Podcasts de história

8 de novembro de 1939

8 de novembro de 1939

8 de novembro de 1939

Novembro

1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930
> Dezembro

Alemanha

É feita uma tentativa de assassinar Hitler durante seu discurso em comemoração ao golpe na cervejaria. A bomba detona depois que Hitler saiu.

Frente Ocidental

Três pequenos ataques alemães repelidos



Eventos importantes deste dia na história, 8 de novembro

Um debate foi iniciado na Cidade do Vaticano, uma cidade-estado independente localizada nos arredores de Roma, Itália. O iniciador desse conflito verbal foi Joseph Frings, um cardeal alemão de Colônia (a quarta maior cidade da Alemanha). Frings falou sobre o assunto dos Procedimentos da Congregação para o Santo Ofício durante uma reunião formal do conselho. Ele acreditava que os procedimentos desta igreja eram injustos. Após a revelação das injustiças de Frings, um estrondo de aplausos proibidos ecoou por todo o local da reunião. Normalmente, bater palmas e gritar não eram permitidos durante as reuniões do conselho do Santo Ofício. No entanto, este foi um dia muito progressivo - já que algumas coisas precisavam ser mudadas neste momento.

2003: A tributação de cigarros nativos para não nativos estava programada para ocorrer em breve no estado de Nova York. No entanto, um anúncio impresso foi feito neste dia de 2003 sobre o atraso desta decisão, conforme discutido no dia anterior. Esse atraso na cobrança da mudança tributária foi iniciado pelo governo do governador George E. Pataki. No entanto, este órgão de governo parecia sério sobre a implementação dessa legislação estadual de cobrança de impostos a partir de 1º de março de 2004.

O Walmart expande seus supercentros no Canadá, abrindo os três primeiros em Ancaster, Londres e Stouffville, Ontário.

A "Guerra da Banana" terminou vinte anos depois que a União Européia e dez países latino-americanos chegaram a um acordo que encerraria oito casos diferentes da OMC. As divergências eram sobre as tarifas aplicadas às bananas latino-americanas que os países latino-americanos acreditavam favorecer as ex-colônias europeias.

8 de novembro de 2013: O prefeito de Santa Ana Maya, Ygnacio Lopez Mendoza, foi encontrado morto em seu carro depois que as autoridades informaram que cartéis de drogas locais o estavam ameaçando. Ele havia se manifestado contra um cartel na área e havia feito uma greve de fome. O presidente do México, Felipe Calderon, pediu uma investigação completa sobre sua morte.


POD: Hitler é assassinado (8 de novembro de 1939)

Em 8 de novembro de 1939, havia menos neblina sobre Berlim do que em nossa linha do tempo. Isso permitiu que Hitler fizesse seu discurso no Beer Hall Putsch conforme programado, porque o aeroporto de Munique ainda estaria aberto mais tarde. Ele é morto no meio de uma frase junto com outros 23 nazistas quando uma bomba-relógio lançada por Georg Elser explode às 21h20. Em 9 de novembro, Hermann Goering torna-se Fuhrer de acordo com os planos de sucessão delineados por Hitler para o Reichstag em 1 de setembro. [1]

Goering relacionou o assassinato de Hitler ao Reino Unido após a captura de dois agentes do SIS durante o Incidente de Venlo no dia de sua ascensão. Os nazistas ficaram indignados e muitos oficiais de alto escalão pediram a invasão imediata da Europa Ocidental. Goering queria provar sua lealdade ao partido ao mesmo tempo em que demonstrava que era um líder eficaz, por isso cedeu às exigências deles. Devido ao efeito borboleta, o Incidente Mechelen nunca ocorreu e, portanto, em 15 de janeiro de 1940, os militares alemães invadiram a Bélgica, Luxemburgo e Holanda. Luxemburgo foi rapidamente ocupado, mas o terrível inverno retardou a ofensiva alemã na Bélgica e na Holanda. No entanto, uma ocupação nazista completa dos Países Baixos foi alcançada em 21 de fevereiro, quando eles cercaram a França e começaram a Batalha da Grã-Bretanha. Enquanto isso, a Dinamarca em apenas dois dias (22 de fevereiro a 23 de fevereiro) foi conquistada.

O início do bombardeio na Grã-Bretanha provocou um intenso debate no Parlamento que resultou na deposição de Chamberlain e na condição de Winston Churchill como o novo primeiro-ministro em 29 de fevereiro. Churchill pediu a invasão da Noruega para obstruir o embarque de minério de ferro da Suécia (Plano R 4), enquanto assegurava uma base no Atlântico longe da Alemanha na Islândia. A invasão de terra dos Aliados da Noruega foi assim realizada em 9 de março, simultaneamente com a invasão da Islândia. Os governos nórdico e islandês ficaram inicialmente indignados, mas a Grã-Bretanha os acalmou prometendo que a ocupação terminaria depois que a ameaça nazista alemã fosse reprimida, que os assuntos internos não seriam interferidos e que a compensação por quaisquer danos seria fornecida se a Noruega ou a Islândia deviam ser invadidos pela Alemanha. Nessas condições, a Noruega e a Islândia de fato consentiram com sua ocupação.

Enquanto isso, a Batalha da Grã-Bretanha estava indo mal para a Luftwaffe, que já havia sofrido pesadas causalidades na invasão de inverno dos Países Baixos e da França. No entanto, após a batalha decisiva da França em 17 de abril, o Segundo Armistício em Compiègne foi assinado entre a Alemanha e a França, que criou o estado nominalmente independente da França de Vichy no sul e designou o território norte e oeste para ser ocupado pela Alemanha. A Itália nunca se tornou um beligerante porque seus exércitos não estavam preparados quando a Alemanha lançou suas invasões, e o Rei Victor Emmanuel III não estava seguro sobre a capacidade da Alemanha de vencer a guerra logo após a Batalha da Grã-Bretanha.

À luz do Pacto Anti-Comintern sendo anulado pelo Pacto Molotov-Ribbentrop, Goering foi capaz de reconsiderar a tentativa de aliança da Alemanha com o Japão. Goering acabou levando o governo nazista a reacender sua aliança com a China nacionalista em vez do Japão imperialista, porque acreditava que o Japão era um “Extremo Oriente da Itália” - indigno de confiança e sujeito a trocar de lado no meio da guerra. Goering sustentava que a China seria uma potência poderosa e que a amizade alemã com ela era valiosa. [2] Os nazistas, portanto, forneceram treinamento extensivo e equipamento para as infantaria do Kuomintang (KMT), que o governo japonês, especialmente Yosuke Matsuoka Ministro de Relações Exteriores, considerou uma traição massiva.

