Podcasts de história

William Quantrill morto por soldados da União

William Quantrill morto por soldados da União

William Quantrill, o homem que deu a Frank e Jesse James sua primeira educação em matar, morre de ferimentos sofridos em uma escaramuça com soldados da União em Kentucky.

Nascido e criado em Ohio, Quantrill se envolveu em uma série de empreendimentos obscuros em Utah e Kansas durante sua adolescência. Aos 20 anos, ele fugiu para o Missouri, onde se tornou um forte defensor dos colonos pró-escravidão em seu conflito às vezes violento com seus vizinhos antiescravistas. Quando a Guerra Civil estourou em 1861, Quantrill de 24 anos se tornou o líder de uma força irregular de soldados confederados que ficou conhecida como Quantrill's Raiders.

Em 1862, as forças da União estabeleceram o controle sobre o Missouri, mas os Raiders de Quantrill continuaram a assediar o exército do norte e as cidades pró-União desprotegidas nos três anos seguintes. Quantrill e outros líderes guerrilheiros recrutaram seus soldados entre simpatizantes confederados que se ressentiam do que consideravam o governo injustamente duro da União em seu estado. Entre os que se juntaram a ele estava um garoto de fazenda de 20 anos chamado Frank James. Seu irmão mais novo, Jesse, juntou-se a uma força guerrilheira aliada um ano depois.

Em agosto de 1863, Frank James estava com Quantrill quando liderou um ataque selvagem à cidade indefesa de Lawrence, Kansas. Furiosos porque os habitantes da cidade permitiram que Lawrence fosse usado como base esporádica para soldados da União, Quantrill e seus guerrilheiros atiraram em todos os homens e meninos que viram. Depois de matar pelo menos 150 civis, os invasores colocaram fogo na cidade.

Em maio de 1865, Quantrill foi gravemente ferido em uma escaramuça com as forças da União e morreu neste dia em 1865. Como os homens de Quantrill eram guerrilheiros, e não soldados legítimos, eles não receberam a anistia geral concedida ao exército confederado após o fim da guerra. Alguns, como Frank e Jesse James, interpretaram isso como uma desculpa para se tornarem criminosos e ladrões de banco.


Sarah Quantrill

Sarah Quantrill (1848-1930) foi a esposa de William Quantrill, líder guerrilheiro confederado durante a Guerra Civil. Aos 14 anos, Sarah King fugiu com Quantrill e logo se casou com ele, passando a maior parte de seu breve casamento morando em tendas com ele. No verão de 1863, sua ação mais infame foi perpretada contra os cidadãos de Lawrence, Kansas, na invasão de Lawrence. Em quatro horas, os Raiders do Quantrill e # 8217s assassinaram 200 homens idosos e meninos. Em maio de 1865, Quantrill foi finalmente morto ao tentar escapar das forças da União em Kentucky.

Sarah Katherine King nasceu em 1848, filha de Robert e Malinda King, cuja fazenda ficava perto de Blue Springs, Missouri. William Clarke Quantrill nasceu em 31 de julho de 1837, no Canal Dover, Ohio, filho de Thomas Henry, diretor de escola, e Caroline Cornelia Quantrill. Ele era o mais velho de 8 filhos, quatro dos quais morreram na infância.

Freqüentemente espancado pelo pai, William se formou no ensino médio aos 16 anos e começou a lecionar na escola de Dover. Seu pai morreu de tuberculose em dezembro de 1854, deixando a família na pobreza. William tentou complementar a renda de sua família tornando-se professor. Desejando ajudar sua mãe e irmãos, Quantrill viajou para Illinois e Indiana, mas encontrou emprego apenas como contador e professor.

Depois de vários anos trabalhando como professor em Mendota, Illinois, ele voltou para casa em Dover, onde sua mãe conseguiu que dois vizinhos, Harmon Beeson e Henry Torrey, comprassem um título de Quantrill no Kansas, e ele pagaria sua dívida trabalhando em suas fazendas.

Em 26 de fevereiro de 1857, Quantrill partiu para o Território do Kansas. Depois de viver com esses homens por um ano, ele ficou inquieto e quis vender sua reivindicação. Uma disputa surgiu e teve que ser resolvida no tribunal, mas ele recebeu apenas a metade do que o tribunal concedeu a ele.

Na primavera de 1858, Quantrill foi contratado como carroceiro para uma expedição para reabastecer as tropas federais no território de Utah que lutavam contra os mórmons. Muitos dos outros timesters eram fanáticos do sul que tinham vindo do Deep South para o Kansas para se juntar à luta. Durante o ano que ele passou na companhia deles viajando para Utah e de volta para Kansas, ele se converteu ao ponto de vista deles. Alguns se tornariam amigos de longa data de Quantrill e, mais tarde, membros de sua banda guerrilheira.

Quantrill observou o conflito no Kansas sobre se o território entraria na União como um estado escravo ou livre. Na primavera de 1860, ele foi para Lawrence, onde encontrou Border Ruffians: ativistas pró-escravidão que se infiltraram no Kansas Territory do vizinho estado escravo de Missouri. Eles compartilharam suas novas crenças políticas, e ele se juntou à banda.

Nos oito meses seguintes, os Border Ruffians misturaram-no com Jayhawkers & # 8211, um nome adotado por bandas militantes afiliadas à causa do estado livre. O grupo de Quantrill & # 8217s roubou gado e participou do retorno de um escravo fugitivo para seu dono como recompensa, a venda de outro fugitivo e uma tentativa de capturar vários outros. Depois que um grande júri do condado de Douglas o indiciou por várias acusações, Quantrill se escondeu.

Depois que a Guerra Civil começou, Quantrill juntou-se ao Exército Confederado e lutou sob o comando do General Benjamin McCulloch na Batalha de Wilson & # 8217s Creek (10 de agosto de 1861), perto de Springfield, Missouri. Quantrill posteriormente se alistou como soldado raso no exército General Sterling Price & # 8217s, e foi dito que lutou com & # 8216 ousadia visível & # 8217 na Batalha de Lexington, Missouri (setembro de 1861).

Quantrill deixou o exército logo em seguida, reclamando que o Sul não estava lutando na guerra com ferocidade suficiente. Ele voltou para a área de Blue Springs, no condado de Jackson, e ajudou a organizar uma empresa de guardas domésticos de adolescentes que buscava proteger sua vizinhança de ataques de Kansas Jayhawkers.

No final de 1861, ele evoluiu para um grupo de guerrilheiros de 15 membros, com Quantrill como seu líder. Eles encenaram ataques ao Kansas, perseguiram soldados da União, invadiram cidades pró-União, roubaram carruagens do correio e atacaram civis sindicalistas. À medida que sua reputação crescia, novos recrutas eram atraídos para ela, às vezes chegando a 100 homens ou mais. Quantrill queria particularmente aqueles que eram solteiros e motivados por vingança como resultado do tratamento duro de suas famílias por Jayhawkers e pela milícia federal.

