Podcasts de história

24 de julho de 2013, Dia 186 do Quinto Ano - História

24 de julho de 2013, Dia 186 do Quinto Ano - História

10:00 O PRESIDENTE sai da Casa Branca a caminho da Base Conjunta Andrews
South Lawn

10:15 O PRESIDENTE sai da Base Conjunta Andrews

CDT

11h10 O PRESIDENTE chega a Galesburg, Illinois
Aeroporto Internacional de Quad Cities

11h55 O PRESIDENTE faz comentários
Knox College, Galesburg, IL

14h50 O PRESIDENTE parte de Galesburg, Illinois, a caminho de Warrensburg, Missouri
Aeroporto Internacional de Quad Cities

15h40 O PRESIDENTE chega a Warrensburg, Missouri
Base da Força Aérea de Whiteman

16h20 O ​​PRESIDENTE faz comentários
University of Central Missouri, Warrensburg, MO
Abrir Imprensa

17:15 O PRESIDENTE parte de Warrensburg, Missouri, a caminho de Washington, DC
Base da Força Aérea de Whiteman
Abrir Imprensa

Edt

20h15 O PRESIDENTE chega à Base Conjunta Andrews

20h30 O PRESIDENTE chega à Casa Branca
South Lawn


Brooks Koepka

Recapitulações da rodada Chez Reavie lidera por seis no Travellers Na terceira rodada do Travellers Championship de 2019, Chez Reavie acertou um 7-under 63 para assumir a liderança por seis ao chegar à rodada final.

West Palm Beach, Flórida, Estados Unidos

  • 2015 Gestão de Resíduos Phoenix Open
  • 2017 Aberto dos EUA
  • 2018 Aberto dos EUA, Campeonato PGA
  • 2019 PGA Championships, World Golf Championships-FedEx St. Jude Invitational, THE CJ CUP @ NINE BRIDGES
  • 2021 Gestão de Resíduos Phoenix Open

Vitórias internacionais (7)

  • 2012 Challenge da Catalunya [EurChall]
  • 2013 Montecchia Golf Open [EurChall]
  • 2013 Fred Olesen Challenge de Espana [EurChall]
  • 2013 Scottish Hydro Challenge [EurChall]
  • 2014 Turkish Airlines Open [Eur]
  • 2016 Dunlop Phoenix [Jpn]
  • 2017 Dunlop Phoenix [Jpn]
  • Seu tio-avô é Dick Groat, um shortstop duas vezes vencedor da World Series para o Pittsburgh Pirates e o MVP da Liga Nacional de 1960.
  • Gosta de estar no jet ski, pescar, paddleboarding e sair com os amigos nas semanas de folga.
  • As equipes esportivas favoritas são Manchester United Football Club, Los Angeles Lakers e Green Bay Packers.
  • Aberto nos EUA: Terminou T4 no Aberto dos EUA em junho, seu quarto top cinco consecutivo no evento (DNP em 2020).
  • Campeonato PGA: Em busca do terceiro título do PGA Championship em quatro anos, terminou o T2 no Ocean Course em Kiawah, sua sétima vitória ou vice-campeão em campeonatos importantes desde o início da temporada de 2017. Marcou seu quinto top cinco em nove partidas no Campeonato PGA.
  • Campeonato Mundial de Golfe - Campeonato do Dia de Trabalho na Concessão: Terminou em um empate a três pelo segundo lugar no World Golf Championships-Workday Championship no The Concession após manter a liderança de 36 buracos. Marcou seu segundo T2 consecutivo em WGCs após um vice-campeão no 2020 WGC-FedEx St. Jude Invitational.
  • Gestão de resíduos Phoenix Open: Venceu o Waste Management Phoenix Open depois de entrar na rodada final perdendo por cinco tacadas, ganhando seu oitavo título do PGA TOUR e o segundo no TPC Scottsdale. Marcou sua primeira vitória no TOUR desde o 2019 World Golf Championships-FedEx St. Jude Invitational. Furo para o eagle no par 4 17 de 97 pés e 5 polegadas na rodada final, tornando-se o primeiro vencedor do evento a alcançar a águia nº 17 na rodada final. Entrou na semana com cortes perdidos em três partidas consecutivas. Co-liderou o campo em Verdes em Porcentagem de Regulamentação (86,11%).
  • Torneio Masters: Terminou T7 no Masters Tournament, seu segundo top-10 consecutivo no evento e 13º entre os 10 primeiros em um campeonato importante.
  • Vivint Houston Open: Depois de atuar como consultor de jogadores durante as reformas do Memorial Park Golf Course, fechou com um par de 65s na terceira e última rodadas para terminar o T5 no Vivint Houston Open. Marcou sua segunda vez postando 65 ou melhor em cada uma das duas rodadas finais de um evento PGA TOUR e a primeira desde a vitória no Campeonato Mundial de Golfe de 2019 - FedEx St. Jude Invitational.
  • Aberto nos EUA: Terminou T4 no Aberto dos EUA em junho, seu quarto top cinco consecutivo no evento (DNP em 2020).
  • Campeonato PGA: Em busca do terceiro título do PGA Championship em quatro anos, terminou o T2 no Ocean Course em Kiawah, sua sétima vitória ou vice-campeão em campeonatos importantes desde o início da temporada de 2017. Marcou seu quinto top cinco em nove partidas no Campeonato PGA.
  • Campeonato Mundial de Golfe - Campeonato do Dia de Trabalho na Concessão: Terminou em um empate a três pelo segundo lugar no World Golf Championships-Workday Championship no The Concession após manter a liderança de 36 buracos. Marcou seu segundo T2 consecutivo em WGCs após um vice-campeão no 2020 WGC-FedEx St. Jude Invitational.
  • Gestão de resíduos Phoenix Open: Venceu o Waste Management Phoenix Open depois de entrar na rodada final perdendo por cinco tacadas, ganhando seu oitavo título do PGA TOUR e o segundo no TPC Scottsdale. Marcou sua primeira vitória no TOUR desde o 2019 World Golf Championships-FedEx St. Jude Invitational. Furo para o eagle no par 4 17 de 97 pés e 5 polegadas na rodada final, tornando-se o primeiro vencedor do evento a alcançar a águia nº 17 na rodada final. Entrou na semana com cortes perdidos em três partidas consecutivas. Co-liderou a área em Verdes em Porcentagem de Regulamentação (86,11%).
  • Torneio Masters: Terminou T7 no Masters Tournament, seu segundo top-10 consecutivo no evento e 13º entre os 10 primeiros em um campeonato importante.
  • Vivint Houston Open: Depois de atuar como consultor de jogadores durante as reformas do Memorial Park Golf Course, fechou com um par de 65s na terceira e última rodadas para terminar o T5 no Vivint Houston Open. Marcou sua segunda vez postando 65 ou melhor em cada uma das duas rodadas finais de um evento PGA TOUR e a primeira desde a vitória no Campeonato Mundial de Golfe de 2019 - FedEx St. Jude Invitational.

