Podcasts de história

Grandes eventos, destaques esportivos e prêmios Nobel de 1925 - História

Grandes eventos, destaques esportivos e prêmios Nobel de 1925 - História

Grandes eventos de 1925

  • Esportes

    US Open (golfe): Willie MacFarlane Pontuação: 297 Campo: Worcester CC Localização: Worcester, MA
    World Series: Pittsburgh Pirates vs. Washington Twins Series: 4-3

    Prémios Nobel

    Química
    ZSIGMONDY, RICHARD ADOLF, Alemanha, Universidade Goettingen, b. 1865 (em Viena, Áustria), d. 1929: "por sua demonstração da natureza heterogênea das soluções coloidais e pelos métodos que utilizou, que desde então se tornaram fundamentais na química coloidal moderna"

    Literatura
    SHAW, GEORGE BERNARD, Grã-Bretanha, b. 1856 (em Dublin, Irlanda), d. 1950: "por sua obra que é marcada pelo idealismo e pela humanidade, sua estimulante sátira muitas vezes impregnada de uma beleza poética singular"

    Paz
    O prêmio foi concedido em conjunto a: CHAMBERLAIN, Sir AUSTEN, Grã-Bretanha, b. 1863, d. 1937: Ministro das Relações Exteriores. Negociador do Tratado de Locarno. DAWES, CHARLES GATES, EUA, b. 1865, d. 1951: Vice-presidente dos Estados Unidos da América. Presidente da Comissão Aliada de Reparação. Originador do Plano Dawes.

    Fisiologia ou Medicina
    O prêmio em dinheiro foi alocado para o Fundo Especial desta seção de prêmios.

    Física
    FRANCK, JAMES, Alemanha, Goettingen University, b. 1882, d. 1964; e HERTZ, GUSTAV, Alemanha, Halle University, b. 1887, d. 1975: "pela descoberta das leis que regem o impacto de um elétron sobre um átomo"

    Prêmios Pulitzer

    Drama: Sidney Howard ... "Eles sabiam o que queriam"
    Ficção: Edna Ferber ... "So Big"
    História: Frederick L. Paxton ... "A History of the American Frontier"


  • Os prêmios

    Cada Prêmio Nobel consiste em uma medalha de ouro, um diploma com uma menção honrosa e uma quantia em dinheiro, cujo valor depende da receita da Fundação Nobel. Um Prêmio Nobel é dado inteiramente a uma pessoa, dividido igualmente entre duas pessoas, ou compartilhado por três pessoas. No último caso, cada uma das três pessoas pode receber um terço do prêmio ou duas juntas podem receber metade. Às vezes, um prêmio é retido até o ano seguinte, se não for concedido, é devolvido aos fundos, o que também acontece quando um prêmio não é concedido nem reservado. Dois prêmios no mesmo campo - ou seja, o prêmio retido do ano anterior e o prêmio do ano atual - podem, portanto, ser concedidos em um ano. Se um prêmio for recusado ou não aceito antes de uma data definida, o dinheiro do prêmio volta para os fundos. Alguns prêmios foram recusados ​​por seus vencedores e, em certos casos, os governos se recusaram a permitir que seus cidadãos os aceitassem. Mesmo assim, aqueles que ganham um prêmio são incluídos na lista de ganhadores do Nobel com a observação "recusou o prêmio". Os motivos para a não aceitação podem variar, mas na maioria das vezes o motivo foi a pressão externa. Por exemplo, em 1937, Adolf Hitler proibiu os alemães no futuro de aceitar o Prêmio Nobel porque havia ficado furioso com a concessão do Prêmio da Paz de 1935 ao jornalista antinazista Carl von Ossietzky, que na época era prisioneiro político na Alemanha. Em alguns casos, o recusador explicou mais tarde o verdadeiro motivo da recusa e recebeu a medalha de ouro Nobel e o diploma - mas não o dinheiro, que invariavelmente reverte para os fundos após um certo período de tempo.

    Os prêmios são retidos ou não concedidos quando nenhum candidato digno no sentido do testamento do Nobel pode ser encontrado ou quando a situação mundial impede a coleta de informações necessárias para se chegar a uma decisão, como aconteceu durante as Guerras Mundiais I e II. Os prêmios estão abertos a todos, independentemente de nacionalidade, raça, credo ou ideologia. Eles podem ser concedidos mais de uma vez ao mesmo destinatário. As apresentações cerimoniais dos prêmios de física, química, fisiologia ou medicina, literatura e economia acontecem em Estocolmo, e as da paz em Oslo em 10 de dezembro, aniversário da morte de Nobel. Os laureados geralmente recebem seus prêmios pessoalmente e cada um apresenta uma palestra relacionada às cerimônias de premiação.

    Os princípios gerais que regem os prêmios foram estabelecidos por Alfred Nobel em seu testamento. Em 1900, regras suplementares de interpretação e administração foram acordadas entre os executores, representantes das instituições premiadas e a família Nobel, e foram confirmadas pelo rei em conselho. Essas regras estatutárias, em geral, permaneceram inalteradas, mas foram um tanto modificadas em sua aplicação. Por exemplo, a estipulação do Nobel de que os prêmios seriam concedidos por realizações feitas durante "o ano anterior" era obviamente impraticável no que diz respeito a cientistas e até mesmo escritores, o verdadeiro significado de cujas descobertas, pesquisas ou escritos pode não ser geralmente aparente por vários anos. A estipulação ambígua de Nobel de que o prêmio de literatura fosse concedido aos autores de obras de "tendência idealista" foi interpretada estritamente no início, mas foi gradualmente interpretada de forma mais flexível. A base para o prêmio de economia foi científica - ou seja, matemática ou estatística, ao invés de política ou social.

    Os prêmios Nobel de física, química e fisiologia ou medicina foram geralmente os menos controversos, enquanto os de literatura e paz foram, por sua própria natureza, os mais expostos a diferenças críticas. O Prêmio da Paz foi o prêmio mais frequentemente reservado ou retido.


    Prêmios do Prêmio Nobel por gênero em cada categoria


    A divisão dos prêmios Nobel por gênero e por categoria sugere que as mulheres foram consideradas mais adequadas para empreendimentos & # 34soft & # 34 e & # 34humane & # 34, como literatura e paz, enquanto os homens foram considerados mais talentosos para os & # 34hard & # 34, & # 34no-nonsense & # 34 trabalho científico, como física ou química. De fato, 29,3 & # 37 de todos os prêmios Nobel recebidos por mulheres foram para a paz & # 4010.3 & # 37 para homens & # 41 e 27,6 & # 37 para literatura & # 4011.5 & # 37 para homens & # 41. Quanto aos homens, os maiores percentuais foram em física e fisiologia, com cerca de 24 & # 37 de todos os prêmios Nobel masculinos em cada disciplina, seguido pela química com um pouco mais de 20 & # 37.

    A questão é como essas proporções devem ser interpretadas? Eles são um indicador confiável de habilidade intelectual, ou melhor, um mero indicador sociológico de um preconceito centrado no homem? A resposta exigiria uma investigação mais aprofundada, mas perguntar já é o começo de uma resposta.