Sua banda renegada cresceu para incluir cerca de 400 bandidos e guerrilheiros conhecidos como Quantrill & # 8217s Raiders. Nunca oficialmente sancionado pelo governo confederado, eles lutaram pela causa sulista por meio de banditismo, bushwhacking e brutalidade, canalizando uma parte de seus ganhos para a causa confederada, enquanto dividiam a maior parte de seus despojos entre si.

Em seus primeiros dias como chefe guerrilheiro, Quantrill se portou com honra: ele aceitou rendições, libertou prisioneiros em liberdade condicional e proibiu o estupro. Ele esperava que ele e seus homens fossem tratados como soldados se capturados. Então o general Henry W. Halleck, comandante da União do Departamento de Missouri, emitiu uma ordem proibindo & # 8216bushwhackers & # 8217 e guerrilheiros.

Os comandantes da União declararam Quantrill um fora-da-lei, embora ele aparentemente tenha conseguido uma comissão confederada como capitão de guardas-florestais guerrilheiros e começou a executar sumariamente os homens de Quantrill & # 8217s. Ele imediatamente retaliou matando prisioneiros e mais tarde diria que se sentiu & # 8216forçado & # 8217 a um & # 8216favorito & # 8217 tipo de guerra. Ele rapidamente se tornou conhecido por seus oponentes como um temido invasor rebelde, e por seus apoiadores como um herói arrojado e de espírito livre.

Durante 1862, Quantrill & # 8217s Raiders saquearam cidades, entraram em conflito com destacamentos da União e atacaram o correio. Quantrill foi oficialmente comissionado como capitão sob o Partisan Ranger Act de 1862, após a captura de Independence, Missouri, em 11 de agosto de 1862, onde lutou ao lado das forças confederadas, embora continuasse operando principalmente fora do controle militar.

Em 7 de setembro de 1862, a banda de Quantrill & # 8217s atacou e saqueou Olathe, Kansas, matando vários cidadãos. Em 17 de outubro de 1862, os Raiders atacaram Shawnee, Kansas, queimando a cidade e capturando doze homens desarmados, todos os quais logo foram encontrados mortos. Onze dos doze foram baleados na cabeça.

Sarah Katherine King conheceu William Clarke Quantrill quando ele e cerca de 100 de seus homens estavam acampados perto da fazenda King em Blue Springs, Missouri. Quantrill veio falar com seu pai e ela se sentiu fortemente atraída por ele. A bela Sarah fugiu com Quantrill aos 14 anos e logo se casou com ele, tendo o nome Kate Clarke & # 8211 derivado de seus nomes do meio. Ela passou a maior parte de seu curto casamento morando em tendas com ele.

The Lawrence Raid
No verão de 1863, o General da União Thomas Ewing Jr. ordenou a detenção de todos os civis que prestassem ajuda aos Raiders de Quantrill & # 8217s. Várias parentes dos guerrilheiros foram presas em uma prisão improvisada em uma casa em Kansas City. Em 14 de agosto, o prédio desabou, matando quatro mulheres e ferindo gravemente outras pessoas. Os homens da Quantrill & # 8217 acreditaram que o colapso foi deliberado. Quantrill planejou sua vingança na cidade de Lawrence, Kansas, a sede do abolicionista Jayhawkers.

Depois de passar 40 milhas por patrulhas e guarnições, Quantrill atingiu Lawrence na madrugada de 21 de agosto de 1863, liderando uma coluna de 450 homens: membros de seu próprio bando e outros bandos guerrilheiros, recrutas do exército confederado e civis do Missouri. Eles saquearam os bancos e negócios da cidade e incendiaram as casas de supostos simpatizantes da União.

Nas quatro horas seguintes, os invasores assassinaram cerca de 200 homens e adolescentes, com idades entre 14 e 90 anos. Quase todos estavam desarmados e, muitas vezes, suas mulheres imploravam por suas vidas quando as balas atingiram. Todo o distrito comercial foi queimado, bem como cerca de 100 casas, resultando em uma perda de propriedade estimada em US $ 2 milhões em dinheiro da época da Guerra Civil. O massacre é considerado a maior atrocidade da Guerra Civil.

Um sobrevivente, o reverendo H.D. Fisher, descreveu a carnificina:

Com gritos demoníacos, os patifes voaram de um lado para o outro, onde quer que um homem pudesse ser visto, atirando nele como um cachorro. Homens eram chamados de suas camas e assassinados diante dos olhos de esposas e filhos em suas portas. Lágrimas, súplicas, orações de nada valeram. Os demônios do inferno estavam entre nós e, sob as exigências de seu líder negro vingativo, saciaram sua sede de sangue com um deleite diabólico.

Em 25 de agosto de 1863, em retaliação ao ataque, o general Ewing ordenou a evacuação de quatro condados do Missouri ao longo da fronteira com o Kansas, forçando dezenas de milhares de civis a abandonar suas casas. As tropas da União marcharam atrás deles, incendiando edifícios, incendiando campos plantados e abatendo o gado. A área foi tão devastada que se tornou conhecida como Distrito das Queimadas.

Em 6 de outubro de 1863, Quantrill planejou um ataque surpresa às forças da União em Baxter Springs, Kansas, matando cerca de 100 soldados. Mais tarde naquele mês, ele se ofereceu para ajudar a prender desertores confederados no Texas, mas essa missão terminou depois que mais desertores foram mortos do que levados sob custódia. Logo as tropas confederadas tiveram que ser designadas para proteger os texanos dos homens de Quantrill & # 8217s.

Alguns dos primeiros seguidores de Quantrill & # 8217 ficaram enojados com a degeneração da banda e partiram; eles foram geralmente substituídos por aqueles atraídos mais pelas perspectivas de pilhagem e violência do que por motivos mais elevados. Em Sherman, Texas, durante o inverno de 1863-1864, Quantrill teve dificuldade em controlar seus seguidores: eles se embebedaram, dispararam contra a cidade e roubaram lojistas. Várias vítimas de roubo foram assassinadas.

Em 28 de março de 1864, Quantrill foi preso pelas forças confederadas e acusado de tramar o assassinato de um oficial confederado. Ele escapou para o território indiano, perseguido por centenas de forças confederadas. Após essa fuga por pouco, a autoridade de Quantrill & # 8217s foi desafiada entre seus próprios Raiders, e sua banda se dividiu em várias facções.

No outono de 1864, Quantrill emergiu da reclusão, reuniu o remanescente destroçado de seu bando e se envolveu na guerra de guerrilha travada no centro-norte de Kentucky. Em meados de fevereiro de 1865, ele foi forçado a se esconder. Na primavera de 1865, agora liderando apenas algumas dezenas de homens, Quantrill encenou uma série de ataques no oeste do Kentucky.

