Podcasts de história

Jubal Early

Jubal Early


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Jubal Anderson Early nasceu no condado de Franklin, Virgínia, em 3 de novembro de 1816. Depois de se formar na Academia Militar dos EUA em West Point em 1837, ele se juntou ao Exército dos Estados Unidos e participou da Guerra Seminole (1838-42) e do México Guerra (1846-48).

Depois de deixar o Exército dos Estados Unidos, Early tornou-se advogado em Rocky Mount, na Virgínia. Early era um oponente da secessão, mas quando a Virgínia deixou a União, mas com a eclosão da Guerra Civil Americana, ele aceitou o comando da 24ª Infantaria da Virgínia. Ele liderou este regimento em Bull Run depois de ser promovido ao posto de general de brigadeiro.

No início lutou bem em Antietam e Fredericksburg e em 23 de abril de 1863, foi promovido a major-general. Ele liderou suas tropas em Chancellorsville, Gettysburg e no deserto.

Em junho de 1864, Early derrotou com sucesso o Major General David Hunter em Shenandoah Valley. Robert E. Lee então o enviou para o norte com 14.000 homens em uma tentativa de retirar as tropas do exército de Grant. O general Lew Wallace encontrou cedo no rio Monacacy e, embora derrotado, conseguiu retardar seu avanço para Washington. As tentativas de Early de romper os fortes em torno da cidade fracassaram. Abraham Lincoln, que testemunhou o ataque de Fort Stevens, se tornou o primeiro presidente da história americana a entrar em ação enquanto estava no cargo.

Em agosto de 1864, o Exército da União fez outra tentativa de assumir o controle do Vale do Shenandoah. Philip Sheridan e 40.000 soldados entraram no vale e logo encontraram tropas lideradas por Early, que acabara de voltar de Washington. Após uma série de pequenas derrotas, Sheridan acabou ganhando a vantagem. Seus homens queimaram e destruíram qualquer coisa de valor na área e depois de derrotar Early em outra batalha em grande escala em 19 de outubro, o Exército da União assumiu o controle do Vale Shenandoah.

Quando Early soube que Robert E. Lee havia se rendido a Ulysses S. Grant em Appomattox, ele foi para o México. Ele também morou no Canadá antes de voltar a exercer a advocacia em Lynchburg.

Suas memórias, Esboço autobiográfico e narrativa apareceu em 1866. No início, como presidente da Southern Historical Association, ajudou a promover a reputação militar de Robert E. Lee, Thomas Stonewall Jackson, James Jeb Stuart e outros generais do Exército Confederado. Jubal Anderson morreu cedo em Lynchburg, Virgínia, em 2 de março de 1894.


Jubal Early - História

O cemitério de Hollingsworth - Parkins é um antigo cemitério Quaker localizado próximo à Jubal Early Drive, atrás da fábrica da PolyOne. É um dos cemitérios mais antigos (se não o mais antigo) existentes na cidade de Winchester.

A fim de apreciar o significado deste cemitério, você precisa entender um pouco sobre as famílias Hollingsworth e Parkins e sua importância para o início da história de Winchester e arredores.

Abraham Hollingsworth era um Quaker que nasceu em Delaware em 1686. Ele veio para esta área por volta de 1729 e se estabeleceu na área chamada Shawnee Springs, onde seu filho, Isaac Hollingsworth, construiu "Abram s Delight" em 1754. A tradição da família diz que Abraham Hollingsworth pagou por suas terras três vezes: "Primeiro uma vaca, um bezerro e um pedaço de pano vermelho para os índios Shawnee: a seguir uma quantia em dinheiro para o agente do rei e finalmente uma quantia em dinheiro para Lord Fairfax." Abraham e sua família eram membros do Hopewell Friends Meeting, formado em 1734. Hopewell está localizado no condado de Frederick, perto de Clearbrook. A família Hollingsworth estabeleceu um moinho de farinha perto das fontes e estava envolvida em muitos outros empreendimentos.

Outra família Quaker proeminente durante esta época foi a família Parkins. Isaac Parkins adquiriu 1.425 acres em três áreas em 1735. Uma área de 725 acres incluía o local do cemitério e a localização da casa da família Parkins, que ficava a oeste do cemitério no que hoje é a Valley Avenue na esquina sudoeste da Jubal Early Drive e Valley Avenue. Esta grande casa de tijolos (não está mais de pé) foi chamada de "Milltown" e mais tarde "Willow Lawn".

Quando o condado de Frederick foi estabelecido em 1743, Isaac Parkins tornou-se muito proeminente em seus negócios, servindo como juiz e membro da Casa dos Burgesses. Ele ergueu uma serraria e dois moinhos de farinha. A família Parkins foi fundamental para o estabelecimento do Center Friends Meeting, que foi inicialmente localizado perto da casa da família Parkins. O Center foi transferido para Winchester em 1819. Perto do local original do Center Meeting havia outro pequeno cemitério, que foi transferido para Hopewell em 1961.

John Parkins deixou o cemitério para uso dos quacres em 1815. Seu testamento, datado de 5 de maio de 1815, afirma:

A maior lápide no cemitério de Hollingsworth - Parkins é a de Isaac Hollingsworth. No entanto, este não é o Isaac que era filho de Abraão. Este Isaac era um primo e é várias gerações depois. Este Isaac era filho de Zebidae Hollingsworth e Lydia Allen. Ele nasceu em 1771 e morreu em 1842. Ele se casou com Hannah Parkins, que também está enterrada lá. Alguns dos outros sobrenomes daqueles enterrados no cemitério são Lytle, Brown, Smith, Richards, Neill e Gilkison. Uma lista de todos os túmulos tirados de um censo de cemitério em 1931 existe nos Arquivos de Handley.

O cemitério, cobrindo cerca de um quarto de acre, estava localizado entre as casas da família Hollingsworth e Parkins. Por muitos anos, o cemitério foi isolado e o único acesso era subir os trilhos da estrada de ferro da Papermill Road. Quando Jubal Early Drive foi construído na década de 1990, o cemitério se tornou muito mais acessível.

Parece que havia poucos enterros no cemitério de Hollingsworth - Parkins após meados de 1800. Muitos membros da família já haviam se mudado e havia outros cemitérios quacres na área, sendo o maior em Hopewell. Durante o século 19, a família Henry adquiriu parte das terras ao redor e às vezes você vê referências ao cemitério de Hollingsworth - Parkins - Henry.

A parede ao redor do cemitério foi construída por volta de 1930 para substituir uma parede de pedra mais velha que havia se deteriorado. Quando esta parede foi construída, nenhuma abertura para um portão foi incluída. Em vez disso, degraus, chamados de "escada", foram embutidos na parede. Desde então, o canto posterior da parede afundou e fez uma abertura para que seja possível entrar no cemitério sem escalar a parede. Os pés no cemitério são precários, por isso os visitantes devem ter muito cuidado.

No início da década de 1990, o cemitério foi negligenciado e muitas das lápides foram danificadas. Por causa de sua localização isolada, o cemitério estava coberto de mato e não era mantido regularmente. Em 1995, um escoteiro local, como parte de um projeto Eagle Scout, realizou uma ampla reforma. Naquela época, uma placa foi fixada na parede identificando o cemitério. Desde então, voluntários mantiveram o cemitério e muitas das lápides foram reparadas. Em 1996, o cemitério foi formalmente transferido para os curadores do Hopewell Monthly Meeting e do Winchester Center Monthly Meeting da Sociedade de Amigos.


Primeiros anos

Jubal Anderson Early nasceu em 3 de novembro de 1816, em Rocky Mount, Condado de Franklin, Virgínia, filho de Joab Early, um proeminente fazendeiro e político, e de Ruth Hairston, cuja família possuía muitos escravos. Ele se formou na Academia Militar dos Estados Unidos em West Point em 1837, décimo oitavo lugar em uma classe que também incluía os futuros generais da União Joseph Hooker e John Sedgwick. Por um tempo, ele foi colega de classe do futuro general confederado Lewis A. Armistead, que renunciou a West Point em 1836 depois de quebrar um prato na cabeça de Early & # 8217s.

