Podcasts de história

Turismo no Brasil - História

Turismo no Brasil - História

Brasil

Em 2017 chegaram 6.589.000 turistas ao Brasil, um aumento de 40.000 em relação ao ano anterior. O turismo respondeu por 7.094.000 empregos no Brasil em 2017, o que representa 7,8% do emprego. Toursim foi responsável por 8,5% do PIB brasileiro


7 coisas para saber sobre a prostituição no Brasil


Fonte: tup wanders

A prostituição, sem dúvida, é uma das profissões antigas na terra, que remonta aos primeiros dias de ouro. É, ainda hoje, uma prática comum para uma pequena maioria da população brasileira. Embora a prostituição, o ato de trocar sexo por dinheiro, ou seja, possa ser uma profissão milenar do universo, tantos aspectos sobre ela impõem a necessidade de desmistificação e, assim, fizemos um rápido panorama de todo o cenário da prostituição no Brasil.


1. São Miguel das Missões

São Miguel das Missões foi uma redução fundada no século 18 pelos Jesuítas ou a ‘Companhia de Jesus’ e destinava-se a converter a população indígena Guarani ao Cristianismo.

Muito pouco resta de São Miguel das Missões, a maior parte deste sítio histórico tendo sido destruído em 1768 no âmbito de uma campanha para expulsar os Jesuítas. A igreja, da qual ainda restam algumas ruínas, já havia sido destruída por um incêndio em 1760.

2. Museu Penitenciário do Carandiru

Mais do que atendeu às exigências do Código Penal de 1890 do Brasil.

Os primeiros presos chegaram em 1956 e muito rapidamente, a superlotação se tornou um problema sério. No auge, havia mais de 8.000 presos no Carandiru (com apenas 1.000 guardas por companhia) e, inevitavelmente, gangues tomaram o controle dos blocos de celas. A equipe médica estava relutante em ir, o que levou a condições não tratadas, que levaram à infecção e à morte. A desnutrição e a fome também eram comuns e, durante a década de 1980, uma grave epidemia de AIDS alastrou-se pela prisão.

Eventualmente, em outubro de 1992, uma revolta de prisioneiros nas condições desumanas deu início a todos os motins na prisão. No que ficou conhecido como Massacre do Carandiru, a Polícia Militar do Estado de São Paulo, fazendo pouco ou nenhum esforço para tentar a via diplomática, invadiu os blocos de celas, matando 102. Outros nove presos foram supostamente mortos por companheiros de prisão em um dos horas mais negras do Brasil moderno.

A certidão de óbito do presídio foi assinada e demolida em 2002. Hoje, o Museu Penitenciário Paulista da zona norte da cidade ocupa o único bloco de celas remanescente e tem como objetivo preservar os documentos penitenciários que contam a história de um dos mais brutais do mundo. prisões.

A coleção de 21.000 peças inclui pinturas detalhadas, esculturas e móveis feitos por prisioneiros em oficinas criativas, bem como objetos "que ajudam a remontar a vida diária dos prisioneiros", incluindo máquinas de tatuagem rudimentares e armas improvisadas.


Brasil: um olhar para o desenvolvimento do turismo e a promoção da cultura em benefício da economia

(Este post foi o segundo em minha inscrição para participar da Semana do Patrimônio Cultural e Ambiental Florens 2012, uma conferência realizada em Florença para promover as muitas maneiras como a cultura gera economia. Você pode ver aqui como uma pequena equipe ajudou a espalhar a palavra sobre o missão da fundação & # 8217s e sua marca em todo o mundo aqui.)

Em breve, o Brasil será assistido por todo o mundo por sediar a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016. Esses eventos são extremamente importantes para o Brasil, especialmente por ser o primeiro país sul-americano a sediar as Olimpíadas. O país sabe que precisa provar que é seguro, organizado e capaz de atender a eventos tão grandes. O Brasil também sabe que esses eventos são uma oportunidade de ouro para mostrar ao mundo o progresso que fez e que grande país ele é: que é um país culturalmente rico, cheio de belezas naturais, pessoas amigáveis, cidades modernizadas e diversos destinos turísticos para agradar a qualquer viajante.

A incrível beleza natural de lugares como Fernando de Noronha é apenas um dos motivos para visitar o Brasil.

Porém, a esta altura, o Brasil (e toda a América do Sul) recebe um número surpreendentemente pequeno de turistas. Na verdade, é óbvio para mim que vou lá todos os anos desde 2000 (porque sou casado com uma brasileira) e, com exceção de alguns lugares como o Rio, raramente noto outros não-brasileiros. Em contrapartida, sempre noto que o país parece um tanto despreparado para o turismo. De acordo com o artigo & # 8220 Um mercado inexplorado & # 8221 sobre O economista, O Brasil recebe menos turistas por ano do que a Bulgária. Isso está certo. Brasil, o quinto maior país do mundo, com suas maravilhas naturais e florestas incrivelmente belas, cachoeiras, montanhas e milhares de quilômetros de costa, sua cultura animada vista em sua comida, festivais e arte e as condições de viagem relativamente fáceis em comparação com outros países em desenvolvimento, ainda recebe cerca de 5 milhões de turistas por ano.

Comparado a outros países da América do Sul, o Brasil é enorme, resultando em diversidade cultural e paisagística, incluindo um enorme litoral.

O problema não se limita ao Brasil (e, de fato, o Brasil lidera a América do Sul em número de turistas internacionais). De acordo com o relatório de 2010 da OMT (Organização das Nações Unidas para o Turismo), a América do Sul recebeu apenas 2,3% do turismo internacional total em 2009. Esse número deve ser chocante, especialmente se você já experimentou a cultura e as belezas naturais da América do Sul. É uma pena que esses países em desenvolvimento, que precisam de mais recursos econômicos para desenvolver sua infraestrutura e combater a pobreza, não tenham tido a visão de promover plenamente o turismo como fonte sustentável de renda. De acordo com o relatório da ONU, à medida que os países investem no desenvolvimento do turismo, o progresso socioeconômico resulta & # 8220 por meio da criação de empregos e empresas, desenvolvimento de infraestrutura e receitas de exportação auferidas. & # 8221 Globalmente, o turismo é responsável por uma média de 5% de Com a renda de um país e 6 a 7% de seus empregos, o turismo está crescendo e deve continuar a crescer, e esse crescimento é particularmente pronunciado nos países em desenvolvimento do mundo. Claramente, com a importância que o turismo já tem para a economia mundial e sua expansão esperada, o turismo poderia fornecer uma fonte sustentável de renda e empregos no Brasil se o país trabalhasse mais para atrair mais visitantes.

Ao mesmo tempo em que o Brasil ganha destaque na Copa do Mundo e nos Jogos Olímpicos, a economia está desacelerando. Isso não significa que o Brasil esteja em apuros de fato, tem sido um exemplo de crescimento econômico enquanto o resto do mundo passa por recessões. No entanto, após uma desaceleração econômica considerável, o Brasil vem tentando estimular a economia com pouco sucesso e agora está prestes a lançar um novo pacote de estímulo com mais de US $ 6 bilhões a serem investidos em ferrovias e rodovias.

Se o país construir novas ferrovias e rodovias e investir cerca de US $ 25 bilhões de dólares na preparação para a Copa do Mundo e as Olimpíadas, o Brasil estará muito mais perto de estar bem preparado para receber mais turismo. E se os governos nacional e estadual analisassem seriamente o turismo no Brasil e fizessem os investimentos adequados? Isso, combinado com o fato de que o turismo mundial deve crescer continuamente no futuro, não garantiria ao Brasil uma fatia maior do bolo do turismo e, portanto, mais ganhos econômicos? Embora isso seja um grande empreendimento, um lugar lógico para começar é construir sobre o que o Brasil já tem: cultura e história.

Com base na popularidade dos destinos que mais atraem turistas, como França, Espanha e Itália, fica claro que os turistas gostam de ver história e cultura. No entanto, ao visitar São Paulo, a maior cidade do Brasil e uma das maiores do mundo, não é fácil encontrar atrações culturais ou locais históricos, embora estejam lá, e quando são encontrados, muitas vezes decepcionam. A cidade tem potencial para ser promovida como destino de cultura, mas, sem algum investimento em torná-la favorável ao turismo, poucos o conseguirão. aqui estão alguns exemplos:

A arquitetura incomum do Museu de Arte de São Paulo abriga uma grande coleção de arte brasileira ocidental e contemporânea.

1) Só em português nos museus de classe mundial de São Paulo e # 8217s? São Paulo tem excelentes museus que mostram vários aspectos da identidade cultural e da história brasileira. Eles poderiam atrair muito mais turismo E se eles estavam mais bem preparados para receber turistas internacionais. Vamos dar uma olhada rápida em três dos melhores museus da cidade: MASP (Museu de Arte de São Paulo), Museu Afro-Brasil e Pinacoteca do Estado de São Paulo. O que mais me surpreende é que eles não têm informações em inglês (ou outros idiomas) em seus sites, dificultando aos turistas saber a localização, horário, custo e as exposições atuais. Eles estão todos abrigados em exemplos maravilhosos da arquitetura brasileira, mas quando eu os visitei, nenhum ofereceu informações que explicassem o projeto ou a história do prédio & # 8217s. O MASP tem boas traduções para o inglês dentro do museu, mas os outros dois trazem informações apenas em português. Quando visitei o novo Museu Afro-Brasil, fiquei muito desapontado por não ser capaz de compreender totalmente ou apreciar as belas exposições da história da cultura afro-brasileira. Todos os três são museus importantes que mostram a história brasileira e produtos culturais (especificamente, arte brasileira contemporânea, artefatos históricos e culturais e pinturas que mostram a história do Brasil & # 8217s de 500 anos), mas precisam pelo menos da simples mudança de adicionar traduções aos sites e exposições em museus.

prédios históricos no centro de São Paulo

2) Um centro histórico que ninguém visita? São Paulo tem um centro histórico, mas até os paulistas (residentes de São Paulo) dirão que ninguém vai ao centro porque é sujo e inseguro. Aventurei-me lá no mês passado e, infelizmente, fiquei desapontado. Existem muitos edifícios históricos que juntos poderiam constituir um passeio a pé interessante e bonito se fossem restaurados e etiquetados. Como em outras cidades, o problema dos sem-teto é complexo, mas o fato de os edifícios históricos mais bonitos estarem rodeados por grupos de sem-teto, muitos dos quais construíram casas improvisadas contra o exterior do prédio & # 8217s, precisa ser resolvido antes que os turistas o façam sinta-se confortável explorando o centro da cidade. Não estou criticando o Brasil pela falta de moradia ou os moradores de rua por estarem nessa situação, mas acredito que a cidade precisa encontrar maneiras de lidar com essa questão pelo turismo e também pelos moradores de rua.

