Podcasts de história

War of Jenkin's Ear, 1739-c.1743

War of Jenkin's Ear, 1739-c.1743

War of Jenkin's Ear, 1739-c.1743

Uma de uma série de guerras causadas por rivalidades coloniais no novo mundo. Os espanhóis excluíram os comerciantes ingleses de suas colônias americanas, levando ao contrabando e ao ressentimento. Em 1738, o capitão Robert Jenkins apareceu perante o Parlamento com sua orelha, que ele alegou ter sido cortada pelos espanhóis quando embarcaram em seu navio, sete anos antes. A guerra foi declarada em 1739, embora o conflito foi logo engolido pela Guerra da Sucessão Austríaca (1740-1748) e em 1743 as hostilidades na América tornaram-se parte da Guerra do Rei George (1744-1748). Houve ataques ingleses às colônias espanholas no Caribe em 1739 e 1740, e ataques de St. Augustune (Flórida), então em mãos espanholas, em 1740 e 1743, enquanto os espanhóis lançaram um ataque à Geórgia em 1743.

Orelha de Jenkins, guerra de

The War of Jenkins 'Ear (1739-42), uma luta marítima das Índias Ocidentais que fez parte da Guerra Anglo-Espanhola (1739-48), foi travada entre a Inglaterra e a Espanha pelo controle do comércio no Caribe. Em menor grau, a guerra também envolveu a defesa das colônias da Grã-Bretanha no hemisfério ocidental e o medo de que a Espanha e a França pudessem formar uma aliança para conter a futura expansão britânica na América. A Espanha procurou impedir que contrabandistas holandeses, dinamarqueses, ingleses e franceses negociassem com suas possessões americanas e limitar as transações legais da South Sea Company, de propriedade inglesa, com a área.

O nome incomum da guerra resultou de um incidente em 1731 em que uma tripulação de uma canhoneira espanhola embarcou no navio inglês Rebecca para confiscar parte de sua carga. Quando o capitão do navio, Robert Jenkins, resistiu, os soldados espanhóis arrancaram sua orelha e disseram-lhe para "levá-la ao seu rei e dizer-lhe que o serviriam da mesma maneira se uma oportunidade surgisse". Jenkins levou sua orelha decepada para a Inglaterra em uma garrafa em busca de compensação e a exibiu ao país, despertando considerável indignação popular.

Entre agosto e meados de dezembro de 1740, o governador Gabriel Johnston, da Carolina do Norte, levantou e despachou 400 homens, o mesmo número da Virgínia, para lutar na guerra, admitindo que poderia ter reunido a metade novamente se tivesse os recursos para alimentar e entregá-los às Índias Ocidentais. Do jeito que estava, ele foi capaz de suprir as necessidades de seus recrutas com £ 1.200 levantadas pela Assembleia colonial, mas teve que fornecer transporte com fundos discricionários porque os armadores não aceitariam o papel-moeda da Carolina do Norte.

Os voluntários da Carolina do Norte chegaram à Jamaica em 9 de janeiro de 1741 e se juntaram a quase 9.000 soldados, tanto militares regulares quanto provinciais, e 15.000 marinheiros que aguardavam ordens. Em 23 de março, eles atacaram Cartagena, mas não capturaram a cidade. As perdas para a Expedição a Cartagena, tanto de combates quanto de febre amarela, foram pesadas, forçando o almirante Edward Vernon a se tornar menos agressivo em operações futuras. Pelo restante da guerra, e na Guerra do Rei George seguinte (1744-48), Vernon limitou suas atividades à proteção da navegação inglesa no Caribe e à destruição do comércio local espanhol.

A Guerra do Ouvido de Jenkins não trouxe nenhuma sensação de realização às colônias inglesas na América em geral ou na Carolina do Norte em particular. Apenas 600 dos 3.600 voluntários originais sobreviveram para retornar às suas respectivas colônias. Na Carolina do Norte, 25 de uma empresa de 100 homens voltaram para casa, as outras três empresas provavelmente não se saíram melhor. Além disso, a partir de 1741, dezenas de navios coloniais foram perdidos ao longo da costa da Carolina para corsários espanhóis, alguns dos quais operaram brevemente a partir de Outer Banks. Cidades como Beaufort e Brunswick foram invadidas e forçadas a pagar tributos, e os depósitos de pólvora e fortes propostos (Ocracoke Island, Bear Inlet, Topsail Inlet e no rio Cape Fear) não foram construídos ou não realizaram nada. O sentimento na Carolina do Norte era que os interesses coloniais foram sacrificados aos objetivos ingleses mais amplos.

Francis L. Berkeley Jr., "The War of Jenkins 'Ear", Old Dominion (1964).

Hugh T. Lefler e William S. Powell, Carolina do Norte colonial: uma história (1973).

Franz A. J. Szabo, "A Guerra da Sucessão Austríaca e a Guerra dos Sete Anos, 1740-1763", em Frank W. Thackeray e John E. Findling, eds., Eventos que mudaram o mundo no século XVIII (1998).


Como os escoceses Highlanders ganharam a guerra da orelha de Jenkin #georgiapioneers

Durante 1733, o General James Oglethorpe transportou mais de cem colonos das terras altas de Sco t. Os escoceses sofreram perseguição nas mãos dos britânicos desde seu primeiro herói, Carlos Stuart, que buscou o trono em 1689. E durante a rebelião jacobita de 1745, a história de um jovem príncipe conhecido afetuosamente como "o bonnie Príncipe Charles" entrou em cena e tentou para reivindicar o trono para si mesmo. Charles Edward Stuart acreditava que era seu direito de nascença e planejou uma invasão da Grã-Bretanha com seus seguidores jacobitas e removeu o usurpador de Hanôver, George II. Quando o plano falhou, os clãs escoceses começaram a imigrar.

Em 1733, no entanto, com circunstâncias adversas influenciando os montanheses, eles optaram por partir. Oglethorpe reservou a localização de um antigo forte britânico na América, entre Savannah e Darien, para proteger os novos colonos em Savannah da armada espanhola em Santo Agostinho. Para falar a verdade, foram os montanheses que, usando a guerra de guerrilha contra um ataque de conquistadores espanhóis durante a Guerra de Jenkins Ear (1742), que convenceram a Espanha a se render e desistir de suas terras nas Américas. Ancestrais em McIntosh County GA Genealogists são bem-vindos para deixar comentários.


Guerra de Jenkins e # 39 Ear

A Guerra da Orelha de Jenkins foi um conflito entre a Grã-Bretanha e a Espanha que durou de 1739 a 1748, com as principais operações praticamente encerradas em 1742. Seu nome incomum, cunhado por Thomas Carlyle em 1858, refere-se a Robert Jenkins, capitão de um comerciante britânico navio, que exibiu sua orelha decepada no Parlamento após o embarque de seu navio pela guarda costeira espanhola em 1731. Este caso e uma série de incidentes semelhantes deflagrou uma guerra contra o Império Espanhol, ostensivamente para encorajar os espanhóis a não renegar o lucrativo asiento contrato (permissão para vender escravos na América espanhola).

