Podcasts de história

Genghis Khan - descendentes, império e fatos

Genghis Khan - descendentes, império e fatos

O líder mongol Genghis Khan (1162-1227) surgiu de origens humildes para estabelecer o maior império de terras da história. Depois de unir as tribos nômades do planalto mongol, ele conquistou grandes porções da Ásia central e da China. Seus descendentes expandiram o império ainda mais, avançando para lugares tão distantes como Polônia, Vietnã, Síria e Coréia. Em seu pico, os mongóis controlavam entre 11 e 12 milhões de milhas quadradas contíguas, uma área do tamanho da África. Muitas pessoas foram massacradas durante as invasões de Genghis Khan, mas ele também concedeu liberdade religiosa a seus súditos, aboliu a tortura, incentivou o comércio e criou o primeiro sistema postal internacional. Genghis Khan morreu em 1227 durante uma campanha militar contra o reino chinês de Xixia. Seu lugar de descanso final permanece desconhecido.

Genghis Khan: os primeiros anos

Temujin, mais tarde Genghis Khan, nasceu por volta de 1162 perto da fronteira entre a Mongólia moderna e a Sibéria. A lenda diz que ele veio ao mundo segurando um coágulo de sangue na mão direita. Sua mãe foi sequestrada por seu pai e forçada a se casar. Naquela época, dezenas de tribos nômades nas estepes da Ásia Central estavam constantemente lutando e roubando umas das outras, e a vida de Temujin era violenta e imprevisível. Antes de completar 10 anos, seu pai foi envenenado até a morte por um clã inimigo. O próprio clã de Temujin então o abandonou, sua mãe e seus seis irmãos para evitar ter que alimentá-los.

Pouco depois, Temujin matou seu meio-irmão mais velho e assumiu a chefia da família pobre. Em um ponto, ele foi capturado e escravizado pelo clã que o abandonou, mas ele finalmente conseguiu escapar. Em 1178, Temujin casou-se com Borte, com quem teria quatro filhos e um número desconhecido de filhas. Ele lançou um ousado resgate de Borte depois que ela também foi sequestrada, e logo começou a fazer alianças, construindo uma reputação de guerreiro e atraindo um número crescente de seguidores. Muito do que sabemos sobre a infância de Genghis Khan vem de "A História Secreta dos Mongóis", a obra mais antiga conhecida da história e literatura da Mongólia, escrita logo após sua morte.

Genghis Khan une os mongóis

Indo contra o costume, Temujin colocou aliados competentes em vez de parentes em posições-chave e executou os líderes das tribos inimigas enquanto incorporava os membros restantes a seu clã. Ele ordenou que todos os saques esperassem até depois de uma vitória completa ter sido conquistada, e ele organizou seus guerreiros em unidades de dez, independentemente de seus parentes. Embora Temujin fosse um animista, seus seguidores incluíam cristãos, muçulmanos e budistas. Em 1205 ele havia vencido todos os rivais, incluindo seu ex-melhor amigo Jamuka. No ano seguinte, ele convocou uma reunião de representantes de todas as partes do território e estabeleceu uma nação semelhante em tamanho à Mongólia moderna. Ele também foi proclamado Chinggis Khan, que se traduz aproximadamente como “Governante Universal”, um nome que ficou conhecido no Ocidente como Genghis Khan.

Genghis Khan estabelece um império

Tendo unido as tribos das estepes, Genghis Khan governou cerca de 1 milhão de pessoas. Para suprimir as causas tradicionais da guerra tribal, ele aboliu os títulos aristocráticos herdados. Ele também proibiu a venda e o sequestro de mulheres, baniu a escravidão de qualquer mongol e tornou o roubo de gado punível com a morte. Além disso, Genghis Khan ordenou a adoção de um sistema de escrita, conduziu um censo regular, concedeu imunidade diplomática a embaixadores estrangeiros e permitiu a liberdade de religião muito antes que essa ideia pegasse em outro lugar.

A primeira campanha de Genghis Khan fora da Mongólia ocorreu contra o reino xixia, no noroeste da China. Depois de uma série de ataques, os mongóis lançaram uma grande iniciativa em 1209 que os levou até Yinchuan, a capital xixia. Ao contrário de outros exércitos, os mongóis viajavam sem nenhum trem de suprimentos além de uma grande reserva de cavalos. O exército consistia quase inteiramente de cavaleiros, que eram cavaleiros experientes e mortais com um arco e flechas. Em Yinchuan, os mongóis implantaram uma falsa retirada - uma de suas táticas características - e então iniciaram um cerco. Embora sua tentativa de inundar a cidade tenha falhado, o governante xixia submeteu e apresentou tributo.

Os mongóis atacaram em seguida a Dinastia Jin do norte da China, cujo governante cometeu o erro de exigir a submissão de Genghis Khan. De 1211 a 1214, os mongóis em menor número devastaram o campo e enviaram refugiados às cidades. A escassez de alimentos se tornou um problema, e o exército Jin acabou matando dezenas de milhares de seus próprios camponeses. Em 1214, os mongóis cercaram a capital de Zhongdu (agora Pequim), e o governante Jin concordou em entregar grandes quantidades de seda, prata, ouro e cavalos. Quando o governante Jin posteriormente mudou sua corte para o sul, para a cidade de Kaifeng, Genghis Khan interpretou isso como uma violação do acordo e, com a ajuda dos desertores Jin, demitiu Zhongdu.