Para evitar o isolamento geopolítico, Mamoru Shigemitsu (o embaixador japonês no Reino Unido) começou a conversar com Robert Craigie (o embaixador britânico no Japão) com aberturas de uma aliança. Craigie expressou preocupação com o Incidente de Tientsin, onde uma guerra entre os dois impérios parecia inevitável. Shigemitsu sustentava que o Japão tinha um inimigo comum com a Grã-Bretanha na Alemanha nazista e que eles apoiariam prontamente o esforço de guerra britânico no lugar dos Estados Unidos. Craigie prometeu apoio mútuo em troca, já que o governo nacionalista chinês era desvantajoso para o Reino Unido porque poderia definir suas próprias tarifas sem a influência britânica, entre outras coisas, mas ainda estava preocupado que a Grã-Bretanha fosse arrastada para uma guerra com os Estados Unidos se aliado ao Japão. Kichisaburo Nomura, ministro das Relações Exteriores do Japão, também desejava evitar uma guerra com os Estados Unidos e abriu negociações com eles por meio de Joseph Grew (embaixador dos Estados Unidos no Japão).

Joseph Grew acreditava que o Senado dos Estados Unidos não aprovaria um tratado com o Japão devido às atrocidades cometidas na Segunda Guerra Sino-Japonesa, que foi a causa dos "embargos morais" aprovados desde 1938. Nomura então solicitou a ratificação de seu governo nativo a Convenção de Genebra para amenizar o medo do público americano de novos crimes de guerra e para garantir a aliança. Isso foi realizado por parte da Dieta e, em 11 de fevereiro de 1940, o Segundo Tratado de Aliança Anglo-Japonesa foi ratificado pelo Japão, Reino Unido e Estados Unidos. A Segunda Aliança Anglo-Japonesa garantiu o apoio do Reino Unido pelo Japão e do Japão pelo Reino Unido, a menos que qualquer uma das potências estivesse engajada em uma guerra de agressão contra os Estados Unidos. A consequência imediata dessa aliança foi a concessão de muitos vistos para judeus em território nazista ocupado para o Japão, principalmente em Kobe e Xangai.

Com maciça ajuda financeira e militar do Reino Unido, o Japão foi capaz de derrotar o Exército Nacional Revolucionário na Batalha de Zayoi em 14 de junho de 1940, e de lá eles atacaram a capital provisória da República da China na Batalha de Chongqin (agosto 3 de 1940), e continuou na Batalha de Changsha (setembro-novembro de 1940), bem como na Batalha de Guangxi do Sul (29 de outubro de 1940). Tudo isso se acumulou na rendição do Exército Nacional Revolucionário e na dissolução do KMT.

A Ofensiva dos Cem Regimes foi igualmente reduzida, com o Exército de Oito Rotas e o Novo Quarto Exército sendo dizimados durante os combates, enquanto as fortalezas comunistas em Shaanxi foram sistematicamente eliminadas junto com sua liderança militar (embora isso tenha levado anos de batalha contra os guerrilheiros). Durante este conflito, a Guerra Franco-Tailandesa eclodiu em agosto de 1940, logo após a ocupação nazista da França entre a Tailândia e o governo colonial francês de Vichy da Indochina.

Enquanto isso, Goering havia permitido que Rudolf Hess se juntasse à Luftwaffe como piloto a mando deste, para que Hess fosse incapaz de minar sua liderança no Partido Nazista. Como indiretamente planejado, Hess morreu durante a Batalha da Grã-Bretanha em 2 de março de 1940. Portanto, não houve nenhuma tentativa de missão de paz para a Grã-Bretanha de sua parte e, portanto, Stalin não tinha dúvidas persistentes de uma reconciliação anglo-alemã para impedir seus planos de uma invasão. Da mesma forma, Goering desejava conquistar o Reino Unido antes de abrir o Eastern Theatre e não desviou nenhuma divisão lá. Em 10 de junho de 1941, os militares soviéticos aproveitaram a oportunidade e lançaram um ataque surpresa massivo na frente oriental por meio de uma campanha de bombardeio realizada pela Força Aérea Soviética na Prússia Oriental, Polônia e Romênia, seguida por dois destacamentos importantes do Exército Vermelho em no leste e no sul. A superioridade logística simples foi o maior fator para o sucesso da inauguração do Eastern Theatre pela URSS. [3]

O Exército Vermelho logo estava avançando no leste da Polônia, enquanto Goering enfrentava uma recepção fria do público e de seus próprios membros do partido. A liderança nazista acreditava que Goering era um idiota incompetente que atrapalhou os ganhos de Hitler, o gênio cuja visão teria salvado o dia, segundo eles. Heinrich Himmler, portanto, mandou assassinar Goering secretamente por Josef Dietrich do SS-Verfügungstruppe em 16 de julho de 1941. Himmler usou documentos forjados de Goering para ascender ao poder e afirmou que Goering era na verdade um comunista que estava ativamente subvertendo o esforço de guerra ao envolver a Alemanha em uma guerra total ruinosa. O público alemão aplaudiu a remoção de Goering, bem como a abertura das negociações de paz de Himmler com a União Soviética. No entanto, Joseph Stalin não estava interessado em negociar com Himmler porque queria fazer da Alemanha um estado satélite soviético. Assim, a luta continuou nas fronteiras da Alemanha na Áustria, Polônia e Prússia Oriental.


[Acima: A bandeira do Império Chinês em 13 de dezembro de 1941.]

Em 8 de janeiro de 1941, o Governo Nacional Reorganizado da China governou o continente com controle de fato do interior ocidental. Embora a Segunda Guerra Sino-Japonesa tivesse acabado, ainda havia problemas em andamento para o Império Japonês. Mao Zedong e outros membros do Partido Comunista Chinês refugiaram-se na República Popular da Mongólia, uma nação protegida de forma decisiva pela União Soviética durante a Batalha de Khalkhin Gol contra os militares japoneses. Pior para o Império Japonês foi a formação do Exército de Libertação Coreano no aniversário do movimento de 1º de março de 1941 e o aumento do apoio da União Soviética para que o Exército Unido Antijaponês do Nordeste continuasse a travar a guerra de guerrilha na Manchúria. Taiwan carecia de resistência generalizada semelhante, mas outros agitadores da independência esperavam que ela fosse subsumida por uma, já que o Comintern despachou agentes para lá para fomentar uma rebelião (que nunca deu frutos).