Depois de 1742, a guerra foi subsumida pela Guerra da Sucessão Austríaca, envolvendo a maioria das potências da Europa. A paz chegou com o Tratado de Aix-la-Chapelle em 1748.

Na conclusão da Guerra da Sucessão Espanhola, o Tratado de Utrecht em 1713 deu à Grã-Bretanha um asiento de trinta anos, ou direito contratual, para fornecer um número ilimitado de escravos para as colônias espanholas e 500 toneladas de mercadorias por ano. Isso proporcionou aos comerciantes e contrabandistas britânicos incursões potenciais nos mercados (tradicionalmente) fechados da América espanhola. No entanto, a Grã-Bretanha e a Espanha estavam frequentemente em guerra durante este período, lutando entre si na Guerra da Quádrupla Aliança (1718 & # x201320), no Bloqueio de Porto Bello (1726) e na Guerra Anglo-Espanhola (1727 & # x20131729).

No Tratado de Sevilha (1729), após a Guerra Anglo-Espanhola, a Grã-Bretanha concedeu aos navios de guerra espanhóis o direito de parar os comerciantes britânicos e verificar se o direito de asiento era respeitado. Com o tempo, os espanhóis ficaram desconfiados de que comerciantes britânicos estavam abusando do contrato e começaram a embarcar em navios e confiscar suas cargas. Depois de relações muito tensas entre 1727 e 1732, a situação melhorou entre 1732 e 1737, quando Sir Robert Walpole apoiou a Espanha durante a Guerra de Sucessão Polonesa. Mas as causas dos problemas permaneceram e quando a oposição contra Walpole cresceu, o mesmo aconteceu com o sentimento anti-espanhol entre o público britânico.

Walpole cedeu à pressão e aprovou o envio de tropas para as Índias Ocidentais e um esquadrão para Gibraltar sob o comando do almirante Haddock, causando uma reação espanhola imediata. A Espanha pediu uma compensação financeira, o que levou ao pedido britânico de anulação do & quotDireito de visita & quot acordado no Tratado de Sevilha (1729). Em reação, o rei Filipe V da Espanha anulou o & quotAsiento Right & quot e confiscou todos os navios britânicos em portos espanhóis.

A Convenção de Pardo, uma tentativa de mediar a disputa, fracassou. Em 14 de agosto, a Grã-Bretanha chamou de volta seu embaixador na Espanha e declarou oficialmente guerra em 23 de outubro de 1739. Apesar da Pacte de Famille, a França permaneceu neutra. Walpole estava profundamente relutante em declarar guerra e supostamente comentou sobre o júbilo na Grã-Bretanha & quotthey estão tocando seus sinos, em breve eles estarão torcendo as mãos & quot.

Mais informações: Robert Jenkins (mestre marinheiro)

O incidente que deu nome à guerra ocorreu em 1731, quando o brigue britânico Rebecca foi abordado pela guarda costeira espanhola La Isabela, comandada por Julio Le & # x00f3n Fandi & # x00f1o. Após o embarque, Fandi & # x00f1o cortou a orelha esquerda do capitão da Rebecca, Robert Jenkins, que havia sido acusado de pirataria. Fandi & # x00f1o disse a Jenkins, & quotVá, e diga ao seu rei que farei o mesmo, se ele se atrever a fazer o mesmo. & Quot Em março de 1738, Jenkins recebeu ordem de comparecer ao Parlamento, presumivelmente para repetir sua história perante um comitê da Câmara de Commons. De acordo com alguns relatos, ele apresentou a orelha decepada quando compareceu, embora não exista nenhum registro detalhado da audiência. O incidente foi considerado juntamente com vários outros casos de "depredações espanholas sobre os assuntos britânicos" e foi percebido como um insulto à honra da nação e um claro casus belli.

Artigo principal: Batalha de Porto Bello

Após o testemunho de Jenkins e petições de outros mercadores das Índias Ocidentais, a oposição no Parlamento votou em 28 de março de 1738 para enviar o "Endereço de quotan" ao rei, pedindo a Sua Majestade que procurasse reparação na Espanha. Mais de um ano depois, esgotados todos os meios diplomáticos, em 10 de julho de 1739, o rei Jorge II autorizou o Conselho do Almirantado a buscar represálias marítimas contra a Espanha. Em 20 de julho, o vice-almirante Edward Vernon e um esquadrão de navios de guerra partiram da Inglaterra com destino às Índias Ocidentais para atacar navios espanhóis e "possessões". A própria declaração de guerra contra a Espanha não foi proclamada até sábado, 23 de outubro de 1739 (Estilo Antigo).

Uma das primeiras ações foi a captura britânica, em 22 de novembro de 1739, de Porto Bello, cidade exportadora de prata na costa do Panamá, na tentativa de prejudicar as finanças da Espanha e enfraquecer sua capacidade naval. O porto mal defendido foi atacado por seis navios de linha comandados pelo vice-almirante Edward Vernon, que o capturou em 24 horas. Os britânicos ocuparam a cidade por três semanas antes de se retirarem, tendo destruído suas fortificações, porto e armazéns. A batalha levou os espanhóis a mudarem suas práticas comerciais. Em vez de negociar em portos centralizados com algumas grandes frotas de tesouro, eles começaram a usar um número maior de comboios menores negociando em uma ampla variedade de portos. Eles também começaram a viajar ao redor do Cabo Horn para comercializar na costa oeste. [Carece de fontes?] A economia de Porto Bello foi severamente danificada e não se recuperou até a construção do Canal do Panamá, mais de um século depois.

Na Grã-Bretanha, a vitória foi saudada com muita celebração e, em 1740, em um jantar em homenagem a Vernon em Londres, a música & quotRule Britannia & quot foi apresentada em público pela primeira vez. Portobello Road, em Londres, leva o nome dessa vitória e mais medalhas foram concedidas do que em qualquer outro evento do século XVIII. A conquista de um porto no império americano da Espanha foi amplamente considerada uma conclusão precipitada por muitos Patriot Whigs e conservadores da oposição que pressionaram um relutante Walpole a lançar expedições navais maiores ao Golfo do México.

Mais informações: Viagem de George Anson ao redor do mundo

O sucesso da operação de Porto Bello levou os britânicos em setembro de 1740 a enviar um esquadrão sob o comando do Comodoro George Anson para atacar as possessões da Espanha no Pacífico. Antes mesmo de chegarem ao Pacífico, uma grande parte da expedição havia morrido de doença, e eles não estavam em condições de lançar qualquer tipo de ataque. [16] Anson reuniu sua força nas ilhas Juan Fern & # x00e1ndez, permitindo que se recuperassem antes que ele subisse a costa chilena, atacando a pequena cidade de Paita. No entanto, ele chegou a Acapulco tarde demais para interceptar o galeão anual de Manila, que tinha sido um dos principais objetivos da expedição. Ele recuou através do Pacífico, enfrentando uma tempestade que o forçou a atracar para reparos em Cantão. Depois disso, ele fez uma última tentativa de interceptar o galeão de Manila no ano seguinte. Ele fez isso em 20 de junho de 1743 ao largo do Cabo Espírito Santo, capturando mais de um milhão de moedas de ouro.