Em 1219, Genghis Khan foi à guerra contra o Império Khwarezm no atual Turcomenistão, Uzbequistão, Afeganistão e Irã. O sultão havia concordado com um tratado comercial, mas quando a primeira caravana chegou, suas mercadorias foram roubadas e seus mercadores foram mortos. O sultão então assassinou alguns dos embaixadores de Genghis Khan. Apesar de mais uma vez estar em menor número, a horda mongol varreu uma cidade de Khwarezm após a outra, incluindo Bukhara, Samarkand e Urgench. Trabalhadores qualificados, como carpinteiros e joalheiros, geralmente eram salvos, enquanto aristocratas e soldados resistentes eram mortos. Os trabalhadores não qualificados, por sua vez, costumavam ser usados ​​como escudos humanos durante o próximo ataque. Ninguém sabe com certeza quantas pessoas morreram durante as guerras de Genghis Khan, em parte porque os mongóis propagaram sua imagem perversa como uma forma de espalhar o terror.

A morte de Genghis Khan e a continuação do Império

Quando Genghis Khan retornou à Mongólia em 1225, ele controlava uma grande faixa de território do Mar do Japão ao Mar Cáspio. No entanto, ele não descansou por muito tempo antes de voltar sua atenção para o reino xixia, que se recusou a contribuir com tropas para a invasão de Khwarezm. No início de 1227, um cavalo jogou Genghis Khan no chão, causando ferimentos internos. Ele continuou com a campanha, mas sua saúde nunca se recuperou. Ele morreu em 18 de agosto de 1227, pouco antes de os xixia serem esmagados.

Genghis Khan conquistou mais do que o dobro de terras do que qualquer outra pessoa na história, colocando as civilizações oriental e ocidental em contato no processo. Seus descendentes, incluindo Ogodei e Khubilai, também foram conquistadores prolíficos, assumindo o controle da Europa Oriental, do Oriente Médio e do resto da China, entre outros lugares. Os mongóis até invadiram o Japão e Java antes de seu império se desintegrar no século XIV. O último descendente governante de Genghis Khan foi finalmente deposto em 1920.


3. Em 1206, Temujin havia se tornado o único governante das planícies da Mongólia

Depois de muitos anos de luta, Temujin conseguiu unir as várias tribos das estepes que habitavam as planícies. A união ficou conhecida como mongóis e foi então que Temujin foi agraciado com o título de "Genghis Khan", que significa "governante universal".

Com sua horda, que consistia principalmente de arqueiros de cavalaria leve, Gêngis agora tinha como alvo reinos fora da Mongólia.

Um confronto mongol no século 13.


Genghis Khan - Descendentes, Império e Fatos - HISTÓRIA

Em 2004, um estudo científico inovador afirmou que o infame imperador Genghis Khan foi o ancestral direto de um em cada 200 homens no mundo. Além disso, disse o estudo, um simples teste de DNA poderia provar se tu (ou seus parentes machos) eram um de seus descendentes. Essa descoberta despertou o interesse pelos testes de DNA ancestral, que continua até hoje. Então, como tudo começou?

Quem foi Genghis Khan?

Genghis Khan, nascido em 1162, estabeleceu e liderou o lendário império mongol. Ele morreu em 1227 aos 65 anos durante uma batalha com o reino chinês Xixia. Seu império foi liderado por seus descendentes diretos por mais centenas de anos, embora gradualmente se dividisse em entidades menores com o tempo.

Genghis Khan cresceu em uma área dominada por clãs em guerra constante na fronteira entre a Sibéria e a Mongólia dos dias modernos. “Temujin”, como foi chamado ao nascer, nasceu de uma mãe que havia sido sequestrada e forçada a se casar por seu pai, prática na qual o próprio Genghis Khan se envolveria mais tarde. Gêngis tinha seis irmãos, todos criados em torno da instabilidade e da violência sobre a terra e o gado, essenciais para a sobrevivência. Depois que seu pai foi morto por envenenamento por um clã adversário, Genghis Khan teve seu primeiro gosto por sangue quando matou seu meio-irmão mais velho para se tornar o homem dominante da família.

À medida que envelhecia, Genghis Khan desenvolveu uma estratégia única para adquirir poder. Em vez de nomear familiares ou membros do clã para posições de poder, que era a estratégia política típica, ele escolheu aliados de outros clãs para ajudá-lo em suas conquistas. Ele e seus homens matariam as cabeças de outros clãs e então forçariam os sobreviventes a se juntarem ao seu "superclã" unido. Desta forma, Genghis Khan uniu as comunidades anteriormente guerreiras.

Genghis Khan foi capaz de repetir essa estratégia até que conquistou metade do mundo conhecido e governou mais de 1 milhão de pessoas. Ele governou as áreas da atual China, Irã, Paquistão, Coréia e Rússia do Sul. No auge de sua conquista, ele controlou uma área de terra do tamanho do continente africano.

Cada vez que conquistava um novo clã ou povo, Genghis Khan forçava as mulheres a se casar, fosse consigo mesmo ou com seus chefes. Foi assim que ele adquiriu esposas suficientes para gerar o número de filhos necessários para fornecer a linhagem de DNA que conhecemos hoje.

Por que nos preocupamos com o DNA de Genghis Khan?

Em 2003, um geneticista evolucionista chamado Chris Tyler-Smith descobriu que 8% dos homens em 16 populações étnicas diferentes na Ásia compartilhavam um padrão comum de cromossomo Y. Esse padrão acabou sendo rastreado até uma origem comum que deve ter existido cerca de 1.000 anos atrás. No entanto, para criar tantos descendentes, essa origem comum teria que ter um número anormalmente grande de filhos. (Ele também pode ter tido muitas filhas, é claro, mas elas não carregariam o cromossomo Y necessário para indicar que estavam diretamente ligadas à origem paterna. As mulheres têm dois cromossomos X, enquanto os homens têm um X e um Y).