Depois de receber uma comissão na 3ª Artilharia dos Estados Unidos, Early serviu por um breve período na longa e custosa Segunda Guerra Seminole (1835-1842) na Flórida. Ele renunciou ao exército em 31 de julho de 1838 para estudar direito e começou sua prática em Rocky Mount em 1840. No ano seguinte, ele representou o condado de Franklin por um mandato na Câmara dos Delegados (1841-1842) como membro da o Partido Whig, e em 1843 ele foi nomeado seu advogado do condado & # 8217s commonwealth & # 8217s, servindo até 1852. Um oficial voluntário na Guerra do México (1846-1848), ele não viu o combate, mas contraiu artrite reumatóide, os efeitos de o que o atormentaria pelo resto de sua vida.

Delegado da Convenção da Virgínia de 1861, Early era um sindicalista convicto, possivelmente por causa de seus laços do condado com o comércio de tabaco com o Norte, e sua cautela lhe valeu o apelido de & # 8220, a tartaruga de água doce de Franklin. & # 8221 Ele acreditava nisso o entusiasmo pela secessão era míope e provavelmente levaria à guerra, e ele argumentou que os direitos dos sulistas que não possuíam escravos eram tão dignos de proteção quanto os direitos daqueles que os possuíam. Ele votou contra a secessão & # 8220 com a esperança & # 8221 escreveu mais tarde & # 8220 de que, mesmo assim, a colisão de armas poderia ser evitada. & # 8221


No início da guerra civil

Em 1861, como coronel do Exército dos Estados Confederados, Early comandou a 24ª Infantaria da Virgínia. Ele logo foi promovido a general de brigada após mostrar bravura na Primeira Batalha de Bull Run. No início, lutou em várias batalhas importantes e chamou a atenção de Robert E. Lee, que apreciava sua agressividade e o chamava de "Velho Mau". Para suas tropas, porém, ele era conhecido como "Velho Jube" ou "Velho Jubileu".

Early foi ferido na Batalha de Williamsburg e, após se recuperar, ficou sob o comando do Major General Thomas J. “Stonewall” Jackson, onde lutou nas Batalhas de Fredericksburg, Chancellorsville e Gettysburg. Em 1864, Early foi enviado para lutar contra as forças da União no Vale do Shenandoah. Ele atrasou a invasão de Washington e deu descanso aos seus homens por dois dias, o que permitiu à União fortalecer suas defesas. Com o general George Washington em pânico, as tropas de Early chegaram aos arredores da capital, onde Abraham Lincoln assistiu a algumas escaramuças ocorrendo entre as duas forças. Em outubro de 1864, na Batalha de Cedar Creek, Early fez um ataque surpresa às forças da União e reivindicou a vitória, mas um atraso deu às forças da União tempo para se reagrupar e retaliar a vitória naquela mesma tarde. Lee o dispensou de seu comando depois que o braço de Early quase foi destruído em Waynesboro, Virgínia, em março de 1865.


Jubal A. Early

Como comandante do Exército Confederado do Vale, Jubal Early expulsou temporariamente as forças da União do Shenandoah em 1864 - e ameaçou o próprio Washington, D.C. - antes de ser derrotado em uma série de batalhas que culminaram em Cedar Creek.

Jubal Early se formou em West Point em 1837. Ele comandou a 24ª Infantaria da Virgínia no início da Guerra Civil, onde teve um desempenho admirável e avançou rapidamente na hierarquia.

Durante a Segunda Batalha de Winchester, de 14 a 15 de junho de 1863, Early liderou sua divisão em uma marcha de flanco de Bowers Hill, localizada a sudoeste de Winchester, ao norte de West Fort, uma distância de quase dez milhas. A marcha de flanco de Early e o ataque às tropas da União em West Fort em 14 de junho permitiram que as forças confederadas esmagassem as tropas federais sob o comando do general Robert H. Milroy.

Nós assustamos Abe Lincoln como o inferno.

Após a Segunda Batalha de Winchester, ele serviu com distinção no Exército da Virgínia do Norte e retornou ao Vale Shenandoah em junho de 1864. Ele liderou a força do General da União David Hunter de Lynchburg, Virgínia, em meados de junho. Cedo, então, continuei descendo o vale e atravessando o Potomac para ver a cúpula do Capitólio dos Estados Unidos. Em 24 de julho de 1864, Early derrotou a força federal comandada pelo general George Crook na Segunda Batalha de Kernstown.

Sua campanha do vale foi um grande sucesso, mas em 19 de setembro de 1864, Early encontrou a força numérica esmagadora do general Philip H. Sheridan. Embora os homens de Early lutassem obstinadamente ao longo do dia, Sheridan finalmente prevaleceu sobre o comando de Early. Sheridan derrotou Early mais duas vezes: em Fisher’s Hill em 22 de setembro e depois na Batalha de Cedar Creek em 19 de outubro. Early enfrentou Sheridan novamente em Waynesboro, Virginia, no início de março, mas encontrou a derrota final.

O general Early voltou a Winchester em 1889 para falar na cerimônia do Dia do Memorial dos Confederados. Em seu discurso no cemitério de Stonewall, ele relatou sua derrota na Terceira Batalha de Winchester e a coragem de seus soldados. Ele agradeceu às mulheres de Winchester e do Vale do Shenandoah por sua devoção à Confederação.

Após a guerra, ele voltou a exercer a advocacia em Lynchburg, Virgínia, e se tornou o primeiro presidente da Southern Historical Society. “Old Jube”, como era frequentemente chamado, morreu em 1894.

Salve um campo de batalha

Faça a diferença e ajude a preservar os campos de batalha históricos do vale


10.000 cavalaria a quatro lado a lado

Em meados de fevereiro, de volta à Virgínia, Custer descobriu qual seria sua próxima viagem, quando recebeu uma nova missão de Sheridan. Nos últimos quatro meses, Grant vinha pedindo a Sheridan que cortasse a Virginia Central Railroad em Charlottesville e se movesse para o leste em direção a Richmond para ameaçar a retaguarda das linhas de Robert E. Lee em Petersburg. Citando o mau tempo, os guerrilheiros de Mosby e a (improvável) ameaça de reforços confederados no vale, Sheridan adiou. Grant, que era ainda mais teimoso do que Sheridan, persistiu, enviando a seu subordinado um novo conjunto de ordens. Sheridan deveria destruir a ferrovia e o canal do rio James, capturar Lynchburg e, em seguida, retornar a Winchester ou se conectar com o exército do major-general William T. Sherman na Carolina do Norte. Sheridan obedeceria - mas apenas até certo ponto.

Na madrugada de 17 de fevereiro de 1865, Sheridan levantou acampamento em Winchester e rumou para o sul com duas divisões de cavalaria completas, uma seção de artilharia e um longo trem de vagões de suprimentos, pontões, ambulâncias e vagões médicos. Cada soldado recebeu rações de cinco dias para si, 30 libras de forragem para seus cavalos e 75 cartuchos de munição. A residente de Winchester, Emma Reily, observou os invasores partirem. “Testemunhei um dos maiores espetáculos que se pode imaginar enquanto eles estavam saindo”, escreveu ela. “10.000 cavalaria passando por nossa casa quatro lado a lado, totalmente equipada em todos os detalhes. Os cavalos, por terem passado tanto tempo em alojamentos de inverno, foram alimentados com muito curry e esfregados até que suas pelagens brilhassem como cetim. Cada homem tinha uma nova sela, freio e manta vermelha, e todos os seus apetrechos, como espadas, cintos, etc., brilhavam como ouro. Foi uma visão grandiosa, que levou horas para se passar. ”