Anson então voltou para casa, finalmente voltando a Londres mais de três anos e meio depois de sua partida, tendo circunavegado o globo no processo. Menos de um décimo da força havia sobrevivido à expedição, mas as conquistas de Anson ajudaram a estabelecer seu nome e riqueza na Grã-Bretanha, levando à sua nomeação posterior como Primeiro Lorde do Almirantado.

Artigo principal: Cerco de Santo Agostinho

Em 1740, os habitantes da Geórgia lançaram um ataque terrestre a St. Augustine, na Flórida, apoiado por um bloqueio naval britânico, mas foram repelidos. As forças britânicas lideradas por James Oglethorpe, o governador da Geórgia, sitiaram Santo Agostinho por mais de um mês antes de recuar, abandonando sua artilharia no processo. O fracasso do bloqueio da Marinha Real em impedir que os suprimentos chegassem ao assentamento foi um fator crucial para o colapso do cerco. Oglethorpe então começou a preparar a Geórgia para um ataque espanhol antecipado.

Quando a guerra estourou em 1739, esperava-se tanto na Grã-Bretanha quanto na Espanha que a França se juntaria à guerra do lado espanhol. Isso desempenhou um grande papel nos cálculos táticos dos britânicos. Se os espanhóis e franceses operassem juntos, teriam uma superioridade de noventa navios de linha. Em 1740 houve um susto de invasão quando se acreditou que uma frota francesa em Brest e uma frota espanhola em Ferrol estavam prestes a se combinar e lançar uma tentativa de invasão na própria Grã-Bretanha. Embora este não tenha sido o caso, os britânicos mantiveram a maior parte de suas forças navais e terrestres no sul da Inglaterra para agir como um meio de dissuasão.

Muitos no governo britânico temiam lançar uma grande ofensiva contra os espanhóis, temendo que uma grande vitória britânica arrastasse a França para a guerra a fim de proteger o equilíbrio de poder.

Artigo principal: Batalha de Cartagena de Indias

A maior ação da guerra foi um grande ataque anfíbio lançado pelos britânicos sob o almirante Edward Vernon em março de 1741 contra Cartagena de Indias, um dos principais portos de comércio de ouro da Espanha em sua colônia de Nova Granada (hoje Colômbia). A expedição de Vernon foi prejudicada por uma organização ineficiente, sua rivalidade com o comandante de suas forças terrestres e os problemas logísticos de montar e manter uma grande expedição transatlântica. As fortes fortificações em Cartagena e a hábil estratégia do comandante espanhol Blas de Lezo foram decisivas para repelir o ataque, com pesadas perdas do lado britânico. Além do clima tropical desconhecido, os homens de Vernon sucumbiram em grande número a doenças tropicais virulentas, principalmente febre amarela.

A notícia da derrota em Cartagena foi um fator significativo na queda do primeiro-ministro britânico, Robert Walpole. Os pontos de vista anti-guerra de Walpole foram considerados pela Oposição como tendo contribuído para o seu fraco andamento do esforço de guerra. O novo governo de Lord Wilmington queria mudar o foco do esforço de guerra da Grã-Bretanha das Américas para o Mediterrâneo. A política espanhola, ditada por Elisabeth de Parma, também avançou no sentido de recuperar as possessões espanholas perdidas na Itália dos austríacos. Em 1742, uma grande frota britânica comandada por Nicholas Haddock foi enviada para tentar interceptar um exército espanhol que estava sendo transportado de Barcelona para a Itália, o que ele não conseguiu.

Ataques contra Cuba e Venezuela

Vários outros ataques britânicos ocorreram no Caribe, com poucas consequências para a situação geopolítica no Atlântico. As enfraquecidas forças britânicas comandadas por Vernon lançaram um ataque contra Cuba, pousando na Baía de Guant & # x00e1namo com um plano de marchar as quarenta e cinco milhas até Santiago de Cuba e capturar a cidade. Vernon novamente entrou em confronto com o comandante do exército, e a expedição retirou-se ao enfrentar uma oposição espanhola mais pesada do que o esperado. Vernon e sua frota permaneceram no Caribe até outubro de 1742, antes de voltarem para a Grã-Bretanha. No ano seguinte, uma força menor liderada por Charles Knowles fez incursões na costa venezuelana, atacando La Guaira em fevereiro de 1743 e Puerto Cabello em abril, embora nenhuma das operações fosse particularmente bem-sucedida.

Artigo principal: Invasão da Geórgia (1742)

Em 1742, os espanhóis lançaram uma tentativa de tomar a colônia britânica da Geórgia. Dois mil soldados sob o comando de Manuel de Montiano desembarcaram na Ilha de St Simons. O General Oglethorpe reuniu as forças locais e derrotou os regulares espanhóis em Bloody Marsh e Gully Hole Creek, forçando-os a se retirarem. Os confrontos de fronteira entre a Flórida e a Geórgia continuaram nos anos seguintes, mas não houve mais operações ofensivas no continente americano por nenhuma das nações.

Em meados de 1742, a Guerra da Sucessão Austríaca estourou na Europa. Lutada principalmente pela Prússia e pela Áustria pela posse da Silésia, a guerra logo engolfou a maioria das principais potências da Europa, que se juntaram a duas alianças concorrentes. A escala dessa nova guerra ofuscou qualquer luta nas Américas e chamou a atenção da Grã-Bretanha e da Espanha para as operações no continente europeu. O retorno da frota de Vernon em 1742 marcou o fim das principais operações ofensivas na Guerra da Orelha de Jenkins. Isso foi confirmado pela entrada da França na guerra em 1744. A França colocou sua ênfase na guerra na Europa e planejou uma invasão ambiciosa da Grã-Bretanha. Embora tenha falhado, persuadiu ainda mais os formuladores de políticas britânicas dos perigos de enviar forças significativas para as Américas, que poderiam ser necessárias em casa.

Embora uma expedição para tomar o assentamento estratégico francês de Louisbourg tenha sido lançada pelos habitantes da Nova Inglaterra em 1745, nenhum outro ataque foi tentado contra as possessões espanholas.

A guerra envolveu pirataria de ambos os lados. Anson capturou um valioso galeão de Manila, mas isso foi mais do que compensado pelos ataques corsários espanhóis na rota comercial triangular transatlântica britânica. Eles apreenderam centenas de navios britânicos, operando com virtual impunidade nas Índias Ocidentais e também atuavam em águas europeias. Os comboios espanhóis provaram ser quase imparáveis ​​e, portanto, durante a fase austríaca da guerra, os britânicos atacaram os navios mercantes franceses mal protegidos.

A partir de agosto de 1746, as negociações foram iniciadas na cidade neutra de Lisboa para tentar arranjar um acordo de paz. A morte de Filipe V da Espanha trouxe seu filho Fernando VI ao trono, e ele estava mais disposto a ser conciliário nas questões de comércio. No entanto, por causa de seus compromissos com seus aliados austríacos, os britânicos foram incapazes de concordar com as demandas espanholas de território na Itália e as negociações foram interrompidas.