Em maio de 1941, o Japão mediou um tratado entre a Tailândia e o governo colonial da França recém-libertado na Indochina, que resultou na cessão de vários territórios da Inodchina francesa ao governo tailandês, encerrando a Guerra Franco-Tailandesa. Isso coincidiu com a fundação do Viet Minh, um movimento de independência comunista da Indochina voltado para o Império Francês, embora sem o elemento militar em sua fundação. O Exército de Libertação Coreano teve algumas vitórias menores, como o assassinato do Governador-Geral Jiro Minami em 7 de agosto, enquanto os maoístas clandestinos foram capazes de realizar uma elaborada conspiração para assassinar alguns membros Yuan da República Reorganizada da China, mas por na maioria dos casos, os grupos de resistência tinham muito poucos meios de estabelecer comunicação uns com os outros enquanto permaneciam ocultos. Na esperança de acalmar o público inquieto, a Conferência do Grande Leste Asiático foi realizada de 21 a 23 de setembro em Tóquio, na qual os chefes de estado da Esfera de Co-Prosperidade do Grande Leste Asiático se reuniram para fornecer uma propaganda das relações harmoniosas entre os países .

O imperador Qing Puyi, que foi enviado junto com o primeiro-ministro Zhang Jinghui como representantes do governo Manchukuo, sugeriu que ele deveria ser restaurado ao seu trono na China. Fumimaro Konoe foi parcialmente receptivo a este plano (já que o Japão havia tentado instalar Kung Te-cheng, herdeiro da linhagem de Confúcio, como o imperador fantoche da China em 1937) [4], mas ele percebeu que ainda havia um grande anti- Sentimento Qing na China. No entanto, Konoe foi inspirado pela conversa para instalar um descendente da Dinastia Ming como governante, que ele acredita que seria bem recebido ou pelo menos melhor. A Comissão Genealógica da Dinastia Ming foi então criada para encontrar o último descendente vivo dos imperadores Ming, utilizando uma rede de dados pré-existentes sobre o assunto. Em novembro, eles encontraram um pobre órfão em Changsha chamado Zhu Rongji que parecia se encaixar na linhagem, mas tinha apenas treze anos de idade, sem irmãos mais velhos ou parentes imediatos. Isso não era completamente sem precedentes (por exemplo, o imperador Qing Puyi ascendeu ao trono quando o imperador Shang da dinastia Han, dois anos, foi coroado antes de ter um ano, etc.), mas a questão da idade ainda frustrava os oficiais japoneses que queriam projetar a imagem de um governo chinês independente.

No entanto, em 24 de novembro de 1941, as legislaturas da República Reorganizada da China e Manchukuo se reuniram para adotar a Constituição do Império da China, inspirada na constituição de Meiji. Então, em uma cerimônia meticulosamente elaborada realizada na Cidade Proibida, Zhu Rongji ascendeu ao trono da dinástica Ming da China, com a mídia controlada pelo estado relatando o fim do legado de Qing no governo chinês, que foi responsabilizado pelos problemas da China no séculos anteriores junto com a “anarquia” (republicanismo). Pequim também se tornou a nova capital pela constituição, com uma bandeira histórica da Dinastia Ming hasteada em edifícios governamentais chineses em 13 de dezembro de 1941.

A idade do imperador Zhu Rongji foi deliberadamente erroneamente relatada como "dezesseis" pela mídia japonesa controlada. No entanto, isso não se tornou um ponto de discórdia muito forte porque os discursos simples, mas sinceros do Imperador Zhu Rongji sobre como viver na pobreza antes de ser encontrado como o último descendente Ming foram bem recebidos pelo público chinês e ajudaram a fomentar um senso de legitimidade e respeitabilidade não presente para os chefes de estado anteriores. Para complicar o assassinato em curso de oficiais colaboracionistas pelo movimento de resistência, assassinar uma criança de “dezesseis” anos que representava o último da Dinastia Ming era algo que nem mesmo o PCCh achava que seria bem sucedido.

O conselho privado (e a dieta nacional funcional) do imperador Zhu Rongji era o Grande Conselho, cujos dez membros eram nomeados com base nas pontuações dos exames imperiais, que qualquer cidadão do Império Chinês poderia fazer. Obviamente, as diretrizes do exame foram preparadas por funcionários japoneses em Pequim do Imperial Examination Bureau, e as pontuações foram determinadas por seu grau de adesão a uma filosofia política favorável ao governo japonês, mas o sentimento de libertação política ainda estava presente para os chineses pessoas. Na verdade, o Grande Conselho era o verdadeiro locus de poder no Império Chinês, porque qualquer decreto imperial proposto tinha que ser aprovado com o consentimento da maioria do Grande Conselho.

As primeiras ações importantes do imperador chinês Zhu Rongji foram a formação das Forças Armadas Imperiais da China, formadas por grupos armados colaboracionistas em toda a China e divididas em um Exército Imperial Chinês e uma Marinha Imperial Chinesa. Em 27 de janeiro de 1942, o imperador Zhu Rongji liderou uma marcha de 125.000 oficiais militares chineses pelas ruas de Pequim para demonstrar a solidez e a independência do Império Chinês. Isso foi ainda mais cimentado quando o Tratado do Grande Canal, entre os dez Grandes Conselheiros, o Primeiro-Ministro do Japão e o Primeiro-Ministro de Manchukuo, encerrou formalmente a Segunda Guerra Sino-Japonesa com o Império Japonês cedendo as Ilhas Matsu, Kinmen, etc. para o Império Chinês.

[1] Página 599 de A ascensão e queda do Terceiro Reich, de William L. Shirer
[2] Volume 13 das memórias de Tien-Fong Cheng.
[3] A maior parte da estratégia e dos resultados da União Soviética são baseados na tese de "A chance perdida de Stalin", de Mikhail Meltyukhov.
[4] http://books.google.com/books?id=O. ok_result & ampct = result & ampresnum = 1 & ampved = 0CCkQ6AEwAA

Espero que todos gostem do início da minha primeira linha do tempo de história alternativa e estou ansioso para receber qualquer feedback. Eu não tinha certeza se essas imagens eram consideradas 'grandes' o suficiente para paralisar os servidores, e ficarei feliz em editar minha postagem de acordo com as diretrizes.

Will Kürlich Kerl

Gato sabot

Eu planejo mover o palco para mais longe conforme a linha do tempo fica mais distante da nossa (na África e nos Estados Unidos especialmente), algo como Decades of Darkness.

Além disso, seria esta a linha do tempo: https://www.alternatehistory.com/discussion/showthread.php?t=157875?
Estou meio desapontado que Eurofed foi banido antes que ele pudesse fazer mais com ele, mas. mais linha do tempo para mim, eu acho!

Nota lateral: as atualizações provavelmente serão um pouco menos que semanais.

Will Kürlich Kerl

Eu planejo mover o palco para mais longe conforme a linha do tempo fica mais distante da nossa (na África e nos Estados Unidos especialmente), algo como Decades of Darkness.

Além disso, seria esta a linha do tempo: https://www.alternatehistory.com/discussion/showthread.php?t=157875?
Estou meio desapontado que Eurofed foi banido antes que ele pudesse fazer mais com ele, mas. mais linha do tempo para mim, eu acho!

