaixo é do 91º aniversário de Stan no ano passado, tirada por J. Michael Hobbs.

S tanford Shover, ex-membro do conselho da Carl Sandburg Historic Site Association. Stan era apaixonado por todas as coisas de Carl Sandburg. Muito do sucesso dos Penny Parades na última década pode ser atribuído às sementes que ele plantou na comunidade de Abingdon para apoiar o Sandburg State Historic Site. Obrigado Stan, por uma vida bem vivida.

Associação de Sítios Históricos Carl Sandburg

P.O. Box 585 | 313 E. Third St. | Galesburg, Illinois 61402-0585 | 309-342-2361

Reflexão
Dusty Scott (2017) - Acrílico sobre tela
(C om permissão do artista - Para ver a imagem completa clique na imagem acima)

Associação de Sítios Históricos Carl Sandburg
P.O. Box 585
313 E. Third St.
Galesburg, Illinois 61402-0585
309-342-2361

A Carl Sandburg Historic Site Association é uma
501 (c) (3) organização isenta de impostos. As doações e contribuições são dedutíveis nos impostos, conforme permitido por lei.

Sítio Histórico Estadual Carl Sandburg
ABERTO para visitantes

Temos o prazer de anunciar que o sítio histórico do estado de Carl Sandburg foi reaberto na quinta-feira, 28 de janeiro de 2021. É necessária uma máscara para entrar. Os grupos serão limitados a 10 pessoas ou menos por vez.

O horário de funcionamento do Centro de Visitantes e da Casa da Família Sandburg será

Qui, Sex, Dom 13h - 17h
Sábados das 10h às 17h

Estamos ansiosos para receber os visitantes de volta!
Perguntas sobre o novo horário podem ser dirigidas ao Especialista de Serviços do Site II Bryan Engelbrecht no Sítio Histórico do Estado de Bishop Hill, ligando para (309) 927-3345 ou e-mail: [email protected]

-------

O Departamento de Recursos Naturais de Illinois (IDNR) revisou o acesso à maioria dos locais históricos do estado de Illinois devido a preocupações relacionadas ao vírus COVID-19.

EVENTO ADIADO
Apresentação em 23 de março com o Prof. Lawrence Webb
Devido a circunstâncias infelizes, tivemos que cancelar o evento com o Professor Webb. Esperamos reagendar no futuro - fique de olho aqui ou em galesburglibrary.org para obter mais informações.

Dia Anual de Doação (1 de dezembro de 2020)

Muito obrigado a todos aqueles que doaram generosamente à CSHSA via Facebook no

Dia Anual de Doação, 1º de dezembro de 2020

A CSHSA recebeu 20 doações totalizando US $ 1.010!

CSHSA Destaques do ano fiscal anterior
FY2019
FY2018
FY2017
FY2016
FY2015
FY2014

Graças ao trabalho da equipe do Monumento McFall na primavera passada, as pedras do local da caminhada da cotação foram todas limpas e erguidas! O projeto foi financiado por meio do apoio generoso de doadores aos fundos do Memorial Robert Ohlbach e Helen "Tede" Verner.

Série de concertos de bolsa de canções de Sandburg dos segundos domingos
Segundo domingo de cada mês
Março-novembro de 2020

Concertos de Sandburg Songbag
Cancelado até novo aviso
Devido às precauções COVID-19
____________________________________________________


Associação de Sítios Históricos Carl Sandburg
Diretores e Conselho de Administração
2020-2021
(em 10 de novembro de 2020)
Pat Kane, presidente Erin Glasnovich
Don Moffitt, vice-presidente. Mike Hobbs
Mike Panther, secretário Joey lucero
J. Richard Sayre, tesouros. Nicholas Regiacorte
Andrew Chernin Seamus Reilly
Emily DuGranrut Micaela Terronez
Pamela Fox Gary Wagle
Bryan Englebrecht , ex-officio (Especialista em Serviços do Site II)

Arrecadação de fundos anual para a Penny Parade

(Cancelado devido a preocupações com COVID-19)

O Penny Parade Fundraiser anual começará em 6 de janeiro de 2020 (aniversário de Carl Sandburg) e terminará na quinta-feira, 30 de abril de 2020 (o programa começa à 1h) após o Sandburg Days Festival anual de Galesburg, de 24 a 26 de abril de 2020. Centavos coletados por nosso Estudantes da área de Galesburg serão aceitos. Haverá um programa para os alunos que representam suas escolas na unidade de Sandburg.