A eventual resolução diplomática fez parte de um acordo mais amplo da Guerra da Sucessão Austríaca pelo Tratado de Aix-la-Chapelle. A questão do asiento não foi mencionada no tratado, e sua importância diminuiu para ambas as nações. A questão foi finalmente resolvida pelo Tratado de Madri de 1750, no qual a Grã-Bretanha concordou em renunciar à sua reivindicação ao asiento em troca de um pagamento de & # x00a3100.000 e permitiu o comércio britânico com a América espanhola em condições favoráveis.

As relações entre a Grã-Bretanha e a Espanha melhoraram dramaticamente nos anos subsequentes, graças a um esforço conjunto do duque de Newcastle para cultivar a Espanha como aliada e ao desejo do governo espanhol de não ser visto como um fantoche da França. Uma sucessão de ministros anglófilos foi nomeada na Espanha, incluindo Jos & # x00e9 de Carvajal e Ricardo Wall & # x2013, todos eles em boas relações com o embaixador britânico Benjamin Keene em um esforço para evitar uma repetição da Guerra da Orelha de Jenkins. Um dos resultados disso foi a decisão espanhola de permanecer neutro durante a primeira parte da Guerra dos Sete Anos.

A Guerra da Orelha de Jenkins é comemorada anualmente no último sábado de maio na Wormsloe Plantation em Savannah, Geórgia.


War of Jenkin's Ear, 1739-c.1743 - História

Por John Brown

Nos anos 1700, o império espanhol no Caribe era um monopólio comercial lucrativo dirigido de Madri, com Cádiz designado como o porto oficial para o comércio de e para a Espanha e suas colônias. Cádis também era o ponto de coleta dos deveres do rei em todo o comércio com as colônias do Novo Mundo. Os estrangeiros foram proibidos de negociar diretamente com as colônias espanholas. Qualquer navio estrangeiro encontrado negociando com eles era considerado contrabando e apreendido junto com sua carga. A proibição foi aplicada pela Guarda Costa, ou guarda costeira, uma flotilha de navios bem armados que podiam ultrapassar e disparar qualquer navio mercante carregado.
[text_ad]

Jenkins perde a orelha

Sob o Tratado de Utrecht em 1713, que encerrou a Guerra da Sucessão Espanhola, a Grã-Bretanha recebeu um asiento, ou direito de contrato, da Espanha. o asiento estava dividido em duas partes, o Asiento de Negros, que permitia à Grã-Bretanha o monopólio de fornecer 5.000 escravos a cada ano para as colônias espanholas, e o Navio de Permiso, que permitia que um único navio britânico levasse 500 toneladas de mercadorias para a feira comercial anual em Porto Bello. O governo britânico concedeu o monopólio de ambos os acordos à South Sea Company. Mas outros mercadores e banqueiros britânicos também queriam acesso aos lucrativos mercados espanhóis do Caribe, e os colonos espanhóis, por sua vez, desejavam produtos de fabricação britânica. O resultado foi um próspero mercado negro de mercadorias contrabandeadas entre comerciantes diligentes dos dois países.

Em um esforço para conter os contrabandistas britânicos, a Grã-Bretanha em 1729 concedeu à Espanha o direito de parar e revistar os navios britânicos em águas espanholas para garantir que os termos dos acordos estavam sendo respeitados. Mas o contrabando continuou, e os espanhóis continuaram a abordar e apreender navios britânicos e fazer prisioneiros suas tripulações, muitas vezes torturando-os para uma boa medida. Isso levou a uma onda de sentimento anti-espanhol na Grã-Bretanha.

Em abril de 1731, o navio da East India Company Rebecca, capitaneada por Robert Jenkins, estava em uma viagem da Jamaica a Londres quando foi acalmada ao largo de Havana, Cuba. Oficiais espanhóis do saveiro da guarda costeira Santo António, capitaneado por Julio Leon Fandino, embarcou e revistou o navio inglês. A carga foi considerada legal - era açúcar. Mesmo assim, os espanhóis tentaram fazer com que Jenkins revelasse qualquer contrabando ou objetos de valor que pudesse ter escondido no navio, içando-o três vezes pelo pescoço pelo pescoço e jogando-o na escotilha. Fandino então “segurou sua orelha esquerda e cortou-a com seu cutelo e outro guarda costeiro a agarrou e a arrancou”. Fandino supostamente devolveu a orelha a Jenkins, dizendo: “Vá e diga ao seu Rei George que farei o mesmo com ele se ele se atrever a fazer o mesmo que você”.

Que Jenkins perdeu uma orelha, provavelmente como relatado, era verdade, e sete anos depois, em março de 1738, ele exibiu sua orelha preservada quando foi chamado para comparecer na Câmara dos Comuns em Londres, relatando que sua orelha havia sido cortada pelos guardas costeiros espanhóis que embarcaram em seu navio, saquearam-no e o deixaram à deriva. Este e outros relatos de atrocidades espanholas aumentaram a febre da guerra que estava crescendo dentro da Grã-Bretanha, tanto no Parlamento quanto nas ruas. “Orelha de Jenkins” se tornou uma palavra de ordem, slogan e grito de guerra - uma atrocidade horrível que foi facilmente lembrada entre as muitas atrocidades cometidas pelos espanhóis contra os marinheiros mercantes britânicos no Caribe.

A polêmica disfarçou o fato de que os britânicos foram os principais infratores no lucrativo comércio ilícito com as colônias e na extração ilegal de madeira na costa de Honduras. Durante anos, os navios britânicos, principalmente a poderosa e privilegiada Companhia do Mar do Sul, realizaram um amplo comércio com as colônias espanholas ricas em prata, às vezes com a conivência de governadores e funcionários coloniais espanhóis corruptos, privando o rei da Espanha de seus direitos Deveres reais. Ao longo dos anos, os mercadores britânicos perderam muitos navios e cargas para a Guarda Costa, incluindo alguns navios que transportavam cargas legais.

A disputa de fronteira entre a Geórgia e a Flórida

Governador da Geórgia, James Oglethorpe.

Além do contrabando no Caribe, outra questão polêmica entre a Grã-Bretanha e a Espanha dizia respeito à disputa de fronteira entre a Geórgia, controlada pelos britânicos, e a Flórida espanhola. A resolução de ambas as questões foi agravada pela bravata patriótica, o clamor da opinião pública e a honra pessoal dos monarcas interessados, Jorge II da Inglaterra e Filipe V da Espanha.

Não havia resposta fácil para a questão da fronteira entre a colônia da Geórgia, fundada em 1732 por James Oglethorpe, e a Flórida de propriedade espanhola. Os limites de todas as colônias foram apenas esboçados e abertos à discussão. Depois de uma série de escaramuças e acusações mútuas, Oglethorpe e o governador espanhol de Santo Agostinho concordaram em manter a paz entre eles até que seus respectivos governos tomassem uma decisão definitiva sobre os limites. Enquanto esperavam, havia rumores de invasões de ambos os lados, aumentando a tensão entre as duas potências.

52 navios mercantes tomados e saqueados

Prosseguiram as negociações entre os dois governos para resolver o que constituía comércio legal e o que era contrabando e para avaliar a perda para a Grã-Bretanha com as depredações da Guarda Costa e a perda para a Espanha com o contrabando britânico. Reclamações e reconvenções datavam de muitos anos, eram demoradas para investigar e difíceis de provar. O ministro-chefe da Grã-Bretanha, Sir Robert Walpole, se dedicou a evitar a guerra. Alguns espanhóis também. Mas muitos políticos britânicos poderosos estavam perdendo a paciência com os espanhóis, incluindo o secretário de Estado do rei George, o duque de Newcastle.