Como Genghis Khan era conhecido nos escritos contemporâneos por gerar centenas de filhos nesta área da Ásia, historiadores e geneticistas juntos presumiram que essa origem comum era provavelmente o próprio primeiro imperador mongol.

Junto com uma equipe de pesquisa genética, Tyler-Smith foi capaz de mostrar ainda que 1 em cada 200 homens no mundo são descendentes diretos de Genghis Khan. Só na Mongólia dos dias modernos, 35% dos homens compartilhavam o padrão do cromossomo Y “Khan”. O estudo da equipe foi publicado em 2003 sob o título "The Genetic Legacy of the Mongols" no jornal European Journal of Human Genetics.

Para colocar esses números de outra forma, as descobertas de Tyler-Smith significam que até 0,5% da população mundial (ou cerca de 17 milhões de pessoas), principalmente localizada na Ásia, pode traçar sua linhagem até Genghis Khan diretamente ao longo de suas linhagens paternas. Os dados também indicam que 8% dos homens que vivem na área do “antigo império mongol” carregam cromossomos Y quase idênticos. De acordo com Tyler-Smith e outros especialistas, isso é estatisticamente improvável de ocorrer de qualquer forma, exceto em uma origem paterna comum.

Para provar ainda mais a teoria de Tyler-Smith, os historiadores apontaram para a linhagem atestada dos filhos de Genghis Khan. Em documentos da época, um dos filhos de Khan teria 40 filhos que continuariam com aquele padrão único do cromossomo Y. Da mesma forma, um dos netos de Genghis Khan teria 22 filhos reconhecidos, no entanto, ele provavelmente tinha muitos mais filhos "ilegítimos" porque acrescentava 30 mulheres a seu harém pessoal a cada ano.

Um estudo de acompanhamento de uma equipe de cientistas russos analisou outros grupos étnicos, incluindo curdos, persas, russos e outros grupos étnicos da Ásia Central. Eles ficaram surpresos ao descobrir que, apesar do império de Genghis Khan controlando o leste da Rússia por dois séculos e meio, eles foram incapazes de encontrar qualquer evidência de que seus descendentes diretos estivessem presentes na Rússia moderna. Como eles colocaram, "... [M] en do clã Genghis Khan não deixou vestígios genéticos na Rússia."

O fascínio por reivindicar a ancestralidade de Genghis Khan não é novo

Desde que esse estudo foi publicado em 2003, tem havido uma corrida por kits de teste de DNA de ancestralidade. Pessoas ao redor do mundo, especialmente aquelas com raízes conhecidas na Ásia, queriam saber se eles também eram descendentes do infame imperador mongol. Embora o DNA agora seja capaz de provar isso de forma mais definitiva, os humanos se orgulham dessa linhagem há séculos.

Na verdade, mesmo nas primeiras sociedades islâmicas, onde a linhagem mais respeitada vinha diretamente do profeta Maomé, os homens ainda encontravam prestígio na linhagem de Genghis Khan. O fundador muçulmano do Império Timúrida, que viveu de 1370 a 1405, afirmou ser descendente direto de Genghis Khan. Ele até usou esse pedigree para apoiar seus objetivos políticos de “restaurar” o império mongol. Até hoje, muitos do povo timúrida (agora encontrados na Índia moderna) têm orgulho de sua herança de um dos maiores imperadores conhecidos pelo homem.

Da mesma forma, os tártaros da Rússia e os uzbeques da Ásia central, ambas populações muçulmanas, reverenciavam homens que afirmavam ser do sangue de Genghis Khan. Esses homens eram frequentemente promovidos como militares e governantes eficazes, assim como seu ancestral.

Posso fazer um teste de DNA para ver se sou descendente de Genghis Khan?

A resposta é sim e não. A ciência por trás dessa linhagem de DNA em particular ainda é muito debatida.

Se você for homem, pode enviar sua amostra de DNA a um laboratório para análise de seus haplótipos paternos e haplogrupo. Os padrões que os pesquisadores de Tyler-Smith associaram a Genghis Khan estão localizados apenas no cromossomo Y, que as mulheres não carregam. Uma mulher interessada em saber se é descendente de Genghis Khan pode usar o DNA de um parente do sexo masculino, incluindo pai, tio, avô, irmão ou sobrinho.

A maioria das empresas não lhe dirá explicitamente com quais figuras históricas famosas (ou infames) você tem parentesco. No entanto, eles lhe dirão seu marcador Y-DNA STR, que você poderá comparar com os resultados do estudo de Tyler-Smith.

O teste que você deseja que seja realizado é uma análise do seu marcador Y-DNA STR, ou seja, um "teste de ancestralidade paterna". Depois de conhecer esse marcador, você pode compará-lo a muitas figuras históricas cujo DNA ancestral está bem documentado, incluindo Thomas Jefferson, Napoleão Bonaparte, Jesse James, Lucas o Evangelista e outras figuras conhecidas.

A tabela a seguir do DNA da árvore genealógica lista os 25 marcadores Y-DNA STR associados ao haplogrupo C3c-M48 que os pesquisadores de Tyler-Smith vincularam a Genghis Khan.

Nome Y-STR 385a 385b 388 389i 389ii 390 391 392 393 394 426 437 439 447 448 449 454 455 458 459a 459b 464a 464b 464c 464d
Haplótipo 12 13 14 13 29 25 10 11 13 16 11 14 10 26 22 27 12 11 18 8 8 11 11 12 16

No entanto, a ciência por trás desses testes não pode dizer com 100% de certeza que você é descendente de Genghis Khan.