    Os 10 vencedores do prêmio Nobel mais nobres de todos os tempos

    Os prêmios Nobel de 2011 serão entregues esta semana. Até agora, o prêmio de fisiologia ou medicina foi para um trio de pesquisadores que descobriram vários aspectos da natureza da imunidade, e o prêmio de física foi para um trio de físicos que descobriram no final dos anos 1990 que a expansão do universo é acelerando.

    Essas conquistas são realmente grandes, e os vencedores se juntam a uma lista de alguns dos melhores representantes da humanidade. Aqui está uma amostra de notáveis ​​ganhadores do Prêmio Nobel do passado e o que eles realizaram. [Galeria de vencedores notáveis]

    Quem melhor para começar esta lista do que talvez o cientista mais famoso da história do mundo? Albert Einstein ganhou o Prêmio Nobel de Física em 1921 por descobrir a causa do "efeito fotoelétrico". Este foi um fenômeno desconcertante no qual os átomos, quando bombardeados com luz, emitiam elétrons. Em 1905, Einstein argumentou que a luz era dividida em pacotes discretos (que agora chamamos de fótons). Ele teorizou que, quando esses pacotes de luz atingiram os átomos, os elétrons desses átomos os absorveram e, com a energia extra, se libertaram dos átomos que os uniam.

    O fato de a luz ser composta de partículas que são absorvidas e emitidas por átomos foi apenas uma das muitas descobertas revolucionárias de Einstein. Ele também apresentou as teorias da relatividade geral e especial, e descobriu que matéria e energia são equivalentes (conforme incorporado na equação E = mc & sup2). Um verdadeiro polímata & mdash dentro da ciência, pelo menos & mdash ele até escreveu um artigo explicando por que a "proporção sinuosa" média de um rio & mdash a proporção de seu comprimento para a distância entre sua nascente e a foz enquanto o corvo voa & mdash é igual a pi.

    Marie Curie foi a primeira pessoa a ganhar dois prêmios Nobel e é uma das únicas duas pessoas na história do Nobel a ganhar em dois campos diferentes. Ela e seu marido Pierre, junto com Henri Becquerel, ganharam o Prêmio de Física em 1903 pela descoberta da radioatividade. Ela então ganhou para a química em 1911 por descobrir os elementos rádio e polônio e investigar suas propriedades. [Quais são as coisas do dia a dia ao nosso redor são radioativas?]

    Os Curie são os queridinhos do Prêmio Nobel. Além das vitórias de Marie e Pierre, sua filha Irene Joliot-Curie recebeu o prêmio de química em 1935 junto com seu marido, Fr & eacuted & eacuteric. E Henry Labouisse, marido da segunda filha de Marie Curie, era o diretor do UNICEF quando a organização internacional ganhou o Prêmio Nobel da Paz em 1965.

    Sir Alexander Fleming & amp Co.

    O Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina de 1945 foi para Sir Alexander Fleming, Ernst Chain e Sir Howard Florey pela descoberta da penicilina, um fungo, e seu uso como antibiótico.

    O senso comum diz que Sir Alexander fez a descoberta acidentalmente quando comeu um pedaço de pão mofado e ficou curado de uma doença infecciosa. O grão da verdade na história é que a descoberta foi de fato um acidente. Fleming saiu de férias em agosto de 1928 e voltou ao laboratório no início de setembro para descobrir que um fungo havia se desenvolvido em uma pilha de placas de Petri contendo bactérias. As bactérias morreram nas placas imediatamente ao redor do fungo, enquanto as bactérias nas placas mais distantes não foram afetadas.

    Fleming passou as duas décadas seguintes investigando os efeitos antibacterianos do que ele inicialmente chamou de "suco de fungo" e mais tarde chamou de "penicilina" em homenagem ao gênero do fungo (Penicillium). Chain e Florey contribuíram conduzindo testes clínicos rigorosos que provaram a grande utilidade da penicilina e descobrindo como purificá-la e produzi-la em massa.

    A penicilina cura infecções por estafilococos, escarlatina, gonorreia, pneumonia, meningite, difteria, sífilis e outras doenças infecciosas graves.

    Em 1946, um americano chamado Hermann Muller recebeu o Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina por descobrir que a radiação causa mutações. Biólogo por formação, ele passou a década de 1920 investigando os efeitos dos raios X em vários organismos e, em 1926, encontrou uma ligação clara entre a exposição à radiação e as mutações letais. Nos anos seguintes, Muller trabalhou incansavelmente para divulgar os graves perigos da exposição à radiação. Quando seu trabalho foi reconhecido pelo Comitê do Nobel, chamou a atenção do público para os efeitos da precipitação nuclear na saúde, especialmente após os bombardeios atômicos de 1945 em Hiroshima e Nagasaki.

    Pelo resto de sua vida, Muller foi uma voz de liderança na campanha contra os testes de armas nucleares e trabalhou para dissipar a ameaça de guerra nuclear. [Quantas mutações genéticas eu tenho?]

    Watson, Crick e amp Wilkins

    Francis Crick e James Watson ganharam o Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina em 1962 por sua descoberta de que o DNA tem a forma de uma dupla hélice. Maurice Wilkins dividiu o prêmio com eles por produzirem algumas das primeiras evidências em apoio à sua afirmação & mdash ele usou uma técnica chamada cristalografia de raios-X para mapear a forma da molécula de DNA.

    Seu prêmio continua controverso por causa de quem foi deixado de fora da lista de homenageados. Watson e Crick formaram sua hipótese sobre a forma do DNA em 1953 somente após analisar uma imagem de difração de raios-X do DNA feita por uma biofísica chamada Rosalind Franklin um ano antes. (A imagem foi mostrada a Watson e Crick sem seu conhecimento.) Franklin já havia escrito um rascunho de seu artigo sobre a forma helicoidal do DNA antes de Watson e Crick escreverem o deles, mas suas contribuições foram esquecidas por anos. Franklin nunca foi capaz de apresentar seu caso ao Comitê do Nobel. Watson, Crick e Wilkins receberam a homenagem quatro anos depois que ela morreu. [Novo recorde mundial: a maior hélice de DNA humano]

    O Comitê Internacional da Cruz Vermelha ganhou o maior número de prêmios Nobel de qualquer entidade ou pessoa. Ela ganhou os Prêmios da Paz em 1917 e 1944 por seu trabalho durante a Primeira e a Segunda Guerras Mundiais, e um terceiro Prêmio da Paz em 1963, junto com a Liga das Sociedades da Cruz Vermelha, marcando o 100º aniversário de sua fundação.

    Durante as guerras mundiais, a Cruz Vermelha visitou e monitorou os campos de prisioneiros de guerra de todas as partes em conflito, organizou assistência humanitária para populações civis e administrou a troca de mensagens sobre centenas de milhares de prisioneiros e pessoas desaparecidas.