Em agosto de 1737, mais dois navios britânicos foram abordados pela Guarda Costa perto de Havana. O único contrabando encontrado a bordo foram algumas toras de Honduras, mas os navios foram levados para Havana com as bandeiras a meio mastro e a bandeira britânica abaixada. Multidões de zombadores encontraram os tripulantes, que foram presos e supostamente mantidos como escravos. De volta à Grã-Bretanha, houve um grande clamor por causa do suposto insulto espanhol à bandeira e dos súditos britânicos tomados como escravos.

Os mercadores de Londres, incluindo a South Sea Company, elaboraram uma lista de 52 navios mercantes capturados ou saqueados pelos espanhóis no Caribe e afirmaram que havia muitos mais. A lista, embora suspeita, foi amplamente divulgada, aumentando o furor público contra os espanhóis. Em outubro, os mercadores apresentaram ao rei um abaixo-assinado pedindo o acionamento das alegadas depredações perpetradas pela Guarda Costa. O rei, por sua vez, exigiu uma forte resposta de seu governo, pois os episódios eram insultos pessoais. O governo permaneceu dividido sobre o que fazer.

“Insatisfação com Provocações e Lesões Repetidas”

Em 1738, o duque de Newcastle enviou à Espanha um pedido de um novo tratado estabelecendo regras para a busca adequada de navios mercantes e definindo exatamente o que constituía contrabando. Ao mesmo tempo, ele instruiu seu embaixador em Madrid a informar o governo espanhol da “insatisfação com repetidos ferimentos e provocações” nas Américas e no Caribe, acrescentando que “nada além de uma plena satisfação pelo que é passado e segurança de semelhantes abusos para o futuro podem acabar com a inquietação geral e o ressentimento. ”

As negociações se arrastaram até 1739, centrando-se nos números exatos das perdas de ambos os lados. Finalmente, após negociações prolongadas e muitos compromissos, foi decidido que a Espanha devia à coroa britânica 95.000 libras inglesas, enquanto a South Sea Company devia ao monarca espanhol 68.000 libras pelo não pagamento de impostos sobre escravos entregues às colônias espanholas sob um acordo prévio e por o comércio fraudulento da empresa com as colônias. Um novo acordo, a Convenção do Pardo, foi elaborado e enviado aos respectivos governos para ratificação.

Quando a convenção foi apresentada ao Parlamento britânico para debate, foi recebida com muitos argumentos e oposição. A South Sea Company negou imediatamente que devia 68.000 libras à coroa espanhola e recusou-se a pagar. Foi decidido que tudo relacionado à empresa deveria ser retirado da convenção e visto como um assunto separado. Quando os termos da convenção chegaram às ruas de Londres e Madrid, eles causaram mais um alvoroço popular.

Em Londres, o debate sobre a convenção se arrastou até o final de maio, oscilando de um lado para o outro à medida que indivíduos poderosos, grupos de interesse e lobistas acrescentavam seus argumentos. Em seguida, o governo britânico foi informado pela Espanha de que, uma vez que a frota do contra-almirante Nicholas Haddock estava operando no Mediterrâneo, o rei Filipe não pagaria as 95.000 libras que devia à Grã-Bretanha. Essa recusa de pagar efetivamente encerrou as discussões entre as duas nações.

Guerra começa

Almirante Edward “Old Grog” Vernon,

Na imprensa britânica e entre o povo, a opinião voltou-se para a guerra e como ela deveria ser conduzida. O gabinete do rei enviou ordens secretas a Haddock, dizendo-lhe que assim que as hostilidades começassem, ele deveria bloquear Cádiz e "cometer todos os tipos de hostilidades no mar". Ele recebeu ordens de interceptar e capturar dois navios do tesouro espanhóis que navegavam do Caribe para Cádiz.

O almirante Edward “Old Grog” Vernon, comandante naval britânico no Caribe, também foi alertado para tomar cuidado com os dois navios de tesouro. Sua captura, pensava-se, compensaria a Grã-Bretanha pelos custos das negociações e os preparativos para a guerra, com sobra suficiente para cobrir as reivindicações dos mercadores contra a Espanha. No entanto, em agosto os navios do tesouro, tendo sido avisados ​​de que navios de guerra britânicos os aguardavam perto de Cádiz, mudaram o curso para Santander, onde descarregaram com sucesso uma carga de 7 milhões de libras.

A perda do tesouro encorajou os fomentadores da guerra no Parlamento e no gabinete a gritar ainda mais alto, abafando Walpole e seus seguidores, que ainda tentavam reviver a Convenção do Prado na esperança de evitar uma guerra total. Mas o rei George, como ele mesmo disse, decidiu “buscar medidas hostis para fazer justiça a si mesmo e à nação”, e Newcastle, contornando Walpole, redigiu uma declaração de guerra. Um estado de hostilidades com a Espanha foi declarado em 23 de outubro de 1739.

Vitória no Porto Bell: & # 8220Rule Britannia & # 8221

Spanish trade in the Caribbean flowed through four main ports: Vera Cruz in present-day Mexico Cartagena de Indias in the colony of New Granada, now Colombia Porto Bello in Panama and the main port through which all the trade came, Havana. The British war plan was to capture Havana first, since only the Cuban capital had the necessary facilities to build, repair and refit ships that were essential to keeping a fleet operating in the Caribbean.

Porto Bello was a silver-exporting town and naval base on the coast of Panama. Following the failure of a British naval force to take it in 1727, an action in which Vernon had taken part, the admiral had repeatedly claimed that he could capture Porto Bello with just six ships despite criticism that the number was far too few. Vernon was an advocate of small squadrons hitting hard and moving fast, rather than larger, slower moving expeditions that were prone to heavy losses through disease and natural attrition.

British ships provide covering fire at Porto Bello while marines in rowboats head to shore. The victory took the British just a day to accomplish, but they occupied the town for three destructive weeks.

In command of the Jamaica station, Vernon organized an expedition of six ships of the line and sailed for Porto Bello, arriving off the port on November 20. Porto Bello’s defenses were weak, and Vernon besieged them for just a day before the Spanish garrison surrendered. Vernon’s force then occupied the town for three weeks, destroying the fortress, the port, warehouses, and other key buildings—in essence, ending the settlement’s function as a maritime base and severely damaging its economy.

In Great Britain, the victory at Porto Bello was greeted with jubilation, and in 1740, at a dinner in London in honor of Vernon, the song “Rule Britannia” was performed in public for the first time. The name Porto Bello was frequently used to commemorate the battle, as in Portobello Road in London and Porto Bello, Virginia. Vernon was promoted to full admiral, and his name was remembered in many ways, including Mount Vernon, the future estate of George Washington. The destruction of Porto Bello forced the Spanish to change their trading practices. Rather than trading at centralized ports and using a few large treasure ships, they began using a larger number of smaller ships in convoy, trading at a wide variety of ports.

