Bell XV-15

Bell XV-15

O Bell XV-15 foi um experimento bem-sucedido em tecnologia de rotor de inclinação e desempenhou um papel importante no desenvolvimento do Bell Boeing V-22 Osprey.

A Bell já tinha alguma experiência com tecnologia de rotor de inclinação, tendo desenvolvido o Bell XV-3. Essa aeronave tinha o motor na fuselagem e rotores no final das asas, e havia passado com sucesso do vôo vertical para o horizontal em 1958. Seguiram-se quatro anos de testes de vôo, provando que o conceito básico era válido.

Em 1973, Bell recebeu um contrato conjunto com a NASA e o Exército dos EUA para provar que a tecnologia do rotor de inclinação funcionava.

O XV-15 era um monoplano de asa alta, com uma fuselagem que parecia mais um helicóptero alongado do que uma aeronave convencional. Ele tinha asas altas montadas, localizadas logo atrás da cabine. Ao contrário do XV-3, desta vez os motores estavam localizados em nacelas no final das asas, e todo o motor e a hélice giravam entre as posições horizontal e vertical. Demorou 12 segundos para girar de uma posição para a outra. Em caso de falha do motor, os eixos de transmissão percorriam todo o comprimento das asas, conectando os dois motores, de forma que ambas as hélices pudessem ser acionadas por um único motor.

A fuselagem e o conjunto da cauda foram construídos pela Rockwell e entregues à Bell em outubro de 1975. A primeira aeronave foi lançada em 22 de outubro de 1976. Seguiu-se uma série cuidadosa de testes. A primeira transição simulada foi feita em 3 de março de 1977. O primeiro vôo não amarrado veio em 3 de maio de 1977.

O segundo protótipo fez seu vôo inaugural em 23 de abril de 1979. A primeira transição completa em vôo livre veio em 24 de julho de 1979, e em 21 de abril de 1980 o protótipo nº 2 atingiu 302 mph. No ano seguinte, a aeronave registrou 40 horas de testes, o que comprovou que a configuração básica funcionou.

O primeiro protótipo foi então para a NASA e o Exército dos EUA para investigar possíveis usos operacionais do tipo. Em outubro de 1981, o segundo protótipo começou uma série de testes na NASA para encontrar os limites de seu envelope de vôo.

O primeiro protótipo foi usado para testar sua adequação para missões eletrônicas especiais. Em 2-5 de agosto de 1982, fez 54 pousos no USS Tripoli (LPH-10), um navio de assalto anfíbio, para ver se era adequado para uso no mar. No final de agosto de 1982, as duas aeronaves voaram por 289 horas.

Durante a década de 1980, os dois protótipos foram usados ​​para avaliar os usos militares e civis do tipo e, em particular, para ajudar no longo desenvolvimento do que se tornou o Bell Boeing V-22 Osprey. Em 1987, o segundo protótipo recebeu uma nova fibra de carbono e rotores Nomex como parte desse processo.

O primeiro protótipo foi eventualmente devolvido à Bell, mas foi cancelado após um acidente em 20 de agosto de 1992. O segundo protótipo continuou a ser usado para apoiar o programa V-22 até 2003. Foi então dado ao Smithsonian National Air and Space Musueam.

Motor: Quatro turboeixos Avco Lycoming LTC1K-4K
Potência: 1.550hp cada
Equipe técnica:
Vão: 35 pés 2 pol (sobre as nacelas do motor)
Comprimento: 42 pés 1 pol.
Altura: 15 pés 4 pol.
Peso vazio: 9.570 lb
Peso VTOL máximo: 13.000 libras
Peso máximo do STOL: 15.000 libras
Velocidade máxima: 382 mph a 17.000 pés
Velocidade de cruzeiro: 349 mph a 16.300 pés
Taxa de subida: 3.150 pés / min
Teto: 29.000 pés
Alcance: 512 milhas


Assista o vídeo: Bell Helicopter XV-15 tiltrotor promotion (Janeiro 2022).