Nota lateral: as atualizações provavelmente serão um pouco menos que semanais.

Bytewave

Sempre achei que havia uma boa chance de uma morte prematura de Hitler entre a queda da Polônia e a ofensiva contra a França poderia levar a uma paz prematura. No final de agosto de 39, Ciano foi informado pelos britânicos de que o problema não era Danzig ou o Corredor, mas o fato de que Hitler não era mais confiável. Mesmo no dia 3 de setembro, diplomatas britânicos ainda diziam que havia uma chance de paz se Hitler apenas se desculpasse. Todo mundo queria uma saída.

IMO enquanto a guerra falsa durar, essa coisa toda pode fracassar se Hitler morrer e seu sucessor concordar em se retirar da maior parte da Polônia, provavelmente poderia até ficar com Danzig. O estômago para uma guerra real só veio depois da batalha pela França. Seria uma história interessante, mas toda vez que vejo esse POD, tende a ser sobre como Goering lutaria na guerra. Esse é definitivamente um resultado plausível também, mas eh. Talvez eu deva escrever a outra faceta um dia desses

Essa divagação à parte, eu gosto da sua história, por favor, continue!

Generaloberst

Gato sabot

Sempre achei que havia uma boa chance de uma morte prematura de Hitler entre a queda da Polônia e a ofensiva contra a França poderia levar a uma paz prematura. No final de agosto de 39, Ciano foi informado pelos britânicos que o problema não era Danzig ou o Corredor, mas o fato de que Hitler não era mais confiável. Mesmo no dia 3 de setembro, diplomatas britânicos ainda diziam que havia uma chance de paz se Hitler apenas se desculpasse. Todo mundo queria uma saída.

IMO enquanto a guerra falsa durar, essa coisa toda pode fracassar se Hitler morrer e seu sucessor concordar em se retirar da maior parte da Polônia, provavelmente poderia até ficar com Danzig. O estômago para uma guerra real só veio depois da batalha pela França. Seria uma história interessante, mas toda vez que vejo esse POD, tende a ser sobre como Goering lutaria na guerra. Esse é definitivamente um resultado plausível também, mas eh. Talvez eu deva escrever a outra faceta um dia desses

Isso seria interessante, mas não tenho certeza do que o PoD poderia produzir uma Alemanha nazista pacífica após a invasão da Polônia. Um sem o Incidente de Venlo, certamente. Eu seria interessante em ver essa linha do tempo de qualquer maneira, talvez de você!

Espero que todos gostem dos próximos episódios também

Shaby

Você (eu odeio autopromoção, tanto quanto qualquer outro cara) por acaso leu minha linha do tempo? Tem exatamente o que você diz em negrito. Aproveitar.

Em uma nota lateral, fico feliz em ver as pessoas se referindo à minha linha do tempo. Escreverei uma atualização em breve. Na verdade, estou escrevendo um agora, mas não espere poder postá-lo antes de segunda-feira. E sim, bom cronograma AMB. Subbed.

Gato sabot

EUROPE IN ALTERNATE 1941 (CONTINUAÇÃO) TO ALTERNATE 1944


[Europa em 14 de maio de 1944, com crédito de modelo indo para Morgan Hauser, Chris S e outros daqui: http://wiki.alternatehistory.com/doku.php/resources/europe_wwii_map_series]​

Embora a ofensiva soviética inicial tenha sido bem-sucedida, sua capacidade de sustentar uma invasão de todo o território alemão nazista foi frustrada por numerosos problemas organizacionais em suas forças armadas. Eles não tinham a maioria dos rifles de que precisavam e muitos de seus tanques estavam desatualizados. Além disso, o Exército Vermelho não tinha tratores e foi forçado a se abaixar para apreender tratores de civis ou mesmo seus cavalos. Da mesma forma, muitos de seus oficiais não tinham o treinamento ou a disposição adequados para manter o ímpeto conquistado com o ataque surpresa. Todos esses fatores contribuíram para que a guerra chegasse a um impasse pelo resto de 1941 e 1942.

Pouco território mudou de mãos durante este tempo, e alguns observadores notaram que isso parecia se assemelhar à situação na Primeira Guerra Mundial, com ambos os lados perdendo tropas regularmente, mas nenhum deles avançando. Um efeito colateral positivo foi o fim da Batalha da Grã-Bretanha em 17 de junho de 1941 devido à ascensão de Himmler como Fuhrer. Churchill preparou os militares britânicos para um contra-ataque, enviando ajuda maciça dos Estados Unidos. Franklin Delano Roosevelt também ordenou que milhares de tropas americanas substituíssem as tropas britânicas na Islândia de agosto a novembro de 1941. Com ativos e tropas americanas em mãos, o Reino Unido lançou uma invasão surpresa do norte da França ocupado pelos alemães através da Normandia em 26 de abril de 1943 .

O 77º Congresso criticou duramente Roosevelt por despachar tropas dos EUA em combate sem uma declaração de guerra. O presidente pro tempore Carter Class foi o mais contundente em sua crítica, dizendo: “O exagero de Roosevelt na autoridade executiva não pode ser suportado. Eles suportaram isso na Alemanha, e agora veja onde estão. Eles suportaram isso na Itália, e agora veja onde estão. Vamos permitir que a democracia americana seja massacrada diante de nossos olhos? & Quot

Franklin Delano Roosevelt se defendeu, dizendo que como comandante-chefe das Forças Armadas dos EUA, ele tinha o poder de enviar os militares americanos para o exterior sem uma declaração de guerra ou consentimento semelhante do Congresso.

Em 29 de junho de 1943, Paris estava sob o controle do Reino Unido e em agosto, os Países Baixos e a Dinamarca foram libertados. O desvio nazista de tropas para a frente ocidental finalmente deu à União Soviética a margem de manobra necessária para avançar para suas fronteiras. Em 4 de maio de 1943, Berlim foi tomada pelo Exército Vermelho e o Terceiro Reich foi encerrado.

Embora Paris tenha sido libertada, a França não foi inteiramente ocupada pelas forças britânicas. Apenas a seção norte viu uma presença militar significativa, enquanto a zona livre do sul (França de Vichy) foi deixada relativamente intocada e desprotegida pela Alemanha ou pelo Reino Unido. Diante dessa situação, Bento Mussolini invadiu o regime fantoche aliado privado e exausto da França de Vichy em 4 de maio de 1943, e apenas onze dias depois (15 de maio de 1943), Vichy foi capturado. Este não foi o fim do ataque, entretanto, como Mussolini liderou uma invasão ao sul da Alemanha através da Áustria na tentativa de tomá-la, uma invasão encontrou muito pouca resistência (Munique foi tomada em 19 de maio) até que as forças italianas se reuniram com o Exército Vermelho em 20 de maio. Eles concordaram em não se atacar, já que Mussolini se juntou à mesa da Conferência de Berlim (que havia começado em 6 de maio com a presença de Churchill, Stalin e o primeiro-ministro polonês Władysław Eugeniusz Sikorski).