The British Caribbean Expedition

In January 1740, Georgia Governor James Oglethorpe marched into Florida with Georgia and Carolina troops. They captured two Spanish forts, San Francisco de Pupo and Picolata, on the San Juan River and besieged St. Augustine for several weeks before returning to Georgia.

Meanwhile, preparations to mount a large-scale British expedition to the Caribbean were very slow. The expedition was to be commanded by General Lord Cathcart and escorted by 25 warships under the command of Admiral Sir Chaloner Ogle. The cabinet did not specify the local objectives of the expedition, which were left to the judgment of the field commanders, but the overall objective was the gold and silver of the Indies.

That August, 6,000 soldiers embarked in troop transports and sailed off, eventually straggling into the Caribbean to rendezvous in Jamaica a few days before Christmas. Cathcart had died along the way Brig. Gen. Thomas Wentworth, who had no previous combat command experience, replaced him. Diseases such as typhus, scurvy, and dysentery claimed many casualties among the soldiers and sailors. By January 1741, the land forces had suffered 500 dead and 1,500 sick. In Jamaica, 300 African slaves, called Macheteros, were added to the expedition as a work battalion.

Jealousies and arguments over the expedition’s main goals arose among the field commanders and further slowed the progress of the campaign. Vernon’s view prevailed, that Cartagena de Indias, principal gold trading port and naval base in the colony of New Granada, should be the first target. Havana, Vernon believed, was too well defended to attack.

Capturing the Manila Galleon

In September 1741, Commodore George Anson set sail from England with six warships and two supply ships for Cape Horn and the Pacific. His crews were old and sick and his marines raw and untrained, Anson complained. They could not even be trusted to fire their weapons. Many died of disease before reaching the Pacific, and many more were sick and in no condition to launch any sort of attack, so Anson reassembled his ships in the Juan Fernandez Islands to allow the crews and marines to recuperate.

In June 1743, English Commodore George Anson intercepted the Spanish treasure ship Nuestra Señora de Covadonga, bound from Manila with riches valued at more than 800,000 English pounds.

Anson’s orders were to attack the Spanish along the Pacific coasts of South and North America. In particular, he was directed to capture the Spanish treasure galleon that sailed each year from Manila to Acapulco. After resting his men, Anson moved up the coast of Chile, raiding the small town of Paita but reached Acapulco too late to intercept the Manila galleon. He retreated across the Pacific and ran into a violent storm that forced him to dock for repairs in Canton.

The following year Anson made another attempt to intercept the Manila galleon. On June 20, 1743, although greatly outmanned and outgunned, he captured the galleon off Cape Espiritu Santo. It was filled with treasure and gold coins to the value of more than 800,000 English pounds.

Anson sailed for home, arriving in London in June 1744, more than three and a half years after he had set out, having circumnavigated the globe. Only one of his ships, Centurion, and less than a tenth of his men survived the expedition. Nevertheless, Anson’s achievements led to his appointment as First Lord of the Admiralty.

The Battle of Cartagena de Indias

Adm. Blas de Lezo.

In the meantime, Vernon’s plans for the assault on Cartagena de Indias were hampered by inefficient organization, rivalry with the commander of the land forces, and the logistical problems of mounting and maintaining a major transatlantic expedition. To make matters more difficult, Cartagena’s fortifications were strong and the Spanish commander, Admiral Blas de Lezo, was a skilled and experienced strategist.

Vernon’s expedition arrived off Cartegena on March 4, 1741. Wentworth commanded the land forces, and Vernon commanded the sea forces. Some 3,600 American colonial marines already had been transported from New York to Jamaica, landing there in December 1740 under the command of Colonel William Gooch. The Americans joined the expedition for the attack on Cartagena. By this time, the Navy had lost so many sailors from epidemics that one-third of the land force was needed to fill out the crews.

Cartagena, a rich city of over 10,000 people, was strongly defended under the able command of Lezo and the Viceroy of New Granada, Sebastian de Eslava. It was fronted on one side by the ocean, but the shore and surf were so rough that they precluded any attempt to approach the city from the sea. Access to the city was through two channels, Boca Grande, which was too shallow for ocean-going ships, and Boca Chica, the only deep-draft passage into the harbor. The passage ran between two narrow peninsulas and was defended on one side by Fort San Luis, with four bastions having 49 cannons, three mortars, and a garrison of 300 soldiers. A boom stretched from the island of La Bomba to the southern peninsula on which was located Fort San Jose with 13 cannon and 150 soldiers. Also in support were six Spanish ships of the line.

The British bombarded the forts for a week then landed 300 grenadiers and artillery near the Boca Chica channel. The Spanish defenders of two small, nearby forts were driven off by three ships of Chaloner Ogle’s fleet, which suffered 120 killed and wounded. The ships were also damaged by cannon fire from Fort San Luis.

The grenadiers were followed ashore on March 22 by the whole of the British land forces—two regular army regiments and six regiments of marines. Only 300 Americans went ashore most of the American troops had been dispersed to serve aboard ships of the line, replacing Vernon’s lost sailors. After the army made camp, the Americans and Macheteros constructed a battery, and its 24-pounder guns began battering Fort San Luis. A squadron of five ships attempted for two days to batter the fort into submission but made no progress, sustaining more casualties. Three of the ships were heavily damaged and disabled.

British artillery, firing night and day for three days, finally made a breach in the main fort. Some British ships engaged the Spanish ships, two of which were scuttled and the other set on fire and captured. The two scuttled ships partially blocked the channel. On April 5, the British attacked Fort San Luis by land and sea, with infantry advancing on the main fort while the Spanish garrison retreated to inner fortifications. The following week the British entered the harbor at Boca Chica, losing an additional 120 killed and wounded while a staggering 250 died from yellow fever and malaria and 600 more were hospitalized.

Assault on Fort Lezaro

With the capture of Fort San Luis and other outlying fortifications, the fleet passed through the Boca Chica channel into the harbor at Cartagena. Again the Spanish withdrew, concentrating their forces at Fort San Lazaro and inside the city proper. Vernon goaded Wentworth into an ill-considered, badly planned assault on the fort, an outlying strongpoint of Cartagena. Vernon’s ships cleared the beach with cannon fire, and Wentworth landed at Texar de Gracias.

Perfectly aligned English ranks surround Cartagena in this fanciful engraving from the period.

After the British occupied the inner harbor and captured some outlying forts, Lezo strengthened the last main bastion of Fort Lezaro by digging a trench around it and clearing a field of fire on the approach. Lezo defended the trench with some 650 soldiers, garrisoned the fort with another 300, and held a reserve of 200 marines and sailors. The British advanced from the beach, and after a short fight the Spanish gave way.

The only British engineer with the expedition had been killed at Fort San Luis, leaving no one who could construct a battery to breach the city walls, so the British decided to storm the fort in a night attack on the walls. Such an attack would enable them to assault the northern side of the fort facing Cartagena, since the guns inside the city would not be able to give supporting fire. The southern side had the lowest and most vulnerable walls, and the grenadiers hoped to quickly storm and carry the parapets.