    Aos 35, o reverendo Martin Luther King Jr. se tornou a pessoa mais jovem a receber o Prêmio Nobel da Paz quando seu trabalho para acabar com a discriminação racial nos Estados Unidos por meios não violentos foi reconhecido em 1964. Seu discurso "Eu tenho um sonho", que ele fez um ano antes dos degraus do Lincoln Memorial para uma multidão de 200.000 pessoas, foi apenas um dos muitos discursos famosos e influentes que King fez como líder do movimento pelos direitos civis.

    Heisenberg recebeu o prêmio de física em 1932 por descobrir os princípios básicos da mecânica quântica, as regras que governam o comportamento das partículas subatômicas.

    A mecânica quântica mudou completamente nossa compreensão da realidade. Diz que a luz, os elétrons, os átomos e, na verdade, todas as coisas agem simultaneamente como partículas e como ondas. O chamado "princípio da incerteza" segue daí que afirma que é impossível saber com perfeita precisão tanto a posição de uma partícula quanto sua velocidade. Saiba onde uma partícula está, e você não tem ideia para onde ela está indo ou com que velocidade. Ainda outro aspecto curioso da mecânica quântica é que ela mostra que não há realidade - pelo menos não na escala atômica - que existe independentemente de nossas observações dela.

    Sartre foi uma das principais figuras da filosofia francesa do século 20, particularmente o marxismo e o existencialismo. Ele recebeu o Prêmio Nobel de Literatura de 1964, mas recusou, dizendo que não queria ser "transformado" por tal prêmio e não queria tomar partido em uma luta cultural Oriente x Ocidente, aceitando um prêmio de um ocidental proeminente instituição cultural.

    Sartre publicou seu tratado sobre existencialismo, "O Ser e o Nada", em 1943. Juntos, ele e o autor francês Albert Camus (que ganhou o Prêmio Nobel de Literatura em 1957) popularizaram o movimento existencialista, que enfatizava a experiência de viver em vez de focar na verdades universais ou obrigações morais.

    Madre Teresa, uma freira católica romana de etnia albanesa e cidadania indiana, fundou as Missionárias da Caridade em Calcutá, Índia, em 1950. Ela passou os próximos 45 anos ministrando aos pobres, doentes, órfãos e moribundos, enquanto supervisionava as Missionárias da Caridade expansão gradual dentro e fora da Índia. Na época de sua morte em 1997, havia 610 missões em 123 países, incluindo hospícios e lares para pessoas com HIV, hanseníase e tuberculose, cozinhas populares para crianças e programas de aconselhamento familiar, orfanatos e escolas.

    Madre Teresa ganhou o Prêmio Nobel da Paz em 1979. Após sua morte, ela foi beatificada pelo Papa João Paulo II & mdash feita uma santa & mdash e recebeu o título de Bem-aventurada Teresa de Calcutá.

    Este artigo foi fornecido por Life's Little Mysteries, um site irmão do LiveScience. Siga-nos no Twitter @llmysteries e depois junte-se a nós no Facebook. Siga Natalie Wolchover no Twitter @nattyover.


    Prémios Nobel

    O presente livro discute os prêmios Nobel de fisiologia ou medicina 1966-68. O prêmio de 1966 reconheceu que os vírus podem estar envolvidos na formação do câncer. Estudos posteriores revelaram que esses tipos de agentes infecciosos podem captar e transmitir genes celulares importantes para a regulação do crescimento celular. Foi então possível reconhecer que muitos genes desse tipo podem estar envolvidos na formação do câncer. Descobriu-se que a doença representa o lado negro da evolução. Como consequência dessa descoberta, felizmente, novos meios de tratamento foram desenvolvidos.

    As partes traseiras dos olhos são extensões do sistema nervoso central. Eles têm uma complexidade intrínseca fascinante, cuja neurofisiologia e bioquímica foram progressivamente analisadas. Esses estudos reveladores dizem respeito tanto à nossa capacidade de distinguir cores diferentes quanto à nossa possibilidade de ver no escuro. O Prêmio em 1967 identificou contribuições seminais neste amplo campo de Ragnar Granit, Haldan Hartline e George Wald.

    O Prêmio de 1968 é distinto pelo reconhecimento de Robert Holley, Ghobind Khorana e Marshall Nirenberg, que de diferentes maneiras contribuíram para a quebra do código genético. Os insights sobre a linguagem usada pela Natureza, desde o início da vida celular, cerca de 4,6 bilhões de anos atrás, revolucionaram completamente as ciências da vida moderna. A capacidade de ler e também de escrever os livros da vida definiu novos tipos de ciência, aprofundando nossa compreensão da magia da evolução e abriu as possibilidades para a medicina molecular ao compreender o background genético das doenças, principalmente do câncer.

    • A longa espera
    • Tratamento hormonal de tumores e os eventos do prêmio em 1966
    • Vírus de Rous e a Elucidação da Natureza Genética do Câncer
    • The Rock Foundation de desenvolvimentos do Prêmio Nobel
    • Contribuições visionárias deram um trio feliz
    • O primeiro autor da saga do código genético
    • A formação de um trio para o prêmio de 1968
    • Para ver o invisível e ler o não impresso
    FRONT MATTER
    Capítulo 1: A longa espera

    A precisão e versatilidade da Natureza são notáveis. A divisão celular está no cerne de toda matéria orgânica. Ele permite a replicação de uma maneira altamente fiel. Essa estabilidade depende da impressionante fidelidade da duplicação da molécula central de transporte de informações, o DNA. O erro na inserção de um nucleotídeo adequado adequado na molécula de fita dupla, notavelmente, é de apenas um em um milhão. E ainda existem erros. Eles podem ser prejudiciais para a função das células e potencialmente causar doenças em organismos multicelulares, mas, acidentalmente, às vezes também podem ser valiosos. O progresso da evolução depende de tais erros ...

    Capítulo 2: Tratamento hormonal de tumores e os eventos do prêmio em 1966

    No início do século XX, o câncer era uma doença séria e freqüentemente letal entre muitas outras doenças igualmente fatais. A importância relativa do câncer aumentou, não menos nos países industrializados, devido à maior longevidade e aos principais avanços no tratamento de outras doenças médicas. A introdução de antibióticos e o uso profilático de vacinas para prevenir doenças infecciosas, bem como grandes melhorias no manejo das doenças coronárias, têm sido fundamentais. Em alguns países, a morte por câncer hoje até substitui aquela causada pelo último tipo de aflição. No decorrer do século anterior, houve uma série de descobertas na biologia e na medicina que progressivamente, e às vezes dramaticamente, mudaram nossa compreensão dos mecanismos de desenvolvimento do câncer. Muitos desses avanços foram reconhecidos pelo Prêmio Nobel após o prêmio de Rous e Huggins em 1966. Em grande medida, os insights revolucionários tornaram-se possíveis devido à introdução de técnicas de biologia molecular. Mas vamos primeiro ver como tudo começou. As amostras selecionadas fornecidas referem-se a vários prêmios Nobel relevantes concedidos ou, em alguns casos, a descobertas potencialmente dignas de um prêmio Nobel de fisiologia ou medicina. Para saber a história completa, vale a pena consultar os principais livros sobre o assunto, sejam eles os mais populares, já mencionados, O imperador de todas as doenças. Uma Biografia de Câncer ou um livro moderno como A Biologia do Câncer. Os primeiros meios de tratamento eram cirurgia e irradiação com raios-X. Em um estágio um pouco posterior, a quimioterapia e a imunoterapia foram introduzidas ...