De volta a Staunton, Jubal Early não ficou tão entusiasmado com a saída dos Federados. Conhecendo Sheridan muito bem a essa altura, o comandante confederado presumiu corretamente que o movimento inimigo pressagiava novos combates. Espiões em Winchester e soldados em postos de observação nas proximidades da montanha Massanutten já haviam detectado sinais do avanço da União iminente. O soldado confederado Henry Berkeley resumiu os temores de seu general comandante em seu diário. “Ouvimos dizer que os ianques estão reunindo uma grande força de cavalaria em Winchester e devem subir o vale assim que o tempo permitir”, escreveu Berkeley. “Não vejo como é possível que nossa pequena força faça algum progresso contra eles. Somos apenas 1.500; estima-se que sejam 15.000. Eles vão passar por cima de nós [pelo] peso dos números. Quem vai contar a história? ”

Do jeito que estava, Berkeley superestimou a força dos federais em um terço, mas seus temores foram compartilhados por Early. Durante todo o inverno, o general meditou sobre suas três derrotas, particularmente a oportunidade perdida em Cedar Creek. Sem generosidade, Early culpou seus homens por seu próprio fracasso, reclamando com Robert E. Lee: “Tínhamos ao nosso alcance uma vitória gloriosa e a perdemos pela tendência incontrolável de nossos homens para saque”. Ignorando seu próprio atraso, mesmo após a insistência de Gordon, para acompanhar o ataque inicial, Early atribuiu sua própria retirada subsequente ao "pânico criado por um medo insano de ser flanqueado e um terror da cavalaria inimiga." Esse terror - ou pelo menos apreensão - foi bem merecido. Duas vezes antes, os confederados foram flanqueados, em Winchester e Fisher’s Hill, e sua própria cavalaria foi enviada cambaleando em Tom’s Brook. O soldado confederado comum tinha boas razões para temer os cavaleiros da União de casacas azuis, que não tinham medo semelhante de seus colegas rebeldes.


Jubal Early

Jubal Early foi um general confederado sênior durante a Guerra Civil Americana. Early é provavelmente famoso por seu ousado ataque a Washington DC no final da guerra, que causou pânico na capital e resultou na ordem do presidente Lincoln ao general Grant para enviar tropas da União à cidade para derrotar Early.

Jubal Early nasceu em 3 de novembro de 1816 no condado de Franklin, Virgínia. Ele foi aceito na Academia Militar dos Estados Unidos em West Point em 1833 e se formou em 1837. Após sua graduação, Early ingressou no 3º Regimento de Artilharia dos Estados Unidos. Early renunciou à sua comissão em 1838 e assumiu a advocacia, onde fez uma reputação para si mesmo como promotor. Retornou cedo ao serviço militar de 1846 a 1848, quando lutou na Guerra Mexicano-Americana, antes de continuar com sua carreira de advogado.

Com sua formação sulista, seria de se esperar que Early apoiasse a ideia de secessão assim que todas as várias questões que culminaram com a eclosão da Guerra Civil Americana viessem à tona. Na verdade, este não é o caso. Em abril de 1861, ficou claro que a América estava caminhando para uma guerra civil. No entanto, quando a Virgínia fez uma convenção para discutir a posição do estado sobre de que lado estava, Early se manifestou contra deixar o Sindicato. O que provocou sua mudança de ideia foi o apelo de Lincoln por 75.000 voluntários do norte para suprimir o elemento rebelde no sul. Este Early não pôde aceitar e ele se juntou à Milícia da Virgínia com o posto de Brigadeiro-General. Sua tarefa era formar três regimentos para defender o estado. Logo foi dado o comando da 24ª Infantaria da Virgínia e a patente de Coronel do Exército Confederado.

Durante a Guerra Civil Americana, Early lutou principalmente no que era conhecido como Teatro Oriental. Sua primeira grande campanha foi a Primeira Batalha de Bull Run em julho de 1861. É geralmente aceito que Early lutou bem nessa batalha. Early também comandou homens nas maiores e mais famosas batalhas da Guerra Civil Americana - Antietam, Gettysburg, Fredericksburg etc. - e homens comandados por Early capturaram York na Pensilvânia, a maior cidade da União capturada pela Confederação durante a Guerra Civil Americana. Homens sob seu comando também alcançaram o rio Susquehanna - o mais a leste da Pensilvânia que as tropas confederadas chegaram durante a guerra.

A reputação de Early de bravura no campo e abordagem determinada conquistou o afeto e a admiração dos soldados que comandava. Ele foi apelidado de "Old Jube". Comandantes seniores como Robert E Lee e ‘Stonewall’ Jackson também respeitaram seu entusiasmo pela luta. No entanto, Early era menos popular entre os oficiais subalternos sob seu comando, pois era mal-humorado e frequentemente os culpava por decisões que tomara e que não haviam sido bem-sucedidas. Embora Early fosse corajoso no campo de batalha - ele foi ferido em 1862 em Williamsburg liderando seus homens para a batalha - ele teve suas falhas militares em outros lugares. Early nunca dominou a arte de mover um grande número de homens com precisão durante uma batalha, pois suas habilidades de navegação no campo de batalha eram fracas. Mas foi como um comandante agressivo que ele encontrou a fama. Este Early exibido em Antietam, Cedar Mountain e Fredericksburg. Suas habilidades de liderança e popularidade geral entre seus homens também trouxeram promoção e, em janeiro de 1863, Early ocupava o posto de Major General.

Em 1864, Lee ordenou a Early que liberasse as forças da União do Vale Shenandoah em preparação para um ataque a Washington DC. Lee esperava que com a capital da União ameaçada, Lincoln ordenaria a Grant que retirasse milhares de soldados da União para defender a capital e, assim, aliviar a pressão constante sobre as forças confederadas - especialmente de homens sob o comando de William Sherman e do próprio Grant. A ‘Valley Campaign’ de Early começou bem, mas ele então cometeu um erro fundamental. Em vez de empurrar com urgência seus homens em direção a Washington, Early deu-lhes dois dias de descanso, de 4 a 6 de julho. Embora isso permitisse que seus homens descansassem e se recuperassem, deu a Grant tempo para movê-los para Washington. Early foi ainda mais atrasado na Batalha de Monocacy e ele só conseguiu chegar aos arredores da cidade. No entanto, a própria presença de seu exército perto da cidade causou pânico. Em 12 de julho ficou claro para Early que ele não tinha homens suficientes para tomar a cidade que agora era defendida por milhares de soldados da União e ele se retirou para a Virgínia. Grant e Lincoln, no entanto, ainda acreditavam que a força de Early representava um perigo para Washington e uma ordem foi dada ao major-general Philip Sheridan de que Early tinha que ser derrotado. O que se seguiu no Vale do Shenandoah foi uma mini-versão da "Guerra Total" de Sherman na Geórgia. Sheridan destruiu muitas fazendas e equipamentos agrícolas para que eles não tivessem como fornecer o exército em constante movimento de Early. Um soldado que viu os resultados escreveu que grande parte do vale “foi destruída”.

O ataque contra Early culminou na Batalha de Cedar Creek em 19 de outubro de 1864. O exército de Early foi bem no início da batalha pela manhã. O que aconteceu a seguir não é totalmente conhecido. Mais tarde, Lee informou que seus homens estavam famintos e exaustos e que haviam rompido as fileiras, entrado nos antigos quartéis do exército da União que haviam empurrado para trás e saqueado em busca de qualquer comida e bebida que pudessem encontrar. Portanto, eles estavam totalmente despreparados para uma ofensiva dos homens de Sheridan no final da tarde e perderam a batalha. No entanto, um oficial subordinado de Early, John Gordon, escreveu mais tarde que foi o próprio Early quem ordenou a seus homens que parassem por seis horas, durante as quais eles encontraram comida e outros suprimentos muito necessários. Early afirmou que seus homens perderam a disciplina e romperam suas próprias fileiras. Gordon afirmou que foi Early quem ordenou que se retirassem. De qualquer forma, eles não estavam preparados para o ataque da tarde e perderam a batalha.

A maioria dos homens de Early retirou-se para se juntar ao Exército de Lee na Virgínia do Norte. Cedo e alguns de seus homens permaneceram no Vale para atrapalhar as forças da União ali. Em março de 1865, Early sofreu uma derrota em Waynesboro e Lee relutantemente aliviou Early de seu comando por acreditar que Early não poderia mais fornecer liderança inspiradora.