São Paulo tem muitos belos edifícios históricos, mas visitá-los nem sempre é fácil ou acolhedor.

3) Arquitetura que não vale a pena visitar? São Paulo abriga muitas obras do famoso arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer. Possivelmente o melhor lugar para ver seu trabalho e, ao mesmo tempo, apreciar a cultura latino-americana é o Memorial da América Latina (Memorial da américa latina), um complexo de vários edifícios em torno de duas grandes praças. Também inclui uma escultura impressionante de uma mão com um mapa da América Latina sangrando para lembrar as lutas e os sacrifícios do povo latino-americano. O complexo abriga eventos públicos que celebram a cultura latino-americana no dia em que estive lá, a independência da Bolívia estava sendo celebrada.

Parte do Memorial da América Latina e a famosa escultura de mão à esquerda

Quando visitei no mês passado, fiquei maravilhado com a arquitetura, mas parecia um local turístico secreto, quase negligenciado. Eu imaginei a grande atração que este memorial poderia ser. Os edifícios devem ser etiquetados em português e outras línguas. Folhetos com informações sobre Niemeyer e a história do complexo, incluindo a relevância cultural do memorial, devem estar disponíveis. Os visitantes devem poder percorrer pelo menos alguns dos interiores (saí apenas imaginando o quão incrível os interiores devem ser baseados nos exteriores). Finalmente, o memorial deve ser tratado como um tesouro da cidade & # 8211 lixo espalhado pela frente de um edifício e uma das esculturas de Niemeyer & # 8217 não deve ser tolerada.

Um dos edifícios mais impressionantes é cercado por água, mas a água estava fedorenta e cheia de lixo.

Se São Paulo fizesse as mudanças sugeridas acima, eu recomendaria para quem viaja para a América do Sul, mas como a cidade é agora, apesar de todas as suas qualidades, provavelmente não recomendaria viajar para lá. Não é uma cidade fácil de se viajar e, como esses três exemplos de potenciais atrações culturais ilustram, a cidade não está bem preparada para o turismo internacional. Como grande parte do Brasil, São Paulo tem potencial para ser uma grande atração turística não apenas por sua comida e compras, que a cidade é mais conhecida, mas também por seus atrativos culturais. A cultura faz parte da identidade da cidade e os paulistas têm orgulho de sua população diversificada, que criou grande arte, arquitetura, artesanato, música e muito mais. Quando a cidade desenvolver melhor o turismo e compartilhar essa identidade com outras pessoas, certamente se beneficiará com o aumento da receita e das oportunidades de emprego.

Eu adoraria ouvir seus comentários sobre o desenvolvimento do turismo e a economia, sua experiência em viagens para países em desenvolvimento ou sua experiência com turismo no Brasil. Confira meu primeiro post sobre como o Museu do Café de Santos, Brasil, promove a cultura e a história do Brasil.

(A terceira, quinta e sétima fotos são minhas e as outras são da Wikipedia Commons).


Conteúdo

Salvador fica em uma pequena península quase triangular que separa a Baía de Todos os Santos, a maior baía do Brasil, do Oceano Atlântico. [5] Foi alcançado pela primeira vez por Gaspar de Lemos em 1501, apenas um ano após a suposta descoberta do Brasil por Cabral. [6] Durante sua segunda viagem a Portugal, o explorador italiano Américo Vespúcio avistou a baía no Dia de Todos os Santos (1º de novembro) de 1502 e, em homenagem à data e à sua igreja paroquial em Florença, deu-lhe o nome de Baía do Santo Salvador de todos os santos. [7] O primeiro europeu a se estabelecer nas proximidades foi Diogo Álvares Correia ("Caramuru"), [8] que naufragou no final da península em 1509. Vivia entre os Tupinambá, casando-se com Guaibimpara e outros. Em 1531, Martim Afonso de Sousa liderou uma expedição ao Monte São Paulo (Morro de São Paulo) [9] e, em 1534, Francisco Pereira Coutinho, o primeiro capitão da Bahia, estabeleceu o assentamento de Pereira no moderno bairro da Ladeira da Barra, em Salvador. Os maus tratos aos Tupinambá pelos colonos fizeram com que eles se tornassem hostis e os portugueses foram forçados a fugir para Porto Seguro c. 1546. [10] Uma tentativa de restauração da colônia no ano seguinte terminou em naufrágio e canibalismo. [11]

A cidade atual foi estabelecida como a fortaleza de São Salvador da Bahia de Todos os Santos ("Santo Salvador da Baía de Todos os Santos") [12] [n 1] em 1549 por colonos portugueses sob Tomé de Sousa, o primeiro governador-geral do Brasil. [15] É uma das cidades mais antigas fundadas por europeus nas Américas. [16] De um penhasco com vista para a Baía de Todos os Santos, [n 2] serviu como a primeira capital do Brasil e rapidamente se tornou um importante porto para o comércio de escravos e a indústria da cana-de-açúcar. [18] Salvador foi há muito dividida em uma cidade alta e uma cidade baixa, divididas por uma escarpa acentuada de 85 metros (279 pés) de altura. [19] A cidade alta formava os distritos administrativos, religiosos e residenciais primários, enquanto a cidade baixa era o centro comercial, com um porto e mercado.

Na Igreja Católica Romana, o Brasil e o resto do Império Português foram inicialmente administrados como parte da Diocese do Funchal em Portugal, mas, em 1551, Salvador tornou-se a sede da primeira diocese católica romana erigida no Brasil. [20] A primeira igreja paroquial [21] foi a Igreja de barro e palha de Nossa Senhora da Ajuda (Igreja Nossa Senhora da Ajuda) erigida pelos jesuítas (Companhia de Jesus), [n 3] que serviu como a primeira catedral da diocese até que os jesuítas concluíssem a construção da basílica original no Terreiro de Jesus em 1553. [21] [n 4] Seu bispo foi tornado independente da Arquidiocese de Lisboa a pedido do Rei D. Pedro II em 1676 [24] serviu como primaz do Congo e de Angola na África Central até a elevação da Diocese de Luanda em 13 de janeiro de 1844 e seu bispo ainda serve como o primaz e primeiro-ministro nacional, ver (diocese) do Brasil.

Em 1572, o Governatorato do Brasil foi dividido em governorados separados da Bahia no norte e Rio de Janeiro no sul. Estes foram reunidos como Brasil seis anos depois, e então redivididos de 1607 a 1613. Nessa época, Portugal havia se tornado temporariamente unido à Espanha e era governado a partir de Madri por seus reis. Em 1621, o rei Filipe III substituiu a governadoria do Brasil pelos estados do Brasil, ainda sediado em Salvador e agora controlando o sul, e o Maranhão, que estava centrado em São Luís e controlava o que hoje é o norte do Brasil. Como a Espanha estava travando uma guerra contra a independência dos holandeses, as empresas holandesas das Índias Orientais e Ocidentais tentaram conquistar o Brasil delas. Salvador desempenhou um papel estrategicamente vital contra o Brasil holandês, mas foi capturado e saqueado por uma frota da Companhia das Índias Ocidentais comandada por Jacob Willekens e Piet Hein em 10 de maio de 1624. Johan van Dorth administrou a colônia antes de seu assassinato, libertando seus escravos. A cidade foi recapturada por uma frota luso-espanhola sob o comando de Fadrique Álvarez de Toledo y Mendoza em 1º de maio de 1625. As duas tentativas subsequentes de John Maurice de retomar a cidade em abril e maio de 1638 foram infrutíferas.

Em 1763, a administração colonial foi removida para o Rio de Janeiro e elevada a vice-reinado. Salvador continuou sendo o coração do Recôncavo, O rico distrito marítimo agrícola da Bahia, [25] mas estava em grande parte fora do início da modernização do Brasil. A área formou um centro de apoio real português contra a aparente declaração de independência do herdeiro Pedro I do Portugal europeu em 7 de setembro de 1822. Suas elites inicialmente permaneceram leais à coroa portuguesa [14], enquanto rebeldes de Cachoeira as sitiaram por um ano até que finalmente recebendo a rendição da cidade por Portugal em 2 de julho de 1823, que agora é comemorado como o Dia da Independência da Bahia.[26] A elite local estava igualmente hesitante durante o golpe posterior de Manuel Deodoro da Fonseca que estabeleceu a república em 1889. [14]

Devido ao uso da Baía de Todos os Santos pelas baleias como terreno de acasalamento, Salvador se tornou um grande porto baleeiro no hemisfério sul durante o século 19, mas o comércio já havia começado a diminuir na década de 1870. [13]

Sob os períodos do império e da república, no entanto, a cidade começou lentamente a se industrializar. Em 1873, o primeiro elevador do Brasil, o potente hidráulico Elevador Lacerda, foi construído para conectar as cidades altas e baixas da cidade. [13] Depois de passar por várias atualizações, ele continua em uso. [27] [28] Com a Primeira Guerra Mundial, foi adicionado um segundo elevador [n 5] e Salvador foi conectado a quatro ferrovias: a Bahia e Alagoinhas a Joazeiro, a Bahia Central, o Bonde de Nazaré e uma linha curta para Santo Amaro. [14] Seus distritos centrais e os principais subúrbios de Bomsim e Victoria eram servidos por quatro linhas de bonde, [13] [14] que começaram a eletrificar. [14] Também serviu como porto de escala para a maioria das linhas de navios a vapor que comercializavam entre a Europa e a América do Sul. [14]

Em 1985, a UNESCO classificou o bairro do Pelourinho como Patrimônio da Humanidade. [29] [30] Na década de 1990, um grande projeto municipal limpou e restaurou o bairro a fim de desenvolvê-lo como centro cultural e coração do comércio turístico da cidade. O desenvolvimento do Centro Histórico, no entanto, envolveu a remoção forçada de milhares de residentes da classe trabalhadora e agora necessita de eventos locais e municipais para atrair pessoas para a área. [31] Os trabalhadores realocados, entretanto, enfrentaram dificuldades econômicas significativas em suas novas casas na periferia da cidade, separadas do acesso ao trabalho e amenidades cívicas. [32]

Em 2007, a Praia do Porto da Barra, na Barra, foi batizada por o guardião como a terceira melhor praia do mundo. [33] Em 2010, a cidade sediou o 12º Congresso das Nações Unidas sobre Prevenção ao Crime. [34] A cidade sediou a Copa das Confederações de 2013 e foi uma das cidades-sede da Copa do Mundo FIFA 2014 no Brasil em sua Arena Fonte Nova. [35] Como parte de seus preparativos para a Copa do Mundo, a cidade restabeleceu suas linhas de transporte público como o Metrô de Salvador.