“É quase impossível dizer com certeza que você é um descendente de Genghis Khan, já que estamos falando sobre uma ancestralidade paterna muito, muito antiga e um período de pelo menos sete séculos”, disse David Ashworth, executivo-chefe da Oxford Ancestors em um entrevista com a BBC. “Mas há evidências científicas de que, se você tiver esse cromossomo Y, há uma grande probabilidade de você ser descendente de Genghis Khan.”

A principal razão para essa incerteza é que o DNA de Genghis Khan é desconhecido. Seu corpo e os corpos de seus parentes mais próximos nunca foram localizados para testes de DNA. Os pesquisadores ainda estão assumindo que a origem comum do DNA desse padrão do cromossomo Y é Genghis Khan, com base em evidências históricas e no alinhamento de linha do tempo conveniente.

Recentemente, uma teoria oposta desafiou tudo em que acreditávamos na última década. Em setembro de 2016, um novo estudo intitulado "Genealogia molecular de uma família de rainha mongol e seu possível parentesco com Genghis Khan" foi publicado na revista acadêmica PloS ONE. Este estudo científico sugere que as conclusões anteriores de Tyler-Smith tinham Genghis Khan rotulado como o haplogrupo incorreto. Em vez de ser um dos 25 marcadores Y-DNA STR listados acima, esta nova equipe de pesquisadores acredita que ele seja do haplogrupo R1b-M343, que é prevalente na Eurásia ocidental.

Os pesquisadores usaram evidências de DNA de um cemitério descoberto em 2004. Os cinco corpos foram encontrados na Mongólia e estima-se que tenham vivido por volta de 1130 a 1250 dC Acredita-se que sejam relacionados à "Família Dourada" de Genghis Khan, mas carregam um haplogrupo completamente diferente daquele sugerido no estudo de 2004.

Portanto, está claro que ainda há muito que não sabemos definitivamente sobre as evidências de DNA ligando os homens de hoje a Genghis Khan. Ainda assim, muitas pessoas estão interessadas em aprender sobre sua herança usando laboratórios de DNA como 23andme.com, Ancestry.com e Family Tree DNA, entre outros.

Quão precisos são os testes de DNA de ancestralidade de Genghis Khan?

Lembre-se de que os resultados do seu DNA herdado são apenas para diversão. Às vezes, os resultados são fornecidos a você com uma classificação de confiança de apenas 50%, o que significa que muitas vezes eles podem estar errados.

Isso aconteceu de maneira notável com um professor da Universidade de Miami chamado Thomas R. Robinson. Ele havia enviado uma amostra de DNA em 2003 para determinar sua herança inglesa. Vários anos depois, a empresa de testes de DNA, Oxford Ancestors, o notificou de que uma varredura recente de seu banco de dados mostrou que ele era um descendente direto de Genghis Khan.

A notícia foi apanhada pelo New York Times por sua natureza incomum. Os especialistas ficaram surpresos ao ver que esse homem de ascendência britânica também era parente de Genghis Khan, e logo uma produtora de cinema pediu a Thomas que filmasse sua história na Mongólia. Mas Robinson estava cético em relação aos seus resultados e enviou uma segunda amostra para uma instalação de teste de DNA diferente, Family Tree DNA, que provou que ele era não relacionado a Genghis Khan.

Chris Tyler-Smith, o homem por trás do estudo original de 2004 que trouxe o Y-DNA de Genghis Khan à fama, confirmou os resultados do segundo teste, dizendo que “exclui de forma conclusiva um link para o haplótipo Genghis Khan”.

Em uma história semelhante, um relatório de março de 2017 da Inside Edition provou a imprecisão de alguns testes de DNA de ancestralidade ao realizar um experimento simples. Eles encontraram três conjuntos de trigêmeos idênticos e um conjunto de quádruplos idênticos e os encorajaram a enviar seu DNA a várias empresas de testes. A maioria dos grupos de irmãos teve resultados variados quando deveriam ser idênticos, sugerindo que a precisão ainda não é de 100%.

Este vídeo mostra os resultados surpreendentes. Um conjunto de trigêmeos tinha uma variação de 59% a 70% de origem na Ilha Britânica. Nesse mesmo grupo de irmãos, um trigêmeo mostrou 6% de ancestralidade escandinava, enquanto suas irmãs idênticas mostraram 0%.

Conclusão

Claramente, a ciência do teste de DNA ancestral não é exata ... ainda. Estamos aprendendo mais e corrigindo nossas descobertas anteriores a cada dia. No entanto, quando se trata do DNA de Genghis Khan e seus descendentes, ficamos fascinados com as possibilidades e ainda buscamos o “direito de se gabar” de fazer parte de seu incrível legado familiar. Isso diz muito sobre o tipo de impacto que o primeiro imperador da Mongólia teve no mundo, não apenas 800 anos atrás, mas direto para os dias modernos.


Morte de Genghis Khan e aposs

Genghis Khan morreu em 1227, logo após a submissão do xixia. A causa exata de sua morte é desconhecida. Alguns historiadores afirmam que ele caiu de um cavalo durante uma caçada e morreu de fadiga e ferimentos. Outros afirmam que ele morreu de doença respiratória. Genghis Khan foi enterrado sem marcas, de acordo com os costumes de sua tribo, em algum lugar perto de seu local de nascimento & # x2014 próximo ao rio Onon e às montanhas Khentii no norte da Mongólia. De acordo com a lenda, a escolta fúnebre matou qualquer pessoa e qualquer coisa que encontraram para esconder a localização do cemitério, e um rio foi desviado sobre o túmulo de Genghis Khan & apos para torná-lo impossível de ser encontrado.