O principal ponto de discórdia na conferência foram as fronteiras da Polônia. Sikorski pressionou pela inclusão das cidades de Lwow e Wilno no território polonês, enquanto Stalin desejava incorporá-las às repúblicas soviéticas próximas. Também ao contrário dos desejos de Stalin, Sikorski desejava formar uma Federação Polonesa-Tchecoslovaca enquanto empurrava as fronteiras da Polônia para o oeste, incorporando a Cidade Livre de Danzig e a Prússia Ocidental com algumas concessões menores à União Soviética, como a Prússia Oriental. Sikorski e Stalin recusaram-se a concordar com a questão e, portanto, um Churchill frustrado pediu que as fronteiras fossem definidas como status quo ante bellum, em contraste direto com as fronteiras uti possidetis defendidas por todos os outros chefes de estado presentes.

Churchill acreditava que a Conferência de Berlim seria uma violação do princípio ex injuria jus non oritur se o território fosse concedido às nações conquistadoras pelo princípio do uti possideti. Ele acreditava que a França deveria ser reunificada e que a Alemanha permaneceria dividida e dependente, embora em grande parte autogovernada, enquanto as fronteiras URSS-Polonês permaneceriam como eram em 1938. Mussolini se opôs a uma reunificação francesa completa, enquanto Stalin acreditava que se a Itália pôde manter seus territórios conquistados pela guerra, a União Soviética também deveria.

Eventualmente, foi decidido que a Polônia teria suas fronteiras status quo ante bellum a partir de 1937, sem concessões alemãs no oeste ou unificação com a Tchecoslováquia. Tchecoslováquia, junto com Hungria, Áustria, Romênia, et. al. deviam ser restaurados como estados-nação. No entanto, a URSS permaneceria no controle das repúblicas bálticas, mantendo a responsabilidade de estabelecer um governo independente em sua porção da Alemanha. Da mesma forma, a demanda de Mussolini pelas colônias da França foi recusada veementemente por quase todos os presentes, já que o Império Italiano foi igualmente encarregado de restaurar a independência dos territórios que eles tinham sob seu controle (por exemplo, sul da França e sul da Alemanha). O Reino Unido também deveria restaurar o Norte da França, os Países Baixos, a Noruega e a Islândia às suas condições anteriores. Os planos para a perseguição de crimes de guerra não foram amplamente discutidos, mas todos os presentes concordaram que a desnazificação era uma prioridade. A própria Berlim foi entregue inteiramente à União Soviética, porque Churchill temia que Mussolini quisesse reivindicar um quadrante dela se fosse dividida entre os partidos libertadores e pela simples razão de que quase todo o norte da Alemanha estava ocupado pelo Exército Vermelho . A Conferência de Berlim foi então encerrada em 24 de maio de 1943.

Inicialmente, parecia que todos iriam cumprir seus compromissos porque a Noruega e a Islândia foram dispensadas da presença militar estrangeira poucos dias após a conferência. Mas em julho, a administração militar do sul da França foi substituída pela de um estado cliente chefiado por Pierre Laval, onde os soldados italianos permaneceram e aplicaram as leis do Império Italiano, independentemente do que o governo do sul da França fizesse. Essa também era a situação na Alemanha do Sul e na Áustria, que logo estavam dentro da esfera de influência da Itália.

Os governos independentes da Dinamarca, Bélgica, Luxemburgo e Holanda foram restaurados com poucos incidentes, em contraste com o estabelecimento auspicioso da Terceira República da Polônia em 15 de agosto de 1943, celebrado com uma solene mas jubilosa marcha militar em Varsóvia liderada pelo Primeiro Ministro Sikorski para coincidir com o vigésimo primeiro aniversário do Milagre do Vístula. Enquanto isso, Romênia, Hungria e Tchecoslováquia ainda estavam ocupadas pelo Exército Vermelho, que não deu sinais de sair e ajudou a fornecer a instituição de governos autoritários nominalmente independentes na esfera de influência da União Soviética. Em 9 de fevereiro de 1944, a "autogovernada" República Socialista Alemã foi formada, junto com o Oblast de Konigsberg da Prússia Oriental (como parte do SSFR russo), que constituía a propriedade mais ocidental da União Soviética. Tudo isso foi uma violação flagrante do compromisso da URSS de criar um estado autônomo na Alemanha (bem como na Romênia, Hungria e Tchecoslováquia) estabelecido na Conferência de Berlim, e causou as relações já geladas do Reino Unido e da URSS para ficar ainda mais frio.

Em março de 1944, a Constituição da República Francesa do Norte (Norte da França) foi aprovada por um referendo entre o público francês, enquanto Paul Reynaud (presidente do Governo Provisório da França) se tornou o primeiro-ministro. Reynaud foi confrontado com um ressentimento público pela presença de soldados britânicos, que também foram colocados na Dinamarca, Bélgica, Luxemburgo e Holanda. Soldados dos Estados Unidos também permaneceram na Europa, com a maioria dos críticos de Roosevelt sendo silenciados pela campanha relativamente rápida e massivamente bem-sucedida travada na Europa Ocidental. Apesar de tudo, muitos europeus acreditavam que a Grã-Bretanha havia oportunisticamente se apossado desses países como a Itália ou a União Soviética e agido com a mesma beligerância da Alemanha nazista. Eles caluniaram Churchill como um fomentador da guerra e freqüentemente apontavam as invasões não provocadas da Noruega, Islândia e norte da França como evidência. Isto foi em contraste com a sua recepção interna favorável que lhe valeu o cargo de Primeiro-Ministro por uma margem confortável em 14 de maio de 1944, realizada devido ao fim da Segunda Guerra Mundial (que havia sido a causa da suspensão das eleições parlamentares em o Reino Unido). Churchill manteve a presença militar britânica na Europa devido às tendências expansionistas bastante transparentes da Itália e da União Soviética. Para ele, assim como para muitos outros no Reino Unido e no exterior, parecia que a Segunda Guerra Mundial ainda não havia acabado.


8 de novembro Mortes

Crédito da foto: ANDERS KRUSBERG / PEABODY AWARDS

Crédito da foto: ANDERS KRUSBERG / PEABODY AWARDS

Morreu em 8 de novembro de 2020 b. 1940

Apresentador de game show vencedor do Emmy canadense-americano. TELEVISÃO: A pergunta de $ 128.000 (1977-78) e Perigo! (1984-2020).