Edição de clima

Salvador tem um clima de floresta tropical com ventos alísios (Köppen: Af) As temperaturas são relativamente consistentes, apresentando pouca variação ao longo do ano. [36] [37] Os meses mais secos do ano em Salvador são dezembro e janeiro, quando a cidade recebe em média menos de 10 cm de precipitação. Os meses mais chuvosos de Salvador são abril, maio e junho, quando caem pelo menos 20 cm de chuva durante cada um desses três meses. [38]

Dados climáticos para Salvador (Bahia)
Mês Jan Fev Mar Abr Poderia Junho Jul Agosto Set Out Nov Dez Ano
Registro de alta ° C (° F) 37.9
(100.2)
33.3
(91.9)
37.4
(99.3)
32.8
(91.0)
31.5
(88.7)
30.4
(86.7)
29.6
(85.3)
31.3
(88.3)
29.8
(85.6)
34.3
(93.7)
38.1
(100.6)
35.6
(96.1)
38.1
(100.6)
Média alta ° C (° F) 29.9
(85.8)
30.0
(86.0)
30.0
(86.0)
28.6
(83.5)
27.7
(81.9)
26.5
(79.7)
26.2
(79.2)
26.4
(79.5)
27.2
(81.0)
28.1
(82.6)
28.9
(84.0)
29.0
(84.2)
28.2
(82.8)
Média diária ° C (° F) 26.4
(79.5)
26.5
(79.7)
26.6
(79.9)
26.2
(79.2)
25.2
(77.4)
24.3
(75.7)
23.7
(74.7)
23.6
(74.5)
24.3
(75.7)
25.1
(77.2)
25.5
(77.9)
25.9
(78.6)
25.3
(77.5)
Média baixa ° C (° F) 23.6
(74.5)
23.7
(74.7)
23.9
(75.0)
23.7
(74.7)
22.9
(73.2)
22.0
(71.6)
21.4
(70.5)
21.2
(70.2)
21.7
(71.1)
22.5
(72.5)
22.9
(73.2)
23.2
(73.8)
22.7
(72.9)
Gravar ° C baixo (° F) 20.0
(68.0)
20.7
(69.3)
20.8
(69.4)
20.7
(69.3)
19.2
(66.6)
16.7
(62.1)
15.1
(59.2)
13.3
(55.9)
16.1
(61.0)
16.9
(62.4)
16.2
(61.2)
20.0
(68.0)
13.3
(55.9)
Precipitação média mm (polegadas) 82.5
(3.25)
107.2
(4.22)
156.6
(6.17)
305.2
(12.02)
359.9
(14.17)
243.7
(9.59)
175.0
(6.89)
127.4
(5.02)
102.0
(4.02)
114.9
(4.52)
137.1
(5.40)
116.1
(4.57)
2,089.6
(82.27)
Dias chuvosos médios (≥ 1 mm) 10 13 16 17 20 19 20 15 12 10 11 10 173
Umidade relativa média (%) 79.4 79.0 79.8 82.2 83.1 82.3 81.5 80.0 79.6 80.7 81.5 81.1 80.9
Média de horas de sol mensais 245.6 226.4 231.1 189.7 174.3 167.2 181.2 202.6 211.4 228.0 213.6 224.7 2,495.8
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). [36] [37] [38] [39] [40] [41] [42] [43] [44]

Em 2010, a cidade de Salvador era a terceira cidade mais populosa do Brasil, depois de São Paulo e Rio de Janeiro. [45] A cidade tinha 474.827 casais do mesmo sexo e 1.595 casais do mesmo sexo. A população de Salvador era 53,3% feminina e 46,7% masculina. [46]

Grupos étnicos Editar

De acordo com o Censo IBGE 2010, havia 2.675.000 pessoas residindo na cidade de Salvador. [47] O censo revelou a seguinte autoidentificação: 1.382.543 pessoas se identificam como pardo (multirracial) (51,7%) 743.718 como negros (27,8%) 505.645 como brancos (18,9%) 35.785 como asiáticos (1,3%) e 7.563 como ameríndios ( 0,3%). [46]

A população de Salvador é resultado de 500 anos de casamento inter-racial. A maioria da população tem raízes africanas, europeias e nativas americanas. A ascendência africana da cidade é de Angola, Benin, Congo, Etiópia, Nigéria, Senegal e Moçambique. [48]

Segundo estudo de DNA autossômico de 2008, a herança ancestral da população de Salvador foi estimada em 49,2% africana, 36,3% europeia e 14,5% indígena americana. [50] O estudo também analisou os antecedentes genéticos das pessoas por tipo de sobrenome. Aqueles com sobrenomes com conotação religiosa eram 53,1% africanos na ancestralidade genética e tendiam a pertencer às classes econômicas mais baixas. Durante a era colonial, era prática típica dos padres e missionários portugueses batizar escravos africanos e nativos americanos convertidos com sobrenomes de conotações religiosas. Estes foram transmitidos aos seus descendentes.

Um estudo de DNA autossômico de 2015 descobriu a seguinte composição ancestral em Salvador: 50,5% de ancestralidade africana, 42,4% de ancestralidade europeia e 5,8% de ancestralidade indígena americana. [51] [52] Os pesquisadores explicaram que sobreamostraram indivíduos que viviam em ambientes pobres (página 4). [51]

Outro DNA autossômico de 2015 descobriu que Salvador era 50,8% africano, 42,9% europeu e 6,4% nativo americano. [53]

E outro estudo de DNA autossômico, também em 2015, descobriu que Salvador era: 50,8% europeu, 40,5% africano e 8,7% nativo americano. [54]

Crescimento populacional Editar

Religião Editar

Em Salvador, a religião é um importante ponto de contato entre as influências portuguesas e africanas e, nos últimos 20 anos, a versão brasileira do pentecostalismo de influência norte-americana. [56] Salvador foi a sede do primeiro bispado do Brasil colonial (estabelecido em 1551), e o primeiro bispo, Pero Fernandes Sardinha, chegou já em 1552. [57] Os jesuítas, liderados pelo Manuel da Nóbrega, também chegaram no século XVI e trabalharam na conversão dos povos indígenas da região ao catolicismo romano.

Muitas ordens religiosas vieram para a cidade, após sua fundação: Franciscanos, Beneditinos e Carmelitas. Posteriormente, a eles são criadas as Terceiras Ordens, as Irmandades e as Fraternidades, que eram compostas principalmente por grupos profissionais e sociais. Destas ordens, as mais proeminentes foram a Ordem Terceira do Carmo e a Ordem de São Francisco, fundada por brancos, e as Irmandades de Nossa Senhora do Rosário e São Beneditino, compostas por negros. [58] Em muitas igrejas mantidas por religiosos, estavam abrigadas as irmandades do Santíssimo Sacramento.

Além dessas organizações, a expansão do catolicismo na cidade se consolidou por meio do trabalho de assistência social. A Santa Casa da Misericórdia foi uma das instituições que realizaram este tipo de trabalho, mantendo hospitais, abrigos para pobres e idosos, além de prestar assistência a presidiários e aos que seriam condenados à pena de morte. [58] Os conventos, por sua vez, eram centros de formação cultural e religiosa, oferecendo cursos de seminários frequentados por leigos.

Mesmo com a evolução atual, e o crescimento do protestantismo e de outras religiões na cidade, a fé católica continua sendo uma de suas características mais marcantes, atraindo muita gente para suas centenas de igrejas. Alguns aspectos, como o uso do português nas missas, a simplificação da liturgia e a adoção de canções religiosas "pop", são fatores fundamentais para o triunfo do catolicismo. Na Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, as missas são realizadas na língua Yorubá, com cantos africanos e roupas típicas, que atraem muitas pessoas das comunidades afro-brasileiras. [58]

A maioria dos africanos escravizados na Bahia foram trazidos da África Subsaariana, especialmente da nação de língua ioruba (Iorubá ou Nagô em português) do atual Benin. Os escravos foram forçados a se converter ao catolicismo romano, mas sua religião original, Yorùbá, foi combinada com o catolicismo romano para tornar a religião sincrética conhecida como Candomblé, que sobreviveu apesar das proibições e perseguições. Os escravos africanos conseguiram preservar sua religião atribuindo os nomes e características de suas divindades Yorùbá a santos católicos com qualidades semelhantes. Ainda hoje todas as sessões do Candomblé são conduzidas em iorubá, não em português.

Essas entidades religiosas foram sincretizadas com algumas entidades católicas. Por exemplo, a Festa do Bonfim de Salvador, comemorada em janeiro, é dedicada tanto a Nosso Senhor do Bonfim (Jesus Cristo) quanto a Oxalá. Outra festa importante é a Festa de Yemanjá, todos os 2 de fevereiro, às margens do bairro do Rio Vermelho em

Salvador, no dia em que a igreja festeja Nossa Senhora dos Navegantes. O dia 8 de dezembro, Dia da Imaculada Conceição para os católicos, também é comumente dedicado a Iemanjá com oferendas votivas feitas no mar em toda a costa brasileira. [ citação necessária ]

Religião Percentagem Número
católico 51.55% 1,379,252
protestante 19.59% 524,286
Sem religião 17.64% 471,928
Espírita 3.23% 86,484
Umbanda e Candomblé 1.05% 28,019
judaico 0.04% 1,010

Ao longo da história do Brasil, Salvador desempenhou um papel importante. Devido à sua localização na costa nordeste do Brasil, a cidade serviu como um importante elo no império português durante a era colonial, mantendo estreitos laços comerciais com Portugal e as colônias portuguesas na África e na Ásia. [60]

Salvador permaneceu como a cidade mais proeminente do Brasil até 1763, quando foi substituída como capital nacional pelo Rio de Janeiro. Nos últimos dez anos, muitos prédios de escritórios e apartamentos foram construídos, compartilhando os mesmos blocos com residências da era colonial ou edifícios comerciais. [61]

Com suas praias, clima tropical úmido, inúmeros shoppings modernos (o Shopping Iguatemi foi o primeiro do Nordeste do Brasil) e agradáveis ​​áreas residenciais de alto padrão, a cidade tem muito a oferecer aos seus moradores.