Agradecemos sinceramente todo o apoio que recebemos das escolas da nossa área!

Parabéns pela incrível Penny Parade 2019!

Uma tradição iniciada em 1961, a Associação e o IDNR realizaram o culminar do Penny Parade Fundraiser anual ou 25 de abril. Os alunos e a comunidade renderam centavos e outras doações coletadas principalmente nas escolas da região. Os participantes, principalmente estudantes, participaram de uma variedade de atividades. Alunos da Silas Ward Elementary School apresentaram “A procissão de casamento da boneca de pano e do cabo da vassoura e quem estava nela”. Obrigado a todos que contribuíram e vieram para esta importante arrecadação de fundos!

Mestre de Cerimônias Mike Panther, Músico Erin Glasnovich, Apresentações de alunos de várias escolas representando Hedding (Abingdon), Gale, Galesburg Christian, King, Nielson, Silas Willard e Steele! Obrigado a todos !!

Penny Parade 2019 - $ 1.118,33 (em 14/05/2019)

Illinois faz 200 anos: edição Galesburg

Domingo, 4 de novembro às 14h

Sítio Histórico Estadual Carl Sandburg

O episódio explora um debate contínuo sobre qual janela Abraham Lincoln usou como uma saída do Old Main do Knox College o papel desempenhado pelos fundadores de Galesburg na Underground Railroad the Boxcar People from Mexico que trabalhou nos trilhos e criou uma comunidade no início do século XX. início da carreira do inventor da publicidade moderna, Earnest Elmo Caulkins, esforços atuais para revitalizar o centro da cidade por meio dos negócios e da cultura locais, a criação de uma comunidade recente de imigrantes congoleses e, é claro, a vida e a carreira do poeta, historiador e jornalista Carl Sandburg.

Os programas são gratuitos e abertos ao público. Os lugares são limitados.

Apresentando Nakshatra Neeraja, de 8 anos, recitando "I Am the People"

Antes do prazo final de 30 de junho de 2016, a CSHSA arrecadou pouco mais de US $ 12.000 para uma doação para apoiar o Local Histórico e o GCF combinou nossos esforços com a doação equivalente de US $ 10.000.

Este é o nosso esforço inicial para iniciar uma doação e esperamos vê-la crescer a um ponto em que o interesse da doação seja significativo o suficiente para enriquecer o Sítio Histórico Carl Sandburg no futuro.

A Associação de Sítios Históricos Carl Sandburg
P.O. Box 585
Galesburg, IL 61402-0585

Para enviar uma doação online, use o seguinte botão Doar:

Associação de Sítios Históricos Carl Sandburg

P.O. Box 585
313 E. Third St.
Galesburg, Illinois 61402-0585
309-342-2361

A Carl Sandburg Historic Site Association é uma
501 (c) (3) organização isenta de impostos. As doações e contribuições são dedutíveis de impostos, conforme permitido por lei.

Transferimos um filme raro de 16 mm recém-adquirido de uma entrevista de 1953 com Carl Sandburg para um DVD e estamos disponibilizando as cópias ao público. É uma introdução perfeita a Carl Sandburg, sua admiração por Abraham Lincoln e o que ele significa para a América.

Se vier de carro ou tiver um rádio FM com você, sintonize a 88.7 e ouça uma breve apresentação sobre Carl Sandburg e o Sítio Histórico. Três segmentos de áudio são alternados: uma curta biografia narrada por Rick Heath um tributo a Carl Sandburg pelo presidente Lyndon B. Johnson e a narração ganhadora do Grammy de Sandburg de "A Lincoln Portrait" de Aaron Copland. Aproveite todos eles.