Antes de sua morte, Genghis Khan concedeu a liderança suprema a seu filho Ogedei, que controlava a maior parte do leste da Ásia, incluindo a China. O resto do império foi dividido entre seus outros filhos: Chagatai assumiu o controle da Ásia Central e do norte do Irã Tolui, sendo o mais jovem, recebeu um pequeno território perto da terra natal mongol e Jochi (que foi morto antes da morte de Genghis Khan). Jochi e seu filho, Batu, assumiram o controle da Rússia moderna e formaram a Horda de Ouro. A expansão do império continuou e atingiu seu pico sob a liderança de Ogedei Khan. Os exércitos mongóis acabaram invadindo a Pérsia, a Dinastia Song no sul da China e os Bálcãs. Exatamente quando os exércitos mongóis alcançaram os portões de Viena, Áustria, o comandante principal Batu recebeu a notícia da morte do Grande Khan Ogedei e foi chamado de volta à Mongólia. Posteriormente, a campanha perdeu ímpeto, marcando a invasão mais distante da Mongólia na Europa.


Os 10 principais fatos sobre Genghis Khan

À menção do nome Genghis Khan, imaginamos o "Governante universal" que em um ponto da história conquistou quase metade do mundo, um império que se estende desde o Oceano Pacífico no leste até a Europa Oriental no oeste. Ele era um senhor da guerra formidável que hordas mongóis invencíveis e imparáveis ​​atacaram e saquearam na Ásia Central.

Nascido de origens humildes nas estepes da Mongólia, ele cresceu para comandar um dos mais ferozes exércitos conhecidos na história do homem. Apesar de seu nome ser sinônimo de barbárie, ele foi um grande líder que unificou tribos guerreiras da Mongólia e fez avançar a economia da Ásia Central. Aqui estão os 10 principais fatos sobre Genghis Khan.

1. Um em cada 200 homens hoje é descendente direto de Genghis Khan.

Conhecido por ser um conquistador, ele também foi capaz de fazer um legado imortal para si mesmo ao transmitir seus genes ao longo dos séculos. Uma descoberta recente de pesquisas de DNA estima que haja 16 milhões de homens só na Ásia Central que são seus descendentes.

Ele foi capaz de ter vários descendentes, pois é descrito como um grande amante que teve muitas esposas e cortejou muitas outras mulheres. Ele também recebeu a primeira escolha das mulheres mais bonitas das cidades conquistadas pelos exércitos mongóis.

Algumas dinastias governantes da Ásia e da Rússia também foram seus descendentes, como a família real Mughal de Timur a Babur, Dinastia Yuan da China, Ilkhanids da Pérsia, os Jochids da Horda de Ouro, os Shaybanids da Sibéria e os Astrakhanids da Ásia Central, Girays da Crimeia.

2. Seu túmulo é desconhecido e não marcado.

Burkhan Khaldun e # 8211 Wikipedia

Um dos maiores mistérios que cercam Genghis Khan é a localização de seu túmulo. Estima-se que ele foi enterrado ao redor de uma montanha mongol chamada Burkhan Khaldun, mas isso nunca foi provado. Maury Kravitz, um arqueólogo, passou 40 anos procurando o túmulo em vão até sua morte em 2012.

Antes de sua morte, Khan instruiu que seu túmulo não fosse marcado e ninguém soubesse de sua localização. Após sua morte durante a batalha de Western Xia em 1277, ele tinha apenas 65 anos, seus soldados realizaram seus últimos desejos ao pé da letra.

De acordo com a lenda, em sua jornada para o túmulo, o cortejo fúnebre matou todos com quem eles entraram em contato. Os soldados mataram todos os escravos que construíram seu túmulo e esses soldados foram silenciados por outros soldados. Depois de enterrá-lo, os soldados do cortejo fúnebre começaram a matar a todos e acabaram se matando.

3. “Gêngis” não era seu nome verdadeiro.

Genghis Khan e # 8217s entronização na Wikipedia 1206 e # 8211

Genghis nasceu por volta de 1162 ao longo das margens do rio Onon como Temujin, que significa "ferro" ou "ferreiro". Ele recebeu o nome de um chefe rival que seu pai havia capturado recentemente.

Foi em 1206 que ele recebeu o famoso nome Genghis Khan quando foi proclamado líder dos mongóis em uma reunião tribal conhecida como "Kurultai". “Khan” é um título tradicional que significa “governante” ou “líder”, mas os historiadores não têm certeza do significado ou origem do nome “Gêngis”.

4. Não há registro definitivo de sua aparência.

Apesar de ser considerado um herói nacional e fundador da Mongólia, muito pouco se sabe sobre a vida pessoal de Gêngis ou mesmo sua aparência física. Não há retratos ou esculturas precisas dele que tenham sobrevivido. Isso pode ser atribuído ao governo soviético na região, que proibiu tudo e qualquer coisa relacionada a Gêngis.

Suas várias versões de como Genghis Khan deve ter parecido desde alto e forte com uma juba esvoaçante e uma longa e espessa barba até a descrição 14 pelo cronista persa do século 14 Rashid al-Din. Ele afirma que Gêngis tinha cabelos ruivos e olhos verdes. Todos esses relatos foram considerados não confiáveis ​​pelos historiadores.

5. Ele foi responsável pela morte de cerca de 40 milhões de pessoas.

Guerreiro mongol de Genghis Khan e # 8211 Wikipedia

Para Genghis Khan ter conquistado quase metade do mundo, ele teria que massacrar muitas cidades. Seus ataques deixaram um caminho de destruição tão grande que muitos historiadores colocam o número de mortes que ele causou em algo em torno de 40 milhões e estimam que os ataques mongóis podem ter reduzido toda a população mundial em 11 por cento.