As forças da União, enquanto isso, contrataram Edwin Terrell, um guerrilheiro da União de má reputação, para caçar Quantrill, que até então estava reduzido a comandar apenas algumas dezenas de homens. A última batalha de Quantrill e # 8217 aconteceu em um celeiro perto de Taylorsville, Kentucky, em 10 de maio de 1865, onde ele foi literalmente pego cochilando quando Terrell lançou um ataque surpresa.

Quantrill tentou fugir, mas levou um tiro nas costas. A bala viajou por sua omoplata esquerda, inclinou-se para baixo e se alojou contra sua coluna, paralisando-o instantaneamente de seus ombros para baixo. Quantrill foi questionado enquanto jazia imóvel no campo, mas ainda com muito desprezo, ele deu seu nome como Capitão William Clarke do 4o Calvário Confederado de Missouri e pediu permissão para morrer onde estava. Terrell acreditou em sua história e saiu para continuar perseguindo Quantrill.

Nesse ínterim, um médico chegou, aparentemente convocado por simpatizantes confederados locais e, após um breve exame, o médico afirmou que as feridas de Quantrill & # 8217s eram bastante graves e que ele não sobreviveria por muito tempo.

A verdadeira identidade de Quantrill e # 8217 logo emergiu, no entanto, e em 12 de maio, Terrell voltou com uma carroça puxada por cavalos. Quantrill foi carregado nele e levado para uma prisão militar na ala hospitalar de Louisville, Kentucky, chegando lá um dia depois. Terrell foi pago para capturá-lo e disse que seus serviços não eram mais necessários.

Com pouca esperança de recuperação, Quantrill permaneceu com muita dor. Antes de sua morte, um padre o visitou e Quantrill pediu-lhe que contatasse uma mulher que estava segurando uma quantia decente em dinheiro para ele. Com o dinheiro, o padre comprou um terreno de cemitério e uma lápide e deu o resto para sua esposa, Kate Clarke, após receber uma pequena encomenda.

William Clarke Quantrill permaneceu no hospital da prisão militar até que finalmente sucumbiu aos ferimentos e morreu em 6 de junho de 1865, aos 27 anos, com Kate ao seu lado. Se ele tivesse sobrevivido, sem dúvida teria sido baleado ou enforcado.

Inicialmente enterrado no cemitério de St. John & # 8217s em Louisville, Kentucky, o túmulo de Quantrill & # 8217s foi adulterado e seus ossos viajaram na morte como em vida. Acredita-se que parte dele esteja em seu lote original em Louisville, mas seu crânio foi recuperado por sua mãe e mais tarde enterrado no cemitério da Fourth Street em sua cidade natal, Dover, Ohio.

Três ossos do braço, dois ossos da canela e alguns fios de cabelo do Quantrill & # 8217 estão enterrados no Confederate Memorial State Historic Site em Higginsville, Missouri. Esses restos mortais foram enterrados lá em 1992 com todas as honras da Confederação, uma bandeira sendo colocada inicialmente no caixão. Ainda há muitos no Missouri que acreditam que a história foi injusta com Quantrill e falam ou escrevem sobre ele com admiração e respeito.

Na época da morte de Quantrill e # 8217, Kate tinha dezessete anos. Ela administrava uma conhecida casa de prostituição em St. Louis (onde está listada no censo de 1870). Casada cinco vezes, era mãe de uma filha, Bertha Ivins / Evans. Ela se casou com seu último marido aos 74 anos.

Sarah King Quantrill morreu em 9 de janeiro de 1930, no Lar para Idosos do Condado de Jackson (também conhecido como o asilo para pobres) no Condado de Jackson, Missouri, com aproximadamente 82 anos de idade.


William Clarke Quantrill

William Quantrill nasceu no Canal Dover (agora Dover), Ohio. Pouco se sabe sobre sua juventude, mas ele foi professor por vários anos antes de se mudar para o oeste. Quantrill aparentemente ganhava a vida jogando, mas mais tarde mudou-se para uma área perto de Lawrence, Kansas, e ensinou nos anos 1859-60. Em algum momento, ele fugiu para o Missouri para escapar da prisão sob a acusação de assassinato e roubo de cavalos. Quando a guerra estourou, Quantrill juntou-se à causa confederada e no final de 1861 estava comandando sua própria unidade. Os Quantrill Raiders operaram na área de fronteira entre Kansas e Missouri, visando as forças da União e simpatizantes. Eles também entraram em confronto frequente com os “Jayhawkers”, forças em solo livre do Kansas que organizaram ataques contra seus oponentes pró-confederados na área. Na madrugada de 21 de agosto de 1863, Quantrill e uma força de mais de 300 homens desceram na cidade pró-União de Lawrence. Pelo menos 180 homens e meninos foram baleados ou queimados até a morte. As execuções foram encenadas na frente de esposas e filhos. Casas e prédios públicos foram incendiados. As forças sindicais combateram essa atrocidade com as suas próprias, forçando a evacuação de quatro aldeias pró-confederadas, que foram então saqueadas e queimadas. Em outubro de 1863, Quantrill e seus homens, disfarçados em uniformes da União, atacaram e mataram 90 soldados federais em Baxter Springs, Kansas. Eventualmente, os Raiders foram forçados ao sul, onde o grupo foi dividido em unidades menores. Quantrill tinha um histórico de brigas com seus superiores e perdeu o apoio de alguns de seus homens. Ele foi morto pelas forças da União em Kentucky em 1865. Os Raiders de Quantrill podem ter sido a força de combate mais cruel da Guerra Civil. Seu uso de ataques e retiradas relâmpago foi mais tarde usado com grande efeito pelos irmãos James e outros bandidos notórios do oeste americano.


Anderson, William “Bloody Bill”

William T. Anderson foi um dos guerrilheiros confederados mais notórios da Guerra Civil. Operando contra os sindicalistas no meio da guerra de guerrilha no Missouri e no Kansas, ele foi uma figura importante no infame Massacre de Lawrence e no Massacre da Centralia, ganhando o apelido de “Bill Sangrento” pela aparente selvageria de suas façanhas. Como os confederados irregulares William Clarke Quantrill e Jesse James, segmentos da vida de Anderson estão envoltos em dúvidas, dando origem a uma mitologia de guerrilha romântica.

Anderson nasceu entre 1837 e 1839 em Hopkins County, Kentucky, filho de William C. e Martha Anderson. Sua família mudou-se para Huntsville, Missouri, quando criança, e em 1857 os Andersons se mudaram novamente, para Kansas, e se estabeleceram perto de Council Grove. Apesar de não possuir escravos, os Andersons eram profundamente escravistas. Além de fazer amizade com um juiz pró-escravidão local, I. A. Baker, a família vivenciou pessoalmente o conflito do “Kansas Sangrento” sobre a escravidão que envolveu o território.