Economicamente, Salvador é uma das cidades mais importantes do Brasil. Desde a sua fundação, a cidade tem sido um dos portos e centros de comércio internacional mais importantes do Brasil. Com uma grande refinaria de petróleo, uma planta petroquímica e outras indústrias importantes, a cidade fez grandes avanços na redução de sua dependência histórica da agricultura para sua prosperidade. [62]

Salvador é o segundo destino turístico mais popular do Brasil, depois do Rio de Janeiro. [63] O turismo e a atividade cultural são importantes geradores de emprego e renda, dinamizando as artes e a preservação do patrimônio artístico e cultural.

O principal ponto de interesse são seus famosos Pelourinho distrito, suas igrejas históricas, [64] e suas praias. A infraestrutura turística de Salvador é considerada uma das mais modernas do Mundo, principalmente em termos de hospedagem. A cidade oferece acomodações para todos os gostos e padrões, desde albergues da juventude até hotéis internacionais. A construção civil é uma das atividades mais importantes da cidade, e muitas incorporadoras internacionais (principalmente da Espanha, Portugal e Inglaterra) [65] e nacionais estão investindo na cidade e no litoral baiano.

A Ford Motor Company possui uma fábrica na Região Metropolitana de Salvador, na cidade de Camaçari, montando o Ford EcoSport, o Ford Fiesta, o Ford Fiesta Sedan. [66] Foi a primeira indústria automotiva do Nordeste do Brasil. A indústria emprega 800 engenheiros. [67]

A JAC Motors terá fábrica na Região Metropolitana de Salvador, na cidade de Camaçari, a nova indústria vai gerar 3,5 mil empregos diretos e 10 mil indiretos, a produção de 100 mil veículos por ano. [68]

Em dezembro de 2001, a empresa Monsanto inaugurou, no Pólo Petroquímico de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador, a primeira planta da empresa destinada a produzir matéria-prima para o herbicida Roundup na América do Sul. O investimento equivale a US $ 500 milhões e US $ 350 milhões foram gastos nesta fase inicial. A Fábrica de Camaçari, a maior unidade da Monsanto fora dos Estados Unidos, também é a única fábrica da Monsanto que fabrica matéria-prima para a linha de produção do Roundup. A empresa iniciou as obras civis para a nova planta em janeiro de 2000. [69]

Economia [70] [71] PIB (em reais) PIB per capita (em reais)
2016 58 bilhões 19.505,84

O litoral de Salvador é um dos mais longos para cidades do Brasil. São 80 km de praias distribuídas entre a Cidade Alta e a Cidade Baixa, desde Inema, no bairro ferroviário, até a Praia do Flamengo, na outra ponta da cidade. Enquanto as praias da Cidade Baixa são banhadas pelas águas da Baía de Todos os Santos (a mais extensa do país), as praias da Cidade Alta, do Farol da Barra ao Flamengo, são banhadas pelo Oceano Atlântico. A exceção é a Praia do Porto da Barra, única praia da Cidade Alta localizada na Baía de Todos os Santos.

As praias da capital vão desde enseadas calmas, ideais para banho, vela, mergulho e pesca submarina, até enseadas de mar aberto com ondas fortes, procuradas pelos surfistas. Existem também praias rodeadas por arrecifes, formando piscinas naturais de pedra, ideais para crianças.

Lugares interessantes para visitar perto de Salvador incluem:

  • De acordo com o jornal britânico O guardião, em 2007, a Praia do Porto da Barra era a terceira melhor do mundo. [72]
  • A grande ilha de Itaparica, na Baía de Todos os Santos, pode ser visitada tanto por uma balsa para carros quanto por uma balsa menor para passageiros a pé, que sai próximo ao Mercado Modelo próximo ao Elevador Lacerda. Rodovia, ou “Linha do Coco” e “Linha Verde” de vilas e cidades, com praias paradisíacas, ao norte de Salvador rumo ao estado de Sergipe. na região de Valença do outro lado da Baía de Todos os Santos - uma ilha que pode ser alcançada de balsa saindo de Salvador (2 horas), de avião, ou de ônibus para Valença e depois de lancha 'Rapido' ('fast') ou balsa menor. Morro de São Paulo é formado por cinco aldeias da Ilha de Tinharé.

A cidade é servida por muitos shoppings, incluindo Shopping Iguatemi, [73] Salvador Shopping, [74] Shopping Barra, [75] e Shopping Paralela. [76]

Salvador possui quatro parques, áreas verdes protegidas, como Parque Jardim dos Namorados, Parque Costa Azul, Parque da cidade, Parque de Pituaçu.

O Jardim dos Namorados está localizado próximo ao Parque Costa Azul e ocupa uma área de 15 hectares na Pituba, onde muitas famílias passavam as férias na década de 1950. Foi inaugurado em 1969, inicialmente como área de lazer. Passou por uma reforma completa na década de 1990, com a construção de um anfiteatro com capacidade para 500 pessoas, quadras poliesportivas, playgrounds e estacionamento para carros e ônibus turísticos.

O Parque da cidade é uma importante área de preservação da Mata Atlântica. Foi totalmente remodelado em 2001, tornando-se num moderno espaço social, cultural e de lazer. O novo parque possui 720 metros quadrados de área verde bem no meio da cidade. Entre as atrações estão a Praça das Flores, com mais de cinco mil plantas ornamentais e flores.

Além do ambiente, o parque conta com infraestrutura para crianças, com uma programação especial de eventos que acontece todo mês de outubro. [77]

Criado por decreto estadual em 1973, o Parque do Pituaçu ocupa uma área de 450 hectares e é um dos poucos parques ecológicos brasileiros localizados em área urbana. É cercada por Mata Atlântica, com uma boa variedade de plantas e animais. No parque existe também uma lagoa artificial, construída em 1906 junto com a barragem de Pituaçu, que tinha como objetivo abastecer a cidade com água. [78]

Há uma série de atividades de lazer possíveis, que vão desde passeios de ciclomotor na lagoa até uma ciclovia de 38 km circundando toda a reserva. Um museu também está localizado no parque. O Espaço Cravo é um museu ao ar livre com 800 peças da autoria de Mario Cravo, compostas por Totens, figuras aladas e tridimensionais, além de desenhos e pinturas.

Instituições educacionais Editar

    (UFBA) (Universidade Federal da Bahia) (UCSal) (Universidade Católica de Salvador)
  • Universidade do Estado da Bahia (UNEB)
  • Universidade Salvador (UNIFACS) (Universidade Salvador)
  • Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC) (Faculdade de Tecnologia e Ciências) (IFBA) (Instituto Federal da Bahia)
  • Faculdade Ruy Barbosa (FRB) (Faculdade Ruy Barbosa) (CIMATEC) (Campus Integrado de Fabricação e Tecnologia) (FCA) (Faculdade Castro Alves) (UNIJORGE) (Centro Universitário Jorge Amado) (EBMSP) (Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública )

Editar escolas primárias e secundárias

As melhores escolas de ensino médio da cidade de acordo com o Exame Nacional do Ensino Médio são: [79]

  • Escola Panamericana da Bahia
  • Colégio Marista
  • Colégio São Paulo
  • Colégio Módulo
  • Colégio Oficina
  • Colégio Anchieta
  • Instituto Federal da Bahia (IFBA)
  • Instituto Social da Bahia (ISBA)
  • Colégio Bernoulli
  • Academia Cândido Portinari
  • Colégio Antônio Vieira
  • Colégio Módulo
  • Colégio Militar de Salvador
  • Colégio Sartre COC
  • Colégio Integral
  • Colégio 2 de Julho
  • Colégio Nossa Senhora da Conceição
  • Colégio Gregor Mendel
  • Colégio Nossa Senhora das Mercês
  • Colégio São José

Salvador é uma das cidades mais criminosas do país. O número de homicídios aumentou 418% de 2000 a 2010. De 1998 a 2008, o número de homicídios de jovens entre 15 e 24 anos aumentou 435,1%. A violência armada no estado da Bahia mais que dobrou no período de 2004 a 2014, e a cidade está entre as dez primeiras em violência armada das 26 capitais brasileiras. Em 2014, o estado da Bahia teve o maior número de assassinos do país. Ao mesmo tempo, Salvador apresenta uma das menores taxas de suicídio do país. [80] [81] [82] [83] [84] [85] [86] [87]

Os aspectos históricos e culturais de Salvador foram herdados pelo casamento misto de grupos étnicos como índios, africanos e europeus. Essa mistura pode ser percebida na religião, na culinária, nas manifestações culturais e nos costumes do povo baiano. As práticas culturais africanas são particularmente celebradas. [88]

Edição de Literatura

Gregório de Mattos, nascido em Salvador em 1636, também foi educado pelos jesuítas. Tornou-se o mais importante poeta barroco do Brasil colonial por suas obras religiosas e satíricas. Padre António Vieira nasceu em Lisboa em 1608, mas foi criado e educado no colégio jesuíta de Salvador e faleceu na cidade em 1697. Os seus sermões eruditos valeram-lhe o título de melhor escritor de língua portuguesa do barroco. [89]

Após a Independência do Brasil (1822), Salvador continuou a desempenhar um papel importante na literatura brasileira. Escritores importantes do século 19 associados à cidade incluem o poeta romântico Castro Alves (1847–1871) e o diplomata Ruy Barbosa (1849–1923). No século 20, o baiano Jorge Amado (1912-2001), embora não tenha nascido em Salvador, ajudou a popularizar a cultura da cidade em todo o mundo em romances como Jubiabá, Dona Flor e Seus Dois Maridos, e Tenda dos Milagres, cujas configurações são em Salvador. [ citação necessária ]

Editar Cozinha

A culinária local, apimentada e à base de frutos do mar (camarão, peixes), conta com fortes ingredientes e técnicas tipicamente africanas, sendo muito apreciada em todo o Brasil e internacionalmente. O ingrediente mais típico é azeite-de-dendê, um óleo extraído de uma palmeira (Elaeis guineensis) trazido da África Ocidental para o Brasil durante a época colonial. [90]

A partir do suco de coco com leite, prepararam uma variedade de pratos à base de frutos do mar, como Ensopados, Moquecas e Escabeche. O bagaço da cana foi misturado ao melaço e à Rapadura, na criação de sobremesas de coco como Cocada Branca e Preta. O restante do molho do Ensopado à Portuguesa foi misturado à farinha de mandioca para fazer um pirão, que é um prato tradicional da Índia. [91] Nos mercados de Salvador, é possível encontrar barracas que vendem pratos típicos da época colonial. No Mercado de Sete Portas, os clientes comem Mocotó nas noites de sexta-feira desde a década de 1940, quando foi inaugurado o mercado. Nos restaurantes do Mercado Modelo, Sarapatel, são servidos regularmente caldeiradas e diversos fritos. Nos mercados de São Joaquim, Santa Bárbara e São Miguel, há barracas de comida típica. Também são comercializados em barracas localizadas nas praias, principalmente caldeirada e ostras. Os restaurantes que vendem pratos típicos estão localizados principalmente no litoral e no Pelourinho. Eles preparam uma grande variedade de receitas que levam óleo de palma.