    Capítulo 3: Vírus Rous e a Elucidação da Natureza Genética do Câncer

    No meio de sua palestra no Nobel, Rous afirmou ...

    Capítulo 4: A Fundação Rock dos Desenvolvimentos do Prêmio Nobel

    O mundo em que vivemos regionalmente pode dar a impressão de fornecer um terreno estável, uma terra firme. No entanto, essa impressão às vezes precisa ser modificada dependendo de onde estamos no globo e também da referência de tempo que aplicamos. Um dos primeiros problemas a serem abordados pela recém-criada Real Academia Sueca de Ciências em 1739 foi a questão das alterações progressivas do perfil costeiro do país. Mudanças significativas no nível da água podem ser observadas mesmo durante a vida de um ser humano. Valiosos portos naturais nos arquipélagos podem ficar inutilizáveis ​​em algumas gerações, afetando as condições de pesca. A questão era se o terreno estava subindo ou se o nível da água estava sendo reduzido. Quando foi descoberto que as mudanças observadas variavam claramente ao longo da extensa costa sueca, a resposta foi óbvia. Era a terra que estava crescendo. Logo se deduziu que isso se devia à pressão aplicada pelo pesado gelo interno existente há cerca de 10.000 anos. O gelo não apenas suprimiu as rochas, mas em alguns lugares também as poliu para uma textura de seda. Em algumas áreas, a altura que o terreno aumentou nos últimos tempos é bastante impressionante. Na ilha de Blidö, na parte norte do arquipélago de Estocolmo, onde minha família tem suas casas de verão, ela mede cerca de 60 centímetros em 100 anos. Assim, o que eram duas rochas que mal alcançavam o nível da água quando eu era criança, agora se desenvolveu em uma ilha com grama e arbustos. Pode-se acrescentar que o aumento esperado do nível da água devido ao aquecimento global não terá essencialmente nenhum efeito em algumas partes da costa leste da Suécia porque é compensado pela elevação do solo ...

    Capítulo 5: Contribuições visionárias deram um trio feliz

    A evolução da vida na Terra é uma história magnífica. Os princípios pelos quais isso ocorreu não se tornaram aparentes até depois do livro A origem das espécies foi publicado por Charles Darwin em 1859. Desde então, nossas percepções sobre como diferentes formas de vida surgiram e se desenvolveram cresceram imensamente. É uma história fascinante. À medida que as condições na Terra mudaram, novas formas de vida surgiram. Originalmente, o desenvolvimento ocorreu nos oceanos e a existência de algum tipo de vida celular simples foi identificada há 3,8 bilhões de anos. A leitura dos livros da vida fornece fatos sobre as relações genéticas, conforme mencionado em meus livros anteriores sobre o Prêmio Nobel de fisiologia ou medicina. A comparação das diferenças entre as várias espécies pelo uso de caracterizações do genoma tem dado algumas percepções surpreendentes. Novas formas de vida estão continuamente sendo desvendadas e novos relacionamentos inesperados são identificados. Começamos a ter uma visão dos primeiros desenvolvimentos da vida, não menos por estudos de vírus e microorganismos, aos quais retornaremos brevemente no último capítulo deste livro ...

    Capítulo 6: O Primeiro Autor da Saga do Código Genético

    A descoberta revolucionária do emparelhamento equidistante único entre as bases de nucleotídeos guanina e citosina e adenina e timina levou Watson e Crick a propor a estrutura de fita dupla do DNA em 1953. Essa descoberta importante teve duas consequências principais. A primeira era que a estrutura permitia uma replicação semiconservativa preservando a sequência complementar de nucleotídeos para as gerações sucessivas de células. Separar as duas fitas e construir uma nova fita complementar forneceu duas cópias da dupla hélice, idêntica à molécula-mãe. A segunda implicação principal era que a existência de quatro bases diferentes oferecia uma visão potencial do armazenamento de informações e da linguagem usada pela natureza para controlar a síntese protéica e o metabolismo em geral. A questão da codificação e do possível acesso a uma Pedra de Roseta para decifrar a linguagem usada pela natureza foi levantada logo após a descoberta. No entanto, várias questões fundamentais primeiro precisaram ser respondidas ...

    Capítulo 7: A formação de um trio para o prêmio de 1968

    O personagem principal do capítulo anterior, Nirenberg, poderia facilmente ter conquistado o Prêmio Nobel de química, fisiologia ou medicina por conta própria. No entanto, em 1968, Robert W. Holley e H. Gobind Khorana juntaram-se a ele para o prêmio. Vamos rastrear por que o Comitê do Nobel do Instituto Karolinska preferiu um prêmio que incluísse os três. Quando escrevi sobre o prêmio de 1968, eu estava me comunicando com o único membro sobrevivente do comitê do Instituto Karolinska na época, Reichard. Ele foi uma pessoa muito importante em relação ao prêmio do código genético. Como já ficou claro, ele foi o principal revisor dos candidatos no Instituto Karolinska e também na Real Academia de Ciências da Suécia. Quando o prêmio foi concedido, ele foi selecionado para ser o orador introdutório na cerimônia de premiação. Em 30 de maio de 2018 recebi um e-mail dele começando e terminando com algumas palavras em sueco, mas principalmente em inglês. Leu ...

    Capítulo 8: Para Ver o Invisível e Ler o Não Impresso

    Os humanos são uma espécie curiosa. Já no início da civilização percebeu-se que a água podia alterar o ângulo da luz. Quando o vidro foi produzido pela primeira vez, há cerca de 2.000 anos, observou-se que esse material também podia dobrar a luz. As primeiras lentes foram produzidas e receberam seu nome por causa da semelhança na forma com um feijão, latim lentilha. Demorou alguns milhares de anos antes que os primeiros óculos fossem produzidos, mas entre o polímata árabe nascido em Basra, Hasan Ibn al-Haytham, latinizado para Alhazen descreveu os fundamentos da ótica. Como aprendemos nos Capítulos 4 e 5, o que vemos é a luz que ricocheteou nos objetos que preenchiam nosso ambiente. Alhazen foi um representante proeminente do que é conhecido como a Idade de Ouro Islâmica. Ele também deve ser mencionado porque pode ter sido o primeiro proponente do método científico em que uma hipótese é comprovada por experimentos ou por procedimentos matemáticos confirmatórios. Esse conceito foi reintroduzido com força pelos pesquisadores posteriores da Renascença, lançando a era moderna de desenvolvimentos sociais baseados na ciência. Galileo Galilee é considerado o pioneiro neste campo. Ele usou seus binóculos primitivos para identificar quatro luas circulando ao redor de Júpiter e isso levou à mudança revolucionária de uma visão centrada na Terra para uma visão heliocêntrica de nosso sistema solar. Enquanto Galileu olhava para fora, outro cientista do século 17 olhava para dentro ...