Qualificou-se para os Playoffs da FedExCup pela sexta temporada consecutiva, mas não participou devido a uma lesão no joelho, terminando na 104ª posição na classificação da FedExCup e não avançando para o BMW Championship pela primeira vez em sua carreira. Obteve uma seqüência de três temporadas consecutivas com uma vitória. Registrou dois resultados nos 10 primeiros, com destaque para um T2 em sua defesa do título no World Golf Championships-FedEx St. Jude Invitational, e fez oito cortes em uma temporada limitada a 13 partidas.

  • Campeonato PGA: Em sua tentativa pelo terceiro título consecutivo do PGA Championship, fechou com um 4-over 74 para terminar T29. Entrou na rodada final empatado em quarto lugar. Estava tentando se tornar o terceiro jogador desde 1920 a vencer o mesmo campeonato por três anos consecutivos.
  • Campeonato Mundial de Golfe-FedEx St. Jude Invitational: Em sua defesa de título no Campeonato Mundial de Golfe-FedEx St. Jude Invitational, abriu com um 62 a caminho de um T2. Tornou-se o primeiro campeão a terminar em segundo lugar desde Xander Schauffele no Torneio dos Campeões de 2020. Manteve a liderança de duas tacadas após a primeira rodada, tornando-se o primeiro campeão do TOUR a manter a liderança / co-liderança de 18 buracos, uma vez que liderou imediatamente após a primeira rodada do Campeonato PGA 2019. Começou a primeira rodada com quatro birdies consecutivos, abrindo um torneio em um Birdie Streak de quatro pela primeira vez em sua carreira.
  • THE CJ CUP @ NINE BRIDGES: Em sua defesa de título no THE CJ CUP @ NINE BRIDGES, T51 resistiu por duas rodadas antes de desistir devido a uma lesão no joelho esquerdo.

Venceu três vezes, incluindo seu quarto campeonato principal (PGA Championship) e o primeiro título de Campeonato Mundial de Golfe (WGC-FedEx St. Jude Invitational), e avançou para o Campeonato TOUR pela quarta vez em cinco temporadas, terminando a temporada empatada em terceiro em a classificação da FedExCup. Reivindicou o primeiro lugar no Top 10 inaugural do Comcast Business TOUR ao liderar a classificação da FedExCup na conclusão da temporada regular. Defendeu com sucesso seu título no Campeonato PGA, tornando-se o primeiro jogador a vencer tanto no Aberto dos Estados Unidos quanto no Campeonato PGA. Tornou-se o quinto jogador na história do PGA TOUR a terminar entre os cinco primeiros em todos os quatro majors em um único ano e o quinto a ganhar um torneio principal e um WGC na mesma temporada. Foi um dos dois jogadores a terminar cada temporada de 2016-17 a 2018-19 no top 10 da classificação da FedExCup, juntando-se a Justin Thomas. Ocupou o primeiro lugar na classificação da FedExCup por quatro semanas, assumindo a liderança pela primeira vez em sua carreira após a vitória no WGC-FedEx St. Jude Invitational. Mudou-se para a primeira posição no Ranking Mundial Oficial de Golfe pela primeira vez em sua carreira, após uma vitória no primeiro início de temporada. Liderou o PGA TOUR no Par-4 Scoring Average (3,95) e co-liderou nas vitórias (3) e vice-campeões (3). Ganhou nove primeiros 10 e perdeu apenas um corte em 21 partidas.

  • Campeonato TURÍSTICO: Terminou em T3 no Campeonato TOUR, seu segundo top-10 no evento e terceiro de sua carreira nos Playoffs FedExCup. Jogou no grupo final na rodada final com Rory McIlroy, fechando com um 2-over 72 para empatar Justin Thomas para o terceiro lugar. Liderou o campo na Distância de Condução (321,1 jardas).
  • Campeonato Mundial de Golfe-FedEx St. Jude Invitational: Com uma pontuação de 16 abaixo de 264, conquistou sua primeira vitória em Campeonatos Mundiais de Golfe e o sétimo título de sua carreira no PGA TOUR no Campeonato Mundial de Golfe-FedEx St. Jude Invitational. Entrou na rodada final atrás de Rory McIlroy por uma tacada antes de disparar um 65 bogey-free para vencer por três. Com a vitória, conquistou as honras no Comcast Business TOUR Top 10 e tornou-se o primeiro três vezes vencedor da temporada. Tornou-se o quinto jogador a ganhar um WGC e um major na mesma temporada, juntando-se a Tiger Woods (oito vezes), Geoff Ogilvy (2006), Rory McIlroy (2014) e Dustin Johnson (2016). Tornou-se o primeiro jogador a vencer no PGA TOUR entrando na semana em primeiro lugar na classificação da FedExCup desde Bryson DeChambeau no Campeonato Dell Technologies de 2018.
  • O Campeonato Aberto: Com um T4 no The Open Championship, tornou-se o quinto jogador a terminar entre os cinco primeiros em todos os quatro majors em um único ano, juntando-se a Jack Nicklaus, Tiger Woods, Rickie Fowler e Jordan Spieth. Assumiu o primeiro lugar na classificação da FedExCup pela primeira vez em sua carreira.
  • Aberto nos EUA: Em sua tentativa de se tornar o primeiro jogador desde Willie Anderson em 1903-05 a vencer três Aberturas dos EUA consecutivas, terminou em segundo-solo, três chutes de Gary Woodland. Conseguiu seu quarto resultado consecutivo entre os dois primeiros em campeonatos principais (Win / 2018 PGA Championship, T2 / 2019 Masters Tournament, Win / 2019 PGA Championship, 2/2019 U.S. Open). Tornou-se o primeiro jogador da história do Aberto dos EUA a registrar quatro gols nos anos 60 e não vencer (69-69-68-68). Liderou o campo no Percentual de Verdes em Regulação (75,0%) pelo segundo campeonato importante consecutivo.
  • Campeonato PGA: Ganhou seu quarto título importante, abrindo o Campeonato PGA com um 7-under 63 a caminho de sua segunda vitória consecutiva no evento. Tornou-se o primeiro jogador a ganhar títulos consecutivos no PGA Championship e no US Open e juntou-se a outros seis como vencedores de vários títulos em ambos os torneios (Walter Hagen, Gene Sarazen, Ben Hogan, Jack Nicklaus, Lee Trevino e Tiger Woods). Foi o 29º jogador a alcançar quatro vitórias em campeonatos importantes e o primeiro desde Rory McIlroy em 2014. Tornou-se o quarto jogador da era moderna a vencer quatro ou mais majors em um período de oito partidas, juntando-se a Ben Hogan, Jack Nicklaus e Tiger Woods . Foi o primeiro jogador a ganhar o campeonato PGA wire-to-wire desde Hal Sutton em 1983 (quinto no geral) e o primeiro em um campeonato importante desde Jordan Spieth no Masters Tournament 2015. Foi o primeiro jogador na história do Campeonato PGA a manter uma vantagem de sete ou mais tacadas após 36 buracos (7) e o primeiro a fazê-lo após 54 buracos (7). A pontuação de 36 buracos de 128 foi a primeira pontuação de 128 ou melhor na história do campeonato principal. Liderou o campo em Strokes Gained: Tee to Green (4,339 por rodada), Strokes Gained: Approach the Green (2,383 por rodada) e Birdies (19).
  • AT&T Byron Nelson: Como o jogador com a melhor classificação no campo tanto no FedExCup quanto no Official World Golf Ranking, terminou sozinho em quarto lugar no AT&T Byron Nelson por sua segunda colocação entre os cinco primeiros em uma extensão de três largadas no evento. Liderou o campo na distância dos putts feitos, fazendo 433 pés e 7 polegadas no valor de putts.
  • Torneio Masters: Postou quatro pontuações abaixo do par, destacadas por um 66 no primeiro turno, para empatar Dustin Johnson e Xander Schauffele em segundo no Torneio de Masters. Representou o primeiro top 10 em quatro largadas no evento. Jogou o par 5s em 13-under, empatando com Tony Finau como melhor em campo.
  • O Honda Classic: Birdied dois de seus últimos três buracos na rodada final do The Honda Classic para postar um 4-under 66 e reivindicar uma parte do segundo lugar com Rickie Fowler em 8-under 272. O segundo lugar marcou seu sétimo no PGA TOUR e o primeiro entre os 25 primeiros no evento em cinco largadas.
  • THE CJ CUP @ NINE BRIDGES: Em seu primeiro início de temporada e desde que foi nomeado Jogador do Ano 2017-18 do PGA TOUR, ganhou o THE CJ CUP @ NINE BRIDGES na Ilha de Jeju, Coreia do Sul, por quatro tacadas sobre Gary Woodland. Alcançou o par de 21 abaixo do par em 72 buracos pela primeira vez em sua carreira e estabeleceu o recorde do torneio. A rodada final 64 incluiu um back nine de 7 abaixo de 29 com destaque para um final birdie-birdie-par-eagle. Marcou seu quinto título de carreira no PGA TOUR em seu 105º TOUR, começando com a idade de 28 anos, 5 meses e 18 dias. Mudou-se para o número 1 no Ranking Mundial Oficial de Golfe pela primeira vez em sua carreira, suplantando Dustin Johnson.