O censo da Idade Média mostra que a população da China foi reduzida em dezenas de milhões durante o reinado de Khan. Ele também é responsável pela morte de três quartos da população atual do Irã durante o Império Khwarezmid. Diz-se que ele gostava de anunciar sua brutalidade como uma forma de manter as pessoas com medo e submissas.

6. Ele criou um dos primeiros sistemas postais internacionais.

O decreto mais antigo de Khan foi a formação de um serviço de correio montado conhecido como "Yam". O “Yam” era usado para se referir aos postos de correio e estações intermediárias, que estavam separados por aproximadamente 24 quilômetros e que podiam ser encontrados em todo o Império Mongol. Graças ao sistema “Yam”, Khan pôde se manter atualizado com os desenvolvimentos militares e políticos em seu vasto império.

Esse notável sistema postal medieval melhorou a economia, simplificou o transporte de mercadorias ao longo da Rota da Seda e melhorou a eficiência e eficácia do compartilhamento de informações. O sistema postal também ajudou a proteger dignitários e mercadores estrangeiros durante suas viagens. Um bom exemplo de estrangeiros que usaram o sistema são Marco Polo e John do Plano Carpini.

7. Alguns de seus generais mais confiáveis ​​eram ex-inimigos.

Genghis Khan & amp Jebe & # 8211 Wikimedia Commons

Ao contrário da maioria dos governantes medievais que promoviam oficiais por causa de sua classe social ou status, Khan era conhecido por se concentrar principalmente nas capacidades e experiência de um oficial. Ele tinha um olho aguçado para o talento e isso pode explicar por que ele até permitiu que mulheres fizessem parte de seu exército.

Ele também era conhecido por nomear seus inimigos como generais e um bom exemplo é seu comandante de campo Jebe. A história conta que Jebe atirou uma flecha e matou o cavalo que Khan montava durante uma batalha contra o Taijut em 1201. Apesar de ter vencido a batalha, esse incidente quase matou Khan. Assim que o Taijut foi capturado, Khan perguntou quem havia atirado a flecha e um arqueiro bravamente se levantou e confessou que era ele. Impressionado com a bravura do soldado & # 8217, Khan o nomeou oficial de seu exército e o apelidou de Jebe, que significa "flecha".

8. Ele matou seu meio-irmão quando criança.

Gêngis era conhecido por ser um assassino de sangue frio em sua vida adulta, mas ele também retratou sua sede de sangue quando jovem. Desde jovem, o cã sabia que precisava lutar e matar pelo que precisava e queria. Sua família estava em conflito com os membros do clã e, como resultado, eles viviam por conta própria.

Esta vida solitária causou uma escassez de alimentos em sua casa. Em um esforço para ajudar a alimentar sua família, Khan iria caçar, mas ele nem sempre concordava com a forma como a comida era dividida. Um dia, Khan teve uma séria discussão com seu meio-irmão sobre a comida que havia capturado. Khan levou a disputa para sua mãe, que ficou do lado de seu meio-irmão. Isso enfureceu Khan.

Em sua raiva, Khan recrutou a ajuda de seu irmão mais novo e matou seu meio-irmão desavisado. Diz-se que Khan nunca teve remorso algum.

9. Ele estrategicamente matou seus genros.

Tumanba Khan, His Wife, and His Nine Sons & # 8211 Wikipedia

Khan era um gênio em seu próprio direito. Ele entendeu que não poderia governar um império tão grande sozinho e precisaria da ajuda da população local. Quem é mais leal do que sua própria carne e sangue? Khan contou com a ajuda de seus filhos e filhas para governar.

Diz-se que Khan casaria uma de suas filhas com o rei de uma nação aliada e dispensaria as outras esposas do rei aliado. Khan então designaria seu novo genro para o serviço militar em seu exército. A maioria de seus genros morreu em combate, deixando as filhas de Khan para governar em seu lugar.

10. Khan era um senhor da guerra estratégico.

Cavalheiros mongóis e # 8211 Wikipedia

Na maioria de suas batalhas, Khan estava em menor número, mas ainda assim conseguiu derrotar seus inimigos por causa das várias estratégias militares que aplicou. Ele foi capaz de fazer com que muitos de seus inimigos pensassem que seu exército era maior do que realmente era e armar armadilhas astutas para eles.

Ele também teve sucesso em seus ataques porque forneceu aos soldados os recursos de que precisavam. Cada mongol tinha pelo menos cinco a seis cavalos por soldado e os soldados podiam se proteger com manequins ou prisioneiros de guerra. Khan cuidou bem de seu exército, destruindo assim sua lealdade e motivação para servi-lo.

Colaboradores do Discover Walks falam de todos os cantos do mundo - de Praga a Bangkok, de Barcelona a Nairobi. Podemos todos vir de diferentes estilos de vida, mas temos uma paixão em comum - aprender por meio de viagens.

Se você deseja aprender a história de uma cidade ou simplesmente precisa de uma recomendação para sua próxima refeição, a equipe do Discover Walks oferece uma enciclopédia de viagens em constante crescimento.

Para obter informações locais e dicas de viagem de especialistas que você não encontrará em nenhum outro lugar, pesquise quaisquer palavras-chave na barra de ferramentas superior direita desta página. Viagens felizes!


Conclusão

A vida de Genghis Khan está cheia de superlativos.

Seus exércitos mataram dez por cento da população mundial no século 13 (cerca de quarenta milhões). Seu Império Mongol foi o maior império terrestre da história (quase um quarto da superfície da Terra). Ele tem dezesseis milhões de descendentes do sexo masculino.

Poderíamos continuar a lista de superlativos, mas a questão fundamental é: precisamos avaliar seus feitos? Se compartilharmos nossas opiniões, isso encorajará ou desencorajará outras pessoas a tentarem repetir seus atos?