CANCELADO DEVIDO ÀS Preocupações COVID-19

Slave spirituals através do blues, junto com a música de Duke Ellington e John Coltrane.

Domigo,
17 de maio de 2019



CANCELADO DEVIDO À COVID-19 Preocupações
Briar Road
Este grupo multi-talentoso apresenta uma mistura única de folk contemporâneo, blues, jazz e música original.

Vindo de Peoria, o grupo toca uma grande variedade de música irlandesa e celta.

Somos gratos a Tom Foley, que está coordenando a Songbag Concert Series deste ano para a Associação.

Uma doação de US $ 5,00 por pessoa é sugerida como taxa de entrada na porta (ou portão). Esses recibos vão para os artistas do Songbag Concert para complementar um valor básico pago pela Carl Sandburg Historic Site Association. Se você gostou do show, por favor, seja generoso em apoiar nossos artistas.

Os artistas da série de concertos Songbag e os custos de refrescos são financiados pela Carl Sandburg Historic Site Association e seus membros a um custo de aproximadamente US $ 2.500 por ano. Se você gostaria de apoiar a Songbag Concert Series, torne-se um membro da Associação e / ou sinta-se à vontade para fazer uma doação para Carl Sandburg Historic Site Association, PO Box 585, Galesburg, IL 61402-0585.

A casa onde o poeta e escritor Carl Sandburg nasceu e seus terrenos adjacentes contendo um parque e jardim estão localizados na 331 East Third Street, no lado sul de Galesburg, Illinois. Clique aqui para obter um mapa e acesso às instruções.

Ao lado fica o Centro de Visitantes. Ele contém um museu, uma loja do museu, um pequeno teatro onde vários vídeos informativos sobre Carl Sandburg são exibidos e um "celeiro" reformado que é na verdade um pequeno teatro com mais algumas exposições e onde apresentações ao vivo são frequentemente realizadas. O museu contém centenas de artefatos e exibições coloridas modernas apropriadas para todas as idades.

O Carl Sandburg Historic Site é mantido pelo Estado de Illinois e pela organização sem fins lucrativos Carl Sandburg Historic Site Association. A Associação patrocina e participa de muitas atividades ao longo do ano para homenagear e lembrar Carl Sandburg. Isso inclui o "Penny Parade", que traz crianças em idade escolar ao local para se divertirem enquanto aprendem sobre o filho mais famoso de Galesburg. A associação é um patrocinador participante do Sandburg Days Festival For The Mind realizado todo mês de abril. Ele hospeda a série Songbag Concert de concertos de música folclórica (e às vezes outros gêneros) realizados dentro do teatro "Barn" do Centro de Visitantes no outono, inverno e primavera. Detalhes dos próximos shows também estão disponíveis no site da CSHSA. A Associação se reúne às 19h da segunda terça-feira de cada mês no Centro de Visitantes. Convidados e visitantes interessados ​​são sempre bem-vindos.

A Carl Sandburg Historic Site Association planejou e financiou um jardim perene e uma caminhada no quintal. As plantações são adequadas à época de Sandburg e cercam a Pedra da Memória, onde as cinzas de Carl Sandburg, sua esposa Lilian e duas filhas, Margaret e Janet, estão enterradas.


Carl Sandburg - História

Biografia de Carl Sandburg e # 39
1878 - 1967

O autor e poeta Carl Sandburg nasceu em uma casa de três cômodos na 313 East Third Street em Galesburg em 6 de janeiro de 1878. A casa modesta, mantida pela Agência de Preservação Histórica de Illinois, reflete as condições de vida típicas do final do século XIX família da classe trabalhadora. Muitos dos móveis pertenceram à família Sandburg. Atrás da casa fica um pequeno parque arborizado. Lá, sob a Pedra da Lembrança, estão as cinzas de Carl Sandburg, que morreu em 1967.