    MATÉRIA DE VOLTA

    Erling Norrby tem um MD e PhD do Instituto Karolinska, da Escola de Medicina de Estocolmo. Foi professor de virologia e presidente do Instituto por 25 anos. Durante esse tempo, ele também serviu como decano da Faculdade de Medicina por 6 anos e esteve profundamente envolvido no trabalho de prêmios Nobel de fisiologia ou medicina por 20 anos. Depois de deixar o Instituto, ele se tornou Secretário Permanente da Real Academia de Ciências da Suécia por seis anos. Durante esse tempo, ele teve a responsabilidade primordial pelos Prêmios Nobel de Física e Química e foi membro do Conselho da Fundação Nobel. Atualmente está no Centro de História das Ciências da Academia e em 2010 publicou o livro Prêmios Nobel e Ciências da Vida, em 2013 um segundo livro Prêmios Nobel e surpresas da natureza, e em 2016 um terceiro livro Prêmios Nobel e descobertas notáveis. Além disso, ele é atualmente vice-presidente do Conselho do J Craig Venter Institute. Ele também tem uma das funções de liderança na Corte Real Sueca como Lord Chamberlain-in-Waiting.


    Como você ganha um Prêmio Nobel?

    Poucos cientistas experimentam a honra única de receber um telefonema inesperado de uma voz estrangeira na outra linha. A princípio, esse tipo de evento pode parecer mais um aborrecimento do que qualquer outra coisa. Mas uma vez que a mensagem se torna clara - que eles ganharam o premio Nobel - a vida não será a mesma.

    Quando o Prêmio Nobel de 1996, Peter Doherty, recebeu um telefonema às 4 da manhã em sua casa no Tennessee, sua primeira reação foi que algo havia acontecido com seus pais na Austrália. Em vez disso, disseram-lhe que havia ganhado o Prêmio Nobel de fisiologia ou medicina. O comitê deu a ele uma vantagem de 10 minutos na mídia. Depois disso, o telefone tocou constantemente - Doherty e sua família ficaram chocados [fonte: Doherty].

    Os Prêmios Nobel - um conjunto de prêmios que homenageia os melhores trabalhos em física, literatura, química, medicina, paz e economia - são vistos como a maior homenagem intelectual do mundo. Alfred nobel, defensor da paz e inventor da dinamite, deixou o dinheiro para os cinco primeiros prêmios em seu testamento. Em 1901, nasceram os prêmios Nobel.

    Mas o que é preciso para ganhar um Prêmio Nobel?

    Embora não haja uma fórmula clara para o sucesso, existem certas características comuns a muitos ganhadores do Nobel. Acima de tudo, o prêmio favorece as pessoas que buscam promover o conhecimento humano ou criar soluções para os problemas do mundo, com realizações que vão desde a descoberta de Robert Koch da bactéria responsável pela tuberculose até a liderança de Martin Luther King Jr. no movimento dos direitos civis dos EUA em década de 1960.

    Pessoas que criam mudanças de paradigma, ou grandes mudanças no pensamento para uma área, são mais propensas a receber um Prêmio Nobel por seu trabalho. Por exemplo, seria difícil imaginar onde a física teórica estaria sem as contribuições de Albert Einstein que lhe renderam o Prêmio Nobel de Física em 1921.

    Uma maneira de aumentar suas chances de ganhar um Nobel é se colocar perto da pesquisa em questão. Ralph Steinman, um vencedor recente que faleceu de câncer no pâncreas, estava tão envolvido em sua pesquisa de vacinas contra o câncer que desenvolveu e testou em si mesmo um tratamento experimental nos anos que antecederam o prêmio [fonte: Altman and Wade].

    Nas categorias de ciências do prêmio, as pessoas que realmente conduzem a pesquisa geralmente ganham o Nobel. O Prêmio Nobel da Paz, entretanto, tem uma história de ser concedido a pessoas que são mais líderes em sua preservação da paz (pense em Obama em 2009) [fonte: NobelPrize.org].

    Como a pessoa se comunica com o público também importa. Os vencedores geralmente são bem versados ​​em seu campo, com alguns até mesmo dando um passo extra para explicar seu trabalho a não especialistas e ao público em geral. As pessoas que ganham os prêmios geralmente não lutam pela honra. Em vez disso, eles estão imersos em seus campos de atuação e apaixonados por fazer a diferença no mundo.

    Acha que tem o que é preciso para ganhar um Nobel? Descubra - a seguir.

    Prêmios Nobel: não são seus joes comuns

    Para se colocar em uma posição para o Prêmio Nobel, é bom saber o tipo de pessoa que já ganhou o prêmio no passado. Vale ressaltar que você não pode se candidatar ao Prêmio Nobel. Em vez disso, os comitês de seleção, de instituições especificamente escolhidas no testamento de Alfred Nobel, coletam nomeações de contribuintes de prestígio na área que são bem conectados e capazes de recomendar outros. Não há limite para o número de vezes que uma pessoa pode ser indicada. Por exemplo, o sufrágio feminino e o nome da defensora da paz Jane Addams foi citado 91 vezes antes de ela ganhar o Prêmio Nobel da Paz em 1931 [fonte: NobelPrize.org].

    Depending on the type of award, a selection committee will choose winners from the nominations sent in. Committees in Sweden handle selections of all awards except the peace prize, which Alfred Nobel had requested a Norwegian committee be in charge of. For most awards, such as those given for physics, the deadline is February of each year, and winners are chosen in October [source: NobelPrize.org]. Nobel prizes aren't awarded to deceased individuals, unless the recipient dies between the time he or she is notified and the award ceremony a few months later [source: Altman and Wade].

    But there's some debate about how the Nobel Prize committee selects winners. Beginning in the 1960s, some have argued that the process to select winners is subjective based on the preferences of a select few people on the committees [source: Garfield and Malin]. Another argument is that the awards favor individual careers over individual accomplishments. Many Nobel laureates receive the awards years after their most famous work, mostly because it could take years to see how a line of work ended up having a large impact. This isn't always the case, though. For example, former Soviet leader Mikhail Gorbachev received a Nobel Peace Prize shortly following his decisions that would lead to the end of the Cold War [source: NobelPrize.org].

    On the academic front, researchers in a position to win the Nobel Prize usually publish more in peer-reviewed journals and are more likely to collaborate with others in the field. Still, there should be evidence that the person's work has had an impact on the scientific community -- for example, the number of citations a journal article has is somewhat indicative of its impact. One estimate suggests the top 0.1 percent of people most cited in their fields typically have a better shot at the Nobel [source: Pendlebury]. The committee also tends to view papers and experiments that stimulate additional research as beneficial.

    Learn more about the prestigious Nobel awards next as you mull over your prizewinning strategy.


    Nobel Laureate Robert Shiller: How Narratives Drive Major Economic Events and Shape History

    Co-hosted by Princeton University Press, Sequoia Capital, and Yale Center Beijing. This talk is part of the Greenberg Distinguished Colloquium.