Os pratos tradicionais incluem caruru, vatapá, acarajé, bobó-de-camarão, moqueca baiana, e abará. Alguns desses pratos, como o acarajé e o abará, também são usados ​​como oferendas em rituais de candomblé. Mas Salvador não é só comida típica. Outras receitas criadas pelos escravos foram o Arroz Haussá (arroz e carne seca cozidos juntos), o Munguzá, usado como oferenda ao candomblé Oxalá (que é o pai de todas as divindades, segundo a religião) agradou muito as matronas. Assim fizeram os Bolinhos, o Fubá, o Cuscuz (fubá) e o Mingau (mingau). Segundo Arany Santana, o Ipetê africano (usado nos rituais da divindade Oxum) passou a ser o bobó Camarão, e o Akará (homenagem às divindades Xangô e Iansã), o mundialmente famoso Acarajé. A cidade também possui restaurantes especializados em culinária internacional. Também há locais que servem pratos de outros estados do Brasil, principalmente de Minas Gerais e da região Nordeste.

Capoeira Editar

Capoeira é uma mistura única de dança e arte marcial de origem afro-brasileira, combinando movimentos de dança ágil com técnicas de combate desarmado. Capoeira em português significa literalmente "galinheiro". A capoeira surgiu no Quilombo dos Palmares, localizado na Capitania de Pernambuco, e Salvador é considerada a casa dos modernos ramos da capoeira. [92] [93] Na primeira metade do século 20, os mestres salvadorenhos Mestre Bimba e Mestre Pastinha fundaram escolas de capoeira e ajudaram a padronizar e popularizar a arte no Brasil e no mundo. A prática da Capoeira foi proibida em 1892, mas em 1937 foi legalizada. [94] Nos últimos anos, a Capoeira se tornou mais internacional e acessível até mesmo em Salvador.

Edição de museus

O patrimônio artístico, cultural e social de Salvador é preservado em museus. Do Museu de Arte da Bahia (MAB), que é o mais antigo do Estado, ao Museu Náutico, o mais novo, a primeira capital do Brasil exibe elementos históricos únicos. O Museu de Arte da Bahia possui pinturas, porcelanas chinesas, móveis e imagens sacras dos séculos XVII e XVIII. O Museu Costa Pinto possui peças de propriedade privada como peças de arte, objetos de cristal e móveis dos séculos XVIII e XIX. Museu da Cidade, onde estão guardados muitos itens que ajudam a preservar o patrimônio da antiga Salvador. O Museu de Arte Moderna da Bahia, fundado em 1960, está localizado em um sítio histórico da Baía de Todos os Santos, o Solar da União.

Algumas igrejas e mosteiros também possuem museus localizados em suas instalações. Exemplos disso são os museus Carmo da Misericórdia e São Bento. Após a reforma dos fortes, foi instalado o Museu Náutico, no Forte de Santo Antônio da Barra (Farol da Barra) e o Museu da Comunicação, no Forte São Diogo. Outros museus importantes localizados em Salvador são: Museu do Cacau, Museu Estadual de Geologia, Museu tempostal, Solar do Ferrão, Museu de Arte Antiga e Popular Henriqueta M Catharino, Museu Eugênio Teixeira Leal, Museu Rodin Bahia e Museu das Portas do Carmo.

Edição de arte pública

As ruas de Salvador são decoradas com inúmeros murais e esculturas, muitos deles produzidos pelo artista residente Bel Borba, natural da cidade. [95]

Carnival Edit

O Carnaval Baiano (português: Carnaval) é a maior festa do planeta. [96] [97] Suas dimensões são gigantescas. Durante uma semana inteira, quase 4 milhões de pessoas comemoram ao longo de 25 quilômetros (16 milhas) de ruas, avenidas e praças. A organização direta da festa envolve a participação de mais de 100.000 pessoas [98] e Salvador recebe em média mais de 800.000 visitantes. O caso é fortemente policiado e coberto. As ruas são patrulhadas por filas de policiais em fila única e guardadas por equipes sentadas de cinco ou seis policiais. [99] Em 2010, a cobertura foi fornecida por 4.446 jornalistas da imprensa local, nacional e internacional e transmitida para 135 países através de 65 estações de rádio, 75 revistas, 139 produções de vídeo, 97 jornais (incluindo 21 jornais internacionais), 14 estações de televisão e 168 sites. [100]

A festa oficial começa quando Rei Momo ("Rei Momo", o Rei do Carnaval) entrega a chave da cidade na manhã da quinta-feira anterior ao Mardi Gras. No Campo Grande, as ruas são repletas de arquibancadas (camarotes) Caminhões de 60 pés de comprimento, conhecidos como Trios Eléctricos carregam uma linha de chute de dançarinos seminus ao lado dos performers mais queridos da cidade, como Ivete Sangalo, Daniela Mercury, Cláudia Leitte, Chiclete com Banana e Carlinhos Brown. [101] Grande parte da música tocada é axé ou samba-reggae. Grupos conhecidos como blocos participar, sendo o mais famoso o blocos afros como Malé Debalé, Olodum e Filhos de Gandhi.

Os desfiles são organizados em circuitos separados. O Circuito Osmar, o mais antigo, vai do Campo Grande à Praça Castro Alves. O Circuito Centro passa pelo Centro e Pelourinho. O Circuito Dodô vai do Farol da Barra a Ondina pelo litoral. Por ser o Circuito Osmar o mais antigo, é onde desfilam os grupos mais tradicionais do evento. Em Dodô, onde ficam os camarotes dos artistas, a festa se anima no final da tarde e segue até o amanhecer.

Edição de música

Black Bahia Funk Balls toca mais música americana - incluindo música inglesa - do que suas contrapartes no Rio, enquanto a música do Rio é considerada inferior e menos tocada. [ citação necessária ] Os dancehalls locais que hospedam os bailes também são distintos. [102]

Bibliotecas Editar

Os primeiros livros que chegaram a Salvador, foram trazidos pelos jesuítas, que vieram com Tomé de Souza. [103] As primeiras bibliotecas ou livrarias que surgiram estavam sob o controle dos missionários religiosos e eram compostas principalmente de livros sobre religião.

Edição de Artesanato

Legado artesanal da Bahia utilizando apenas matéria-prima (palha, couro, barro, madeira, conchas e miçangas), os artesanatos mais rudimentares são razoavelmente baratos. Outras peças são criadas com o uso de metais como ouro, prata, cobre e latão. Os mais sofisticados são ornamentados com pedras preciosas e semipreciosas. Os artesãos geralmente escolhem a religião como tema principal de seu trabalho.

Eles retratam as imagens de santos católicos e divindades do candomblé em suas peças. Os amuletos da sorte como o punho cerrado, o trevo de quatro folhas, o alho e as famosas fitas do Bonfim expressam o sincretismo religioso da cidade. A natureza também é retratada nessas peças, refletindo a vida selvagem local. A música aparece nos tambores de atabaque, nos bastões de chuva, nos tambores de água e no famoso berimbau, entre outros instrumentos típicos. [104]

Salvador detém uma reputação internacional como uma cidade onde são produzidos instrumentos musicais que produzem sons únicos. Esses instrumentos são freqüentemente usados ​​por artistas mundialmente famosos em suas sessões de gravação. A principal produção de artesanato de Salvador está localizada no Mercado Modelo, que é o maior centro de artesanato da América Latina. [105]

As peças também podem ser adquiridas no Instituto de Artesanato de Mauá e no Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC). São organizações que promovem a arte típica baiana.

Airport Edit

O Aeroporto Internacional Deputado Luís Eduardo Magalhães tem uma área de 6.900 metros quadrados (74.271 pés quadrados) entre dunas de areia e vegetação nativa. Fica 28 km ao norte do Centro de Salvador, e a estrada para o aeroporto já se tornou uma das principais atrações cênicas da cidade. [106]

Edição de porta

Com volume de cargas que cresce a cada ano com o crescimento econômico do estado, o Porto de Salvador, localizado na Bahia de Todos os Santos, é o porto com mais movimentação de contêineres do Norte / Nordeste e o segundo maior exportador de frutas no Brasil.

Metro Edit

O Metrô de Salvador está em operação desde 2014, e sua primeira etapa ficou pronta desde março de 2008, entre as Estações Lapa e Aceso Norte, e em 2009, estavam prontas as estações do Metrô entre a Estação Accesso Norte e Pirajá. Em dezembro de 2014 foi inaugurado até Retiro. Em 2018, o sistema tinha 32 km (20 mi) e 20 estações e estava interligado ao sistema de ônibus.