Primeiros anos

Carl August Sandburg era filho dos imigrantes suecos August e Clara Anderson Sandburg. O mais velho Sandburg, um ferreiro ajudante da ferrovia de Chicago, Burlington e Quincy, comprou a casa em 1873. Carl, chamado de & quotCharlie & quot pela família, era o segundo de sete filhos em 1878. Um ano depois, os Sandburgs venderam o pequeno chalé em favor de uma casa maior em Galesburg.

Carl Sandburg trabalhou desde criança. Ele largou a escola após se formar na oitava série em 1891 e passou uma década trabalhando em vários empregos. Ele entregou leite, colheu gelo, colocou tijolos, debulhou trigo no Kansas e engraxou sapatos no Union Hotel de Galesburg, antes de viajar como vagabundo em 1897.

Suas experiências de trabalho e viagens influenciaram muito sua escrita e visões políticas. Como vagabundo, ele aprendeu várias canções folclóricas, que mais tarde executou em palestras. Ele viu em primeira mão o nítido contraste entre ricos e pobres, uma dicotomia que o instigou a desconfiar do capitalismo.

Quando a guerra hispano-americana estourou em 1898, Sandburg ofereceu-se como voluntário para o serviço e, aos vinte anos, foi mandado para Porto Rico, onde passou dias lutando apenas contra o calor e os mosquitos. Ao retornar para sua cidade natal no final daquele ano, ele ingressou no Lombard College, sustentando-se como bombeiro.

Os anos de faculdade de Sandburg moldaram seus talentos literários e visões políticas. Enquanto estava em Lombard, Sandburg ingressou no Poor Writers & # 39 Club, uma organização literária informal cujos membros se reuniam para ler e criticar poesia. O fundador do Poor Writers & # 39, o professor da Lombardia Phillip Green Wright, um talentoso acadêmico e político liberal, encorajou o talentoso jovem Sandburg.

Escritor, Organizador Político, Repórter

Sandburg aprimorou suas habilidades de escrita e adotou as visões socialistas de seu mentor antes de deixar a escola no último ano. Sandburg vendeu visualizações de estereoscópios e escreveu poesia por dois anos antes de seu primeiro livro de versos, Em Reckless Ecstasy, foi impresso na Wright & # 39s basement press em 1904. Wright imprimiu mais dois volumes para Sandburg, Incidentes (1907) e A Plaint of a Rose (1908).

À medida que a primeira década do século avançava, Sandburg começou a se preocupar cada vez mais com a situação difícil do trabalhador americano. Em 1907, ele trabalhou como organizador do partido Social Democrata de Wisconsin, escrevendo e distribuindo panfletos políticos e literatura. Na sede do partido em Milwaukee, Sandburg conheceu Lilian Steichen, com quem se casou em 1908.

As responsabilidades do casamento e da família motivaram uma mudança de carreira. Sandburg voltou para Illinois e começou a trabalhar no jornalismo. Por vários anos, ele trabalhou como repórter para o Chicago Daily News, cobrindo principalmente questões trabalhistas e, mais tarde, escrevendo seu próprio artigo.

Autor internacionalmente reconhecido

Sandburg era praticamente desconhecido no mundo literário quando, em 1914, um grupo de seus poemas apareceu em jornais de circulação nacional. Poesia revista. Dois anos depois seu livro Poemas de Chicago foi publicado, e o autor de 38 anos se viu à beira de uma carreira que lhe traria fama internacional. Sandburg publicou outro volume de poemas, Cornhuskers, em 1918, e escreveu uma análise minuciosa dos motins raciais de 1919 em Chicago.