Eleito o Jogador do Ano do PGA TOUR, vencendo o U.S. Open e o PGA Championship e terminando em 9º na FedExCup. Tornou-se o primeiro jogador desde Jordan Spieth em 2014-15 a vencer dois majors na mesma temporada. Com seu segundo Aberto dos EUA consecutivo, tornou-se o primeiro jogador desde Curtis Strange em 1988 e 1989 a defender com sucesso seu título no evento. Terminou entre os 10 primeiros na classificação da FedExCup pela segunda temporada consecutiva, fazendo 15 cortes em 17 partidas, incluindo seis entre os 10 primeiros. Postado rodadas de baixa temporada de 63 em quatro ocasiões em 17 partidas do PGA TOUR, incluindo a rodada final baixa de todos os tempos no Campeonato dos JOGADORES. Encerrou a temporada com 13 rodadas na década de 60 em quatro eventos FedExCup Playoffs.

  • Ryder Cup: Jogou em sua segunda Ryder Cup pelos Estados Unidos e foi 1-2-1 durante a semana no Le Golf National em Paris, França. No final das contas foi derrotado pelos europeus, 17.5-10.5. Juntou-se a Tony Finau e venceu a partida Friday Four-ball contra Justin Rose e Jon Rahm, 1-up, e reduziu pela metade sua partida individual contra Paul Casey.
  • A CONFIANÇA DO NORTE: Empatou Justin Thomas e Patrick Cantlay pelo oitavo lugar no THE NORTHERN TRUST. Ganhou seu primeiro top 10 em quatro partidas no evento.
  • Campeonato PGA: Em seu 100º início de carreira no PGA TOUR, ganhou seu segundo campeonato importante da temporada e o terceiro no geral, vencendo o PGA Championship por duas tacadas sobre Tiger Woods. Com 264 anos abaixo de 16, estabeleceu um recorde do PGA Championship de 72 buracos. Empatou o recorde do Campeonato PGA de menor pontuação em uma única rodada, com 7 abaixo de 63 na segunda rodada. Com a vitória, tornou-se o primeiro jogador desde Jordan Spieth, em 2015, a vencer dois campeonatos em uma temporada. Tornou-se o 20º jogador a vencer o U.S. Open e o PGA Championship em sua carreira.
  • Campeonato Mundial de Golfe - Bridgestone Invitational: Fechado com um 3-under 67 para terminar sozinho em quinto lugar no World Golf Championships-Bridgestone Invitational. Jogou dois par 5 do Firestone Country Club em um coletivo 8-under durante a semana a caminho de seu segundo top-10 em quatro partidas no evento.
  • Aberto nos EUA: Tornou-se o primeiro vencedor repetido no Aberto dos EUA desde Curtis Strange em 1989, com sua vitória de uma tacada sobre Tommy Fleetwood. Com uma pontuação final de 1 a mais de 281, tornou-se o primeiro vencedor do TOUR com 72 buracos acima do par desde o vencedor do Aberto dos Estados Unidos de 2013, Justin Rose (1 a mais). Passou para o quarto lugar no Ranking Mundial Oficial de Golfe e para o 13º lugar na classificação da FedExCup após a vitória, o terceiro em 95 partidas. Aos 28 anos, 1 mês e 14 dias se tornou o jogador mais jovem a vencer o Aberto dos Estados Unidos desde Ralph Guldahl em 1938 (28). A vitória foi a quinta consecutiva em um torneio importante por um americano na casa dos 20 anos, datando da vitória de Koepka no Aberto dos EUA de 2017. Além de se tornar o 22º vencedor múltiplo do U.S. Open, tornou-se o sétimo a fazê-lo em anos consecutivos. Tornou-se o quarto campeão do US Open (cinco vezes) a manter a liderança / co-liderança de 54 buracos no ano seguinte: Bobby Jones (1924 / terminou em 2 ° lugar em 1930 / vencido), Tom Watson (1983/2), Retief Goosen (2005 / T11), Koepka (2018 / Won). Abriu com 5 a mais de 75, tornando-se o primeiro vencedor desde Raymond Floyd (1986) a abrir com 75 ou mais.
  • Fort Worth Invitational: Terminou o vice-campeão para Justin Rose (por três tacadas) em sua aparição de estreia no Fort Worth Invitational. A semana foi marcada pela segunda e última rodada de 7 menores de 63 anos e marcou seu melhor resultado desde a vitória no Aberto dos Estados Unidos de 2017. Superou seu melhor resultado anterior da temporada (T2 / World Golf Championships-HSBC Champions, também vencido por Rose). Seu total de 263 com 17 subalternos superou a menor pontuação anterior em 72 buracos (265/2016 AT&T Byron Nelson). Liderou o field durante a semana em Strokes Gained: Off the Tee (+5,172).
  • Campeonato THE PLAYERS: Na rodada final do Campeonato THE PLAYERS, fez 2 no par 5 16º (6-iron / 208 jardas) para o quarto albatroz da história do torneio e segundo no 16º (Rafa Cabrera Bello / 2017 / R4). Com 63, registrou a pontuação baixa da rodada final (anteriormente: 64 / duas vezes - Fred Couples / 1996, Davis Love / 2003) e empatou com a pontuação baixa de 18 buracos (oitava instância mais recente: Webb Simpson / 2018 / R2) em A história dos JOGADORES.
  • Campeonatos Mundiais de Golfe - Campeões do HSBC: Começou sua temporada com um T2 no World Golf Championships-HSBC Champions, terminando duas tacadas atrás do vencedor Justin Rose. Começou a rodada final seis atrás do líder da terceira rodada e atingiu 71 para terminar como vice-campeão da sua quinta carreira no TOUR.