Early não aceitou a rendição em 9 de abril de 1865 e fugiu para o Texas onde queria continuar a luta. Quando ficou claro que as forças do Sul haviam sido severamente enfraquecidas, ele foi para o México, Cuba e depois Canadá. Em Toronto, Early escreveu suas memórias, que se concentraram na Valley Campaign: “Uma Memória do Último Ano da Guerra da Independência, nos Estados Confederados da América”. Em vez de ver a guerra como uma guerra civil, Early a viu como uma guerra de independência do sul em relação ao norte.

Jubal Early recebeu o perdão presidencial em 1868 e voltou para a Virgínia em 1869, onde retomou a carreira de advogado. Aqueles que ainda acreditavam no que o Sul havia lutado se uniram em torno dele e ele se tornou um defensor do movimento "Causa Perdida". Embora estivesse claro que o Sul não tinha como enfrentar militarmente o Norte após 1865, Early e seus muitos apoiadores acreditavam que tinham o dever de contar ao mundo sobre a Guerra Civil Americana de seu ponto de vista.


Pare Jubal cedo

A mensagem do secretário de guerra foi direto ao ponto.

"Sr. Presidente, o inimigo está avançando em direção a Tenallytown e a Seventh street road ”, escreveu Edwin M. Stanton a Abraham Lincoln. “Eles estão em grande força e rechaçaram nossa Cavalaria. Acho melhor você vir para a cidade esta noite. "

Despachado no final da noite de 10 de julho de 1864, o aviso de Stanton foi motivado por um acontecimento que parecia inconcebível apenas algumas semanas antes: uma força confederada de aproximadamente 15.000 soldados, marchando pelo vale de Shenandoah e depois para o leste através de Maryland, alcançou os arredores do Distrito de Columbia e ameaçou se mudar para a capital dos Estados Unidos.

Stanton observou uma comunidade ao norte da cidade de Washington e uma importante via que conecta a capital ao norte. Mas sua preocupação imediata era muito mais significativa. Lincoln e sua família, evitando o calor opressor de Washington, estavam passando o verão em sua cabana na Casa dos Soldados, três milhas ao norte da Casa Branca. Com os rebeldes sob o comando do tenente-general Jubal Early avançando em direção ao norte do distrito da capital, a segurança dos Lincoln estava em risco longe da Mansão Executiva.

Muita coisa estava em jogo enquanto o presidente atendia ao apelo de Stanton. Além de fornecer aos rebeldes sitiados um impressionante triunfo militar após uma série de contratempos, um ataque bem-sucedido a Washington prometeu derrubar os fundamentos políticos do esforço de guerra do Norte, desferindo um golpe mortal nas perspectivas de reeleição de Lincoln.

A administração de Lincoln ficou particularmente vulnerável no verão de 1864. O Exército do Potomac, nas profundezas da Virgínia, foi atolado por um inimigo desesperado em uma série de combates sangrentos. Só em maio, quando as forças da União e dos Rebeldes se envolveram nas batalhas de Wilderness e Spotsylvania Court House, as baixas do norte chegaram a 44.000, com pouco a mostrar para este enorme sacrifício.

À medida que a ofensiva da União na Virgínia empacava, a oposição à gestão da guerra por Lincoln se intensificava. Os democratas “Copperhead” que defendiam a paz com o Sul tornaram-se mais francos. Tumultos de recrutamento de imigrantes irlandeses haviam surgido no ano anterior em Nova York, mas os sentimentos anti-guerra eram fortes mesmo no coração republicano do Velho Noroeste. Na cidade de Charleston, no leste do condado de Illinois, não muito longe de onde a madrasta de Lincoln morava, Copperheads e soldados voltando para seus regimentos se revoltaram no final de março. A confusão, que deixou nove mortos e 12 feridos, foi apenas um dos vários incidentes que explodiram nas proximidades.

“Nós sempre acreditamos,” o Joliet, Illinois, Sinal declarou, "que esta guerra foi cortejada pelo partido republicano e foi alimentada e mantida viva por esse partido." À medida que a guerra se arrastava, essa crença parecia estar ganhando terreno.

A insatisfação com Lincoln também era alta nos círculos republicanos. No que foi visto como um golpe para a ala radical do partido, o secretário do Tesouro, Salmon P. Chase, de Ohio, um dos rivais de Lincoln para a indicação presidencial republicana em 1860, renunciou no final de junho. “Houve dois elementos no Gabinete, o conservador e o radical. Estes estiveram em guerra, como sempre estarão, em todas as circunstâncias e em todos os lugares ", o Emporia, Kan., Notícia escreveu. "À frente deste último estava o Sr. Chase."

Pouco antes de os republicanos se reunirem em Baltimore para nomear Lincoln para um segundo mandato, o candidato presidencial do partido em 1856, John C. Frémont, aceitou a nomeação de uma convenção secundária de Radicais Republicanos e Copperheads unidos em sua oposição ao presidente. Enquanto isso, George B. McClellan, ainda muito popular apesar de ter sido demitido como comandante do Exército do Potomac em 1862, preparou-se para receber a indicação democrata para presidente na convenção do partido em agosto em Chicago.

Com o sentimento contra a guerra crescendo e os republicanos desmoralizados e divididos, os democratas olharam para as eleições de outono e sentiram o cheiro da vitória. Robert E. Lee, agachado contra Ulysses S. Grant nas proximidades da sitiada Petersburgo, olhou para o oeste, para o vale do Shenandoah, e viu uma oportunidade.

“Acho que algum oficial muito bom deveria ser enviado ao Vale imediatamente para assumir o comando lá”, escreveu Lee ao presidente confederado Jefferson Davis em 6 de junho. Lee sugeriu que os rebeldes precisavam organizar suas forças lá e tomar medidas para levantar o moral entre habitantes locais. Mas dentro de uma semana, seu pensamento avançou para algo mais ambicioso.

Em 12 de junho, Lee disse a Early para preparar um corpo de infantaria com dois batalhões de artilharia para ir para o oeste das vizinhanças de Cold Harbor. Mais tarde naquele dia, Early recebeu ordens por escrito de Lee. Eles eram de tirar o fôlego em sua audácia.

Lee queria que Early e suas tropas partissem para o vale do Shenandoah e atacassem as forças da União sob o comando do major-general David Hunter. Depois de derrotar Hunter, eles deveriam marchar para o norte descendo o vale até Winchester, cruzar o Potomac em Harpers Ferry ou Leesburg, Va., E seguir para Washington a partir do lado norte do Potomac. Acima de tudo, Lee também esperava que Early pudesse enviar tropas para libertar os rebeldes detidos no campo de prisioneiros de guerra em Point Lookout, Maryland.

O general encarregado de levar a cabo o ambicioso plano de Lee era um rebelde zeloso. Nascido em 1816 no condado de Franklin, Virgínia, Jubal Anderson Early se formou em West Point com uma comissão como segundo-tenente. Sua carreira no Exército dos EUA durou pouco mais de um ano, mas mais tarde lutou sob o comando da bandeira dos Estados Unidos na Guerra do México como major em um regimento de voluntários da Virgínia.

Quando a Convenção da Virgínia debateu a secessão em 1861, Early inicialmente estava entre seus oponentes, mas logo se tornou um campeão comprometido da rebelião. Ele também não tinha nenhum escrúpulo em relação à escravidão. “Razão, bom senso, verdadeira humanidade para os negros, assim como segurança para os brancos, exigiam que a raça inferior fosse mantida em estado de subordinação”, acreditava.