Mais poesia se seguiu, junto com Histórias de Rootabaga (1922), um livro de contos infantis fantásticos. Esse livro levou o editor de Sandburg & # 39s, Alfred Harcourt, a sugerir uma biografia de Abraham Lincoln para crianças. Sandburg pesquisou e escreveu durante três anos, produzindo não um livro infantil, mas uma biografia de dois volumes para adultos. Seu Abraham Lincoln: The Prairie Years, publicado em 1926, foi o primeiro sucesso financeiro de Sandburg. Ele se mudou para uma nova casa nas dunas de Michigan e dedicou vários anos para concluir quatro volumes adicionais, Abraham Lincoln: os anos de guerra, pelo qual ganhou o Prêmio Pulitzer em 1940. Sandburg continuou sua escrita prolífica, publicando mais poemas, um romance, Pedra da Memória, um segundo volume de canções folclóricas e uma autobiografia, Sempre os jovens estranhos. Em 1945, os Sandburgs se mudaram com seu rebanho de cabras premiadas e milhares de livros para Flat Rock, Carolina do Norte. Sandburg & # 39s Poemas completos ganhou um segundo Prêmio Pulitzer em 1951. Sandburg morreu em sua casa na Carolina do Norte em 22 de julho de 1967. Suas cinzas foram devolvidas, como ele havia solicitado, à sua cidade natal em Galesburg. No pequeno Carl Sandburg Park atrás da casa, suas cinzas foram colocadas sob a Pedra da Lembrança, uma rocha de granito vermelho. Dez anos depois, as cinzas de sua esposa foram colocadas ali.

copyright © 1998 Andyy Barr Productions - Todos os direitos reservados
Poemas de Carl Sandburg Chicago - Online desde setembro de 1998
Mais sites da Andyy Barr Productions
Artistas de Idaho na web - Game Room 2000 - Jogue jogos online gratuitos - Carl Sandburg & # 39s Chicago Poems


Início da vida e poesia

Carl Sandburg nasceu em 6 de janeiro de 1878, em Galesburg, Illinois. Ele foi educado em escolas locais, que abandonou no início da adolescência para trabalhar como operário. Ele se tornou um trabalhador viajante, movendo-se por todo o Meio-Oeste e desenvolvendo um grande apreço pela região e seu povo.

Depois de ingressar no Exército durante a Guerra Hispano-Americana, Sandburg voltou aos estudos, matriculando-se em uma faculdade em Galesburg. Durante esse período, ele escreveu sua primeira poesia.

Trabalhou como jornalista e secretário do prefeito socialista de Milwaukee de 1910 a 1912. Em seguida, mudou-se para Chicago e conseguiu um emprego como redator editorial do Chicago Daily News.

Enquanto trabalhava no jornalismo e na política, ele começou a escrever poesia a sério, contribuindo para revistas. Ele publicou seu primeiro livro, Poemas de Chicago, em 1916. Dois anos depois, ele publicou outro volume, Cornhuskers, que foi seguido depois de mais dois anos por Fumaça e Aço. Um quarto volume, Lajes do Oeste Queimado pelo Sol, foi publicado em 1922.

Cornhuskers foi premiado com o Prêmio Pulitzer de poesia em 1919. Mais tarde, ele receberia o Prêmio Pulitzer de poesia em 1951, por seu Poemas completos.

Seus primeiros poemas foram chamados de "subliterários", pois tendem a usar uma linguagem comum e gírias das pessoas comuns. Com seus primeiros livros, ele se tornou conhecido por seu verso livre que estava enraizado no meio-oeste industrial. Sua maneira simples de falar e escrever tornou-o querido do público leitor e ajudou a torná-lo uma celebridade. Seu poema "Fog" era conhecido por milhões de americanos e aparecia com frequência nos livros escolares.

Ele se casou com Lillian Steichen, irmã do fotógrafo Edward Steichen, em 1908. O casal teve três filhas.


Carl Sandburg

Carl Sandburg (1878 - 1967) foi um poeta, editor e compositor de canções folclóricas sueco-americano que ganhou três prêmios Pulitzer. Two were for his poetry collections: Cornhuskers in 1918 (which he shared with Margaret Widdemer), and Complete Poems in 1951. In 1940, he won the Pulitzer Prize in History for his three-volume work titled, The War Years , a sequel to his biography about Abraham Lincoln: The Prairie Years (1926). We feature Sandburg in Pulitzer Prize Winners.