18,000 British Casualties

The attack started late, and the initial advance on the fort was not made until nearly dawn on April 20, by 50 picked men followed by 450 grenadiers commanded by Colonel John Wynyard. They were followed by the main body of 1,000 men of the 15th and 24th Regiments commanded by Colonel James Grant, together with a mixed company from the 34th and 36th Regiments and some unarmed Americans carrying scaling ladders for the fort’s walls and wool packs to fill in the trench. Last came a reserve of 500 marines commanded by Colonel Edward Wolfe.

The column was guided by two Spanish deserters who purposely misled the column from the southern, low-walled side. Wynyard was led to a steep approach, and as the grenadiers scrambled up the slope they were hit by a volley of musket fire 30 yards from the entrenched Spaniards. The grenadiers deployed into line and advanced slowly, firing as they moved. On the north face, Grant was killed and the leaderless troops traded desultory fire with the Spanish. Most of the Americans dropped the ladders they were carrying and took cover, and the ladders that had been brought forward were found to be too short for the troops to scale the wall.

The sun rose, and the guns of Cartagena opened fire on the British. Casualties mounted, and at 8 o’clock a column of Spanish infantry coming from the city threatened to cut off the British attackers from their ships. Wentworth, realizing that the assault had failed, ordered a retreat. The British lost 600 men out of a force of 2,000, with sickness and disease increasing the casualty figure. Wentworth’s land forces were reduced from 6,500 effectives to 3,200 in the period surrounding the attack of Fort San Lazaro.

Cartagena’s strong fortifications and the skill of the Spanish commander, Lezo, were decisive in repelling the attack. Given the overwhelming British force, Lezo planned to conduct a fighting withdrawal that would delay them until the start of the rainy season at the end of April, when tropical downpours would halt campaigning for two months. The longer the British remained crowded on their ships at sea or in the open on land, hunger and disease would claim many more casualties. Lezo was helped by the contempt that Vernon and Wentworth felt for each other, which prevented their cooperation throughout the expedition.

In the end, the fight for Cartagena lasted 67 days and ended with the British fleet withdrawing in ignominious defeat, with 18,000 dead or incapacitated by disease. The British lost a total of 50 ships another 19 ships of the line were damaged, and four frigates and 27 transports were lost. Of the 3,600 American colonists who had volunteered, lured by promises of land and mountains of gold, most died of yellow fever, dysentery, or starvation. Only 300 returned home, including George Washington’s older brother Lawrence, who renamed his Virginia plantation Mount Vernon after the admiral.

In the early days of the expedition, when the Spanish were retreating, Vernon sent an ill-advised message to King George informing him of a forthcoming victory. Eleven different commemorative medals were minted in London to celebrate the victory. After news of the defeat reached London, all the medals were removed from circulation and the king forbade the news from being disclosed. Following the defeat, Walpole’s government collapsed.

From Jenkins’ Ear to the Austrian Succession

The British undertook several other attacks in the Caribbean with little better success. In July, Vernon launched an invasion of Cuba, but he refused to land troops any closer to Santiago, the first objective, than Guantanamo Bay. The landing proved to be too far away and the invasion was aborted.

In January 1742, 3,000 troops arrived from England to replace the losses at Cartagena. Meanwhile, the Spanish attempted to seize the British colony of Georgia. Some 2,000 troops landed on St. Simon’s Island, but James Oglethorpe and local forces defeated the invaders at Bloody Marsh and Gully Hole Creek and forced them to withdraw. Border clashes between Florida and Georgia continued for several years, but there were no further major operations on the American mainland by either nation.

Spanish troops retreat after the Battle of Bloody Marsh in the face of Georgia and Carolina territorial forces commanded by James Oglethorpe.

The Caribbean campaign ended in May 1742. By then, a majority of the British force had died from combat or sickness. Vernon and Wentworth were recalled to England in September, and Ogle took command of a fleet that had less than half its sailors fit for duty. By then the odd little War of Jenkins’ Ear had merged into the much larger War of the Austrian Succession, a dispute over the succession to the Austrian throne that grew to involve all the main European nations and their forces overseas. Captain Jenkins and his missing appendage were forgotten in the ongoing rush of events.


The Anglo Spanish War of Jenkins’ Ear, a curious matter!

George Anson’s capture of a Manila galleon by Samuel Scott.

One of the more curious and lesser known chapters in the history of conflicts between Spain and England was the strangely named ‘War of Jenkins’ Ear’ that took place between 1739 and 1748.

The title of the war relates to an incident in 1731 when the British merchant vessel Rebecca was boarded by the Spanish coastguard – during which Captain Robert Jenkins had his ear sliced off by a belligerent Spanish coast guard captain called Julio Leon Fandino.

Under the Treaty of Utrecht an agreement had been reached for a thirty year asiento (contract) allowing the British to import up to 500 tons of goods a year into the Spanish colonies and also to trade an unlimited number of slaves. It was Julio Leon Fandino’s boarding of the British vessel to check on the cargo and his belief that Jenkins was smuggling goods above the agreed quota that led to the removal of the captain’s ear.

The Spanish captain accused Captain Jenkins of piracy on the high seas and, returning the severed organ to Jenkins, informed him to “go and tell your king that I will do the same to him, if he dares do the same!”

Relations between the Spain and Britain steadily worsened over the next few years and the British made frequent incursions into the Spanish colonies in the Caribbean and the isthmus of Central America.

In due course, the ear-challenged Captain Jenkins was asked to appear before a committee of the House of Commons. Reputedly, he waved a bottle containing the pickled, shrivelled and fossilised appendage at the assembled, furious members of Parliament.

Jenkin’s parliamentary appearance in March 1738 together with other incidents, were considered sufficient to give ‘casus belli’ or a justifiable cause for war against Spain. Having said that, the British had recently attacked the Spanish silver exporting town of Porto Bello in Panama with six Men of War and stayed in occupation for over six weeks causing ever greater tension to mount between the two countries.

In fact, it was the British public’s approval of the occupation in Panama that led to the naming of Portobello Road in London and also the small village (now a suburb) of Portobello near Edinburgh on the River Forth. It was also at this time that anti-Spanish, bellicose public sentiment was inflamed with the first singing of the song Rule Britannia at a dinner to honour the Commodore of the successful British squadron, Admiral Vernon.

The War of Jenkins’ Ear between Britain and Spain continued over the next few years, with skirmishes by the British in 1741 and 1742 into the Spanish colonies of New Granada (nowadays Colombia), Cuba and Venezuela. The Spanish retaliated by unsuccessfully attacking the British colony of Georgia on the American mainland in 1742.

Eventually hostilities between Great Britain and Spain where overtaken by the wider pan European war of Austrian Succession, which polarised the major countries of Europe into two competing alliances. Although still at war with Spain, Britain’s main focus became France and the threat of invasion of southern England.

The war of Austrian Succession finally came to an end in 1748 with The Treaty of Aix-la-Chapelle. Two years later in 1750 the Treaty of Madrid between Britain and Spain bought the start of much improved diplomatic reactions between the two countries. Indeed, Britain wished to cultivate Spain as an ally and Spain wished not to be seen as a puppet of France. As a result of the Treaty, Britain once again traded with the Spanish colonies and in the Seven Years War of 1754-1763 (mainly between Britain and France) Spain was a neutral country.