Em 1860, Anderson tornou-se proprietário de uma propriedade e entrou no negócio de transporte marítimo de carga com seu pai e começou a negociar cavalos. A eclosão da Guerra Civil viu um aumento da demanda por cavalos, e Anderson começou a roubar cavalos e vendê-los ao longo da Trilha de Santa Fé. No final de 1861, ele e Baker tentaram se juntar ao Exército Confederado, mas foram atacados pela 6ª Cavalaria de Kansas no Condado de Vernon, Missouri. Depois de ser capturado, Baker se distanciou da família Anderson, emitindo um mandado de prisão do irmão de William, Griffith. Quando William tentou suspender o mandado, uma discussão começou na qual Baker atirou e matou o patriarca de Anderson. Em 2 de julho de 1862, William assassinou Baker, queimou sua casa e fugiu para o Missouri.

As irmãs de Anderson, tendo atuado como espiões confederados, foram presas pelas autoridades da União sob o comando do odiado General da União Thomas Ewing Jr.

Em Missouri, William e Jim Anderson formaram uma gangue com Bill Reed, roubando e atacando soldados da União, antes de se juntarem às fileiras de Quantrill no início de 1863. Após um assalto perto de Council Grove em maio de 1863, os homens de Quantrill foram emboscados por tropas federais e forçados a se separar. Anderson logo foi promovido a tenente, alcançando um comando quase independente, e participou de ataques em Westport, no estado do Kansas, e no condado de Lafayette, Missouri.

Enquanto isso, em casa, as irmãs de Anderson, que atuavam como espiãs confederadas, foram presas pelas autoridades sindicais sob o comando do odiado general Thomas Ewing Jr. Depois de prender e confinar várias mulheres suspeitas de espionagem em uma prisão improvisada em Kansas City , o prédio desabou, matando uma das irmãs de Anderson, entre outras vítimas. Simpatizantes dos confederados, incluindo Anderson, acreditaram que o colapso foi intencional. Embora as motivações sejam difíceis de determinar, os historiadores Albert Castel e Thomas Goodrich argumentam que a motivação de Anderson mudou naquele ponto, à medida que o assassinato arbitrário se tornou um fim em si mesmo. “Bloody Bill” Anderson e seus associados ganharam reputações ignominiosas por tortura e mutilação.

Anderson logo se tornou o guerrilheiro mais notório no Missouri, aumentando sua rede de apoio local e atraindo recrutas sedentos de sangue, incluindo Jesse James.

Alimentado pelo menos em parte pela vingança contra Ewing, Quantrill liderou aproximadamente 450 invasores confederados em pró-União Lawrence, Kansas, em 21 de agosto de 1863, matando entre 160-190 cidadãos do sexo masculino e queimando e saqueando grande parte da cidade. Anderson e seus homens, incluindo George M. Todd, Archie Clement e Frank James, supostamente se comportaram com excessiva brutalidade. À medida que a retaliação sindical aumentava, principalmente por meio da Ordem nº 11 de Ewing, muitos dos homens de Quantrill, incluindo Anderson, foram para o Texas. No Texas, as tensões aumentaram entre Anderson e Quantrill, resultando na prisão de Anderson por seu comandante por assassinar um oficial confederado. Essa ruptura com Quantrill preparou o terreno para a próxima fase da carreira de guerrilha de Anderson.

Retornando ao Missouri na primavera de 1864 e livres da supervisão de Quantrill, os homens de Anderson se disfarçaram como soldados da União e encenaram uma série de ataques em que emboscaram tropas federais e assassinaram ou até escalpelaram civis. Anderson logo se tornou o guerrilheiro mais notório do Missouri, aumentando sua rede de apoio local e atraindo recrutas sedentos de sangue, incluindo Jesse James.

Operando no centro e noroeste do Missouri, ao longo do rio Missouri, na região de "Little Dixie" do estado, Anderson encenou uma invasão perto de Centralia em 27 de setembro de 1864. Tendo roubado o congressista Unionista James S. Collins, capturado um trem de passageiros da União e assassinado 22 Soldados da União liberados que se renderam, os homens de Anderson foram perseguidos pela 39ª Infantaria Voluntária (União) do Missouri. Depois de uma escaramuça separada que ocorreu no final do dia, às vezes conhecida como Batalha de Centralia, os homens de Anderson emboscaram os perseguidores Unionistas sem armas, e seus homens mutilaram e torturaram os sobreviventes federais da batalha. Os assassinatos iniciais e as consequências ficaram conhecidos como Massacre de Centralia.

Perseguido pelas autoridades da União, a fuga de Anderson da Centralia envolveu a pilhagem e tortura de simpatizantes da União e vários casos de estupro relatado, particularmente em uma invasão em Glasgow, Missouri. As forças da união sob o comando do tenente-coronel Samuel P. Cox, um ex-batedor do exército, finalmente alcançaram Anderson e seus aproximadamente 150 homens em 27 de outubro de 1864. Uma breve batalha se seguiu na qual Anderson foi baleado na cabeça e morreu instantaneamente. Os soldados da União fotografaram o corpo de Anderson e o desfilaram pelas ruas de Richmond, Missouri, enterrando-o nas proximidades (mais tarde foi reenterrado). Cox se tornou um herói da União, e a morte de Anderson mais tarde se tornou a motivação para o assalto a banco de Jesse James em 1869 em Gallatin, Missouri, no qual ele atirou por engano em alguém que acreditava ser Cox.

Para obter mais informações sobre as atrocidades cometidas no Massacre de Centralia e a seguinte escaramuça, leia esta discussão da PBS American Experience de um painel de especialistas em Guerra Civil.

Como Quantrill e James, as histórias do pós-guerra apresentam Anderson como um assassino sádico ou um arrojado cavaleiro confederado. Avaliações de historiadores recentes, no entanto, situaram Anderson dentro do mundo da política da escravidão, violência política e atrocidade de guerra das quais ele surgiu. A maioria concorda que suas ações e persona incorporaram alguns dos aspectos mais selvagens da guerra. Fortemente mitificado, Anderson apareceu em uma variedade de meios de comunicação populares da cultura, incluindo um personagem do filme The Outlaw Josey Wales (1976).


Café com o Eremita


William Quantrill, o homem que deu a Frank e Jesse James sua primeira educação em matar, morre de ferimentos sofridos em uma escaramuça com soldados da União em Kentucky.

Nascido e criado em Ohio, Quantrill se envolveu em uma série de empreendimentos obscuros em Utah e Kansas durante sua adolescência. Aos 20 anos, ele fugiu para o Missouri, onde se tornou um forte defensor dos colonos pró-escravidão em seu conflito às vezes violento com seus vizinhos antiescravistas. Quando a Guerra Civil estourou em 1861, Quantrill de 24 anos se tornou o líder de uma força irregular de soldados confederados que ficou conhecida como Quantrill & # 8217s Raiders.

Em 1862, as forças da União estabeleceram o controle sobre o Missouri, mas os Raiders de Quantrill e # 8217s continuaram a assediar o exército do norte e as cidades pró-União desprotegidas nos três anos seguintes. Quantrill e outros líderes guerrilheiros recrutaram seus soldados entre simpatizantes confederados que se ressentiam do que consideravam o governo injustamente duro da União em seu estado. Entre os que se juntaram a ele estava um garoto de fazenda de 20 anos chamado Frank James. Seu irmão mais novo, Jesse, juntou-se a uma força guerrilheira aliada um ano depois.