Fez o corte em 20 de 24 partidas (com sete finalizações entre os 10 primeiros) durante a campanha 2016-17, com a temporada destacada por sua primeira vitória em um campeonato importante no Aberto dos Estados Unidos. Terminou o ano com o 10º lugar como melhor resultado da carreira na classificação da FedExCup e sua primeira participação na Copa Presidentes.

  • Dunlop Phoenix: Birdied nos dois primeiros buracos da rodada final e terminou com uma águia no buraco 72 para reter o título da Dunlop Phoenix, postando um 4-under 67 para terminar com 20-under 264 no Phoenix Country Club em Miyazaki. Venceu por nove tacadas sobre o compatriota Xander Schauffele (71), Thai Prayad Marksaeng (67) e o sul-coreano Lee Sang-hee (72).
  • Campeonato TURÍSTICO: Registrou um recorde de 2-2-0 em sua estreia na Presidents Cup, o que ajudou a liderar os Estados Unidos na vitória por 19-11 sobre o time internacional. Ambas as suas vitórias vieram em competições de quatro bolas, enquanto emparelhava com Dustin Johnson.
  • Campeonato PGA: Com pontuações de 66-69-68-69--272 (-8), foi um dos apenas dois jogadores a postar quatro pontuações abaixo da média no Campeonato TOUR. Ele terminou sozinho em sexto lugar em 8-under 272.
  • O Campeonato Aberto: Terminou T13 no PGA Championship ao tentar se juntar a Tiger Woods (2000), Jack Nicklaus (1980), Ben Hogan (1948) e Gene Sarazen (1922) como jogadores que ganharam o U.S. Open e o PGA Championship no mesmo ano.
  • Aberto nos EUA: Terminou T6 no The Open Championship ao tentar se juntar aos seguintes jogadores que ganharam o US Open e Open Championship consecutivamente na mesma temporada (5): Tiger Woods (2000), Tom Watson (1982), Lee Trevino (1971), Gene Sarazen (1932), Bobby Jones (1926,1930).
  • Zurique Clássico de Nova Orleans: Ganhou o Aberto dos EUA em Erin Hills com rodadas de 67-70-68-67-272 para seu primeiro campeonato principal e segundo título do PGA TOUR em seu 80º PGA TOUR, começando aos 27 anos, 1 mês e 15 dias. Depois de uma abertura de 3 abaixo de nove na rodada final, three-put no 10º buraco para seu quinto bogey da semana, e primeiro nas costas nove. Com três birdies consecutivos nos buracos 14, 15 e 16, e dois pares finais, veio um atrás no início do dia para selar uma vitória confortável nas quatro tacadas sobre Hideki Matsuyama e Brian Harman. Empatou o total de 16 tacadas de Rory McIlroy em 2011 para a maioria das tacadas abaixo do par, após 72 buracos no Aberto dos Estados Unidos. Compartilhou a liderança de 36 buracos com 7 abaixo de 137 com Paul Casey, Brian Harman e Tommy Fleetwood. Tornou-se o terceiro jogador nos últimos 30 anos a vencer o Aberto dos EUA com 67 ou mais na rodada final - Hale Irwin (1990), Tiger Woods (2000). Acertou 17 dos 18 verdes na rodada final e liderou os Verdes no Regulamento da semana com 62 de 72 (86,11%). Marcou a sexta vez nos últimos 50 anos que o campeão do Aberto dos Estados Unidos venceu por uma margem de quatro tacadas ou melhor. Foi sua quinta largada no Aberto dos EUA e 15º campeonato importante. Um dos apenas três jogadores a postar todas as quatro rodadas abaixo do par (Charley Hoffman, Brandt Snedeker).
  • Valero Texas Open: Juntou-se ao irmão mais novo, Chase, um não membro do PGA TOUR que foi concedido uma isenção de patrocinador, para competir no Zurich Classic de New Orleans. O par birdied os últimos três buracos da rodada final para um 10-under 62 no formato Four-ball para garantir uma finalização T5, dando a Chase uma entrada em campo no Wells Fargo Championship da semana seguinte.
  • Match Plays do Campeonato Mundial de Golfe-Dell Technologies: No Valero Texas Open, superou um 2-over 74 na segunda rodada no TPC San Antonio com pontuações de fim de semana de 70-65 para terminar sozinho em segundo lugar com 11 abaixo de 277, uma tacada atrás de Kevin Chappell. A caminho de seu 7-under 65 na rodada final, birdied no buraco 72 para se colocar em um empate para a liderança, até que Chappell fez birdie no buraco par 5 em casa para a vitória. O 65 foi a pontuação mais baixa do dia e empatou a baixa da semana.
  • Hospitais Shriners para Crianças Abertos: Avançou fora do Group Play no World Golf Championships-Dell Technologies Match Play antes de perder para Alex Noren (3 e 1) nas oitavas de final para terminar o T9.
  • : Em seu primeiro início da temporada 2018-19 do PGA TOUR e o primeiro desde que foi nomeado Jogador do Ano do PGA TOUR 2017-18, ganhou o THE CJ CUP @ NINE BRIDGES na Ilha de Jeju, Coreia do Sul, por quatro tacadas sobre Gary Woodland. Alcançou o par 21 abaixo do esperado em 72 buracos pela primeira vez em sua carreira e estabeleceu o recorde do torneio. A rodada final 64 incluiu um back nine de 7 abaixo de 29 com destaque para um final birdie-birdie-par-eagle. Marcou seu quinto título de carreira no PGA TOUR em seu 105º TOUR, começando com a idade de 28 anos, 5 meses e 18 dias. Mudou-se para o número 1 no Ranking Mundial Oficial de Golfe pela primeira vez em sua carreira, suplantando Dustin Johnson.