Coronel quando a guerra começou, ele lutou na Primeira Corrida de Touros e recebeu ferimentos com risco de vida na Batalha de Williamsburg em 1862, mas se recuperou e foi promovido a general de brigada. Ele serviu sob o comando de Lee em Gettysburg no ano seguinte e lutou em Wilderness, Spotsylvania e Cold Harbor. O solteirão mercurial, possuidor de quais The Washington Post em 1894, chamada de “excentricidades peculiares de temperamento, através das quais ele perdeu amigos congênitos com a mesma facilidade com que os fez”, recebeu agora uma operação que poderia alterar dramaticamente o curso da guerra.

Incitado por sua paixão pela causa confederada, Early perdeu pouco tempo. Às 2 da manhã do dia seguinte - uma hora antes da hora de partida designada por Lee - ele partiu para o Valley.

O elemento surpresa era essencial, Lee aconselhou Davis. “Como o sigilo é um elemento importante da expedição do Gen. Early, imploro que Vossa Excelência faça com que sejam enviados avisos a todos os jornais para não fazer alusão a qualquer movimento, por insinuação ou de outra forma.”

Hunter, que estava avançando para o leste do vale em direção a Lynchburg, descobriu rapidamente sobre os movimentos de Early de qualquer maneira. Depois de encontrar Early nas proximidades de Lynchburg, ele se retirou para as profundezas da Virgínia Ocidental, deixando o vale aberto aos rebeldes. A vitória permitiu a Early dar às suas tropas famintas e cansadas, que haviam estado em marcha quase continuamente desde o início da expedição, um dia de descanso.

Agora acompanhado por forças sob o comando do major-general John C. Breckinridge, Early ponderou brevemente sobre seu próximo movimento. Talvez atormentado por dúvidas, Lee enviou vários telegramas sugerindo que Early poderia decidir permanecer no Vale do Shenandoah ou retornar à batalha contra as forças de Grant em vez de seguir em Washington. Mas Early estava ansioso para prosseguir. “Decidi continuar a realizar o projeto original em todos os riscos e telegrafei ao General Lee meu propósito de continuar o movimento.”

Cedo avançou rapidamente vale abaixo. Em 2 de julho, suas forças chegaram a Winchester, onde ele decidiu cruzar o Potomac em Harpers Ferry em vez de Leesburg. Dois dias depois, as forças da União evacuaram Harpers Ferry. Logo cedo assumiu o controle da cidade de arsenais e levou a União de volta às fortificações em Maryland Heights. Os rebeldes então ocuparam Hagerstown, Maryland, de onde extraíram uma taxa de US $ 20.000. Eles agora estavam prontos para seguir para o leste.

Em Washington, enquanto o Gabinete de Lincoln saboreava o naufrágio do invasor Confederado na costa da França em junho, Alabama O avanço de Early ocasionou algo entre complacência e leve preocupação. “Um ataque de verão no vale do Shenandoah pelos rebeldes e a captura de Harper's Ferry são assuntos emocionantes, mas o Departamento de Guerra não está inclinado a comunicar os fatos”, observou o secretário da Marinha Gideon Welles em seu diário 6 de julho. “Nós sempre tive grandes sustos daquele trimestre e, às vezes, realidades muito sérias. ”

Nos dias seguintes, a ameaça rebelde tornou-se mais assustadora à medida que os confederados ocupavam Boonsboro e continuavam em direção a Washington. Welles fumegou que o Departamento de Guerra foi invadido por "estúpidos" alheios aos perigos que Early representavam, mas isso não era totalmente preciso. Monitorando de perto o avanço dos confederados estava o major-general Lew Wallace, um nativo de Indiana que comandou o VIII Corpo de exército baseado em Baltimore.

Como Early, um veterano da Guerra do México, Wallace liderou a 3ª Divisão de Grant durante a vitória do Union em Fort Donelson em fevereiro de 1862. Em Shiloh em abril, ele foi duramente criticado porque sua divisão, atrasada por várias horas por estradas ruins, não chegar ao campo de batalha até as 19h, tarde demais para contribuir com a luta do primeiro dia. A rivalidade subsequente com Grant, que aliviou Wallace de seu comando após a batalha, e o general em chefe da União Henry W. Halleck afastou Wallace por um tempo, mas agora o Hoosier era tudo o que existia entre Early e Washington.

Em um livro de memórias que refletiu as habilidades de contar histórias que se esperaria do autor de Ben-HurWallace se lembra de ter recebido telegramas avisando-o sobre os movimentos rebeldes para o oeste. Impelido pelas notícias cada vez mais alarmantes, Wallace fez um passeio de trem à meia-noite para Monocacy Junction em 5 de julho para obter uma visão em primeira mão da posição estrategicamente significativa, que por acaso era a fronteira oeste do departamento militar sob seu comando.

Enquanto estudava o terreno, Wallace pôde ver que as pontes para a ferrovia Baltimore & amp Ohio, bem como para Georgetown Pike - a estrada para Washington - cruzavam o rio. Três milhas a oeste, com as torres da igreja visíveis do rio, ficava a cidade de Frederick, conectada a Baltimore por uma terceira ponte sobre o Monocacy.

Embora não tenha certeza se os rebeldes pretendiam se mudar para Baltimore ou Washington, Wallace entendeu claramente um fato sobre Early: “Tudo conhecido e tudo presumível”, indicou que os confederados que avançavam superavam em muito as tropas sob seu comando.

Wallace estimou que tinha 2.300 soldados, muitos "crus e inexperientes". Mas em 7 de julho, o presidente da B & ampO Railroad J.W. Garrett avisou que uma “grande tropa de veteranos” despachada por Grant havia chegado em Baltimore e seria enviada em direção a Frederick o mais rápido possível.

E nem um momento antes. Em 8 de julho, Breckinridge e o major-general Stephen D. Ramseur acamparam perto de Middletown enquanto o Brig. O general Watt Ransom ocupou a montanha Catoctin. Monitorando os movimentos rebeldes, Wallace relutantemente se retirou de Frederick. “A cidade, sem dúvida, tinha sua facção desleal”, lembrou ele, mas também “tinha sua legião de alma e bolsa devotadas à União. E foi difícil abandoná-los. ” Confirmando os temores de Wallace, Early ocupou Frederick no dia seguinte e arrancou uma taxa de $ 200.000 de seus cidadãos.

De volta ao lado leste do Monocacy, Wallace esperou ansiosamente por reforços. Nas primeiras horas da manhã de 9 de julho, um visitante ligeiramente acima do peso, “rápido e blefante nas maneiras e na fala, celta nas feições e na pele”, despertou-o de um sono agitado. Foi Brig. Gen. James B. Ricketts, comandando uma divisão do VI Corpo de exército, com cerca de 5.000 soldados. Eles discutiram brevemente a situação ao longo do rio antes da partida de Ricketts. Um Wallace aliviado voltou para a cama "e nunca dormiu mais profundamente".

Depois do café da manhã, ele caminhou ao longo do penhasco perto da ponte da ferrovia que atravessa o rio para examinar suas defesas. Na próxima fazenda John T. Worthington, escravos que trabalhavam nos campos acreditavam que os urubus voando no céu representavam um mau presságio, mas Wallace ficou impressionado com a cena pastoral diante dele. “Em todo lugar leio a promessa de um lindo dia de verão. Não havia uma partícula no céu, e a noite que partia havia deixado um frescor delicioso e refrescante no ar. ”

O idílio sazonal havia muito acabado no final da manhã, quando a cavalaria confederada liderada pelo brigadeiro. O general John McCausland cruzou o Monocacy. Depois de atravessar o rio, os rebeldes desmontados avançaram com cautela pelos campos de Worthington. À medida que avançavam, uma linha de infantaria da União da divisão de Ricketts de repente se ergueu de trás de uma cerca e fileiras de milho. Apoiando seus mosquetes na grade, as tropas da União abriram fi

re com uma "salva assassina" que dizimou as tropas de McCausland. “Observado à distância, toda a linha rebelde desapareceu como se engolida pela terra”, relembrou o filho de Worthington, Glenn, que testemunhou a batalha quando era um menino de 6 anos de uma janela do porão da casa da fazenda de sua família. Atordoados, os rebeldes sobreviventes recuaram em desordem. McCausland montou um segundo ataque várias horas depois. “Era carga e fogo, carga e fogo”, lembrou Worthington. “Matar, matar, matar e eles eram irmãos, também todos cidadãos americanos, agora estranhamente divididos e dispostos uns contra os outros em um combate mortal.” O resultado foi muito parecido com o primeiro ataque. As forças de Ricketts mantiveram sua posição e os confederados recuaram.