Em agosto de 1863, Frank James estava com Quantrill quando liderou um ataque selvagem à cidade indefesa de Lawrence, Kansas. Furiosos porque os habitantes da cidade permitiram que Lawrence fosse usado como base esporádica para soldados da União, Quantrill e seus guerrilheiros atiraram em todos os homens e meninos que viram. Depois de matar pelo menos 150 civis, os invasores colocaram fogo na cidade.

Em maio de 1865, Quantrill foi gravemente ferido em uma escaramuça com as forças da União e morreu neste dia em 1865. Como os homens de Quantrill eram guerrilheiros e não soldados legítimos, eles não receberam a anistia geral concedida ao exército confederado após a guerra terminou. Alguns, como Frank e Jesse James, interpretaram isso como uma desculpa para se tornarem criminosos e ladrões de banco.

Apenas mais um exemplo de como as coisas sedentas de sangue podiam voltar nos primeiros dias.

Café esta manhã. Está muito quente lá fora.

2 comentários:

Suspeito que depois de alguns anos disso, os irmãos James não precisaram de muitas desculpas para continuar a vida de fora-da-lei.

Algo que eu realmente nunca pensei, & quotthe old west & quot. Não há nenhuma dúvida em minha mente de que Jesse James fazia parte do "velho oeste", mas é o Missouri?

Acho que minha atitude no & quotold west & quot vem da TV e do cinema. se não foi & # 39t em Monument Valley ou Tombstone, AZ ou & quotThe Big Valley & quot, então não foi & # 39t & quotthe west & quot meio que pensei :-)

Então, novamente, tenho problemas para pensar em Ohio (ou Pittsburgh, PA, nesse caso) como a fronteira ocidental, mas em sua época, eles eram.

Esta foi boa, Sr. Eremita!

Você está certo, eu não sabia muito sobre Quantrill até este post. Obrigada.


William Quantrill morto por soldados da União - HISTÓRIA

William Clarke Quantrill (1837-65) ganhou a infâmia durante a Guerra Civil por suas atrocidades contra os cidadãos e a guerra de guerrilha contra os soldados da União. Ele serviu a Confederação e talvez esperasse garantir uma alta patente e reconhecimento de seus líderes. Mas as atividades de Quantrill indicavam que ele lutou por pilhagem e vingança pessoal, e não por qualquer compromisso com o sul. Nascido em Ohio, Quantrill foi para o Território do Kansas aos 18 anos e envolveu-se em hostilidades entre as forças do estado livre e do estado escravista. Naquela época, Quantrill facilmente mudou de lado, sua única preocupação era a pilhagem. Após o tiroteio em Fort Sumter, a guerra de guerrilhas abalou a fronteira entre o Kansas e o Missouri.

Quantrill retirou-se para o Missouri no início de 1861 e viveu com um certo Marcus Gill. Quando Gill partiu para o Texas, Quantrill o seguiu. Quantrill logo mudou-se para o Território Indígena, onde fez amizade com Joel B. Mayes, o futuro chefe principal da Nação Cherokee. Quantrill ficou com Mayes, aprendeu táticas de guerrilha Cherokee e em agosto testemunhou a Batalha de Wilson's Creek no Missouri. Ele voltou para a região ao redor dos condados de Jackson e Cass no Missouri e organizou um grupo de irregulares. Porque ele sabia ler e era um excelente atirador e cavaleiro, ele se tornou o líder da gangue. Ao longo de 1862, Quantrill e seu bando de quase duzentos homens invadiram Kansas City, Independence e Olathe. Eles deixaram o Missouri e o Kansas durante o inverno de 1862–63 para se refugiarem no Território Indígena, em Arkansas e no Texas.

Em 1863, Quantrill empreendeu as incursões que tornaram seu nome temido na região. Em 21 de agosto, sua banda incendiou Lawrence, Kansas, onde assassinaram cerca de 150 cidadãos. Posteriormente, ele e seus homens retiraram-se para o Texas pela estrada do Texas. No caminho, eles surpreenderam as tropas da União sob o comando do general James G. Blunt em Baxter Springs, Kansas, no início de outubro, mataram cerca de oitenta federais e feriram dezoito. Quantrill chegou ao Forte Gibson no Território Indígena em 10 de outubro, e seus homens mataram doze soldados da União ali. Sua banda então juntou forças com o coronel Daniel McIntosh e o general Douglas H. Cooper. Aqui, Quantrill escreveu seu único relatório oficial da guerra. Ele alegou ter matado 150 negros e índios da União na nação Cherokee e assinou o relatório "W. C. Quantrill, coronel comandante".

Quantrill e seus homens acamparam perto de Sherman, Texas, no final de 1863 e saquearam impiedosamente os habitantes. O general confederado Henry McCulloch os enviou para o território indiano. Em meados de dezembro, Quantrill e seus homens juntaram-se ao general Stand Watie para um ataque ao Fort Gibson. Essa incursão não resultou em nada, e é duvidoso que os invasores tenham participado do combate. Cerca de uma semana depois, Quantrill, Watie e o coronel William Penn Adair tentaram assaltar Fort Smith, Arkansas. Novamente, pouca ação resultou e Quantrill voltou ao Texas para o inverno.

McCulloch perdeu a paciência com os ultrajes cometidos pelos homens de Quantrill e o prendeu. No entanto, ele escapou, levou sua banda para o Território Indígena e juntou-se ao General Cooper, que planejava tomar Fort Smith. Eles chegaram perto de Fort Smith em 6 de abril de 1864, mas não tinham intenção de ajudar Cooper. Quantrill moveu-se em direção ao Fort Gibson e ordenou que nove civis fossem mortos na Agência Creek. Uma força confederada atacou perto de Fort Gibson em 17 de abril, mas Quantrill evitou a luta que mais tarde manobrou as tropas da União e escapou para o sudoeste do Missouri.

Quantrill fez uma excursão ao Texas em maio de 1864, acreditando que as acusações confederadas contra ele haviam sido retiradas e que ele poderia receber uma ordem formal. Mas uma ordem não veio, e ele voltou para seu bando, cuja liderança ele havia perdido. Ele finalmente levou um pequeno grupo para Kentucky para se envolver em atividades de guerrilha, onde foi baleado em 10 de maio de 1865 e morreu em uma prisão de Louisville em 6 de junho de 1865. Em agosto de 1864, uma ação ocorreu acima de Fort Gibson entre tropas federais e remanescentes de Os invasores de Quantrill. Nesta batalha, Jesse James foi ferido e começou sua carreira de fora da lei.