Avançou para os Playoffs da FedExCup pela segunda vez consecutiva, graças a 10 resultados entre os 25 primeiros em 18 partidas durante a temporada regular do PGA TOUR. Destes, cinco foram as cinco primeiras exibições. Se manteve vivo durante os primeiros três dos quatro eventos de Playoffs, antes de terminar sua temporada após o Campeonato BMW no 35º lugar na classificação da FedExCup. Ganhou uma vaga no time da Ryder Cup dos Estados Unidos pela primeira vez.

  • Dunlop Phoenix: Impediu que o favorito dos fãs Yuta Ikeda vencesse o Dunlop Phoenix, com birdies nos dois buracos finais levando a uma vitória de 6 abaixo de 65 anos e uma tacada sobre Ikeda. Foi sua sexta vitória internacional
  • Campeonato de viajantes: Fazendo sua estreia na Ryder Cup, teve 3-1 em suas quatro partidas na vitória dos Estados Unidos por 17-11 em Hazeltine. Seu total de três pontos (empatado com Brandt Snedeker) ficou atrás apenas dos 3 pontos e meio de Patrick Reed. Encerrou a semana com uma vitória dominante por 5 e 4 sobre o campeão do Masters em título, Danny Willett.
  • Aberto nos EUA: Em sua próxima largada, terminou em T9 no Travellers Championship, com destaque para um 64 na terceira rodada.
  • FedEx St. Jude Classic: Apesar de uma lesão no tornozelo ainda sensível após o Aberto dos Estados Unidos, conseguiu quatro rodadas de par ou melhor no PGA Championship para reivindicar uma parte do quarto lugar com Hideki Matsuyama e Branden Grace. Com três birdies e uma águia, jogou o 18º buraco par 5 em Baltusrol GC em 5 abaixo do par.
  • AT&T Byron Nelson: Registrou seu segundo vice-campeão consecutivo em sua próxima largada no FedEx St. Jude Classic. Destacado por uma segunda rodada, sem bogey 65, terminou o torneio em 10-under 270, três tacadas atrás do vencedor Daniel Berger. O resultado T2 marcou seu segundo desempenho consecutivo nos três primeiros na TPC Southwind, após um resultado T3 em 2015.
  • Campeonato Mundial de Golfe-Dell Match Play: Terminou com 15 sub 265 (junto com Sergio Garcia) no AT&T Byron Nelson, estabelecendo seu primeiro playoff no PGA TOUR. Perdeu para o par de Garcia, com o vice-campeão resultante terminando sua melhor saída no TOUR nesta temporada. Entrou na rodada final com uma vantagem de duas tacadas sobre Jordan Spieth (marcando sua primeira vantagem no TOUR indo para a rodada final), mas seu 1 a 71 abriu as portas para a vitória de Garcia de volta. Com birdies nos Nos. 7 e 9, mudou-se para 17 abaixo na curva e até aumentou a vantagem para três em um ponto, mas sofreu bogeys consecutivos nos Nos. 14 e 15. Melhorou sua finalização em cada um de seus três largadas no evento (MC / 2014, T16 / 2015, P2 / 2016). Mudou-se para a posição 23 da FedExCup com a aparição nos playoffs.
  • Torneio dos campeões Hyundai: Ganhou uma vaga no último emparelhamento no domingo no Hyundai Tournament of Champions com uma terceira rodada 10-under 63, apenas um tímido do recorde do torneio. Fechou com um 2 abaixo de 71 para terminar T3 e nove tacadas atrás do vencedor Jordan Spieth em sua primeira partida em Kapalua. Postado seu segundo top-10 da temporada com um resultado T8 no AT&T Pebble Beach Pro-Am.
  • Torneio dos campeões Hyundai: Jogando no Campeonato Mundial de Golfe-Dell Match Play pela segunda vez em sua carreira, avançou para as quartas de final pela primeira vez. Teve um recorde de 2-1 no jogo do grupo com vitórias contra Billy Horschel e Jaco Van Zyl e derrotou Matt Kuchar na quarta rodada. Perdeu nas quartas de final para o eventual campeão Jason Day por uma finalização T5.
  • Desafio Hero Mundial: Aos 270 anos, terminou em sétimo solo no Hero World Challenge, sete tacadas atrás do vencedor Bubba Watson. Ele postou o melhor desempenho dos três jogadores que fizeram sua estreia no evento organizado por Tiger Woods. A semana foi marcada por uma terceira rodada de 7 menores de 65 anos.
  • : Depois de fazer a viagem de Xangai, China para Las Vegas, encontrou-se no grupo final no domingo no Shriners Hospitals for Children Open graças a uma abertura 62. A rodada final entrou na liderança de Rod Pampling. Terminou a rodada final com 4 abaixo de 67 e terminou sozinho em segundo lugar, seu terceiro vice-campeão no TOUR.

Desfrutou de uma temporada inovadora, com sua primeira vitória no PGA TOUR (Waste Management Phoenix Open), um 24º lugar na FedExCup e melhores números da carreira entre os 10 primeiros (oito), os 25 melhores (14) e cortes feitos (20 ) Saltou para o 12º lugar na classificação da FedExCup e entrou nos Playoffs depois de terminar T6 no World Golf Championships-Bridgestone Invitational, T5 no PGA Championship e T6 no Wyndham Championship.

  • Campeonato TOUR pela Coca-Cola: Terminou a temporada com uma finalização T18 em sua primeira largada no Campeonato TOUR pela Coca-Cola. Estreou com um par 72 em Carnoustie no Campeonato Alfred Dunhill Links do European Tour no início de outubro. Foi estelar depois disso, disparando uma segunda rodada 69 (em Kingsbarn) e rodadas de fim de semana de 64-67 em St. Andrews, apenas para cair duas tacadas antes do vencedor Thorbjorn Olesen. Resolvi o T2 com o compatriota Chris Stroud na Escócia.
  • Campeonato Wyndham: Terminou T6 no Wyndham Championship em seu segundo início de carreira em Greensboro.
  • Campeonato PGA: Superou um 1-over 73 na rodada de abertura do PGA Championship com resultados subsequentes de 69-67-66 para terminar T5 em 13-under 275 em Whistling Straits. Na primeira rodada, seguiram-se três bogeys consecutivos com cinco birdies consecutivos, nos números 10-14. A caminho de seu domingo de 66, fez seis birdies e uma águia, contra apenas dois bogeys.
  • RBC Canadian Open: Teve uma finalização T10 no The Open Championship em St. Andrews, impulsionado por fechar sem um bogey nos 37 buracos finais. Tem cinco resultados entre os 20 primeiros em apenas 10 participações em campeonatos principais, liderados por um T4 no Aberto dos EUA de 2014. Seu melhor resultado anterior no The Open Championship foi T67 em 2014.
  • FedEx St. Jude Classic: Manteve a liderança do segundo turno do FedEx St. Jude Classic. No final das contas terminou T3 após rodadas de final de semana de 71-70.
  • Gestão de resíduos Phoenix Open: Em sua primeira partida no Waste Management Phoenix Open, começou a rodada final a três tacadas de Martin Laird com 13 tacadas de vantagem. Disparou um 5-under 66 bogey-free no domingo, com destaque para uma tacada de águia de 50 pés do green no buraco 15 do par 5 para reivindicar sua primeira vitória da carreira no PGA TOUR por uma tacada sobre Bubba Watson, Ryan Palmer e Hideki Matsuyama . Concluiu com menos de 15 anos de idade 269. Quando questionado sobre a confiança que exala, disse que a atribui a uma mudança positiva de personalidade que sofreu quando sua mãe se tornou uma sobrevivente do câncer.
  • Hospitais Shriners para Crianças Abertos: Registrou-se consecutivamente no top 10 pela primeira vez no PGA TOUR com quatro rodadas nos anos 60 no Shriners Hospitals for Children Open to T4, cinco tacadas atrás do vencedor Ben Martin.
  • Frys.com Open: Abriu a temporada consecutivamente entre os 10 primeiros no Frys.com Open (T8) e no Shriners Hospitals for Children Open (T4), marcando a primeira vez que ele bateu nos 10 primeiros consecutivos no TOUR.