0 0 Copiar para compartilhar esta entrada

Bil Keane (William Aloysius Keane)

Morreu em 8 de novembro de 2011 b. 1922

Cartunista americano. Criador de The Family Circus (1960) e Channel Chuckles (1954). Quote: "Yesterday's the past, tomorrow's the future, but today is a gift. That's why it's called the present."

0 0 Copy to Share This Entry

Died November 8, 1978 b. 1894

American illustrator, known for his covers on the Postagem de sábado à noite.

0 0 Copy to Share This Entry

Pennsylvania oil well c1862

Pennsylvania oil well c1862

Pioneered Oil Well Drilling

Died November 8, 1880 b. 1819

American oil industry pioneer. He pioneered the use pipes to drill oil and drilled the first successful U.S. oil well (1859, near Titusville, Pennsylvania). He devised the idea to drive a pipe into the ground to prevent the drill hole from collapsing. Until then, oil production was limited to collecting surface oil. The ability to drill for oil launched the oil industry. The drilling of Drake's first well was slow, only progressing about three feet per day. Crowds would gather and jeer at his well, calling it "Drake's Folly." He drilled down to a depth of 69.5 feet (21 m) before striking oil, which was then hand pumped out of the well.
Unfortunately, while others grew rich from the oil industry he started, he died broke.

0 0 Copy to Share This Entry

Died November 8, 1990 b. 1904

American author of historical romances. Writings: Dragonwyck e Foxfire. Her father, Ernest Thompson Seton, was a founding pioneer of the Boy Scouts of America.

0 0 Copy to Share This Entry

Vyacheslav Mikhailovich Molotov (V.M. Skryabin)

Died November 8, 1986 b. 1890

Soviet Communist leader, Soviet foreign minister (1939-49, 1953-56), and for whom the Molotov cocktail is named. He and Joseph Stalin founded the party newspaper Pravda (1912).
The term "Molotov cocktail" was coined by the Finns during the Winter War as pejorative reference to Molotov. Molotov declared on Soviet state radio that bombing missions over Finland were actually airborne humanitarian food deliveries for their starving neighbors. The Finns then called the Soviet cluster bombs "Molotov bread baskets". When the hand-held bottle firebomb was developed to attack Soviet tanks, the Finns called it the "Molotov cocktail", as "a drink to go with his food parcels".

0 0 Copy to Share This Entry

Died November 8, 1674 b. 1608

English poet. Writings: Paraíso Perdido (1667) and Paradise Regained (1671).

0 0 Copy to Share This Entry

Died November 8, 1308 b. circa 1265

Scottish philosopher, one of the most influential theologians of medieval Europe. His followers, called "dunces," were known for their closed mindedness.

0 0 Copy to Share This Entry

Died November 8, 1226 b. 1187

0 0 Copy to Share This Entry

Italian religious leader, 68th Pope (615-618). Also known as Adeodatus I. He authorized the celebration of more than one mass by a church on Sunday. The term "Papal Bull" originated from his use of a leaden seal, known as a "Bulla."


November 8th 1939

On November 8th 1939, a bomb went off inside a packed Munich Beer Hall where the NSDAP was celebrating the anniversary of the 1923 Putsch, with many prominent party officials attending. While the shockwave did not directly kill anyone, it did cause part of the structure to collapse onto the crowd, causing the deaths of 27 people, including Joseph Goebbels (Minister of Propaganda), Alfred Rosenberg (NSDAP theoretician), Rudolf Hess (Hitler's chief deputy), Heinrich Himmler (chief of the SS), Reinhard Heydrich (Chief of the Reich main security office, Himmler's second in command) and many others. At least 90 other people suffered wounds, half of them critical- one of these was none other than Adolf Hitler, who surprisingly managed to survive despite suffering a collapsed lung and multiple shattered ribs. Hitler never fully recovered from there on he would make limited public appearances and Air Marshal Goering would slowly take over the government, becoming his new Chief Deputy.

With both Himmler and Heydrich gone, the SS was left leaderless Hitler would remain in intensive care until December 10th, during which his chances of survival were, according to his physicians, "no better than a coin toss" and could not appoint a replacement. During this time Himmler's personal adjutant Karl Wolff temporarily took over his day-to-day duties as he retained Himmler and Heydrich's network of personal contacts. Among the dozens of candidates for the job were Kurt Daluege (chief of police, one of Heydrich's former rivals), Oswald Pohl (SS functionary in charge of the organization's finances), August Heissmeyer (Head of the SS Main Office in Berlin), Heinrich Muller (Chief of the Gestapo) and Wilhelm Stuckart (SS legal secretary) Hitler, however, was not satisfied with any of them and offered the position to his close friend Josef Dietrich, commander of the Leibstandarte SS Adolf Hitler (a Waffen-SS unit that had recently taken part in the invasion of Poland) who politely declined the invitation, arguing that he preferred to stay with his unit. In the end, Wolff was allowed to continue serving as an informal chief of the SS and the position of "Reichsfuhrer-SS" remained vacant, while Heydrich's office was taken by Heiz Jost, his former chief of foreign intelligence. There was a good reason for this: Hitler at the time was convinced that the attack had been orchestrated by a foreign intelligence agency, and thought that Jost's international connections could be useful in tracking down the perpetrators. Muller opposed this and lobbied for the job: according to him. a traitor within the NSDAP had been responsible and his Gestapo was in a better position to solve the case (he did have a point- whoever planted the explosive must have had unrestricted access to the Beer Hall, and no one had seen or heard of any foreign visitors in the area before the attack) but he was ultimately passed over due to "trust issues" as he was a latecomer to the NSDAP, having joined the party late in 1939. Jost, in turn, ceded his position as Chief of Foreign Intelligence to his subordinate Walter Schellenberg. As a side note, Hermann Hesser would become Germany's new Minister of Propaganda.

There was much infighting within the Reich Main Security Office over the next few years. Jost failed to develop a good working relationship with Muller (who was still bitter over his rejection) and became paranoid of the Gestapo, going as far as destroying his furniture and ripping the walls of his office multiple times looking for hidden recording devices.

The authors of the Beer Hall Bombing were never found, becoming the subject of intense speculation. Up to his death, Hitler remained convinced that British agents had tried to kill him, but the SS never found any evidence even after arresting and interrogating over 45,000 people (many of which died in custody) Frustrated at the lack of results, Muller developed suspicions over Goering and started a three-month-long clandestine surveillance operation, installing dozens of recording devices in Luftwaffe offices and intercepting his private correspondence. When the operation was uncovered in March 1940 (see Luftwaffe wiretapping scandal) Muller along with many of his subordinates (including Adolf Eichmann) were arrested and accused of treason. Walter Huppenkothen, a close associate of Schellenberg, was named the new chief of the Gestapo though many within the organization saw their new boss as an "intruder" and resisted his efforts to control them. Ironically, Goering was appreciative of Muller and lobbied to have him pardoned, as the operation had failed to reveal anything useful, proving that the Luftwaffe had nothing to do with the bombing.