A reputação de Quantrill foi construída na guerra de fronteira entre o Missouri e o Kansas. His Indian Territory operations lacked importance and exhibited none of the dash that he had showed in Kansas. The reasons are twofold. First, Quantrill and his men needed familiar surroundings to implement their guerrilla tactics. Indian Territory was alien to them, and they avoided conflict there. Second, Indian Territory did not have Unionist population centers that were ripe for his kind of terrorism. For Quantrill and his men, Indian Territory served as an escape route, not a field of action.

Bibliografia

Albert Castel, William Clarke Quantrill: His Life and Times (Reprint ed. Norman: University of Oklahoma Press, 1999).

LeRoy H. Fischer and Lary C. Rampp, "Quantrill's Civil War Operations in Indian Territory," As Crônicas de Oklahoma 46 (Summer 1968).

Nenhuma parte deste site pode ser interpretada como de domínio público.

Direitos autorais de todos os artigos e outros conteúdos nas versões online e impressa do The Encyclopedia of Oklahoma History é realizada pela Oklahoma Historical Society (OHS). Isso inclui artigos individuais (direitos autorais para OHS por atribuição do autor) e corporativamente (como um corpo completo de trabalho), incluindo web design, gráficos, funções de pesquisa e métodos de listagem / navegação. Os direitos autorais de todos esses materiais são protegidos pelas leis dos Estados Unidos e internacionais.

Os usuários concordam em não baixar, copiar, modificar, vender, arrendar, alugar, reimprimir ou de outra forma distribuir esses materiais, ou conectar-se a esses materiais em outro site, sem autorização da Oklahoma Historical Society. Os usuários individuais devem determinar se o uso dos materiais se enquadra nas diretrizes de & quotFair Use & quot da lei de direitos autorais dos Estados Unidos e não infringe os direitos de propriedade da Oklahoma Historical Society como o detentor legal dos direitos autorais de The Encyclopedia of Oklahoma History e parte ou no todo.

Créditos das fotos: todas as fotografias apresentadas nas versões publicadas e online de The Encyclopedia of Oklahoma History and Culture são propriedade da Oklahoma Historical Society (salvo indicação em contrário).

Citação

O seguinte (de acordo com The Chicago Manual of Style, 17ª edição) é a citação preferida para artigos:
James L. Huston, &ldquoQuantrill's Raiders,&rdquo The Encyclopedia of Oklahoma History and Culture, https://www.okhistory.org/publications/enc/entry.php?entry=QU002.

& # 169 Oklahoma Historical Society.

Sociedade Histórica de Oklahoma | 800 Nazih Zuhdi Drive, Oklahoma City, OK 73105 | 405-521-2491
Índice do site | Contate-nos | Privacidade | Sala de Imprensa | Consultas do site


This Day In History: The Oulaw Jesse James Is Born (1847)

On this day in 1847, Jesse James was born in Missouri. He is one of the best-known outlaws from the Old West and has been portrayed in countless movies and television shows. He is seen by some as a bloodthirsty criminal but to others, he is something of a folk-hero- like Robin Hood.

Jesse and his older brother Frank (Franklin) are abandoned by their father in 1849 when he left for the gold fields of California. Their mother quickly remarried but her new husband appears to have treated the young James&rsquo brothers badly. In 1861 the Civil War erupted and soon both men joined the Confederate army. Both the James&rsquo brothers are staunch Confederate supporters and they join a notorious band of guerrilla fighters.

The joined William Quantrill&rsquos vicious Missouri guerilla band, that terrorised both Union soldiers and civilians. On one occasion Jesse took part in the cold-blooded murder of 25 unarmed Union prisoners of war in the Fall of 1863.

Memorial marking the site of Jesse James killing.

When the war ended, there was little opportunities for the two young men. Neither had the temperament for the hard life of a Missouri farmer and there was no other work to be had in the south after the devastation of the war. They joined up with a group of ex-soldiers and robbers and began a life of crime. They and their new gang staged the first daylight bank robbery in US history in 1867. They stole over 50,000 dollars from a bank in Liberty Missouri. This was to start a ten-year career in crime and the James brothers were to become among the most notorious outlaws of their time.

Their exploits were publicized by the sensational dime novels of the day and the two men became celebrities. Jesse became the better known of the two. This may be a result of the fact that he was much more charismatic than Frank. Frank was a deliberate and cautious man, who always carried copies of the bible and Shakespeare with him. Jesse was a reckless and glamorous figure. That is why he is much better known to this day, than Frank.

In the south, some have seen them as Robin Hood figures who stole from the rich and gave to the poor. They are often portrayed by some in the south as resisting the Union forces that had occupied the South after the end of the Civil War. In reality, Jesse was as likely to steal from the poor and the rich and like every criminal he did not have much of a conscience. Many ordinary people had their money stolen by Jesse and his gang. Several are killed and maimed. On one occasion the gang killed a train driver when his train was derailed by the gang.

Nonetheless, the myth that Jesse James a Southern Robin Hood, who only stole from the rich and Northerners remains popular to this day. Jesse James was killed in 1882 after he was shot in the back of the head.


William Quantrill

The most notorious of their leaders was William Clarke Quantrill. The son of an Ohio schoolteacher, Quantrill had drifted around the West until the war came along to give full rein to his particular talents. Without any ties to the South or to slavery, he chose the Confederacy apparently because in Missouri this allowed him to attack all symbols of authority. He attracted to his gang some of the most psychopathic killers in American history.

Leader of perhaps the most savage fighting unit in the Civil War, William Quantrill developed a style of guerrilla warfare that terrorized civilians and soldiers alike. Quantrill was born in 1837 in Ohio, but little is known of his early life. It appears that after being a schoolteacher for several years, he travelled to Utah in 1858 with an army wagon train and there made his living as a gambler, using the alias of Charles Hart. After a year, he moved to Lawrence, Kansas, where he was again a schoolteacher from 1859 to 1860. But his past and predisposition soon caught up with him and, wanted for murder and horse theft, Quantrill fled to Missouri in late 1860.

Quantrill entered the Civil War on the Confederate side with enthusiasm. By late 1861, he was the leader of Quantrill's Raiders, a small force of no more than a dozen men who harassed Union soldiers and sympathizers along the Kansas-Missouri border and often clashed with Jayhawkers, the pro-Union guerrilla bands that reversed Quantrill's tactics by staging raids from Kansas into Missouri. Union forces soon declared him an outlaw, and the Confederacy officially made him a captain. To his supporters in Missouri, he was a dashing, free-spirited hero.

The climax of Quantrill's guerilla career came on August 21, 1863, when he led a force of 450 raiders into Lawrence, Kansas, a stronghold of pro-Union support and the home of Senator James H. Lane, whose leading role in the struggle for free-soil in Kansas had made him a public enemy to pro-slavery forces in Missouri. Lane managed to escape, racing through a cornfield in his nightshirt, but Quantrill and his men killed 183 men and boys, dragging some from their homes to murder them in front of their families, and set the torch to much of the city.