Enquanto acompanhava o progresso da batalha, Wallace ficou de olho no tempo. Cada hora adiantada era adiada desde Grant, que estava monitorando os eventos da Virgínia, com mais tempo para apoiar as defesas em torno de Washington. No final da tarde, os confederados tentaram novamente. Desta vez, Breckinridge e o major-general John B. Gordon tiveram sucesso onde McCausland havia falhado. O avanço obrigou os homens de Ricketts a ceder terreno e abriu a ponte da ferrovia para as tropas de Ramseur cruzarem.

Os rebeldes venceram, mas Wallace acreditava que havia conquistado algo mais importante. “Uma sensação de alívio veio a mim”, escreveu ele mais tarde, porque “se o dia se perdesse para mim, o General Early não poderia lucrar com isso. Medido por seus projetos e pela importância do tempo para sua causa, minha perda dificilmente valeu uma pitada do bom e velho rapé escocês. ”

Talvez o orgulho por seu triunfo tático tenha feito Wallace encobrir o preço da batalha na vida humana. As baixas para as forças da União em menor número chegaram a quase 1.300, enquanto Early perdeu 900 de seus homens. Entre os feridos estava o coronel William Seward Jr., filho do secretário de Estado de Lincoln, que se feriu quando seu cavalo caiu após ser baleado. The Confederates inflicted pain on another Cabinet family when they sacked and burned the estate of Montgomery Blair, Lincoln’s postmaster general.

One day after the Rebel victory at Monocacy, Welles learned that a neighbor’s son had been captured by Confederate pickets inside the District of Columbia.

But Wallace was correct in claiming that Union resistance at Monocacy Junction had bought critical time. After sending Ricketts’s division to Baltimore, Grant dispatched additional troops—the remainder of the VI Corps under Maj. Gen. Horatio G. Wright and the XIX Corps that had just returned from Louisiana—to assist in the defense of the nation’s capital.

“The Rebels are upon us,” Welles recorded in his diary July 11. As Early approached Fort Stevens, on the Seventh Street Road in the northern reaches of the District, he hoped to mount a surprise attack and take the stronghold by storm. But as his troops gathered for the assault, Early and his commanders “saw a cloud of dust in the rear of the works toward Washington.” The Union reinforcements Grant dispatched had arrived. Before long, columns of Federal troops fled into Fort Stevens. Artillery and skirmishers deployed. Without the element of surprise working in his favor, Early chose to wait.

Early had other reasons to hesitate. Weeks of marching and battle had weakened the host massed before Fort Stevens. Dust and intense heat on the road from Monocacy Junction made matters worse, and Early lost some troops to sunstroke as he approached Washington. Many of his fighters lacked shoes, and casualties incurred at Lynchburg and Monocacy had reduced the number of Rebels under arms. Meanwhile, newspaper reports indicated that Gen. Hunter was headed back by way of the Ohio River and would soon be at Harpers Ferry.

After consulting with his commanders on the evening of July 11, Early decided to attack the next day. But as dawn broke and he surveyed the scene before him, he realized how unfavorable his prospects had become. Early spied Union troops at the parapets of Fort Stevens, and had received reports that Grant was sending more reinforcements. With the Capitol dome in view, Early concluded that, although he had “given the Federal authorities a terrible fright,” he was not going to capture Washington.

Nevertheless, the Rebels engaged with Federal troops over the course of two days. As at First Bull Run, the fighting drew the curious from the city, who lined nearby hills, climbed into trees and perched on fences to watch the battle unfold. Among those drawn to the action was Lincoln, who made two visits to Fort Stevens and was roughly told by someone in blue—possibly future Supreme Court Justice Oliver Wendell Holmes Jr.—to get out of the line of fire.

Lincoln survived the skirmishing at Fort Stevens and prospered at the polls that November. Frémont abandoned his bid for the White House in September. Wallace went on to a distinguished career as an author and diplomat, serving as U.S. minister to Turkey. After failing to seize Washington or win the freedom of Southern POWs at Point Lookout, Early retreated into Virginia and continued to fight until he was relieved of command weeks before the surrender at Appomattox. He died in 1894, unreconciled to the Southern defeat but comforted by the knowledge that he had terrified Washington 30 years before.

Journalist Robert B. Mitchell has written about the Trent Affair, the Underground Railroad and Davis County, Iowa for America’s Civil War. He loves bluegrass, as long as he doesn’t have to cut it.

Originally published in the July 2014 issue of America’s Civil War. Para se inscrever, clique aqui.


Ближайшие родственники

About Lt. General Jubal Early (CSA)

The profile picture, original is in the Special Collections at the Library of Congress.

Jubal Anderson Early (November 3, 1816 – March 2, 1894) was a lawyer and Confederate general in the American Civil War. He served under Stonewall Jackson and then Robert E. Lee for almost the entire war, rising from regimental command to lieutenant general and the command of an infantry corps in the Army of Northern Virginia. He was the Confederate commander in key battles of the Valley Campaigns of 1864, including a daring raid to the outskirts of Washington, D.C. The articles written by him for the Southern Historical Society in the 1870s established the Lost Cause point of view as a long-lasting literary and cultural phenomenon.

Early was born in Franklin County, Virginia, third of ten children of Ruth Hairston and Joab Early. He graduated from the United States Military Academy in 1837, ranked 18th of 50. During his tenure at the Academy he was engaged in a dispute with a fellow cadet named Lewis Addison Armistead. Armistead broke a mess plate over Early's head, an incident that prompted Armistead's resignation from the Academy. After graduating from the Academy, Early fought against the Seminole in Florida as a second lieutenant in the 3rd U.S. Artillery regiment before resigning from the Army for the first time in 1838. He practiced law in the 1840s as a prosecutor for both Franklin and Floyd Counties in Virginia. He was noted for a case in Mississippi, where he beat the top lawyers in the state. His law practice was interrupted by the Mexican-American War from 1846�. He served in the Virginia House of Delegates from 1841�.

Early was a Whig and strongly opposed secession at the April 1861 Virginia convention for that purpose. However, he was soon aroused by the actions of the Federal government when President Abraham Lincoln called for 75,000 volunteers to suppress the rebellion. He accepted a commission as a brigadier general in the Virginia Militia. He was sent to Lynchburg, Virginia, to raise three regiments and then commanded one of them, the 24th Virginia Infantry, as a colonel in the Confederate States Army.

Early was promoted to brigadier general after the First Battle of Bull Run (or First Manassas) in July 1861. In that battle, he displayed valor at Blackburn's Ford and impressed General P.G.T. Beauregard. He fought in most of the major battles in the Eastern Theater, including the Seven Days Battles, Second Bull Run, Antietam, Fredericksburg, Chancellorsville, Gettysburg, and numerous battles in the Shenandoah Valley. During the Gettysburg Campaign, Early's Division occupied York, Pennsylvania, the largest Northern town to fall to the Rebels during the war.

Early was trusted and supported by Robert E. Lee, the commander of the Army of Northern Virginia. Lee affectionately called Early his "Bad Old Man," because of his short temper. He appreciated Early's aggressive fighting and ability to command units independently. Most of Early's soldiers referred to him as "Old Jube" or "Old Jubilee" with enthusiasm and affection. His subordinate generals often felt little affection. Early was an inveterate fault-finder and offered biting criticism of his subordinates at the least opportunity. He was generally blind to his own mistakes and reacted fiercely to criticism or suggestions from below.

Early was wounded at Williamsburg in 1862, while leading a charge against staggering odds.