Fez 12 dos 16 cortes no PGA TOUR, com dois dos 10 melhores como não membros. Ganhou pontos / dinheiro de não associados FedExCup suficientes durante a temporada para obter Associação Temporária Especial. Parlay terminou entre os 125 primeiros na lista de pontos não-membros da FedExCup para ganhar seu cartão TOUR para a temporada 2014-15. Terminou em oitavo lugar na classificação final do European Tour's Race to Dubai após o evento final no final de novembro de 2014. Após o evento, o European Tour nomeou-o como Sir Henry Cotton Rookie of the Year.

  • Aberto da Turkish Airlines: Começou a rodada final do Turkish Airlines Open do European Tour em novembro de 2014 empatado em quinto lugar, duas tacadas atrás do líder de 54 buracos Wade Ormsby. Fez quatro birdies da frente no The Montgomerie Maxx Royal, em seguida, acrescentou outro birdie no No. 10 e uma águia no No. 13 durante seu bogey-free, 7-under 65, que levou ao seu primeiro título do European Tour, um triunfo de um tiro sobre Ian Poulter. Jogou seus 33 buracos finais no par ou melhor. A vitória foi a quinta desde que se tornou profissional e o primeiro título do European Tour a ir com quatro vitórias no European Challenge Tour.
  • Campeonato Alfred Dunhill Links: Tiro rodadas de fim de semana de 64-68 no Campeonato Alfred Dunhill Links do European Tour em outubro de 2014 para T9, quatro tacadas atrás do campeão Oliver Wilson.
  • Mestres Omega Europeus: Em setembro, disputou o Omega European Masters, na Suíça, terminando com uma chance no playoff de David Lipsky-Graeme Storm. Desfrutou de quatro rodadas sub-70 em Crans-sur-Sierre GC (65-65-66-67) para T3 com Tyrrell Hatton.
  • Aberto nos EUA: Terminou T4 no Aberto dos Estados Unidos no No. 2 de Pinehurst, 10 tacadas atrás do vencedor em fuga Martin Kaymer. Ao terminar entre os quatro primeiros, garantiu uma vaga no U.S. Open 2015. A aparição na Carolina do Norte foi sua quarta largada em um torneio importante, com seu único outro corte chegando no PGA Championship (T70) de 2013.
  • Omega Dubai Desert Classic: No European Tour, lutou no Omega Dubai Desert Classic, abrindo por 69-65 no Emirates GC para ficar atrás da vantagem de 36 buracos de Rory McIlroy. Terminou com rounds de 70-70 a T3 com Romain Wattel, dois chutes atrás do vencedor Stephen Gallacher.
  • Frys.com Open: Fazendo seu primeiro campeonato não principal no PGA TOUR, terminou T3 no Frys.com Open. Rodadas de 67-64 levaram a uma vantagem de 36 buracos por uma tacada seguida por 67 na terceira rodada e uma vantagem de duas tacadas com 18 buracos para jogar. As esperanças de título foram frustradas com bogeys nos números 16 e 17, terminando três tacadas atrás do campeão Jimmy Walker.
  • Mestres Omega Europeus: Teve quatro rodadas sub-70 em setembro para T7 no Omega European Masters na Suíça.
  • O Campeonato Aberto: Ganhou uma vaga no The Open Championship, levando honras de medalha na Qualificação Internacional para a Europa, disputando rounds de 69-65 em Sunningdale. Apenas outras partidas do PGA TOUR até aquele momento vieram no PGA Championship (T70). Perdeu o corte no The Open.
  • Desafio Hidro Escocês: A terceira vitória da temporada, uma vitória que lhe rendeu uma promoção imediata ao European Tour, veio no Scottish Hydro Challenge, uma vitória de três tacadas sobre Byeong-Hun An, Andrea Pavan, Steven Tiley e Sam Walker. Atirou em uma 62 terceira rodada em Macdonald Spey Valley GC em Aviemore, Escócia. Ao vencer três vezes, ele se tornou o primeiro americano a vencer três eventos do Challenge Tour em uma temporada e juntou-se a Taco Remkes (2008), Edoardo Molinari (2009), Benjamin Hebert e Sam Little (2011) e Kristoffer Broberg (2012) para ganhar o Challenge Tour's in-season promotion.
  • Fred Olesen Challenge de Espana: Second victory came on the Canary Islands, a whopping 10-shot triumph over Luis Claverie at the Fred Olesen Challenge de Espana. Trailed by one shot after 18 holes and was tied with Edouard Dubois at the halfway mark. He took control of the tournament with a second 64 for the week, his 7-under day in the third round giving him a four-shot lead with 18 to play. His final-round, 5-under 66 earned him the 10-stroke victory over three players. His win shattered the European Challenge Tour's margin-of-victory record of eight strokes, jointly held by Bradley Dredge (2003 Madeira Islands Open) and Markus Brier (2004 Austrian Open).
  • WNB Golf Classic: Made his Korn Ferry Tour debut, at the WNB Golf Classic, opening with a 74 in Texas and then shooting three consecutive sub-par rounds (68-71-71) to T40.

Committed to a full schedule in Europe and won three times on the European Challenge Tour, earning an immediate promotion to the European Tour for the remainder of the season and into 2014. First victory of the campaign came at the Montecchia Golf Open, shooting a third-round 62 and coasting to a seven-shot victory over Agustin Domingo in Padova, Italy.


PROSPERITY

Mass-produced consumer goods like automobiles and ready-to-wear clothes were not new to the 1920s, nor were advertising or mail-order catalogues. Mas algo was new about Americans' relationship with manufactured products, and it was accelerating faster than it could be defined. Not only did the latest goods become necessities, consumption itself became a necessity, it seemed. Was that good for America? sim, said some&mdashpeople can live in unprecedented comfort and material security. Not so fast, said others&mdashcan we predict where consumerism will take us before we're inextricably ?