Os principais acionistas da Metro Salvador são as empresas espanholas Construcciones y Auxiliar de Ferrocarriles, Dimetronic e ICF. A previsão é que o Metrô Salvador invista US $ 150 milhões em material rodante e equipamentos de sinalização e telecomunicações. O contrato cobre a primeira linha de 11,9 km (7,4 mi) de Pirajá à Lapa, com inauguração prevista para 2003. O projeto também é financiado por um empréstimo de US $ 150 milhões do Banco Mundial e contribuições do governo federal, do estado da Bahia e da cidade de Salvador governos. [107]

O sistema foi uma das ações de mobilidade urbana em preparação para a Copa do Mundo FIFA 2014. A conexão da Linha 2 com a Linha 1 do Metrô de Salvador ajuda a conectar o Aeroporto Internacional ao Centro de Salvador e ao Estádio Fonte Nova. A nova Linha 2 do Metrô de Salvador integra as estações da Rótula do Abacaxi e a praia da cidade de Lauro de Freitas na região metropolitana, passando pelo aeroporto na estação do metrô do aeroporto. [108]

Edição de monotrilho

A rede de monotrilho de duas linhas SkyRail Bahia deve ser inaugurada em 2022. [109]

Edição de rodovias

As rodovias federais BR-101 e BR-116 cortam a Bahia de norte a sul, ligando Salvador ao restante do país. No entroncamento Feira de Santana, pegar a rodovia BR-324. A capital baiana é servida por diversas empresas de ônibus de quase todos os estados brasileiros. A BR-242, a partir de São Roque do Paraguaçu (sentido transversal), está interligada à BR-116, com destino à região Centro-Oeste. Entre as rodovias estaduais estão a BA-099, que faz ligação com o litoral norte e a BA-001, que faz ligação com o sul da Bahia. Os ônibus oferecem serviço direto para a maioria das principais cidades brasileiras, incluindo Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília, bem como destinos regionais. Em 2007, a cidade contava com 586.951 veículos, a maior quantidade do Norte e Nordeste do Brasil. [110] Salvador possui 2.500 ônibus públicos, e 2 milhões de pessoas são transportadas todos os dias. [111]

A estação de onibus (rodoviária) fica no Iguatemi, com ônibus diretos para as maiores cidades do país e diversos outros destinos do estado. No segundo andar encontram-se os balcões das diferentes empresas de autocarros e no primeiro andar encontra-se um minimercado e uma guarda-volumes 24 horas. Do outro lado da rua fica um grande shopping center, o Iguatemi, com praça de alimentação, conectado por uma travessia de pedestres. [112]

Quatro rodovias pavimentadas conectam a cidade ao sistema rodoviário nacional. Correndo para o norte a partir do Farol de Itapoã são centenas de quilômetros de praias. As praias são acessíveis pela rodovia BA-099 ou (Linha do Coco e Linha Verde), uma estrada (com pedágio), que se mantém em excelentes condições, correndo paralela ao litoral, com vias de acesso que levam ao próprio litoral. A estrada corre ao longo de dunas de areia branca como a neve, e a própria costa é uma linha quase ininterrupta de coqueiros. As comunidades ao longo do litoral variam de vilas de pescadores à Praia do Forte.

Editar estatísticas de transporte público

O tempo médio que as pessoas passam no transporte público em Salvador, como ida e volta do trabalho, em um dia de semana é de 94 min, e 33% dos usuários do transporte público viajam mais de 2 h todos os dias. A quantidade média de tempo que as pessoas esperam em uma parada ou estação pelo transporte público é de 33 minutos, e 70% dos passageiros esperam mais de 20 mib em média todos os dias. A distância média que as pessoas costumam percorrer em uma única viagem com o transporte público é de 8 km, e 18% percorrem mais de 12 km em uma única viagem. [114]

Embora a criação de Salvador tenha sido idealizada pelo Reino de Portugal e o projecto conduzido pelo engenheiro português Luís Dias (responsável pelo desenho original da cidade), o crescimento contínuo da capital ao longo das décadas foi totalmente espontâneo. [ citação necessária ] As muralhas da cidade-fortaleza não aguentaram a expansão da cidade, no sentido do Carmo e da zona onde hoje se ergue o Largo de Castro Alves. Na época de sua fundação, Salvador possuía apenas duas praças e o primeiro bairro construído aqui foi o Centro Histórico da Cidade. O Pelourinho e o Carmo vieram posteriormente, criados em consequência da crescente necessidade de espaço que as ordens religiosas tinham. Com a rápida expansão, os bairros cresceram e muitos deles se aglomeraram na mesma área, portanto, hoje não há registros precisos quanto ao seu número exato. Para fins de gestão urbana, a cidade está atualmente dividida em 17 zonas político-administrativas. Porém, devido à sua própria relevância cultural e às conveniências postais, a importância dos bairros de Salvador permanece intacta.

Salvador está dividida em vários bairros distintos, sendo os bairros mais conhecidos Pelourinho, Comércio e Centro Antigo, todos localizados na Zona Oeste. Barra, com seu Farol da Barra, praias e onde começa um dos circuitos do carnaval, a Barra abriga o Hospital Português e o Hospital Espanhol, o bairro fica na Zona Sul. Vitória, um bairro com muitos prédios altos, está localizado na Zona Sul. Campo Grande, com a Praça Dois de Julho e o monumento à independência da Bahia, também está localizado na Zona Sul, assim como a Graça, importante bairro residencial. Ondina, com o Jardim Zoobotânico de Salvador e local onde termina o circuito do Carnaval Barra-Ondina, o bairro que abriga o Clube Espanhol, também é um bairro da Zona Sul.

Itaigara, Pituba, Horto Florestal, Caminho das Árvores, Loteamento Aquárius, Brotas, Stiep, Costa Azul, Armação, Jaguaribe e Stella Maris são os bairros mais ricos e o Centro Novo da Zona Leste e da cidade. O Rio Vermelho, bairro com rica história arquitetônica e inúmeros restaurantes e bares, está localizado na Zona Sul. Itapoã, conhecida em todo o Brasil como a casa de Vinicius de Moraes e por ser cenário da música "Tarde em Itapoã", está localizada na Zona Leste.

A região Noroeste da cidade se estende ao longo da Baía de Todos os Santos, também conhecida como Cidade baixa ("Cidade Baixa"), contém os bairros periféricos empobrecidos de Periperi, Paripe, Lobato, Liberdade, Nova Esperança e Calçada. O bairro da Liberdade (Liberdade) tem a maior proporção de afro-brasileiros de Salvador e do Brasil. [115]

Pelourinho Editar

O Centro Histórico de Salvador foi tombado em 1985 pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade. [29] A cidade representa um belo exemplo do urbanismo português de meados do século 16 com sua cidade administrativa superior e sua cidade comercial baixa, e uma grande parte da cidade manteve o caráter antigo de suas ruas e casas coloridas.

Primeira capital da América portuguesa, Salvador cultivava trabalho escravo e tinha seus pelourinhos ("pelourinhos") instalados em locais abertos como o Terreiro de Jesus e as praças hoje conhecidas como Tomé de Sousa e Castro Alves. Os pelourinhos foram para alguns um símbolo de autoridade e justiça e de açoites e injustiça para a maioria. [116] O erigido por um curto período no que hoje é o Centro Histórico, e depois transferido para a atual Praça da Piedade, acabou emprestando seu nome ao conjunto histórico e arquitetônico do Pelourinho, parte da cidade alta da cidade.

Desde 1992, o bairro do Pelourinho passou por uma "restauração" de quase US $ 100 milhões, que resultou na reconstrução de centenas de fachadas de prédios e na expulsão da grande maioria da população negra do bairro. Esse processo gerou um grande debate político na Bahia, uma vez que os ex-moradores do Pelourinho foram em sua maioria excluídos dos benefícios econômicos da reforma (colhidos por poucos). [117] Um grande esforço de restauração resultou em tornar a área uma atração turística. [118]

A considerável riqueza e status de Salvador durante a época colonial (como capital da colônia durante 250 anos e que deu origem ao Pelourinho) se reflete na imponência de seus palácios, igrejas e conventos coloniais, a maioria deles datando dos séculos XVII e XVIII. Esses incluem:

    : Antiga igreja jesuíta da cidade, construída na segunda metade do século XVII. Belo exemplo de arquitetura e decoração maneirista. : O convento e a igreja franciscana datados da primeira metade do século XVIII são outro belo exemplar da arquitectura colonial portuguesa. A decoração barroca da igreja está entre as melhores do Brasil. : Igreja rococó com decoração interior neoclássica. A imagem do Nosso Senhor do Bonfim é a mais venerada da cidade, sendo a Festa de Nosso Senhor do Bom Fim (Festa de Nosso Senhor do Bonfim) em janeiro é o mais importante da cidade depois do carnaval. (Mercado Modelo): Em 1861, na Praça Cayrú, foi construído o Prédio da Alfândega, com uma rotunda (grande sala circular com teto abobadado) na extremidade traseira, onde os navios ancoravam para descarregar suas mercadorias. (Elevador Lacerda): Inaugurado em 1873, este elevador foi planejado e construído pelo empresário Antônio Francisco de Lacerda. As quatro gaiolas do elevador conectam os 72 metros (236 pés) entre a Praça Thomé de Souza na cidade alta e a Praça Cayru na cidade baixa cidade. Em cada corrida, que dura 22 segundos, o elevador transporta 128 pessoas, 24 horas por dia.

Salvador oferece aos visitantes e residentes diversas atividades esportivas. A Arena Fonte Nova, também conhecida como Estádio Octávio Mangabeira, é um estádio de futebol inaugurado em 28 de janeiro de 1951 em Salvador, Bahia, com capacidade máxima para 66.080 pessoas. O estádio foi substituído por um novo estádio, denominado Itaipava Arena Fonte Nova, com capacidade para 56 mil pessoas. Este estádio sediou partidas da Copa das Confederações FIFA de 2013 e da Copa do Mundo FIFA de 2014 subsequente, bem como a competição de futebol nos Jogos Olímpicos de 2016. O estádio é propriedade do governo da Bahia e é a sede do Esporte Clube Bahia. O nome oficial homenageia Octávio Cavalcanti Mangabeira, engenheiro civil, jornalista e ex-governador do estado da Bahia de 1947 a 1954. O estádio tem o apelido de Fonte Nova por estar localizado na Ladeira das Fontes das Pedras. O estádio foi fechado em 2007 devido a um acidente, e os jogos em casa do E.C. Bahia agora acontecem em outro estádio, em Pituaçu.

O Esporte Clube Bahia e o Esporte Clube Vitória são os principais times de futebol de Salvador. O Bahia conquistou 2 títulos nacionais, a Taça Brasil em 1959 e a Liga Brasileira em 1988, enquanto o Vitória foi vice-campeão do campeonato brasileiro em 1993 e da Copa do Brasil em 2010. EC Ypiranga é o terceiro time da cidade com 10 títulos de o Campeonato Baiano.