Well, he continued his career as a sailor and was, for a brief time, in charge of the island of St. Helena in the South Atlantic although as for his ear – history fails to record what happened to it…

Iain Henderson

Iain lives in Spain, was a professional soldier and is a businessman who has lived in many different parts of the world. Seu lovely villa in Valencia, Spain is available for rent during the summer months.

FURTHER ARTICLES ON THE HISTORY OF SPAIN

BIG BANG – The birth of modern Spain and the astonishing rise of Spain as it was united and became the greatest power in Europe helped, of course, by its merciless conquistadors.

WHAT DID THE MOORS DO FOR US? – The Moors entered Spain in 711 and left (reluctantly) hundreds of later. Although they are much reviled now, in fact they contributed an amazing amount to both Spain and Europe.

THE BORGIAS – Few families in the world have been as notorious as the Borgias with Lucrezia Borgia and Caesar Borgia famous worldwide. Were they really as bad that portrayed?

ALL THE KING’S MEN – Politics in Spain and the thrilling story of the death of General Franco, the development of democracy in Spain and the deadly Tejero crisis.

EL CID – genuine Spanish hero and extraordinary soldier, who never lost a battle!


BIBLIOGRAFIA

Richmond, Herbert. Statesmen and Sea Power. Oxford, U.K.: Oxford University Press, 1946.

Roberts, Penfield. Quest for Security, 1715–1740. New York: Harper and Row, 1947.

Speck, W. A. Stability and Strife: England, 1714–1760. Cambridge, Mass.: Harvard University Press, 1977.

Williams, Basil. The Whig Supremacy, 1714–1760. 2d ed. Revised by C. H. Stuart. Vol. 11, Oxford History of England. Oxford: Clarendon Press, 1962.


To highlight this year’s Georgia History Festival theme, “A Legacy of Leadership,” November’s #MarkerMondays explore Georgia’s military history.

SEDE DE SAVANNAH

104 W. Gaston Street
Savannah, GA 31401
Tel 912.651.2125 | Fax 912.651.2831
Ligação gratuita 877.424.4789

501 Whitaker Street
Savannah, GA 31401
Tel 912.651.2125 | Fax 912.651.2831
Ligação gratuita 877.424.4789

Atlanta Office

One Baltimore Place NW, Suite G300
Atlanta, GA 30308
Tel 404.382.5410

Escritório: de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h30

Centro de Pesquisa (Savannah):
Fechado temporariamente para reforma.
Recursos de arquivamento digital GHS disponíveis em Georgiahistory.com/research.


A Georgia Historical Society recebeu sua décima primeira classificação consecutiva de 4 estrelas do Charity Navigator, o maior avaliador de caridade na América, por uma gestão fiscal sólida e compromisso com a responsabilidade e transparência, uma distinção que coloca a Sociedade entre uma elite de 1% dos não organizações lucrativas na América.


Birthdays in History

Ethan Allen

Jan 10 Ethan Allen, American Revolutionary War patriot (lead the Green Mountain Boys), born in Litchfield, Connecticut (d. 1789)

    Benjamin Tupper, Continental Army officer, and pioneer to the Ohio Country (d. 1792) Cesare Beccaria, Italian criminologist and politician, born in Milan (d. 1794)

William Cavendish-Bentinck

Apr 14 William Cavendish-Bentinck, British 3rd Duke of Portland, Whig Prime Minister of the United Kingdom (1783, 1807-09), born in Nottinghamshire, (d. 1809)

Kamehameha I

May 1 Kamehameha I, King of Hawaii (1782-1819), born in Kohala, Hawaii (d. 1819)

    Mikhail Kamensky, Russian field marshal, born in Russian Empire (d. 1809) John Wolcot, English satirist (Peter Pindar), baptized in Dodbrooke, Kingsbridge, Devon (d. 1819) Nathaniel Gorham, American politician (6th President of the Confederation Congress), born in Charlestown, Massachusetts (d. 1796) Joseph-Ignace Guillotin, French physician and freemason who proposed and became the namesake of the guillotine, born in Saintes, France (d.1814)

George III

Jun 4 George III, King of Great Britain (1760-1820), born in London, England

    Mary Katharine Goddard, American printer and publisher (d. 1816) Jacques Delille, French poet and translator (d. 1813) John Singleton Copley, American painter of portraits and historical objects, born in Boston, Massachusetts (d. 1815) Albert Casimir, Duke of Teschen and Governor of the Austrian Netherlands, born in Moritzburg, Electorate of Saxony (d. 1822) Elizabeth "Betje" Wolff-Bekker, Dutch author and poet (Sara Burgerhart), born in Flushing, Netherlands (d. 1804) Jacques François Dugommier, French general, born in Trois-Rivières, Guadeloupe, France (d. 1794) Dionysius Godefridus van der Keessel, Dutch jurist (Theses Selectae, Select Theses on the Laws of Holland and Zeeland), born in Deventer, Overijssel (d. 1816) Nicholas Van Dyke, American lawyer and President of Delaware, born in New Castle County, Delaware (d. 1789) Archduchess Maria Anna of Austria, second child of Francis I Holy Roman Emperor, born in Vienna, Austria (d. 1789) Benjamin West, Anglo-American painter (Death of General Wolfe), born in Springfield, Province of Pennsylvania (d. 1820)

Arthur Phillip

Oct 11 Arthur Phillip, British admiral, 1st Governor of New South Wales (1788-92), born in Cheapside, London (d. 1814)

William Herschel

Nov 15 William Herschel, German-British astronomer (discovered Uranus), born in Hanover, Brunswick-Lüneburg, Holy Roman Empire (d. 1822)

    Richard Montgomery, Irish General in Continental Army during American Revolutionary War, born in Swords, Dublin (d. 1775) Thomas Nelson, merchant, signer of Declaration of Independence

Charles Cornwallis

Dec 31 Charles Cornwallis, 1st Marquess Cornwallis, British general and colonial administrator (leading British general in the American War of Independence), born in London (d. 1805)


Early exploration and establishment of colonies. Observe the trajectory of Spanish exploration in the Southeast versus English exploration along the Atlantic seaboard. Note the conflict in territorial interests beginning in 1586. While the Spaniards were expending efforts on creating Indian missions, the English of Virginia were rapidly expanding into commercial export of tobacco. By 1670 the Spaniards were entrenching behind defenses and encouraging slaves to runaway from their English masters, while English settlers retaliated with attacks on St. Augustine and the mission system. How did this rivalry between colonists and empires affect the region? Look at the dates around the War of Jenkin's Ear (1739-1742). What's the relationship between the founding of Gracia Real de Santa Teresa de Mose, the Stono slave revolt in Carolina, and Oglethorpe's attack on Spanish Florida? Can you relate this to issues about the American Civil War?


A detail of Francis Drake's attack on the town of St. Augustine in 1586.
A cross from an early mission site. Detail from Thomas Lopez's map of St. Augustine showing the free black community of Fort Mose (far right).


Assista o vídeo: The War of Jenkins Ear and King Georges War, 1739 - 1748 (Novembro 2021).