The Lawrence Massacre led to swift retribution, as Union troops forced the residents of four Missouri border counties onto the open prairie while Jayhawkers looted and burned everything they left behind. Quantrill and his raiders took part in the Confederate retaliation for this atrocity, but when Union forces drove the Confederates back, Quantrill fled to Texas. His guerrilla band broke up into several smaller units, including one headed by his vicious lieutenant, "Bloody Bill" Anderson, known for wearing a necklace of Yankee scalps into battle. Quantrill himself was eventually killed on a raid into Kentucky in 1865.

Even after his death, Quantrill and his followers remained almost folk heroes to their supporters in Missouri, and something of this celebrity later rubbed off on several ex-Raiders -- the James brothers, Frank and Jesse, and the Younger brothers, Cole and Jim -- who went on in the late 1860's to apply Quantrill's hit-and-run tactics to bank and train robbery, building on his legacy of bloodshed a mythology of the Western outlaw that remains fixed in the popular imagination.


William Quantrill killed by Union soldiers - HISTORY

Both William Clarke Quantrill and John Singleton Mosby were the South's most recognizable and daring guerrilla leaders. Both their careers took similar turns. Quantrill began the war as a private rising in rank to sergeant after fighting at Wilson's Creek, Lexington, the First Battle of Independence and the Battle of Lone Jack. Then after being directed by General Sterling Price to organize his own company he was later commissioned a captain on August 12 , 1862. Mosby started the war as a cavalryman under Jeb Stuart after gaining his fighting experience at Manassas and Antietam before setting up his own band of some 300 men in January of 1863. Quantrill too normally operated with 300 men. At the height of his success Quantrill commanded over 450 men during his Lawrence, Kansas raid.

Both guerrilla leaders were regarded as outlaws by the Federal military though both operated under the Confederate government's Partisan Ranger Act. Quantrill as well as Mosby was forced to fight under the "Black Flag." The "Black Flag" meant "no quarter" for prisoners and was the most feared Confederate battle flag to Union soldiers. This was not a practice supported by the Confederacy, which condemned the killing of prisoners. However, pro-Confederate guerillas were often given "no quarter" when they surrendered and that was more than enough reason for them to fly the "Black Flag" in retaliation.

In Virginia, Union General Philip Sheridan raised the "Black Flag" when in September 1864 he captured seven of Mosby's men and hung them as outlaws. Mosby was forced to respond in kind, executing five Union prisoners. As the situation escalated, Mosby wrote to Sheridan asking for a return to the fair treatment of prisoners, which was granted. In Missouri General Henry Halleck raised the "Black Flag" by outlawing all guerrillas and issued orders to execute all guerrillas when captured. On April 15 , 1862 after the Lowe House fight Federals captured two of Quantrill's men and immediately shot them both. Wounded guerrillas were treated with the same brutality. In May Quantrill sent a message to the Union command seeking an exchange of prisoners to which he was curtly rebuffed. During the Lawrence raid Quantrill's surgeon Dr. John Benson was credited with saving numerous lives of those in Lawrence. Upon returning to his home citizens pleaded for him to surrender, that he would be treated as any other prisoner. After giving himself up Benson was convicted for being a Quantrill man and shot on October 15, 1863.

The guerrilla groups under Quantrill and Mosby operated in the same fashion. The men had no camps nor fixed quarters, and never slept in tents. When they wanted to eat they stopped at a friendly farm house, or went into some little town and bought what they needed. For Mosby, his area of operations embraced in general two counties in Virginia, Fauquier and Loudoun, totaling some 1,200 square miles known as "Mosby's Confederacy." In contrast, Quantrill controlled over 3,200 square miles in a five county area surrounding his base of operations in Jackson County, Missouri, known as "Quantrill Country."

During the war local government was suspended. There were no courts or officers to keep the peace or to make sure the law was obeyed. The people looked to Quantrill and Mosby to make the necessary laws and to enforce them. Mosby would not permit any man to commit a crime, or even a misdemeanor, in his domain. In like fashion Quantrill caught a deserter from Price's army, George Searcy, just before Christmas 1861. Searcy had gained a reputation as a thief and robber who made no distinctions between his victims. When captured he had in his possession a large quantity of horses and livestock. Searcy was tried and condemned to death and hung. Quantrill returned the horses, mules, and other property to their owners, some of whom were Union men. Guerrilla Harrison Trow commented, “The execution acted as a thunderstorm. It restored the equilibrium of the moral atmosphere.”

The arms and accoutrements carried by both forces were in most part the same. Each of Mosby's men was armed with two .44 caliber Colt Army revolvers. Some few who could afford it, or who had succeeded in capturing extra pistols wore an extra pair in saddle holsters or struck into their boot legs. Both groups prime battle strategy was open battle in close combat with unerring marksmanship. Mosby's skirmishes were fast and furious and quickly over, one or the other side withdrawing at a dead run when their pistols were empty. Though cleverly executing well planned ambushes and skirmishes Quantrill was known for leading the van in numerous stand up battles.

Quantrill's men were armed with a variety of weaponry. Most carried a shotgun or carbine slung across their back in addition to the pistols they carried. Most common was the Colt or Remington revolver in .36 or .44 caliber. Most guerrillas carried a brace of revolver with some carrying up to four to six apiece. While "something gray" was the one requisite for Mosby's men, Quantrill's men became famous for what came to be known as the "guerrilla shirt." It was a large comfortable blouse with two broad breast pockets. They were immediately recognizable, a distinguishing mark of these men as was the "gray" for Mosby's men. These “guerrilla shirts” also demonstrated a kind of flamboyance, pride, and esprit-de-corps. In battle the soldiers would open their jackets to reveal their bright-colored shirts. Given the practicality of wearing scavenged Union uniforms to be able to operate behind enemy lines, the flaunting of their "guerrilla shirts" in combat revealed who was friend or foe amid the dust and smoke of close combat. Guerrilla shirts were more than mere decoration. The shirts were highly functional and practical. Designed for close pistol combat on horseback, they were made large enough to be nonbinding. The two large breast pockets were sewed at an angle, without pocket flaps, so the wearer could extract or dispose of extra pistol cylinders without difficulty. Both Quantrill and Mosby's men, when mounted on the finest of horses, certainly gave a ‘Knightly’ appearance.

The chief distinction was that the mode of warfare differed somewhat between the two guerrilla leaders. Mosby’s operations were limited to disrupting the enemies supply lines. He did this by operating behind the enemies lines taking prisoners and capturing horses and mules from enemy supply trains, the mules and horses badly needed for replacements for Lee's army. The number of enemy killed in combat during a whole season of campaigning under the command of Colonel Mosby wouldn’t equal what Colonel Quantrill killed in combat in one engagement. The enemy soldiers whom Mosby encountered were usually captured and after the war went home to be with their families. The enemy soldiers whom Quantrill encountered went home to be with their God.