    Event Time

    August 12, 2020 | quarta-feira
    8:00 am - 9:00 am Eastern Daylight Time (EDT)
    August 12, 2020 | quarta-feira
    8:00 pm - 9:00 pm China Standard Time (CST)

    Participating Format


    Registration is required to obtain a ZOOM Conference access link, which will be sent to your registration email or phone shortly. Please enter ZOOM room 15 minutes before the starting time. When the room is full, latecomers will not be able to access the ZOOM conference.

    Registration and Fees

    Registration
    Participants within China can click “HERE” further below to register. Participants from outside of China can use the following link to register:
    https://yalecenterbj.eventbank.cn/event/how-narratives-drive-major-economic-events-and-shape-history-27983/

    The event is open to public, but the number of participants will be capped. Successful registrants will be notified on a first-come first-served basis, with priority to those with a Yale affiliation. Only successful registrants will be able to participate in this event.

    Attention: Recording (audiotaping or videotaping) during the event is not allowed.

    LANGUAGE

    The language of the event will be English, with simultaneous translation into Chinese.

    O evento

    On Wednesday, August 12, 2020, 8:00pm-9:00pm (China time), we are delighted to host 2013 Nobel Laureate for Economic Sciences, Yale Professor Robert Shiller, on a first-ever talk on the evolution of his pioneering work and ideas. During this event, he will describe the common threads among the seven groundbreaking books that he has published with Princeton University Press – Irrational Exuberance, The New Financial Order, The Subprime Solution, Finance and the Good Society, Animal Spirits, Phishing for Phools, ending with Narrative Economics. Don’t miss this unique opportunity to hear from and pose questions to one of the foremost intellectuals of our times.

    The Speaker

    Robert J. Shiller Sterling Professor of Economics, Yale University 2013 Nobel Laureate for Economic Sciences

    Robert J. Shiller is Sterling Professor of Economics, Department of Economics and Cowles Foundation for Research in Economics, Yale University, and Professor of Finance and Fellow at the International Center for Finance, Yale School of Management. He received his B.A. from the University of Michigan in 1967 and his Ph.D. in economics from the Massachusetts Institute of Technology in 1972. He has written on financial markets, financial innovation, behavioral economics, macroeconomics, real estate, statistical methods, and on public attitudes, opinions, and moral judgments regarding markets. He was awarded the Nobel Prize in Economic Sciences jointly with Eugene Fama and Lars Peter Hansen in 2013.

    Greenberg Distinguished Colloquium

    Thanks to the generosity of Mr. Maurice R. Greenberg, Chairman and CEO of C.V. Starr & Co. Inc. the Yale Center Beijing is pleased to host the Greenberg Distinguished Colloquium, which will convene thought leaders from all sectors who, in the spirit of Mr. Greenberg, play pivotal roles in building bridges among China, the U.S., and the rest of the world.

    Mr. Greenberg has been a member of Yale Center Beijing’s Executive Council and retired as the Chairman and CEO of American International Group (AIG). In 2018, he was awarded the China Reform Friendship Medal.


    Ireland’s greatest and brightest – the nation’s Nobel laureates

    The island of Ireland, as ever punching above its weight, has ten distinguished parties named among the laureates.

    Here are the Irish Nobel laureates, from south and north of the border:

    Samuel Beckett

    Originally from Foxrock, Dublin, the avant-garde novelist, playwright, director, and poet, lived in Paris for most of his adult life. His works, in both English and French, offer a bleak, tragicomic outlook on human nature, often coupled with black comedy and gallows humor. Beckett is widely regarded as one of the most influential writers of the 20th century and one of the last modernists.

    He was awarded the 1969 Nobel Prize in Literature "for his writing, which—in new forms for the novel and drama—in the destitution of modern man acquires its elevation."

    Seamus Heaney

    Seamus Heaney, born in Castledawson, County Derry, was awarded the Nobel Prize in Literature in 1995.

    A poet, playwright, translator and lecturer, Heaney, who passed away in 2013, was a literary rock star. His nickname was “Famous Seamus.”

    In the 1960s Heaney became a lecturer in Belfast, where he had been a student at Queens University. He was a professor at Harvard from 1981 to 1997and the Poet in Residence from 1988 to 2006. From 1989 to 1994 he was also the Professor of Poetry at Oxford and in 1996 he was made a Commandeur de l'Ordre des Arts et Lettres.

    John Hume

    John Hume and David Trimble were co-recipients of the Nobel Peace Prize in 1998 due to their efforts in the 1998 Belfast Agreement (Good Friday Agreement).

    A former politician from Derry, Hume was a founding member of the Social Democratic and Labour Party. He led the party from 1979 to 2001 and served as a Member of the European Parliament and a Member of Parliament for Foyle, as well as a member of the Northern Ireland Assembly.

    Hume is regarded as one of the most important figures in Ireland’s recent political history and one of the architects of the Northern Ireland peace process.

    He is the only person to have received the Gandhi Peace Prize, the Martin Luther King Award and the Nobel Prize all for his work in bringing about peace. He was also voted the greatest person in Irish history by a recently RTE poll of the public.

    Seán MacBride

    Once an Irish government minister, a prominent international politician and a former Chief of Staff of the Irish Republican Army, McBride founded or participated in many international organizations of the 20th century. These included the United Nations, the Council of Europe and Amnesty International.

    He received the Nobel Peace Prize in 1974, the Lenin Peace Prize for 1975 to 1976, and the UNESCO Silver Medal for Service in 1980.

    Mairead Maguire

    Maguire and Betty Williams were co-recipients of the Nobel Peace Prize in 1976.

    Mairead Maguire, from Belfast, is a peace activist and co-founder with Betty Williams and Ciaran McKeown of the Community for Peace People, an organization dedicated to encouraging a peaceful resolution of the Troubles in Northern Ireland.

    George Bernard Shaw

    George Bernard Shaw, the playwright, was also the co-founder of the London School of Economics.

    He was the only person to have been awarded a Nobel Prize in Literature, in 1925, and an Academy Award, in 1938, for his contributions to literature and for his work on the film “Pygmalion” (an adaptation of his play of the same name), respectively. He turned down all other awards and honors, including a knighthood.

    Shaw made his money writing music and literary criticism but his main talent was drama. He wrote more than 60 plays as well as essays, novels, and short stories.

    David Trimble

    Born in Bangor, County Down, David Trimble was the First Minister of Northern Ireland from 1998 to 2002 and the Leader of the Ulster Unionist Party from 1995 to 2005.

    He was instrumental in the negotiations that led to the Belfast Agreement in 1998 and was awarded the Nobel Peace Prize that year for his efforts, alongside John Hume.

    Ernest Walton

    Ernest Walton was an Irish physicist and Nobel laureate for his work with John Cockcroft and their "atom-smashing" experiments done at Cambridge University in the early 1930s. He became the first person in history to artificially split the atom, thus ushering in the nuclear age.

    Betty Williams

    Betty Williams shared a Nobel Peace Prize with her fellow Belfast woman Mairead Maguire, as co-founder of the Community for Peace People, an organization dedicated to promoting a peaceful resolution to The Troubles in Northern Ireland.

    She heads up the Global Children's Foundation and is the President of the World Centre of Compassion for Children International. She is also the Chair of the Institute for Asian Democracy in Washington D.C. and a distinguished visiting professor at Nova Southeastern University.