Later in 1939, during new year celebrations at a Parisian bar, witnesses reported having met a strange man named Georg, who claimed to have planned and executed the attack by himself. He also cited certain details of the bombing that at the time had not been published in any newspaper. Parisian police put a detective on the case and a few days later managed to find the room he was renting, where they recovered wire cutters and technical sketches of explosive devices the mysterious stranger, however, was long gone. Since all the files pertaining to the "Georg" investigation went missing during the German invasion in May 1940 the story became impossible to verify and was later dismissed as a fabrication. When asked about it by a reporter in 1948, Sir Colin Gubbins (chief of the United Kingdom's Special Operations Executive during the war) replied that an operation of such a scale would have needed "at least four well-trained and highly motivated agents". Since then, more plausible explanations have emerged. For almost two decades the dominant theory in academic circles was that the bombing was most likely organized by Polish resistance operatives, but new testimonies emerged in the mid 1960s connecting the attack to the German communist resistance group known as the "rotte kapelle" (red orchestra) affiliated with the USSR's GRU service. The "lone bomber" theory would gain new traction in 2018 with the release of "the man who almost killed Hitler", a Youtube documentary that quickly went viral and gained half a million views. According to the filmmaker, "Georg" later escaped to Britain and then the USA, where he died peacefully in the 1970s.


Hitler in Munich, Nov. 8, 1939

Post by jeffhan373 » 03 Feb 2014, 17:16

The attached photo shows Hitler addressing the Old Fighters at the Buergerbraeukeller on November 8, 1939. Unbeknownst to all present, Georg Elser's bomb would go off later that night. Many of the men we see seated here would have been hurt or killed had they been in the immediate vicinity of the podium.

I'm trying to identify as many of these men as I can. So far, from left to right, I have:

Rosenberg (bottom left corner), Goebbels, Frick, Fiehler, Huehnlein, Kriebel, Hierl, Epp, Hess, Schaub, Adolf Wagner, Martin Bormann, Brueckner, Himmler, Graf, Christian Weber, Heinrich Hoffmann, Rudolf Schmundt, Max Wuensche. Dr. Todt might be between Kriebel and Epp. Max Amann might be right below Frick. Karl Wolff might be behind Schmundt. The camera seems to have missed many other Prominente, like Goering, Schwarz, Ley.

I'm surprised by how close relative unknowns could get to Hitler, like the men between Goebbels and Huehnlein. Can anyone put names to any others here?

Re: Hitler in Munich, Nov. 8, 1939

Post by Pitino » 03 Feb 2014, 17:31

Great picture and it looks like if Hitler had talked a little longer the entire NSDAP-Reichsleitung would have been decapitated.

Re: Hitler in Munich, Nov. 8, 1939

Post by Pitino » 03 Feb 2014, 17:33

jeffhan373 wrote: The attached photo shows Hitler addressing the Old Fighters at the Buergerbraeukeller on November 8, 1939. Unbeknownst to all present, Georg Elser's bomb would go off later that night. Many of the men we see seated here would have been hurt or killed had they been in the immediate vicinity of the podium.

I'm trying to identify as many of these men as I can. So far, from left to right, I have:

Rosenberg (bottom left corner), Goebbels, Frick, Fiehler, Huehnlein, Kriebel, Hierl, Epp, Hess, Schaub, Adolf Wagner, Martin Bormann, Brueckner, Himmler, Graf, Christian Weber, Heinrich Hoffmann, Rudolf Schmundt, Max Wuensche. Dr. Todt might be between Kriebel and Epp. Max Amann might be right below Frick. Karl Wolff might be behind Schmundt. The camera seems to have missed many other Prominente, like Goering, Schwarz, Ley.

I'm surprised by how close relative unknowns could get to Hitler, like the men between Goebbels and Huehnlein. Can anyone put names to any others here?

The man between Goebbels and Huhnlein could be RL Wilhelm Grimm. Also, the man stooped down behind v. Epp looks a little like Goring. However, that could be Goring setting directly underneath Hitler and the podium with his back to the camera. Finally, I do not see RL Bouhler or RL Buch in the picture either.


Europe 1942: El Alamein and Operation Torch

In late October 1942 the British Eighth Army under General Bernard Montgomery launched an all-out attack on Axis forces west of El Alamein, Egypt. After several days of heated battle, the Allies mounted Operation Supercharge early on the morning of 2 November, breaking through the Italo-German defenses and sending them into flight. However, despite suffering up to 59,000 casualties to the Allies’ 13,560, the Axis managed an orderly retreat under Field Marshal Erwin Rommel. na wikipedia

8–16 Nov 1942 Operation Torch▲

On 8 November 1942 some 100,000 American, British, and Free French troops landed in Vichy French North Africa in Operation Torch. The landings were conducted simultaneously around Casablanca in French Morocco and around the French Algerian cities of Oran and Algiers. After a few days of Vichy French resistance, Admiral François Darlan—the commander of all Vichy French forces and who happened to be in Algiers at the time—agreed to cooperate with the Allies. na wikipedia


Zygmunt’s Notes

July 27, 1942 Lt. Albert Battel of the Wehrmacht takes an unusual stand against the deportation of Jews from Przemysl. He uses Army trucks to rescue up to 100 Jewish armament workers, along with their families, sheltering them from deportation to the Belzec death camp.

July 27, 1942

It’s done! First of all, dear diary, please forgive me for wandering into your pages and trying to carry on the work of somebody I’m not worthy of. Let me tell you that Renuska didn’t get the work permit stamp she needed to avoid being deported, so she has to stay in hiding. My dear parents have also been refused work permit stamps. I swear to God and history that I will save the three people who are dearest to me, even if it costs me my own life. You will help me, God!

July 28, 1942

My parents were lucky to get into the city. They’re hiding at the cemetery. Renia had to leave the factory. I had to find her a hiding place at any cost. I was in the city until 8 o’clock. I have finally succeeded.

July 29, 1942

The Aktion [mass deportation] was prevented because of a dispute between the army and the Gestapo. I cannot describe everything that has gone on for the last three days. I have no energy for that after 12 hours of running around the city. These events have shaken me to my core, but they haven’t broken me. I have a terribly difficult task. I have to save so many people without having any protection for myself, or any help from others. This burden rests on my shoulders alone. I have taken Ariana to the other side.

July 30, 1942

Today everything will be decided. I will gather all my mental and physical strength and I will achieve my goals. Or I will die trying.

At midday they took away our cards for stamping (along with wives’ cards). I decided to risk my document, because I thought it was my last chance to save Renuska. No luck! They threatened to send me to the Gestapo. After a lot of begging, they finally withdrew that threat. But that forgery cost me my job managing military quarters. At 8 o’clock, I’ll find out whether or not I’m going to stay.