He convalesced at his home in Rocky Mount, Virginia. In two months, he returned to the war, under the command of Maj. Gen. Thomas J. "Stonewall" Jackson, in time for the Battle of Malvern Hill. There, Early demonstrated his career-long lack of aptitude for battlefield navigation and his brigade was lost in the woods it suffered 33 casualties without any significant action. In the Northern Virginia Campaign, Early was noted for his performance at the Battle of Cedar Mountain and arrived in the nick of time to reinforce Maj. Gen. A.P. Hill on Jackson's left on Stony Ridge in the Second Battle of Bull Run.

At Antietam, Early ascended to division command when his commander, Alexander Lawton, was wounded. Lee was impressed with his performance and retained him at that level. At Fredericksburg, Early saved the day by counterattacking the division of Maj. Gen. George G. Meade, which penetrated a gap in Jackson's lines. He was promoted to major general on January 17, 1863. At Chancellorsville, Lee gave him a force of 5,000 men to defend Fredericksburg at Marye's Heights against superior forces (two corps) under Maj. Gen. John Sedgwick. Early was able to delay the Union forces and pin down Sedgwick while Lee and Jackson attacked the remainder of the Union troops to the west. Sedgwick's eventual attack on Early up Marye's Heights is sometimes known as the Second Battle of Fredericksburg.

During the Gettysburg Campaign, Early commanded a division in the corps of Lt. Gen. Richard S. Ewell. His troops were instrumental in defeating Union defenders at Winchester, capturing a number of prisoners, and opening up the Shenandoah Valley for Lee's oncoming forces. Early's division, augmented with cavalry, eventually marched eastward across the South Mountain range in Pennsylvania, seizing vital supplies and horses along the way. He captured Gettysburg on June 26 and demanded a ransom, which was never paid. Two days later, he entered York County and seized York, the largest Northern town to fall to the Confederates during the war. Here, his ransom demands were partially met, including a payment of $28,000 in cash. Elements of Early's command on June 28 reached the Susquehanna River, the farthest east in Pennsylvania that any organized Confederate force would penetrate. On June 30, Early was recalled as Lee concentrated his army to meet the oncoming Federals.

Approaching Gettysburg from the northeast on July 1, 1863, Early's division was on the leftmost flank of the Confederate line. He soundly defeated Brig. Gen. Francis Barlow's division (part of the Union XI Corps), inflicting three times the casualties to the defenders as he suffered, and drove the Union troops back through the streets of town, capturing many of them. In the second day at Gettysburg, he assaulted East Cemetery Hill as part of Ewell's efforts on the Union right flank. Despite initial success, Union reinforcements arrived to repulse Early's two brigades. On the third day, Early detached one brigade to assist Maj. Gen. Edward "Allegheny" Johnson's division in an unsuccessful assault on Culp's Hill. Elements of Early's division covered the rear of Lee's army during its retreat from Gettysburg on July 4 and July 5.

Early served in the Shenandoah Valley over the winter of 1863�. During this period, he occasionally filled in as corps commander during Ewell's absences for illness. On May 31, 1864, Lee expressed his confidence in Early's initiative and abilities at higher command levels, promoting him to the temporary rank of lieutenant general.

Upon his return from the Valley, Early fought in the Battle of the Wilderness and assumed command of the ailing A.P. Hill's Third Corps during the march to intercept Lt. Gen. Ulysses S. Grant at Spotsylvania Court House. At Spotsylvania, Early occupied the relatively quiet right flank of the Mule Shoe. At the Battle of Cold Harbor, Lee replaced the ineffectual Ewell with Early as commander of the Second Corps.

Early's most important service was that summer and fall, in the Valley Campaigns of 1864, when he commanded the Confederacy's last invasion of the North. As Confederate territory was rapidly being captured by the Union armies of Grant and Maj. Gen. William Tecumseh Sherman, Lee sent Early's corps to sweep Union forces from the Shenandoah Valley and to menace Washington, D.C., hoping to compel Grant to dilute his forces against Lee around Richmond and Petersburg, Virginia.

Early delayed his march for several days in a futile attempt to capture a small force under Franz Sigel at Maryland Heights near Harpers Ferry. He rested his men from July 4 through July 6. Although elements of his army would eventually reach the outskirts of Washington at a time when it was largely undefended, his delay at Maryland Heights prevented him from being able to attack the capital.

During the time of Early's Maryland Heights campaign, Grant sent two VI Corps divisions from the Army of the Potomac to reinforce Union Maj. Gen. Lew Wallace. With 5,800 men, he delayed Early for an entire day at the Battle of Monocacy, allowing more Union troops to arrive in Washington and strengthen its defenses. Early's invasion caused considerable panic in Washington and Baltimore, and he was able to get to the outskirts of Washington. He sent some cavalry under Brig. Gen. John McCausland to the west side of Washington.

Knowing that he did not have sufficient strength to capture the city, Early led skirmishes at Fort Stevens and Fort DeRussy. The opposing forces also had artillery duels on July 11 and July 12. Abraham Lincoln watched the fighting on both days from the parapet at Fort Stevens, his lanky frame a clear target for hostile military fire. After Early withdrew, he said to one of his officers, "Major, we haven't taken Washington, but we scared Abe Lincoln like hell."

Early crossed the Potomac into Leesburg, Virginia, on July 13 and then withdrew to the Valley. He defeated the Union army under Brig. Gen. George H. Crook at Kernstown on July 24, 1864. Six days later, he ordered his cavalry to burn the city of Chambersburg, Pennsylvania, in retaliation for Maj. Gen. David Hunter's burning of the homes of several prominent Southern sympathizers in Jefferson County, West Virginia earlier that month. Through early August, Early's cavalry and guerrilla forces attacked the B&O Railroad in various places.

Realizing Early could easily attack Washington, Grant sent out an army under Maj. Gen. Philip Sheridan to subdue his forces. At times outnumbering the Confederates three to one, Sheridan defeated Early in three battles, starting in early August, and laid waste to much of the agricultural properties in the Valley. He ensured they could not supply Lee's army. In a brilliant surprise attack, Early routed two thirds of the Union army at the Battle of Cedar Creek on October 19, 1864. In his post-battle dispatch to Lee, Early claimed that his troops were hungry and exhausted and fell out of their ranks to pillage the Union camp. This allowed Sheridan critical time to rally his demoralized troops and turn their morning defeat into victory over the Confederate Army that afternoon. One of Early's key subordinates, Maj. Gen. John B. Gordon, in his 1904 memoirs, attested that it was Early's decision to halt the attack for six hours in the early afternoon, and not disorganization in the ranks, that led to the rout that took place in the afternoon.

Most of the men of Early's corps rejoined Lee at Petersburg in December, while Early remained in the Valley to command a skeleton force. When his force was nearly destroyed at Waynesboro, Early barely escaped capture with a few members of his staff. Lee relieved Early of his command in March 1865, because he doubted Early's ability to inspire confidence in the men he would have to recruit to continue operations. He wrote to Early of the difficulty of this decision:

"While my own confidence in your ability, zeal, and devotion to the cause is unimpaired, I have nevertheless felt that I could not oppose what seems to be the current of opinion, without injustice to your reputation and injury to the service. I therefore felt constrained to endeavor to find a commander who would be more likely to develop the strength and resources of the country, and inspire the soldiers with confidence. . [Thank you] for the fidelity and energy with which you have always supported my efforts, and for the courage and devotion you have ever manifested in the service . & quot

– Robert E. Lee, letter to Early

.When the Army of Northern Virginia surrendered on April 9, 1865, Early escaped to Texas by horseback, where he hoped to find a Confederate force still holding out. He proceeded to Mexico, and from there, sailed to Cuba and Canada. Living in Toronto, he wrote his memoir, A Memoir of the Last Year of the War for Independence, in the Confederate States of America, which focused on his Valley Campaign. The book was published in 1867.

Early was pardoned in 1868 by President Andrew Johnson, but still remained an unreconstructed rebel. In 1869, he returned to Virginia and resumed the practice of law. He was among the most vocal of those who promoted the Lost Cause movement. He criticized the actions of Lt. Gen. James Longstreet at Gettysburg. Together with retired General P.G.T. Beauregard, Early was involved with the Louisiana Lottery.