    In 2006 Williams was one of the founders of the Nobel Women's Initiative along with sister Nobel Peace Laureates – Mairead Corrigan Maguire, Shirin Ebadi, Wangari Maathai, Jody Williams, and Rigoberta Menchu Tum. The group aims to bring together their experiences in a united effort for peace with justice and equality.

    William Butler Yeats

    William Butler Yeats, born in Dublin, was an Irish poet and one of the foremost figures of 20th-century literature.

    In 1923 he became the first Irishman to be honored with the Nobel Prize. The committee described his work as "inspired poetry, which in a highly artistic form gives expression to the spirit of a whole nation."

    He was a driving force behind the Irish Literary Revival and was a co-founder of the Abbey Theatre, Ireland’s national theater.


    IGHSAU History

    The origins of the Iowa Girls High School Athletic Union can be traced to a heated argument at a Des Moines Presbyterian church. From that argument, a one-of-a-kind organization was founded and continues to serve high school girls like no other activity organization in the United States.

    Iowa was one of the few states in the 1920s where girls could play high school basketball, and its popularity began to thrive in Iowa’s rural schools. However, the state’s larger schools did not have the same the enthusiasm, and people had concerns over the merits of girls participating in physical activities, as they believed it was harmful for girls to engage in “strenuous” activities such as basketball.

    These arguments reached a boiling point at the 1925 Iowa State Teachers’ Convention held at the Central Presbyterian Church in Des Moines. The annual meeting of superintendents and principals decided that competitive sports before paying crowds was good only for boys' activities, not for girls', and girls basketball would no longer be a state-sponsored interscholastic activity.

    One of the meeting’s attendees, who had coached girls basketball, lamented that his conscience was forever bothered “for the harm I might have done the girls” in coaching girls basketball. However, Mystic Superintendent John W. Agans responded with the memorable rebuttal, “Gentlemen, if you attempt to do away with girls basketball in Iowa, you’ll be standing at the center of the track when the train runs over you!” Agans’ powerful message led to an impromptu meeting of 25 men from primarily small rural Iowa school districts. They decided that if the Iowa High School Athletic Association, who oversaw all high school athletic activities at the time, was not willing to sponsor girls basketball, then they would form their own organization. And that’s how the IGHSAU was born.

    “Gentlemen, if you attempt to do away with girls basketball in Iowa, you’ll be standing at the center of the track when the train runs over you!”

    Superintendent John W. Agans

    A four-man committee representing the northeast, northwest, southwest and southeast sections of the state oversaw the IGHSAU in its early stages. The committee rotated as the IGHSAU’s part-time secretary until 1947, when Rod Chisholm of Exira became the organization’s first full-time executive secretary, which is when girls basketball began to flourish. The Iowa High School Girls State Basketball Tournament, held at the Drake University Fieldhouse, featured sold-out crowds throughout the eight-session tournament. To promote its growth, the state basketball tournament became one of the Iowa’s marquee events. The IGHSAU published its own rule book and a girls basketball yearbook, and hosted coaching schools for both coaches and officials. The tournament was also one of the first sports to be televised, beginning in 1951 and reaching nine states.

    When Rod Chisholm resigned in 1954, he was replaced by Dr. E. Wayne Cooley, who had big plans for IGHSAU. His first task was to expand the number of programs the organization sponsored. While basketball was still wildly successful, Dr. Cooley believed that for the organization to truly thrive, it needed to sponsor more sports. Simply put, Dr. Cooley did just that. IGHSAU sanctioned softball in 1955, while golf and tennis were sanctioned in 1956. Track and field was added in 1962, becoming the fifth IGHSAU-sanctioned sport.

    Girls basketball remained the IGHSAU’s crown jewel. Taking advantage of the tournament’s new home, the spacious Veterans’ Memorial Auditorium, Dr. Cooley turned the nation’s oldest high school girls state tournament into a showcase for Iowa talent. In addition to the great basketball being played, the halftime shows were elaborate productions comprised of Iowa high school students and bands, dancing and the highlight of the evening, the Hall of Fame presentations narrated by the great Jim Duncan. In short, there was something for everyone whether you liked basketball or not.

    When Title IX legislation was passed in 1972 requiring gender equity in every federal-funded educational program, high schools across the country were scrambling. The majority of schools and universities did not offer athletic programs for girls and struggled to find ways to implement the new programs. Sports Illustrated compiled a three-part story in 1973 on women sports and Title IX. One issue of the article featured girls sports in Iowa.

    The IGHSAU continued to add programs: cross country was added in 1966, followed by swimming and diving in 1967 and volleyball in 1970. Soccer was added in 1998 and bowling in 2006. Currently, IGHSAU sponsors 10 sports. Today, nearly 70,000 girls compete in Iowa high school athletics. Iowa continues to rank in the top half of the United States in terms of girls high school athletic participation, despite ranking 30th in U.S. population. In addition to administrating sports, IGHSAU conducts coaching certification courses and official education clinics, and offers several scholarships that celebrate the Iowa Girl.

    Iowa continues to be unique in that there are four separate activity organizations: the Iowa Girls High School Athletic Union, the Iowa High School Athletic Association, the Iowa High School Speech Association and the Iowa High School Music Association. The four organizations focus their efforts on making Iowa a national leader in administrating high school activities. Dr. Cooley, who retired as the IGHSAU executive secretary in 2002, once stated, “I take a lot of pride that every girl walks down every main street in every town in Iowa just as tall as the boy.” IGHSAU has made its mission to uphold Cooley’s legacy.

    “I take a lot of pride that every girl walks down every main street in every town in Iowa just as tall as the boy.”

    Dr. Cooley

    Winston Churchill and the Nobel Prizes, 1946-1953

    On 27 November 1895, the scientist and philanthropist Alfred Nobel signed his last will and testament. The largest share of his fortune funded a series of Nobel Prizes, starting in 1901. The Nobel Prize honors people worldwide for outstanding achievements in physics, chemistry, medicine, literature and the promotion of peace.

    On 16 October 1953, Prime Minister Winston Churchill learned that he had won the Nobel Prize in Literature. His private secretary, Anthony Montague Browne recalled that day. “Churchill deeply wished to be remembered as a peacemaker…. I remember vividly his early and touching joy, which turned to indifference when he learned that it was for Literature and not for Peace.” 1

    Churchill thought of the Peace Prize as ultimate acknowledgment of his life’s work. He had been a resolute peacemaker since the early 1900s. He helped to end the Boer War, negotiated the Irish Treaty, engineered a Middle East settlement, promoted a Jewish national home. For the last twenty years his efforts for peace through strength were unduplicated. Now he was trying to ward off a Cold War and a potential nuclear conflagration. 2 But it was not to be.

    Peace Prize Nominations

    Churchill’s first contact with the Nobel Committee was in 1939, when he nominated Edvard Beneš for the Peace Prize. He held a strong affinity for Beneš (whom he nicknamed “Herr Beans”), deposed by Hitler after Munich. Almost exactly a decade later, the aging patriot would be deposed again, this time by Czech communists. Unsurprisingly, there was no Peace Prize in 1939. (Churchill made a second nomination, the historian G.M. Trevelyan for Literature in 1955, again without success.)