Collected commentary. Advertising, installment buying, consumer credit, the allure of ever-better mass-produced goods&mdashdid these herald the triumph or decay of American civilization? Illustrated with numerous advertisements, this collection samples the ardent opinions voiced by champions and critics of "consumptionism" in the 1920s. What was the core of their disagreement? Did they agree on any central points? How does their discussion resemble today's commentary on consumerism? Selections can be divided among students for research and classroom discussion. (16 pp.)

The Cathedrals of Fifth Avenue, oil on canvas, 1931. In a personal style unique among the American modernists, artist Florine Stettheimer created her Cathedrals series to showcase, and whimsically satirize, New York City's pre-eminence in entertainment, consumerism, finance, and art. The four large paintings&mdasheach five feet by four feet&mdashare flamboyant, witty, unapologetically busy, and incontestably eye-catching. Each unfurls from a central arch, the "cathedral altar," and is constructed like an "elaborate stage design for an over-the-top Broadway musical production number." 1 In The Cathedrals of Fifth Avenue, the "cathedrals" are the secular temples of consumer worship&mdashthe exclusive shops and restaurants of Fifth Avenue, their names and logos emblazoned in the sky like fireworks. At center is the cathedral "altar," modeled on the entrance to St. Patrick's Roman Catholic Cathedral, as a society wedding party exits the church and enters the enticing secular domain of Fifth Avenue. What response to the painting, and to consumerism, do you think Stettheimer intended? Why is the painting fun to look at (and why is it important to ask)? Comparar The Cathedrals of Fifth Avenue com The Cathedrals of Broadway in this collection. (2 pp.) METROPOLITAN MUSEUM OF ART/NHC

Humorists on salesmanship. "For better or for worse," wrote consumer activist Stuart Chase, "we have entered the Age of the Salesman. The final objective of the salesman is to put it across, to get away with it, to secure the order. The signature on the dotted line becomes the Supreme Good." 2 In numerous articles with hard-hitting prose, Chase warned Americans of the wiles of modern salesmanship. And in their unique fashion, so did humorists. Here we read columns by two of the most popular humorists of the 1920s&mdashthe urban wit Robert Benchley, on "How to Sell Goods," and the "cowboy philosopher" Will Rogers decrying slogans in advertising and politics. (See Rogers on credit buying and Chase on the "Age of the Salesman" in the collected commentary.) What unique modes of conveying a message does humor offer? What constitutes a successful use of humor in persuasive prose? (4 pp.)

Silent theater commercials. Imagine yourself settled into a movie theater seat and viewing these brief ads for flour, hand cleaner, and the electric refrigerator before the main feature. How did the producers hope to motivate the viewers to buy the products? What did they use as visual enticement? What information did they convey? Did any use humor? Which of the three ads was most successful, in your opinion? How do they compare with movie theater advertising today? LIBRARY OF CONGRESS


Introdução

Childhood screen-time has increased over the years[1–4]. Increased screen-time has been associated with unhealthy dietary patterns, poor sleep quality, cardiovascular disease, and obesity[5] in children. In 2016, the new Canadian 24-hour Movement Guidelines[6, 7] recommend that children aged five and over should have less than two-hours of screen-time/day, while limiting screen-time to less than one-hour/day for two-four year olds. It has been estimated that children between three to five years old are exposed to an average of two-hours of screen-time per day[8–13] in Canada.

There has been a significant increase in screen options in recent years, from device choices to streaming content, with rising concern that screen-time may have negative consequences for mental health[14]. Studies of school-aged children have shown associations between increased television viewing time and attention problems[15–17]. The Dunedin Study found that increased television viewing from five to eleven years old was associated with attention problems in adolescence[18]. In their study sample, children reportedly watched an average of 2-hours of television each day between[18]. Recent study examining adolescent sedentary behaviors among suggested that screen-time should be considered a risk factor for attention deficit hyperactivity disorder (ADHD) symptoms[19]. Swing et al[20] reported that television viewing time greater than 2-hours per day was associated with increased attention problems among older children. A meta-analysis concluded that television viewing or gaming among 4–17 years old children was modestly associated with later ADHD symptoms[4]. Reports in toddlers and preschoolers have linked television viewing time above 1.5 hours to later behavioral and emotional problems[8]. There is less research examining associations between screen-time exposure and behavioral development in the preschool years. Most studies have focused on school-aged children, only considered traditional screen sources such as television viewing, or did not allow for many potential confounders.

We analyzed data from the population-based Canadian Healthy Infant Longitudinal Development (CHILD) birth cohort study to determine associations between screen-time and behavioral outcomes at age 5 years. Prolonged screen-time may displace time spent in other activities such as active play important to promoting development in young children[21, 22]. The extensive CHILD Study assessment allowed us to examine major determinants of mental health including movement behaviors (e.g. screen-time, sleep, physical activity) in addition to important covariates such as parenting stress, socioeconomic status, marital status, and breastfeeding. We investigated whether parents of children exposed to more screen-time reported more externalizing and internalizing behavior problems at 5 years of age. We sought to determine if increased screen-time above the Canadian recommended guideline is associated with clinically significant behavior problems in young children. We hypothesized that children exposed to screen-time above the 2-hour threshold would exhibit clinically significant (T-Score ≥65) ADHD type behavior problems.


Revolução Francesa

The turmoil of the French Revolution created opportunities for ambitious military leaders like Napoleon. The young leader quickly showed his support for the Jacobins, a far-left political movement and the most well-known and popular political club from the French Revolution.

In 1792, three years after the Revolution had begun, France was declared a republic the following year, King Louis XVI was executed. Ultimately, these acts led to the rise of Maximilien de Robespierre and what became, essentially, the dictatorship of the Committee of Public Safety. 

The years of 1793 and 1794 came to be known as the Reign of Terror, in which many as 40,000 people were killed. Eventually the Jacobins fell from power and Robespierre was executed. In 1795, the Directory (the French Revolutionary government) took control of the country, a power it would it assume until 1799.


Ecological Footprint

Ecological Footprint accounting measures the exigem on and supply of nature.

On the demand side, the Ecological Footprint adds up all the productive areas for which a population, a person or a product competes. It measures the ecological assets that a given population or product requires to produce the natural resources it consumes (including plant-based food and fiber products, livestock and fish products, timber and other forest products, space for urban infrastructure) and to absorb its waste, especially carbon emissions.

The Ecological Footprint tracks the use of productive surface areas. Typically these areas are: cropland, grazing land, fishing grounds, built-up land, forest area, and carbon demand on land.

On the supply side, a city, state or nation’s biocapacity represents the productivity of its ecological assets (including cropland, grazing land, forest land, fishing grounds, and built-up land). These areas, especially if left unharvested, can also serve to absorb the waste we generate, especially our carbon emissions from burning fossil fuel.

Both the Ecological Footprint and biocapacity are expressed in global hectares —globally comparable, standardized hectares with world average productivity.

Each city, state or nation’s Ecological Footprint can be compared to its biocapacity.