Sandburg's wide-ranging appeal for his poems extended into popular folk songs. His anthology, American Songbag (1927) was a huge success, gaining him recognition as perhaps the first urban folk singer. His work inspired Woody Guthrie and Pete Seeger , among other populist American folk singers and poets.

Raised in the small town of Galesburg, Illinois, Sandburg's wide range of work and life experiences contributed to his "corny" style of literature, creating accessible and enjoyable poems that appealed to a broad range of readers. According to President Lyndon B. Johnson : "Carl Sandburg was more than the voice of America, more than the poet of its strength and genius. He was America."

Fans of Carl Sandburg may also enjoy the parody poems of favorite fables and fairy tales by Guy Wetmore Carryl.


Carl Sandburg, People’s Poet

At one time, nationally-acclaimed poet Carl Sandburg was so popular in Connecticut that even his goats made the news. After his death in 1967, some of Sandburg’s herd was sold to a kennel in Washington, Connecticut. The goats– Babette, Coty, and Tenu–were eventually returned to North Carolina when Sandburg’s home became a national historic site.
Today, however, if Sandburg is known at all by the general public, it is only as the white-haired old man who strummed a guitar and dubbed Chicago the “city of big shoulders.”

Carl Sandburg was, and still is, the people’s poet. He deserves a revival, especially in Connecticut where he had so many significant ties. But the reintroduction of his work can’t be a sanitized version of the original. It must include Sandburg the authentic radical (from the Latin, “coming from the root”). His collected folk songs and performances are treasures from America’s grassroots. His poetry offers a powerful critique of economic exploitation.

Born in 1878 to Swedish immigrants, Carl Sandburg was a working class boy who never forgot his roots. His father was a blacksmith for the Chicago railroad who took part in labor causes, including strikes. Sandburg recalled these formative events and considered himself a “partisan” who “took a kind of joy in the complete justice of the strikers.” He was ten years old.

In his twenties Sandburg was a regular contributor of news and poetry to the International Socialist Review (ISR) and other prominent liberal and radical magazines. With his work for the Chicago Daily News he honed his skill as a reporter who wrote in the language of the working class.

In true muckraking tradition Sandburg exposed the 1915 Eastland steamer tragedy on Lake Michigan. The ship capsized, killing 800 workers on their way to a company picnic. Sandburg discovered that the Seamen’s union had for years protested the lack of ship safety regulations and quality inspections. He further revealed that the “picnic” was a mandatory event: you bought a ticket or you might lose your job.

The College Club of Hartford may have been the first to invite Sandburg to our state. On February 3, 1922, he performed at the Center Church House on Gold Street. His lecture was entitled “Is there a New Poetry?” (Tickets could be purchased for one dollar at Mitchell’s Book Shop around the corner from the church.) Sandburg recited “The Windy City,” which had not yet been published, and sang some of the many folk songs that eventually appeared in his collection The American Song Bag.

In January, 1932, Sandburg gave readings at Hartford’s Weaver High School, Bulkeley High and West Middle School for several thousand students, faculty and members of the public.

He spoke frequently at Wesleyan University and received an honorary degree there in 1940, the year he won his first Pulitzer Prize for Lincoln: The War Years. Sandburg shared the stage in Middletown with Supreme Court Justice William O. Douglas and artist Grant Wood. A few days later he was in New Haven, receiving another honor from Yale University along with New York Mayor Fiorello LaGuardia and philosopher Paul Tillich.

The poet’s body of work was widely known and celebrated throughout the state: as each new book was published, it would immediately move up the charts at local booksellers. In November, 1948, Sandburg’s Remembrance Rock was on the fiction best-seller list of Hartford’s eight bookstores. By the 1950s Sandburg no longer toured the country, but his works were as popular as ever. In 1959, Bette Davis and her husband, actor Gary Merrill (who was born in Hartford), performed Sandburg’s work at Bushnell Memorial Hall.

“I am with all the rebels everywhere. Against all those who are satisfied,” Sandburg once wrote. As far as he was concerned, there was a straight line from the early builders of the American nation to the 20th century radicals, socialists, and unionists with whom the poet associated. “For the writing of the Lincoln I knew the Abolitionists better for having known the IWW I knew Garrison better for having known Debs,” he wrote. In Sandburg’s view, modern-day rebels would become tomorrow’s heroes.