Salvador possui duas grandes áreas verdes para a prática de golfe. O Cajazeiras Golf and Country Club possui um campo de 18 buracos, instrutores, caddies e equipamentos para aluguel. O Clube de Golfe Itapuã, localizado na área do Hotel Sofitel, possui campo de 9 buracos, loja de equipamentos, caddies e tacos para aluguel. O tênis é muito popular entre as elites de Salvador, com grande número de jogadores e torneios nos clubes privados da cidade. O Brasil Open, torneio mais importante do país, acontece todos os anos na Bahia. [ citação necessária ]

Nas últimas décadas, o voleibol cresceu de forma constante em Salvador, principalmente após a medalha de ouro conquistada pelo Brasil nas Olimpíadas de 1992 em Barcelona. [ citação necessária ] Os torneios mais importantes da Bahia são o Campeonato Estadual, o Torneio da Liga Estadual e os Jogos Primavera, e as equipes principais são a Associação Atlética da Bahia, o Bahiano de Tênis e o Clube Regatas Itapagipe. Também há eventos de vôlei de praia. Salvador já sediou muitos torneios internacionais. A Federação Bahina de Voleibol (liga estadual) pode informar a programação dos torneios. O boliche é praticado tanto por adolescentes quanto por adultos em Salvador. O Boliche do Aeroclube e o Space Bowling estão equipados com pistas automáticas e completa infraestrutura de bares.

A liga baiana de basquete existe desde 1993 e conta com 57 times. O esporte é muito popular na cidade de Salvador, principalmente entre os estudantes. [119] São várias quadras espalhadas pela cidade, onde é possível jogar de graça, como a que fica na praça Bahia Sol, onde as pessoas jogam. [120] Existem também vários ginásios, em clubes como o Bahiano de Tênis e Associação Atlética e os Ginásios Antonio Balbino (popularmente conhecido como "Balbininho"), que é uma arena que pode acomodar até 7.000 pessoas.

As condições climáticas da Baía de Todos os Santos e Salvador são ideais para a prática de vela de competição e recreação. A cidade está dotada de boa infraestrutura para a prática da vela, como aluguel e venda de cais, manutenção de embarcações, restaurantes, lanchonete, lojas de conveniência, lojas de produtos náuticos, locadoras de barcos, sistemas de comunicação VHF e SSB, eventos e total assistência às tripulações. [121] O grande número de eventos náuticos organizados por clubes e sindicatos, como regatas oceânicas e típicas de barcos (pesqueiros de madeira e canoas), demonstra a força crescente do esporte. Atualmente, Salvador tem um calendário nacional de corridas com dezenas de provas, recebendo também as corridas Mini Transat 6.50 e Les Illes du Soleil. [121]

As corridas de barcos a remo começaram na cidade há mais de cem anos. [122] Originalmente, era praticado por jovens de famílias tradicionais, que passavam as férias de verão lá. O esporte é uma opção de lazer na Cidade Baixa. O Esporte Clube Vitória e o Clube São Salvador foram os pioneiros no esporte. Hoje, essas duas entidades e também o Clube de Regatas Itapagipe lideram as competições que acontecem na cidade. Com a recente reforma da área do Dique do Tororó, Salvador recebeu novas pistas para a prática do esporte.


Festivais no brasil

O carnaval é a festa mais importante do Brasil, mas também existem outras festas, desde os dias dos santos até as comemorações em torno das eleições ou da Copa do Mundo.

Carnaval

Quando chega o carnaval, o país se entrega a algumas das festas mais sérias do mundo. Um carnaval caribenho pode te preparar um pouco, mas o que acontece no Brasil é mais espetacular, é mais longo e em escala muito maior. Todo lugar no Brasil, grande ou pequeno, tem alguma forma de carnaval, e em três lugares principalmente - Rio, Salvador e Olinda, nos arredores de Recife - o carnaval se tornou um evento de massa, envolvendo aparentemente toda a população das cidades e atraindo visitantes de No mundo todo.

O momento exato do carnaval depende do calendário eclesiástico: começa à meia-noite da sexta-feira antes da quarta-feira de cinzas e termina na quarta-feira à noite, mas efetivamente as pessoas começam a festejar na sexta-feira à tarde - ao longo de quatro dias de celebração contínua e determinada. Geralmente acontece em meados de fevereiro, embora muito ocasionalmente possa ser no início de março. Mas, na verdade, todo o período do Natal é uma espécie de corrida para o carnaval. As pessoas começam a trabalhar nos figurinos, as canções são compostas e os ensaios são encenados nos pátios das escolas e quintais, de modo que o carnaval chega mais como um ponto culminante do que uma explosão repentina de emoção e cor.

Nos finais de semana imediatamente anteriores ao carnaval, acontecem os bailes carnavalescos, que ficam bem agitados. Não espere encontrar muitas coisas abertas ou fazer muito na semana que antecede o Carnaval, ou na semana seguinte, quando o país tira alguns dias de folga para se livrar de sua enorme ressaca coletiva. Durante o Carnaval em si, as lojas abrem brevemente nas manhãs de segunda e terça-feira, mas os bancos e escritórios permanecem fechados. Linhas aéreas domésticas, ônibus locais e interurbanos operam um serviço de domingo durante o período.

O carnaval mais conhecido e espetacular é no Rio, dominado pelo samba e o desfile das escolas de samba pela enorme extensão de concreto do gloriosamente chamado Sambódromo. Um dos maiores pontos turísticos do mundo, e transmitido ao vivo para todo o país, o carnaval carioca tem seus críticos. Certamente é menos participativo do que Olinda ou Salvador, com as pessoas amontoadas nas arquibancadas assistindo, em vez de seguirem as escolas.

Salvador é, em muitos aspectos, a antítese do Rio, com vários enfoques em torno do centro antigo: desfile é apenas uma das várias coisas que acontecem, e as pessoas seguem desfilando nas escolas e no trio elétrico, grupos tocando em cima de caminhões com fio para som. O samba é apenas um dos vários tipos de música tocados, se é uma música que você está interessado, Salvador é o melhor lugar para ouvir e ver.

Olinda, em um cenário colonial mágico nos arredores de Recife, tem um personagem próprio, menos frenético que o Rio e Salvador musicalmente, é dominada pelo frevo, a batida rápida e rodopiante de Pernambuco, e é de certa forma a mais distinta visualmente, com seus bonecos, grandes figuras de papel maché que são o centro dos desfiles de Olinda.

Alguns lugares que você esperaria serem grandes o suficiente para ter um carnaval impressionante são, na verdade, notoriamente ruins nisso: as cidades nesta categoria são São Paulo, Brasília e Belo Horizonte. Por outro lado, também há lugares que têm carnavais bem melhores do que você imagina: o de Belém é muito distinto, com a comida amazônica e os ritmos do carimbó, e Fortaleza também tem boa reputação. O Sul, normalmente esquecido pela maioria das pessoas no que diz respeito ao Carnaval, tem grandes eventos em Florianópolis, principalmente com o objetivo de atrair turistas argentinos e paulistas, e o carnaval menor, mas mais distinto, em Laguna. Para mais detalhes sobre os eventos, música e acontecimentos em cada um dos carnavais principais, consulte as seções relevantes do Guia.

Outros festivais

A terceira semana de junho tem festas juninas, voltadas principalmente para crianças, que se vestem com chapéus de palha e blusinhas xadrez e soltam balões de papel com velas (para dar o ar quente), causando desde um susto até um grande incêndio ao pousar .

Eleições e Copa do Mundo costumam ser desculpas para comemorações improvisadas, enquanto as comemorações oficiais, com desfiles militares e discursos patrióticos, acontecem nos dias 7 de setembro (Dia da Independência) e 15 de novembro, aniversário da declaração da República.

Nas cidades e áreas rurais, pode-se até dar de cara com um dia de festa, o dia da padroeira local, um evento muito simples em que a imagem do santo desfila pela cidade, com banda e fogos de artifício, missa de agradecimento é celebrado, e então todos se voltam para os prazeres seculares da feira, do mercado e da garrafa. Em Belém, esta tradição atinge o seu apogeu no Cirio anual no segundo domingo de outubro, quando multidões de mais de um milhão acompanham a procissão da imagem de Nossa Senhora de Nazaré, mas a maioria das festas são eventos de pequena escala, de cidade pequena.

Nos últimos anos, muitas cidades criaram novos festivais, geralmente glorificadas feiras industriais ou shows agrícolas. Muitas vezes, esses eventos recebem o nome do produto mais importante da região, como a Festa Nacional do Frango e do Peru (galinhas e perus) em Chapecó. Ocasionalmente, vale a pena assistir a essas criações do governo local, pois algumas promovem a cultura popular local e também a indústria. Uma das melhores é a Festa Pomerana anual de Pomerode, que acontece na primeira quinzena de janeiro e tem feito muito para incentivar a promoção das tradições alemãs locais.

Futebol no brasil

Assistir a uma partida de futebol no Brasil é algo que até quem está entediado com o jogo vai curtir como espetáculo: os estádios são vistas em si e grandes jogos são assistidos por trás de uma tela de fita adesiva e bandeiras agitando, faixas enormes, tambores lotados, fogos de artifício e fogos de artifício, aos gritos, rugidos e assobios dos torcedores de futebol mais apaixonados do mundo.

As principais equipes do Brasil estão concentradas no Rio e em São Paulo. No Rio, o Flamengo é o time mais apoiado do país, e sua camisa distinta de aros vermelha e preta está em todos os lugares. O confronto com o eterno rival carioca Fluminense (listras marrons, verdes e brancas) é uma das partidas mais intensas do futebol de clubes brasileiro, rivalizado apenas pelos jogos entre os dois principais times do São Paulo, São Paulo (branco com aros vermelhos e pretos) e Coríntians (branco). No Rio, Botafogo (listras pretas e brancas com o famoso emblema da estrela branca) e Vasco (branco com listra diagonal preta) disputam com Fla-Flu pelo domínio, enquanto Palmeiras (verde) e Santos (branco) compõem os quatro grandes da São Paulo. Os únicos times que convivem de forma consistente com o melhor do Rio e de São Paulo são Internacional (vermelho) e Grêmio (listras azul, branca e preta) de Porto Alegre, Atlético Mineiro (branco) e Cruzeiro (azul escuro) de Belo Horizonte.