Administrative Reform in the Mongol Empire

Möngke was generally a popular ruler of the Mongol Empire he met debts, controlled spending, conducted a census, and protected civilians.

Learning Objectives

Choose the best summary of Möngke’s achievements

Key Takeaways

Key Points

  • After Ögedei’s death, Genghis Khan ‘s descendants Güyük and Batu Khan fought about who would rule until Batu Khan’s death, at which point Genghis’ grandson Möngke took control.
  • Möngke was generally a popular ruler. He generously met all Güyük’s outstanding debts, an unprecedented move.
  • Möngke also forbade extravagant spending, imposed taxes (which incited some rebellions), and punished the unauthorized plundering of civilians. He established the Department of Monetary Affairs and standardized a system of measurement.
  • Möngke conducted a census of the Mongol Empire and its land.

Key Terms

  • ingot: A block of steel, gold, or other metal oblong in shape and used for currency.
  • Department of Monetary Affairs: Möngke established this body to control the issuance of paper money in order to eliminate the overissue of currency that had been a problem since Ögedei’s reign.

From Ögedei’s death in 1241 CE until 1246 CE the Mongol Empire was ruled under the regency of Ögedei’s widow, Töregene Khatun. She set the stage for the ascension of her son, Güyük, as Great Khan, and he would take control in 1246. He and Ögedei’s nephew Batu Khan (both grandsons of Genghis Khan) fought bitterly for power Güyük died in 1248 on the way to confront Batu.

Another nephew of Ögedei’s (and so a third grandson of Genghis Khan’s), Möngke, then took the throne in 1251 with Batu’s approval. In 1255, well into Möngke’s reign, Batu had repaired his relationship with the Great Khan and so finally felt secure enough to prepare invasions westward into Europe. Fortunately for the Europeans, however, he died before his plans could be implemented.

The Mongol Empire Under Möngke

Möngke’s rule established some of the most consistent monetary and administrative policies since Genghis Khan. In the mercantile department he:

  • Forbade extravagant spending and limited gifts to the princes.
  • Made merchants subject to taxes.
  • Prohibited the demanding of goods and services from civilian populations by merchants.
  • Punished the unauthorized plundering of civilians by generals and princes (including his own son).

In 1253, Möngke established the Department of Monetary Affairs to control the issuance of paper money. This new department contributed to better econimic stability including:

  • Limiting the overissue of currency, which had been a problem since Ögedei’s reign.
  • Standardizing a system of measurement based on the silver ingot.
  • Paying out all debts drawn by high-rank Mongol elites to important foreign and local merchants.

Möngke recognized that if he did not meet his predecessor’s, Güyük’s, financial obligations, it would make merchants reluctant to continue business with the Mongols. Like many other rules around the world at this time, his hope was to take advantage of the budding commercial revolution in Europe and the Middle East. Ata-Malik Juvaini, a 13th-century Persian historian, commented on the virtue of this move, saying, “And from what book of history has it been read or heard…that a king paid the debt of another king? ”

The Mongol Empire’s administration followed a trend that was occurring in the Western Europe, in which kings and emperors were finding efficient ways to manage their administrative and legals systems and fund crusades, conquests, and wars. From 1252–1259, Möngke conducted a census of the Mongol Empire including Iran, Afghanistan, Georgia, Armenia, Russia, Central Asia and North China. The new census counted not only households but also the number of men aged 15–60 and the number of fields, livestock, vineyards, and orchards.

Möngke also tried to create a fixed poll tax collected by imperial agents, which could be forwarded to the needy units. He taxed the wealthiest people most severely. But the census and taxation sparked popular riots and resistance in the western districts and in the more independent regions under the Mongol umbrella. These rebellions were ultimately put down, and Möngke would continue to rule.

Expansion and Khanates

At the death of Genghis Khan in 1226, the empire was already large enough that one ruler could not oversee the administrative aspects of each region. Genghis realized this and created appanages, or khanates, for his sons, daughters, and grandsons to rule over in order to keep a consistent rule of law. Möngke’s administrative policies extended to these regions during his reign, often causing local unrest due to Mongol occupation and taxation. Some khanates were more closely linked to centralized Mongol policies than others, depending on their location, who oversaw them, and the amount of resistance in each region.

Painting of the Battle of Mohi in 1241: Möngke might have been present at this battle, which took place in the kingdom of Hungary, during one of the many Mongol invasions and attacks that expanded the Mongol Empire.

It should also be noted that the vast religious and cultural traditions of these khanates, including Islam, Judaism, Taoism, Orthodoxy, and Buddhism, were often at odds with the khanate rulers and their demands. Some of the most essential khanates to exist under Möngke’s administrative years included:

  • The Golden Horde, which contained the Rus’ principalities and large chunks of modern-day Eastern Europe, including Ukraine, Belarus, and Romania. Many Russian princes capitulated with Mongol rule and a relatively stable alliance existed in the 1250s in some principalities.
  • Chagatai Khanate was a Turkic region which was ruled over by Chagatai, Odegei’s second son, until 1242 at his death. This region was clearly Islamic and functioned as an outlying region of the central Mongol government until 1259, when Möngke died.
  • Ilkhanate was the major southwestern khanate of the Mongol Empire and encompassed parts of modern-day Iran, Azerbaijan, Armenia, and Turkey and the heartland of Persian culture. Möngke’s brother, Hulagu, ruled over this region and his descendants continued to oversee this khanate into the 14th century.

Möngke’s Death

Möngke died while conducting war in China on August 11, 1259. He was possibly a victim of cholera or dysentery, however there is no confirmed record of the cause of his death. His son Asutai conducted him back to Mongolia to be buried. The ruler’s death sparked the four-year Toluid Civil War between his two younger brothers, Kublai and Ariq Böke, and also spurred on the division of the Mongol Empire.