Sandburg supported the Industrial Workers of the World (IWW or the Wobblies) and his admiration for this radical union frequently appeared in his writing. Sandburg’s first three published collections, Chicago Poems (1916), Cornhuskers (1918), and Smoke and Steel (1920) are full of IWW references, along with sympathetic portraits of immigrants, farmers, factory workers and the poor. He considered himself “an I.W.W. without a red card.”

The notion that Sandburg’s political leanings were just a symptom of youthful rebellion is contradicted by, of all people, J. Edgar Hoover. The FBI collected intelligence on the poet for 40 years. A newspaper exposé in 1987 revealed the extent to which Hoover kept tabs on Sandburg and all his affiliations that might be “communist front” activities. Sandburg was in good company: the FBI also had files on Ernest Hemingway, Pearl Buck, William Faulkner and 130 other famous American writers. Sandburg, however, survived the 1920 Red Scare and the Joe McCarthy years, anti-communist witch hunts that ruined the careers of other artists and writers.

He earned a reputation as a political and moral compass for many people in public life. As Secretary of Welfare in the Kennedy administration, Abraham Ribicoff considered Sandburg’s Lincoln an inspiration. Connecticut Senator Lowell Weicker quoted Sandburg during the Watergate hearings to encourage Richard Nixon to voluntarily testify before Congress. The Harlem renaissance poet Langston Hughes called Sandburg “my guiding star.”

Sandburg counted a Connecticut governor as his friend. Fellow poet and Wesleyan faculty member Wilbert Snow knew Sandburg for fifty years. Snow was elected Connecticut Lieutenant Governor in 1945. He served as governor for thirteen days when sitting governor Raymond Baldwin resigned to take his newly-elected position in the U.S. Senate. Snow said Sandburg “found poetry not among the rills and rivers of the countryside but in the smokestacks of the city.” Sandburg once told Snow that he “cried for an hour” after he finished writing his six-volume Abraham Lincoln biography. Some years after completing the Lincoln work Sandburg wrote: “Poets cry their hearts out. If they don’t they ain’t poets.”

Hartford author and poet Wallace Stevens met Sandburg in their early Chicago days. The famously reserved vice president of the Hartford Accident and Indemnity Company so impressed Sandburg that he dedicated the poem “Arms” to Stevens. In the poem Sandburg learns that the French impressionist Renoir (who died in 1919) kept a rigorous daily schedule of painting despite arthritis that seriously crippled his hands. In the last stanza Sandburg writes that when the two poets met again “I will ask you why Renoir does it / And I believe you will tell me.” This tribute to Stevens was not published until 1993.

Sandburg described Stevens (but not by name) in a newspaper series that recorded his 1932 national lecture tour. “I sat in the home of a Business-man author (there is such an animal!) in Hartford Conn.,” Sandburg wrote. He described Stevens as “conservative in his political and economic views,” concerned about how “lady luck” dominated the fate of the middle and working class as they struggled through the Great Depression.

Is Sandburg Still Relevant?

Sandburg’s early detractors labeled his poetry “propaganda” and warned that poets had no place focusing on issues of the day. In later years, his Work was called dated, almost quaint. But there will always be ideas and events that need a poet’s anger and passion.

In December, 2012 in Newtown, Connecticut, twenty-six elementary students and staff were shot to death at the Sandy Hook Elementary School. The killer was armed with a Bushmaster semiautomatic rifle and a Glock pistol. He fired 154 bullets in five minutes.

Carl Sandburg, long dead, responded to the killings.

Just a month after the shootings, a previously unknown Sandburg poem was discovered. Found by accident at the University of Illinois, the piece is entitled “A Revolver.” It begins:

Here is a revolver. / It has an amazing language all its own. / It delivers unmistakable ultimatums. / It is the last word. / A simple, little human forefinger can tell a terrible story with it.