Os estádios brasileiros tendem a ser enormes, de concreto e, com algumas exceções, um tanto sombrios e desprovidos de personalidade: raramente estão cheios, exceto por clássicos, partidas entre grandes times, e dependem dos torcedores em vez de sua arquitetura para cor e sentimento. A maioria dos campos são separados dos torcedores por uma ampla pista de corrida e às vezes até por um fosso, o que coloca o jogo mais longe dos terraços do que os fãs britânicos estão acostumados. Mas vale a pena sair em alguns estádios: o Maracanã no Rio, nem é preciso dizer, mas também o belo Art Déco Pacaembu em São Paulo. Nenhum fã de futebol deve visitar o Rio sem sair de manhã para o excelente passeio pelo Maracanã, ou perder o novo e soberbo Museu de Futbol quando estiver em São Paulo.

Os ingressos são muito baratos para os padrões europeus, bons assentos em um clássico não custarão mais do que R $ 50, mas um jogo comum custará a metade ou menos - a questão é a disponibilidade e não o preço. Para os clássicos, os hotéis costumam ter pacotes que incluem transporte, passagens e guia por cerca de R $ 100,00 all in, uma forma cara de se fazer, mas muitas vezes a única opção prática se você não conseguir a passagem com alguns dias de antecedência. Para jogos comuns, quase sempre você pode chegar meia hora antes e procurar a bilheteria, a bilheteria, que normalmente só leva dinheiro. Todos os estádios são de dois andares, a maioria agora é para todos, mas alguns ainda têm terraços no andar inferior: os bancos do andar superior são arquibancada, os do andar inferior geral. Não há tanto problema com a violência da multidão no Brasil como em muitos países europeus, mas não use uma camisa do clube brasileiro apenas para estar no lado seguro: camisas não brasileiras não são problema (exceto para as argentinas - o dois países não se dão bem no futebol), e os torcedores brasileiros são extremamente amigáveis ​​com os estrangeiros. Caso contrário, dezembro é a entressafra, uma mistura de campeonatos estaduais e nacionais garante futebol constante.


Meio ambiente brasil

No Brasil, o meio ambiente é composto por sete biomas: a Amazônia, o Cerrado, a Caatinga, o Pantanal, a Mata Atlântica, o Pampa & # 8211 ou Campos do Sul & # 8211 e o Litoral.

As Cataratas do Iguaçu são uma das maravilhas naturais mais deslumbrantes do Brasil. Depois de ver as Cataratas do Iguaçu, Elenor Roosevelt disse: & # 8220 faz com que nossas Cataratas do Niágara pareçam uma torneira de cozinha. & # 8221 As poderosas Cataratas do Iguaçu muitas vezes acabam sendo o destaque de muitas viagens ao Brasil. É difícil competir com cerca de 275 cachoeiras que medem aproximadamente 2 milhas de comprimento, caindo todas de uma vez. Para ver as Cataratas do Iguaçu em toda a sua glória, visite durante a estação chuvosa - dezembro a fevereiro, quando geralmente há mais água passando sobre as cataratas.

As Cataratas são compartilhadas entre Paraguai, Argentina e Brasil. O visitante pode visitar os dois lados para ter uma perspectiva completa das Cataratas do Iguaçu. Do lado brasileiro, é possível fazer um passeio de barco até a base das cachoeiras.


A república federativa do brasil é simultaneamente o maior país da América do Sul (em população e tamanho geográfico), bem como um dos mais diversificados e fascinantes. Ela está cheia até a borda com pessoas, plantas e animais intrigantes, bem como doses liberais de história, religião, cultura e grandeza esportiva.

As partes mais densamente povoadas do Brasil estão nas regiões centro-sul, que incluem grandes conglomerados urbanos como São Paulo e Rio de Janeiro.

Devido ao rápido crescimento que este país experimentou em termos de desenvolvimento urbano, industrialização e população no início do século 21, o Brasil enfrenta uma série de desafios sociais, ambientais e políticos.

Vista clássica do icônico padrão de calçada, palmeiras e céu azul brilhante na Praia de Ipanema, Rio de Janeiro, Brasil.

No entanto, é também por causa desse crescimento que está se saindo tão bem do ponto de vista econômico. Na verdade, é uma das maiores e mais significativas economias do mundo. É também o único país de língua portuguesa da América do Sul e do Norte.

A herança portuguesa remonta a 1700, quando o Brasil foi colonizado pela primeira vez por esta nação europeia. Durante sua rica e complexa história, a escravidão foi uma parte importante da herança brasileira, embora isso nunca tenha sido formalmente registrado nos anais da história. Os escravos foram trazidos para o país através do Oceano Pacífico da África. Portanto, também há uma grande proporção de habitantes brasileiros que possuem herança africana.

Outros descendentes de europeus e asiáticos imigraram para o Brasil no século XIX. Esses eram principalmente do Japão, Polônia, Espanha, Itália e Alemanha. Portanto, este país é agora um caldeirão de diversidade étnica e cultural. Apesar dessa diversidade, o Brasil mantém um forte orgulho nacional e devoção religiosa. A grande maioria, aproximadamente 75%, da população é católica romana, enquanto o resto é em grande parte cristão ou subscreve as várias crenças baseadas na África.

O Brasil possui uma extensa costa que mede quase 7.500 quilômetros (ou mais de 4.600 milhas). Suas outras fronteiras são constituídas por Venezuela, Guiana, Suriname, Guiana Francesa, Colômbia, Bolívia, Peru, Argentina, Paraguai e Uruguai. Na verdade, Equador e Chile são os únicos países sul-americanos com os quais o Brasil não faz fronteira.

O Brasil possui uma extensa costa que mede quase 7.500 quilômetros (ou mais de 4.600 milhas). Suas outras fronteiras são constituídas por Venezuela, Guiana, Suriname, Guiana Francesa, Colômbia, Bolívia, Peru, Argentina, Paraguai e Uruguai. Na verdade, Equador e Chile são os únicos países sul-americanos com os quais o Brasil não faz fronteira.

Existem vários grupos de ilhas que também pertencem ao Brasil, como São Pedro, Trindade e Fernando de Noronha, entre outras. Toda a sua área mede exatamente 8 514 876,599 quilômetros quadrados ou 3 287 612 milhas quadradas.

Além de ser geograficamente grande, o Brasil também é naturalmente diverso. Compreende densas florestas tropicais e selvas, extensões de litoral, montanhas altas, arquipélagos oceânicos (ou aglomerados de ilhas), rios, matagais e planícies onduladas. Devido a essa variação nos habitats disponíveis para plantas e animais, o Brasil possui uma rica variedade de fauna e flora.

Edifício Copon, formato "S", um marco no centro da cidade de São Paulo, Brasil.

Na verdade, os cientistas estimam que este país sul-americano abriga cerca de quatro milhões de espécies diferentes. Particularmente extensas são as populações de pássaros e anfíbios deste país.

Em termos de cultura local, o Brasil continua sendo influenciado pelas tradições e costumes dos portugueses. Isso é evidente na arquitetura, música, literatura, culinária, dança, religião e teatro do país.

Sendo o lar da Floresta Amazônica, muitas outras maravilhas naturais, atrações culturais e vestígios históricos tornam o Brasil um destino turístico fascinante e um lar. Como país anfitrião dos Jogos Olímpicos de 2016, é garantido um influxo de viajantes e fãs de futebol de todo o mundo.


Pomerode: a cidade mais alemã do Brasil

Cerca de trinta quilômetros ao norte de Blumenau, uma cidade do Brasil, fica a cidade de Pomerode, assim chamada porque seus fundadores vieram da Pomerânia, uma região na costa sul do Mar Báltico, dividida entre a Alemanha e a Polônia. A cidade foi fundada há mais de 150 anos, mas mesmo hoje, noventa por cento da cidade e 25.000 habitantes falam alemão com um sotaque Pommersch distinto do século 19.

Pomerode é provavelmente uma das & # 8220 cidades mais alemãs do Brasil. & # 8221 Isso é imediatamente aparente assim que se entra na cidade pelo portal em arco. Cada chalé e edifício são construídos no estilo alemão tradicional, caracterizado por tijolos expostos dentro de uma moldura de madeira exposta, que lembra um ambiente rural alemão dos anos 1900.

Pomerode não é a única cidade alemã no Brasil. Há muitos alemães vivendo na parte sul do país. Seus ancestrais haviam saído de casa em ondas sucessivas de emigração, começando em 1824 e se acelerando após as revoluções fracassadas de 1848, estabelecendo-se nos Estados Unidos e em países sul-americanos como o Brasil. A imigração continuou até o século 20, com outro grande influxo ocorrendo imediatamente após a Primeira Guerra Mundial. Entre 1824 e 1969, cerca de 250.000 alemães emigraram para o Brasil, onde constituem a quarta maior comunidade de imigrantes a se instalar no país, depois de portugueses, italianos e espanhóis.

Embora a imigração de alemães para o Brasil tenha sido pequena em comparação com o número que foi para os Estados Unidos, ela teve um impacto notável na composição étnica do país, principalmente no sul do país. No final do século 19, 13,3% da população do Rio Grande do Sul era descendente de alemães, e esse número passou para 21,6% em 1950.

No livro & # 8220The Monroe Doctrine & # 8221, T B Edgington explicou o fenômeno de crescimento:

O aumento natural da população alemã no sul do Brasil é maravilhoso. Via de regra, eles criam de dez a quinze filhos em cada família. Blumenau, colônia que foi colonizada pelos alemães há mais de cinquenta anos, mais do que se duplica a cada dez anos. O sul do Brasil agora é chamado de & # 8216Grande Alemanha & # 8217, e os alemães exercem ali uma supremacia comercial e financeira.

Durante boa parte do século 20, o governo brasileiro não incentivou as pessoas a falarem alemão. Na época da presidência de Getúlio Vargas, falar alemão era ativamente reprimido e proibido. Mas com o passar dos anos o governo se tornou mais tolerante com os alemães brasileiros, reconhecendo sua existência e abraçando a cultura da população alemã. Hoje, o alemão faz parte do currículo das escolas locais.


Três dias na cidade que abriga a maior hidrelétrica em produção e uma das novas sete maravilhas naturais do mundo.

São Roque de Minas

Porta de entrada do Parque, São Roque de Minas guarda o segredo do famoso queijo da Serra da Canastra.

Nova Olinda

Município localizado em meio a sítios arqueológicos e fósseis de todo o mundo.

Aracruz

Município do Espírito Santo com forte presença indígena em suas terras.


Assista o vídeo: Top 10 Best Places to Visit in Brazil (Janeiro 2022).