Are you a descendant of Genghis Khan? – Don’t be so sure…

Actually, there is a decent chance you are. The notorious warlord is infamous for raping at the very least thousands of women in every place he conquered. In fact, he violated so many poor women that at present 0.5% of all humanity are direct descendants of Genghis Khan. That’s 1 in 200 men and women, which, in turn, translates into 37 million living descendants.

Bonus fact 1: Khan was totally obsessed with immortality and was on a permanent quest for eternal life. As such, in 1222, he summoned the Daoist master Qiu Chuji and asked him if he could prepare an immortality potion for him. Qiu Chuji replied that there is no such thing, but that life can be extended through abstinence. Apparently, Khan did not follow his advice…

Bonus Fact 2: Researchers at Genghis Khan University in Mongolia suggest that towards the end of his life, Khan legislated laws ensuring equal rights to all citizens, and especially to women.


11 Cultural Breakthroughs Genghis Khan Achieved During His Reign

Sure, he was a ruthless warlord who decimated armies and wiped out entire civilizations. But it turns out Genghis Khan (real name: Temujin) was anything but barbaric when it came to ruling. His cultural and political policies helped unify a previously disjointed collection of tribes and fiefdoms, creating a Mongol Empire that ruled a vast swath of Asia and Europe for more than a century. Here are a few of Genghis’s practices that were most definitely ahead of their time.

1. HE ESTABLISHED FREEDOM OF RELIGION.

The great Khan, who was born a Tengrist, passed laws allowing subjects freedom of religion, and even gave tax exemptions to places of worship. This was a strategic move, since Genghis Khan knew subjects would be less likely to rebel. It was also practical, as the Mongol people observed so many different religions that unifying them under a single one would have been impossible. Tolerance aside, Genghis did establish one religious decree: That his was the word of God.

2. HE BANNED TORTURE.

In contrast to many civilized armies at the time, the Mongols did not maim or torture their prisoners. Instead, Genghis Khan believed the surest way to inspire terror was through speed and efficiency in battle. Many of the stories about building pyramids out of enemy skulls and boiling people alive, scholars believe, are fear-inspired myths.

3. HE INCORPORATED ENEMIES INTO HIS ARMY.

Rather than execute rival soldiers, Genghis Khan often absorbed them into his army. In 1201, when he was nearly killed in battle after his horse was shot out from under him, Genghis asked enemy prisoners who had fired the arrow. A man bravely stepped forward to take the blame, and said he would accept punishment of death or swear undying loyalty if spared. Genghis immediately made him an officer in his army. “Jebe,” or “arrow,” as Khan called him, would go on to become one of the great Mongol field commanders.

4. HE LEFT CONQUERED CITIES ALONE.

After capturing a city, Genghis Khan would leave behind a few officials to oversee municipal matters and essentially let people carry on with their lives (provided they were loyal to the Great Empire, of course). Most citizens knew better than to revolt against their minders, but a few did and ended up facing the wrath of the full army all over again. Nishapur, located in what’s today northeast Iran, tried its luck in 1221 and saw every last citizen killed.

5. HE PROMOTED PEOPLE BASED ON INDIVIDUAL MERIT.

The feudal system that existed throughout Asia before Genghis Khan’s time primarily rewarded aristocratic privilege and birth. Despite being the son of a chief, Genghis despised this system, and as he swept across the continent he implemented a new one that rewarded loyalty and individual achievement on the battlefield.

6. HE OUTLAWED SLAVERY.

Genghis Khan understood the bitterness and economic strain that slavery created. He’d also been a slave himself during his teenage years, when he and his wife Börte were captured by a rival clan. So when Genghis Khan began unifying the Mongol tribes, he outlawed the taking of Mongols as servants or slaves.

7. HE ESTABLISHED UNIVERSAL LAW.

Adopted from Mongol common law, Genghis Khan’s system of law, known as the Yassa, prohibited theft, adultery, blood feuds, and bearing false witness. Some versions also incorporated the Mongol’s respect for the environment by outlawing bathing in rivers or streams and requiring soldiers to pick up anything that had been dropped on the ground.

8. AND A UNIVERSAL WRITING SYSTEM.

To enforce his law, Genghis ordered the creation of a writing system based on the Uyghur alphabet. It wasn’t the first writing system in Asia, but it was the first one to be widely adopted and taught to the people.

9. HE ESTABLISHED FREE TRADE ALONG THE SILK ROAD.

Genghis Khan believed in the unifying power of foreign trade as well as using it to gain valuable knowledge (many of his spies posed as merchants). As he swept across Asia, Genghis turned the towns and cities he conquered into waypoints for trade. In time, his conquests into Europe established key trade routes between East and West.

10. HE CREATED ONE OF THE FIRST INTERNATIONAL POSTAL SYSTEMS.

Knowledge was power in Genghis Khan’s empire, and that’s why one of his first orders as ruler was the creation of a Pony Express-like courier system known as the Yam. Riders carried messages across a network of huts, and could cover as much as 200 miles a day by constantly changing mounts. In addition to delivering messages, riders also acted as scouts who could monitor enemy forces and keep tabs on assimilated towns and cities.

11. HE REDISTRIBUTED THE WEALTH HE GAINED.

Genghis Khan is frequently listed as one of the richest people in history—but only in terms of the land he conquered. Rather than hoard the money and goods he gained through conquering, Genghis gave it to his soldiers and commanders (who were otherwise prohibited from looting without permission), injecting it back into the economy.


Assista o vídeo: The Last Battle of Genghis Khan - Full Movie 2013 1080p (Janeiro 2022).