The South owed a debt of gratitude to both these exemplary guerrilla leaders. At the end of the war, though having served as an honorable Southern officer Mosby had a $5,000 reward on his head. He eluded capture until January 1866, when General Grant intervened directly in his case and paroled him. Quantrill had a reward of $50,000 on his head by his enemies in Kansas. He knew if he stayed in Missouri, he and his men would eventually be caught and hanged. Quantrill understood that the best option for him and his men was to head east to join with General Robert E. Lee’s army or another Southern general and seek reasonable surrender terms when the end of the war came.

In January 1865, Quantrill crossed the Mississippi River into Kentucky with forty handpicked men. The going was slow and treacherous and by March 29, Lee's army was forced to abandon Petersburg, Virginia. After the collapse of Petersburg the Confederate government fled the capitol of Richmond. Quantrill proceeded as far east as Spencer County, Kentucky and waited to see what would happen. Shortly after April 9, Quantrill received news that Lee had surrendered at Appomattox Court House. Quantrill continued skirmishing with Federal troops until he was shot and mortally wounded on May 10.

After Quantrill's death many of his men were hunted down and murdered by Union vigilantes. While some escaped to places like Texas some were driven into outlawry. Mosby went on to become a campaign manager in Virginia for President Ulysses S. Grant. Grant appointed him as U.S. consul to Hong Kong. Because of Mosby's friendship with Grant he regularly received death threats, his boyhood home was burned down, and at least one attempt was made to assassinate him.

Article by: Paul R. Petersen - Author of Quantrill of Missouri, Quantrill in Texas, Quantrill at Lawrence e Lost Souls of the Lost Township.

Referências: The Blue and The Gray - Henry Steele Commager, The Fairfax Press

Below is a previously unpublished image Mosby in a uniform of a Yankee private.


Quantrill's Flag

Raiders under the command of the notorious Confederate guerrilla William Quantrill dropped this flag in Olathe during an attack.

Just after midnight on September 7, 1862, the town of Olathe, Kansas, was overrun by Confederate guerrillas.

In the hours before dawn the raiders killed several men and looted businesses and private homes. This flag apparently was carried by one of the raiders and dropped in the public square.

The flag's existence raises many questions. Quantrill is not known to have carried any sort of flag this is supported by some of his men in post-war accounts. Claims that he carried a black flag with the misspelled name "Quantrell" in red originated in popular writings of the 1880s and have no basis in fact.

The flag's small size&mdashjust seven by 13 inches&mdashalso is unusual. One possible reason for the flag's small size is offered in Alan Sumrall's Battle Flags of Texans in the Confederacy, which cites a flag from the First Texas Infantry Regiment at approximately the same dimensions. It is referred to as a "streamer" flag, placed on the staff above the regimental flag. But if Quantrill carried no large flag, a companion "streamer" flag would not seem to be justified.

Another explanation may be found in the traditional use of "Bible" flags by both northern and southern families. These textiles were placed in the large family Bibles of the time to mark passages of scripture. Perhaps one of the raiders carried the flag as a keepsake, only to lose it in Olathe.

Bleeding Kansas

The Olathe raid was just one of many incidents that occurred along the Kansas-Missouri border from 1854 to 1865. "Bleeding Kansas" erupted over a debate on whether the territory should be admitted to the Union as a free or slave state. Raids by both sides continued after both Kansas achieved statehood and the Civil War broke out in 1861, resulting in the plundering of communities and the murder of many citizens.

Kansans engaged in these activities included Charles "Doc" Jennison, whose "Jayhawkers" of the Seventh Kansas Cavalry included plundering as part of their soldierly duties, often without regard as to citizens' anti- or proslavery leanings. U.S. Senator James Lane led a brigade against Osceola, Missouri, looting and burning the town.

Quantrill

But the best known guerrilla on the Missouri side (and perhaps of the entire war) was William Clarke Quantrill. Born at Canal Dover, Ohio, in 1837, Quantrill had come to Kansas in 1857 to farm. When this effort failed, he traveled west to the Rockies to seek adventure. Back in Kansas just before the outbreak of the war, he cast his lot with the south and joined the Missouri Confederate troops led by Sterling Price. Dissatisfied with a lack of aggressiveness after the Battle of Lexington, he left the army to take a more active role--bringing guerrilla warfare to Kansas.

Quantrill first raided the Kansas town of Aubry in March, 1862, with 30 men in his command. Raids continued throughout the year, including the one at Olathe.

But Quantrill's most famous--or infamous--successes came the following year. At dawn on August 21, 1863, he led over 300 men in a raid against the city of Lawrence. When they were done, over 150 men were dead and over 200 homes and businesses destroyed. This illustration of the raid (bottom, right) appeared in Harper & # 39s Weekly, a popular 19th-century magazine.

In early October Quantrill struck at Baxter Springs, first attacking a fortification, then a column which included Major General James Blunt, eight wagons, a brass band, and 100 soldiers as an escort. Blunt escaped, but 90 soldiers were killed.

Quantrill left Kansas and headed east in 1864. On May 10, 1865, one month after Lee's surrender at Appomattox, Virginia, he was mortally wounded in a skirmish with Union soldiers in Kentucky. William Quantrill died at Louisville, a month short of his 28th birthday.

This flag was found in the Olathe square after the raid by town resident Jonathan Millikan. His son, Orion, donated the flag to the Kansas Historical Society in 1930. It is in the collections of the Society's Kansas Museum of History.

Save the Flags!

The Kansas Historical Society raises funds for flag conservation and preservation through the Save the Flags! projeto.

Help us preserve our collections by donating funds to the Save the Flags! project through our Museum Store. Specify "Save the Flags" in the drop-down menu.

Entry: Quantrill's Flag

Autor: Sociedade Histórica do Kansas

Author information: The Kansas Historical Society is a state agency charged with actively safeguarding and sharing the state's history.

Data Criada: May 2001

Date Modified: September 2014

The author of this article is solely responsible for its content.

Submit Kansapedia contente

We invite you to send further details about existing articles or submit articles on other topics in Kansas history.

Kansas Memory

Our online collections contain more than 500,000 images of photos, documents, and artifacts, which grows daily. Find your story in Kansas through this rich resource!


A lenda

There is a legend that someone claiming to be William Quantrill was living on Vancouver Island in 1907. Another story claims that Quantrill escaped the ambush and fled to Arkansas, where he lived under an alias until 1917. What are reputed to be his remains lie buried in the Old Confederate Veterans’ Home Cemetery in Higginsville, Missouri, where they were interred in 1992. The last surviving member of Quantrill’s Raiders died in 1940.

War in the 19th century trained soldiers to kill people and break things. These skills can be useful during a conflict and dangerous when the war is over. Frank and Jesse James were part of Quantrill’s Raiders. They and other guerrilla veterans would transfer what they learned into careers as bandits and bank robbers. It would be almost 20 years after the surrender at Appomattox Courthouse before real peace and quiet came to Missouri and Kansas.


Assista o vídeo: William Quantrill (Dezembro 2021).