    Churchill himself became a candidate for the Peace Prize before the Literature Prize. In 1945 Halvdan Koht, historian and past member of the Nobel Committee, named seven candidates. 3 All were cited for their efforts in World War II: Churchill, Beneš, Franklin Roosevelt, Anthony Eden, Maxim Litvinov, Jan Smuts and, surprisingly Josef Stalin. It was an odd assortment. Eden and Smuts had played important but subordinate roles in the war. Beneš had been in exile for the duration. Litvinov had not been Soviet foreign minister since 1939. And then there was Stalin—an absurd choice in retrospect, though at the time a victor over Hitler.

    Koht did not explicitly nominate any of the seven. He finally nominated Cordell Hull, U.S. Secretary of State under Roosevelt from 1933 to 1944. Koht noted Hull’s improving of relations with Latin America, reducing barriers to international trade and role in founding the United Nations. Hull duly was the winner. Churchill’s prevailing reputation as a man of war conspired against him.

    A Peace Prize nomination of Churchill occurred in 1950. 4 He was named by Louis Frederik Vindig Kruse, Professor of Law at the University of Copenhagen. Twenty-eight nominees competed. The winner was Ralph Bunche, for having arranged a cease-fire between Israelis and Arabs during the war following the founding of Israel in 1948.

    The Prize for Literature

    According to Kjell Strömberg of the Swedish Academy, the first report on Churchill’s Literature nomination was in 1946. The Academy’s aged Per Hallström found “no literary merit whatever” in Churchill’s novel Savrola, and dismissed his autobiography My Early Life and memoir, A crise mundial. Somente Marlborough, Hallström wrote, was a qualifying work. 5

    In a 1948 report, Churchill moved closer to winning. The Academy’s Nils Ahnlund referred to G.M. Trevelyan’s praise of Marlborough (despite the calumny Churchill heaped on Trevelyan’s great uncle Macaulay) and stressed the great documentary value of A crise mundial. This alone was not enough, Ahnlund wrote. But Churchill qualified when reinforced by his oratory: “No man has better known how to awaken such an echo by his eloquence, or to reach so vast a public. It is, then, basically for his oratory that Churchill deserves the Prize but his art as an orator is well framed by the rest of his production.” 6

    The Swedish archeologist and scholar Birger Nerman formally nominated Churchill that year—and every year thereafter. Finally, on 16 October 1953, Swedish Ambassador to Britain Gunnar Hägglöf notified Churchill that he had won. The citation mentioned his “mastery of historical and biographical description as well as for brilliant oratory in defending exalted human values.” In his presentation address, Sigfrid Siwertz of the Swedish Academy cited A guerra do rio, Lord Randolph Churchill, The World Crisis, Marlborough, My Early Life, Pensamentos e aventuras e Great Contemporaries, along with Churchill’s oratory. 7 It is a commonly stated that Churchill received the Literature Prize for his memoir, The Second World War. That six-volume work was unfinished at the time, and not considered.

    Reactions

    The Swedish Academy recognized a long and brilliant literary career that had begun in 1895. Despite Churchill’s disappointment in not winning the Peace Prize, he thanked them humbly. “I hope you have not been biased in any way in your judgment of my literary qualities,” he told Ambassador Hägglöf. “But at any rate I am very proud indeed to receive an honor which is international. I have received several which are national, but this is the first time that I have received one which is international in its character.” 8 At Ten Downing Street he told reporters: “I think it a very great honor to receive from the Swedish Academy of Literature this distinction gained among all the other writers of the world.” 9

    In October 1953, Sir Winston wrote his wife in Paris. “It is all settled about the Nobel Prize. £12,100 free of tax. Not so bad. I think we shall have to go to Stockholm for a couple of days in December & stay with the King and Queen there.” 10 As December approached, however, Churchill needed to attend the rescheduled Bermuda Conference with Eisenhower. If this furthered peace, it was far more important.

    “The Swedes were most understanding,” wrote his daughter Mary, “and a special request was sent to Clementine asking her to receive the Prize on her husband’s behalf. I was invited to accompany her.” 11 Their trip preoccupied her father. “Yesterday, while Clemmie was in the air on her way to Stockholm to receive Winston’s Nobel Prize, he was jumpy and worried,” wrote Churchill’s doctor. “Then a message came. As he read it his face cleared. ‘They have arrived. I hate to have people I love in the air—unless I am with them.’” 12

    Acceptance

    In Stockholm, December 10th, the day of the ceremony, dawned in pouring rain. Inside the Stockholm Concert Hall, bright lights shined on a joyfully dressed audience. King Gustaf VI Adolf arrived, with the Queen and two princesses. The King awarded each Nobel Laureate his Prize. They included Frits Zernike (Physics), Herman Staudinger (Chemistry) and two Laureates in Physiology or Medicine, Hans Krebs and Fritz Lipmann. Finally, Siwertz introduced and awarded the Prize in Literature. Accepting for her husband, Mrs. Churchill received a gold medal and a diploma bearing a citation from the King. In the mostly Swedish ceremony, the presentation to Lady Churchill is in English.

    That evening, a banquet occurred at Stockholm City Hall. Lady Churchill delivered her husband’s response: “The roll on which my name has been inscribed represents much that is outstanding in the world’s literature. The judgment of the Swedish Academy is accepted as impartial, authoritative, and sincere throughout the civilized world.” Churchill said he was proud but also “awestruck, at your decision to include me. I do hope you are right. I feel we are both running a considerable risk and that I do not deserve it. But I shall have no misgivings if you have none.” 13

    The Literature Prize represented another mark of Churchill’s achievements as soldier, statesman, war leader, historian and artist.

    Notas finais

    1 Anthony Montague Browne, Long Sunset: Memoirs of Winston Churchill’s Last Private Secretary (London: Indigo, 1996), 133.

    2 James W. Muller, ed., Churchill As Peacemaker (Cambridge University Press, 1997), 26-28, 187.

    3 Nobel Peace Prize Nomination Database, accessed 11 November 2017.

    4 “28 Are Nominated for Nobel Peace Prize, Including Truman, Churchill and Marshall,” O jornal New York Times, 28 February 1950, 21.

    5 Nobel Prize Library, Albert Camus—Winston Churchill (New York: Nobel Foundation, 1971), 407-08.

    8 “Churchill Wins Nobel Prize Puts Kipling and Shaw Higher,” O jornal New York Times, 16 October 1953, 1.

    10 Mary Soames, ed., Speaking for Themselves: The Personal Letters of the Churchills (New York: Houghton Mifflin, 1999), 575.

    12 Lord Moran, Churchill Taken From the Diaries of Lord Moran, (Boston: Houghton Mifflin, 1966), 544.

    13 Winston S. Churchill, banquet speech, read by his wife, in The Nobel Prize in Literature 1953.


    Assista o vídeo: El Nobel Bernard Shaw apoyó a Hitler y Stalin (Novembro 2021).