The poem ends: “And nothing in human philosophy persists more strangely than the old belief that God is always on the side of those who have the most revolvers.”

Guns, violence, and war are haunting subjects of Sandburg’s poetry. But they are balanced with the courage and hope of people forced to cope with tragedy and hard times. He writes in “The People, Yes:”

The people know the salt of the sea / and the strength of the winds / lashing the corners of the earth. / The people take the earth / as a tomb of rest and a cradle of hope. / Who else speaks for the Family of Man?

We have Carl Sandburg to thank for lasting portraits of ordinary Americans, as true today as when he first introduced them to us.


Carl Sandburg - History

Lilian Sandburg was the driving force behind the Sandburg’s move from a home on the dunes of Lake Michigan to Flat Rock, North Carolina. In 1935 she took up the hobby of raising goats for milk. She eventually bred an award-winning herd and became internationally famous among those in the goat breeding business. However, the herd outgrew the Michigan property, sending Lilian on a quest to find a bigger property in a warmer climate. Carl had no objections as long as the place was quite so he could write. On a trip to North Carolina with her daughter Helga, Lilian found the Smyth house for sale and arranged for the purchase. In 1945, the family moved to their new home.

When Carl died and Lilian donated the house and furnishings to create Carl Sandburg Home National Historic Site, she did not include the goats (which were sold). The National Park Service has resurrected the goat farm for historical purposes, and today the herd consists of three varieties of goats, all descendants of Lilian Sandburg’s goats: Toggenburgs (tan and white), Saanens (white), and Nubians of African descent (long, floppy ears). Baby goats are born each spring, and this is one of the busiest tourist seasons at the park.

Baby goats at the Carl Sandburg Home goat barn

Visitors can roam around the entire area and can pet the goats. In addition to the animals, there are information panels and exhibits throughout the barn.

Exhibit inside the Goat Barn

Visiting time is only limited by your love for goats, but a half hour should be ample time for most people. My daughter, on the other hand, would want to spend all day there.


About Sandburg Village

Nestled quietly in the Old Town neighborhood, the nine condominium high-rises and more than 60 townhouses are home to over 8,000 residents. Located at the center of one of the most exciting and historic areas in the city nearby attractions include the “Magnificent Mile” shopping district, North Avenue Beach (known for its volleyball games), and the beautiful Lincoln Park. Transportation across Chicago (and beyond) is made easy by a number of bus lines, the CTA Red Line, and Lake Shore Drive.

Sandburg Village Vivendo

Carl Sandburg Village offers a quiet hideaway in one of the most popular and exciting neighborhoods in the City.

The low brick wall surrounding the Village conceals its world-class amenities. What looks from the outside like a dense development is actually majority green and public space, including landscaped concourses and a village center. Amenities include two large outdoor swimming pool complexes (complete with attendants, locker rooms, and cabanas), four tennis courts, and a children’s play lot.

Completing the “village within a city” experience are an on-site dry-cleaners, doctor and dentist’s offices, hair salon, and child care facilities. The heated underground garages are essential in an otherwise difficult to park area.

Available units include two sizes of studios, generous-sized one-bedrooms, two bedrooms, and a few units with combined floor plans.

Sandburg Village History

Sandburg Village was built in the early 1960s as an urban renewal project. The goal for the development was to revitalize the Old Town neighborhood, which was perceived to be threatened by encroaching slums. The project was a runaway success. Today, Old Town is one of the most popular and prosperous neighborhoods in Chicago. A short walk around and you’ll be sure to see picturesque streets, well-maintained 19th-century mansions, and fine restaurants.

The development was named after prominent poet and writer Carl Sandburg, who blessed the project. The individual buildings were also named after esteemed American writers, including Emily Dickinson and William Faulkner.

The project was, at the time, one of the largest ever attempted. Its sheer scale and speed of completion drew experts in construction and housing from across the world. At its peak, the effort included 950 workers from 30 different trades with concrete trucks coming once per hour and pouring an average of 550 yards of concrete every day. In 1979, all rental units were converted to condos.