If a population’s Ecological Footprint exceeds the region’s biocapacity, that region runs a biocapacity deficit. Its demand for the goods and services that its land and seas can provide—fruits and vegetables, meat, fish, wood, cotton for clothing, and carbon dioxide absorption—exceeds what the region’s ecosystems can regenerate. In more popular communications, we also call this “an ecological deficit.” A region in ecological deficit meets demand by importing, liquidating its own ecological assets (such as overfishing), and/or emitting carbon dioxide into the atmosphere. If a region’s biocapacity exceeds its Ecological Footprint, it has a biocapacity reserve.

Conceived in 1990 by Mathis Wackernagel and William Rees at the University of British Columbia, the Ecological Footprint launched the broader Footprint movement, including the carbon Footprint, and is now widely used by scientists, businesses, governments, individuals, and institutions working to monitor ecological resource use and advance sustainable development. The most prominent calculations are those produced for countries. We call those the National Footprint and Biocapacity Accounts.

A rich and accessible introduction to the theory and practice of the approach is available in the book Ecological Footprint: Managing Our Biocapacity Budget (2019).


McGraw-Hill Reading Wonders

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Please email me with any corrections needed. I work on these late at night and make many mistakes.

Copyright ©-The Teacher's Guide 2014-Free worksheets, printouts, lesson plans, SMARTBoard templates, and more.


Board resolution for opening of a company bank account

CERTIFIED TRUE COPY OF THE RESOLUTION PASSED AT THE MEETING OF THE BOARD OF DIRECTORS OF (NOME DA EMPRESA) HELD AT THE REGISTERED OFFICE OF THE COMPANY AT ( ADDRESS ) SOBRE (DATE) NO (TIME)

A proposal to open a current Account with the (Bank Name and Address) was placed before the Board for conducting its day-to-day financial transactions. After discussions, the Board unanimously:

“RESOLVED THAT Current Account in the name & style of ‘ (NOME DA EMPRESA) be opened with the (Bank Name and Address), for the operations of the activities of the Company and that the following Authorized Signatory(ies) of the Company be and are hereby authorized to open and operate the said account:

  1. THAT the said Bank be instructed to accept and act upon any instructions relating to the account kept in the name of the Company or relating to any transactions of the Company with the Bank, provided the instructions are signed by the authorized signatory(ies) of the Company in the manner mentioned as above.
  1. THAT the said Bank be instructed to accept receipts for money, deeds, securities or other documents or papers or property or any indemnities given on behalf of the Company provided they are signed by the authorized signatory(ies) of the Company in the manner as mentioned above.
  1. THAT the bank be furnished with a list of the names of Directors of the Company and a copy of the Memorandum & Articles of Association and be from time to time informed by notice in writing under the hand of the Directors/Authorized Signatory of the Company of any changes which may take place therein and be entitled to act upon any such notice until the receipt of further notice under the hand of any Directors / Authorized Signatory.
  1. THAT the resolution be communicated to the Bank and remain in force until duly rescinded and notice thereof in writing be given to the Bank by any of the Directors of the Company.”

“RESOLVED FURTHER THAT the aforesaid power entrusted to the said official shall be valid and effective unless revoked earlier by the Board or shall be exercisable by him so long as he is in the concerned to the Company.”

“RESOLVED FURTHER THAT all acts, deeds, things, matters, etc. as aforestated shall be deemed to be valid and enforceable only if they are consistent with the instant resolution as may be relevant in this case and that the Board shall not be responsible for any acts beyond the scope of the aforestated powers done by (Name of the authorized person(s) and such invalid, illegal acts, and acts done beyond the scope of powers granted in this Resolution shall not bind the Company against any third parties or before any authorities in any manner and that the Board shall not be answerable in that behalf.”

“RESOLVED FURTHER THAT a certified copy of the resolution be given to any one concerned or interested in the matter.”

(NOME DA EMPRESA)

(Director Name)


Children's Christmas Games and Activities - Christmas Fun

Printable Christmas Cards
Type your message into these quarter-fold cards. Each card can have a salutation, message and signature - just like writing a real letter!

Print the card and color with crayons or colored pencils. Fold and insert into our envelope that you can learn how to address.

Shhhh. Amazon Secret Sale ! (unadvertised discounts)
Items are sorted by ages and categories. Includes Angry Birds, Legos, Barbie, Dora, Leapfrog Learn-to-Read, Webkinz, Transformers e mais!

40 - 75% off Toys and Games - Once you get to the secret sale page, use the navigation on the left to find toys on sale by age or brand name. (affiliate link)

40 - 75% off Cameras and Accessories - Once you get to the secret sale page, use the navigation on the left to find cameras on sale by brand name. Some great deals if you shop right! (affiliate link)

Other activities you may be interested in:

Note: Christmas holiday resources can be found in two separate categories.


37 thoughts on &ldquo PubMed Journals will be shut down &rdquo

This post is not very useful as it does not provide suggestions for alternatives !!

What does this mean? I followed a link to an article and I get this page? How am I supposed to see the article?!

I am in the same situation, what a ……. is that, are you kidding us?

The PubMed Journals site now redirects here, as that experiment is now over. You should be able to search and find articles on PubMed, as usual. Please email us at [email protected] if you’re having trouble.

Same lol I am supposed to research something but I guess I am kind of screwed now

Does this mean that PubMed will no longer be publicly accessible? Surely not? What DOES it mean? Where is the headlined article? Will someone reply to this? I see similar questions, but no replies.

This means that the PubMed Journals experimental site is no longer available. You can read this blog post if you’d like to know what features PubMed Journals had.

PubMed, however, is still publicly accessible.

Terrible news. I have referred so many of my students to this to help them as teachers. I guess another budget cut in the wrong place.

Yes terribly unfair and in-adapted to the actual situation, it should have been more opened instead, incredible and so disappointed !

OH MEU DEUS! WhAT. NOOOooo!! This is HORRIBLE NEWS! I feel like a part of me has been robbed, lost and taken from me with no regard! Say this isnt so!! WHY.

NOO pleas, still PubMed publications are more reliable

PubMed offered the ability to maximize easy access to current research from the laboratories around the world from your home computer!! in any article, citations of information could be checked for interpretation versus accuracy. Any new ideas could be explored for possibility of validity. The site leveled the playing field for a scientist in city college without a lab versus labs in Harvard or Yale. Innovation without funding versus current accepted funded theories have research results at their finger tips, free of pre-conceived prejudice. The site provides the most fertile basis and potential for new discoveries without bias. Your PubMed is a HUGE success! Continue to provide a portal for unbiased access to immediate unfolding research to foster science based creativity.

Is this because of the current Trump administration ?

At NCBI, we’re constantly working to improve our resources and serve you as best as we can. Sometimes that requires retiring tools or other resources. PubMed Journals was an NCBI Labs experiment, which means that it was always subject to changes or retirement. We hope to include features from PubMed Journals into future NCBI products.

Thanks for sharing this valuable and authentic information with us. Please share something more knowledgeable like that.


Assista o vídeo: Wydarzenia - wydanie z dnia 24 lipca 2013 r. (Dezembro 2021).