In the night

Oh, gods! Such horror! It was all for nothing! The drama lasted one hour. I didn’t get my card. Have I just slaughtered myself?! Now I am on my own. What will happen to me? I wanted to save my parents and Renia, but instead I just got into more trouble myself. It looks like the end of the world is here. I still have hope.

July 31, 1942

Three shots! Three lives lost! It happened last night at 10:30 p.m. Fate decided to take my dearest ones away from me. My life is over. All I can hear are shots, shots shots. My dearest Renusia, the last chapter of your diary is complete.

Assine a revista Smithsonian agora por apenas $ 12

This article is a selection from the November issue of Smithsonian magazine


Relacionado

Inside the Red Baron's Mind

The Immutable Nature of War

Spy Factory: Expert Q&A

Researchers knew that they could manufacture significant amounts of uranium 235 only by means of isotope separation. At first German scientists led by the physical chemist Paul Harteck tried thermal diffusion in a separation column. In this process, a liquid compound rises as it heats, falls as it cools, and tends to separate into its lighter and heavier components as it cycles around the column. But by 1941 they gave up on this method and started building centrifuges. These devices use centripetal force to accumulate the heavier isotopes on the outside of the tube, where they can be separated out. Although the war hampered their work, by the fall of the Third Reich in 1945 they had achieved a significant enrichment in small samples of uranium. Not enough for an atomic bomb, but uranium 235 enrichment nonetheless.

Heisenberg used this diagram during a secret lecture in February 1942. On the left is a schematic diagram of a "uranium machine" (nuclear reactor) on the right is a schematic of a nuclear explosive, either uranium 235 or plutonium.

Nearing a Nazi bomb

Uranium machines needed a moderator, a substance that would slow down the neutrons liberated by chain reactions. In the end, the project decided to use heavy water—oxygen combined with the rare heavy isotope of hydrogen—instead of water or graphite. This was not (as one of the many myths associated with the German nuclear weapons effort had it) because of a mistake the physicist Walther Bothe made when he measured the neutron absorption of graphite. Rather, it appeared that the Norsk Hydro plant in occupied Norway could provide the amounts of heavy water they needed in the first stage of development at a relatively low cost.

The Norwegian resistance and Allied bombers eventually put a stop to Norwegian production of heavy water (see Norwegian Resistance Coup and See the Spy Messages. But by that time it was not possible to begin the production of either pure graphite or pure heavy water in Germany. In the end, the German scientists had only enough heavy water to conduct one or two large-scale nuclear reactor experiments at a time.

By the very end of the war, the Germans had progressed from horizontal and spherical layer designs to three-dimensional lattices of uranium cubes immersed in heavy water. They had also developed a nuclear reactor design that almost, but not quite, achieved a controlled and sustained nuclear fission chain reaction. During the last months of the war, a small group of scientists working in secret under Diebner and with the strong support of the physicist Walther Gerlach, who was by that time head of the uranium project, built and tested a nuclear device.

At best this would have been far less destructive than the atomic bombs dropped on Japan. Rather it is an example of scientists trying to make any sort of weapon they could in order to help stave off defeat. No one knows the exact form of the device tested. But apparently the German scientists had designed it to use chemical high explosives configured in a hollow shell in order to provoke both nuclear fission and nuclear fusion reactions. It is not clear whether this test generated nuclear reactions, but it does appear as if this is what the scientists had intended to occur.

A diagram of the final lattice design of a nuclear reactor developed by two different research groups in Nazi Germany, one led by Kurt Diebner and the other by Werner Heisenberg

Time runs out

All of this begs the question, why did they not get further? Why did they not beat the Americans in the race for atomic bombs? The short answer is that whereas the Americans tried to create atomic bombs, and succeeded, the Germans did not succeed, but also did not really try.

This can best be explained by focusing on the winter of 1941-1942. From the start of the war until the late fall of 1941, the German "lightning war" had marched from one victory to another, subjugating most of Europe. During this period, the Germans needed no wonder weapons. After the Soviet counterattack, Pearl Harbor, and the German declaration of war against the United States, the war had become one of attrition. For the first time, German Army Ordnance asked its scientists when it could expect nuclear weapons. The German scientists were cautious: while it was clear that they could build atomic bombs in principle, they would require a great deal of resources to do so and could not realize such weapons any time soon.

Army Ordnance came to the reasonable conclusion that the uranium work was important enough to continue at the laboratory scale, but that a massive shift to the industrial scale, something required in any serious attempt to build an atomic bomb, would not be done. This contrasts with the commitment the German leadership made throughout the war to the effort to build a rocket. They sunk enormous resources into this project, indeed, on the scale of what the Americans invested in the Manhattan Project.

Thus Heisenberg and his colleagues did not slow down or divert their research they did not resist Hitler by denying him nuclear weapons. With the exception of the scientists working on Diebner's nuclear device, however, they also clearly did not push as hard as they could have to make atomic bombs. They were neither heroes nor villains, just scientists working on weapons of mass destruction for Hitler's Germany.


Celebrating the Veterans Day Holiday

If the Nov. 11 holiday falls on a non-workday -- Saturday or Sunday -- the holiday is observed by the federal government on Monday (if the holiday falls on Sunday) or Friday (if the holiday falls on Saturday). Federal government closings are established by the U.S. Office of Personnel Management. State and local government closings are determined locally, and non- government businesses can close or remain open as they see fit, regardless of federal, state or local government operation determinations.

United States Senate Resolution 143, which was passed on Aug. 4, 2001, designated the week of Nov. 11 through Nov. 17, 2001, as "National Veterans Awareness Week." The resolution calls for educational efforts directed at elementary and secondary school students concerning the contributions and sacrifices of veterans.


A handout (post card) advertising exhibit which included a playbill from Kentucky Library MSS collection (not mentioned in this handout) MSS 701, C1-D1, 17. Also includes a letter from Spencer Welch of IBM who sponsored the exhibit at the Kennedy Center.

This collection contains documentation on projects and grants sponsored by the Kentucky Folklife Program and the Kentucky Arts Council from 1992-2012. Grants and projects included in the collection are the Folk Arts Project and Tour of Kentucky Folk Music Grants, Folk Arts Projects Grants, Folk and Traditional Art Apprenticeship Grants, Performing Arts on Tour Grants, and Community Scholar Survey Grants. It is important to note that grant and project grant names have changed over the years and may vary from the original titles. Some items in this collection contain sensitive materials such as personal identifying information like names, addresses, phone numbers, possibly social security nu


Assista o vídeo: 8 wrzesnia 1939, Radom, inscenizacja (Novembro 2021).