At the age of 77, after falling down a flight of stairs, Early died in Lynchburg, Virginia. He was buried in the local Spring Hill Cemetery.

Tablet honoring Jubal Early, Rocky Mount, VirginiaEarly's original inspiration for his views on the Lost Cause may have come from General Robert E. Lee. In Lee's published farewell order to the Army of Northern Virginia, the general spoke of the "overwhelming resources and numbers" that the Confederate army fought against. In a letter to Early, Lee requested information about enemy strengths from May 1864 to April 1865, the period in which his army was engaged against Lt. Gen. Ulysses S. Grant (the Overland Campaign and the Siege of Petersburg). Lee wrote, "My only object is to transmit, if possible, the truth to posterity, and do justice to our brave Soldiers." Lee requested all "statistics as regards numbers, destruction of private property by the Federal troops, &c." because he intended to demonstrate the discrepancy in strength between the two armies. He believed it would "be difficult to get the world to understand the odds against which we fought." Referring to newspaper accounts that accused him of culpability in the loss, he wrote, "I have not thought proper to notice, or even to correct misrepresentations of my words & acts. We shall have to be patient, & suffer for awhile at least. . At present the public mind is not prepared to receive the truth." All of these were themes that Early and the Lost Cause writers would echo for decades.

Lost Cause themes were also taken up by memorial associations, such as the United Confederate Veterans and the United Daughters of the Confederacy. To some degree, this concept helped the (white) Southerners to cope with the dramatic social, political, and economic changes in the postbellum era, including Reconstruction.

Early's contributions to the Confederacy's final days were considered very significant. Some historians contend that he extended the war six to nine months because of his efforts at Washington, D.C., and in the Valley. The following quote summarizes an opinion held by his admirers:

"Honest and outspoken, honorable and uncompromising, Jubal A. Early epitomized much that was the Southern Confederacy. His self-reliance, courage, sagacity, and devotion to the cause brought confidence then just as it inspires reverence now".

– James I. Robertson, Jr., Alumni Distinguished Professor of History, Virginia Tech Member of the Board, Jubal A. Early Preservation Trust


Dick Cheney, Jubal Early and the Truth About Gettysburg

What the Lost Cause of the Confederacy can tell us about the debate over Iraq today.

There’s nothing so unseemly as the Washington blame game. We saw it 60 years ago, in the early 1950s, when Joe McCarthy accused Gen. George Marshall and Secretary of State Dean Acheson of turning China over to the communists. And we’ve seen it over the past few weeks, as Dick Cheney and Bill Clinton traded accusations over who was responsible for the debacle in Iraq.

But the mother of all blame games remains relatively unknown to most Americans, though it lasted for 100 years, involved the reputations of some of our nation’s most iconic figures and touched on our country’s most sensitive political and social issues—slavery, race and equal rights. And it’s still with us.

The story begins on Jan. 19, 1872, when former Confederate Gen. Jubal Early gave an address at Washington and Lee University celebrating the life of Robert E. Lee, who was born on that date and who had died two years earlier. Early extolled Lee’s genius. In fact, Early claimed, Lee’s Army of Northern Virginia would have won the Battle of Gettysburg, the turning point in the Civil War, if his orders had been obeyed. Early recounted the three-day battle, which raged from July 1 to July 3, 1863 (151 years ago this week), noting that after soundly beating the Union Army on July 1, Lee planned to attack it again with Gen. James Longstreet’s units at sunrise the next day. But that sunrise attack, Early noted ominously, had never taken place.

Exactly one year later, Confederate Gen. William Pendleton repeated and then expanded on Early’s allegation. Lee, according to Pendleton, had not only wanted to attack the Northern army at sunrise on July 2, but he’d given Longstreet explicit orders to do so. These orders, Pendleton said, were ignored. Pendleton then went on to argue that if Longstreet had not disobeyed Lee, the Battle of Gettysburg would have been won and, with it, Southern independence. If Longstreet had only followed orders, Pendleton added, Lee would not have been forced to attack the Union Army in their entrenchments with Pickett’s division on July 3, which, we all know, turned out to be a disaster for the South—forever memorialized as “the high-water mark of the Confederacy.”

So it was that “the sunrise attack order” of July 2, 1863, entered American history as a fact, and was treated as such for the next 100 years. In 1934, Lee biographer Douglas Southall Freeman, who had grown up near Early’s home in Lynchburg, Virginia, published his celebrated four-volume biography of Lee, which was awarded the Pulitzer Prize. In it, Freeman backed Early’s claim and speculated that Longstreet had disobeyed the sunrise attack order because his own “long cherished” plan for fighting the battle had been rejected. Instead of following Lee’s orders, wrote Freeman, Longstreet was stewing in his tent, “eating his heart away in sullen resentment.”

Very dramatic. Of course there is a glaring problem with all of this, which is that no one has ever found a copy of the order and no one who was present with Lee and Longstreet when Lee allegedly gave the order remembers him doing so. So, as historians have since learned, the reason Longstreet disobeyed Lee’s “sunrise attack order” is because, manifestly, Lee almost certainly never actually gave it.

So why say he did? The claims against Longstreet were made not because of what he did at Gettysburg, but because of what he did after it—or more properly, because of the political choices Longstreet made after Lee surrendered his bedraggled, defeated army at Appomattox in 1865. After Lee’s surrender, Longstreet moved to New Orleans, where he went into the cotton business. So far so good, but in 1868 Longstreet joined the Republican Party—then the party of the North—endorsed former Union Army Gen. Ulysses S. Grant for the presidency, attended his inauguration and received an appointment in Grant’s administration as the surveyor of customs at the port of New Orleans, a plum posting in those days. If that weren’t bad enough (for Grant was reviled in the South), in 1873 Longstreet commanded a New Orleans police force that faced off against a white mob protesting a local election. Part of his militia was composed of black troops.

It was in this context that Early and Pendleton were making their claims, Longstreet was being condemned as a “scalawag,” a collaborator with Yankee oppressors—or worse yet (at least in Southern eyes), an N-word lover.

Perhaps what stung the likes of Early and Pendleton even more was that Longstreet was not alone. Yes, while Longstreet’s acceptance of a position in a Republican administration might have been extreme (he’d known Grant well, before the war, his critics noted), he wasn’t the only former Confederate whose evolving political views were anathema to stalwart Southerners.

In parts of the Deep South, many former Confederates were beginning to make their peace with the North, vowing to build a more prosperous and socially equitable region. They weren’t exactly progressives, but they were willing to accommodate northern policies. They worked to implement the federal government’s land reform and educational programs to help former slaves. In their view, the war had decided the issue—and it was time to move forward. To them, Early and his cohorts were a kind of Confederate mafia, dead-enders who would, by dragging their heels, lead the South to ruin.

And so it was that former commanders of Longstreet’s First Corps came to his defense after Early and Pendleton made their claim—not simply because they knew Lee’s sunrise attack order was a complete fiction, but also because they understood and resented the politics behind the accusation.

James Kemper, a respected and progressive figure in Virginia politics (he supported civil rights protections and promoted educational reform aimed at educating former slaves) was one of those who refused to break with his former commander, as was George Pickett, whose division had led the catastrophic assault on the Union positions at Gettysburg on July 3, and who had great respect for Longstreet as a general. Longstreet, Pickett knew, had tried to dissuade Lee from ordering the charge—which he believed was fated to fail.

Longstreet had said precisely that, just hours before the assault, to Lee himself: “General,” he said, “I have been a soldier all my life. I have been with soldiers engaged in fights by couples, by squads, companies, regiments, divisions and armies, and should know, as well as any one, what soldiers can do. It is my opinion that no 15,000 men ever arranged for battle can take that position.”

Lee listened carefully to Longstreet, as he always had, but ordered the charge anyway. When it was finished, approximately 1,100 Confederate soldiers lay dead, another 4,000 were wounded and just over 3,700 were captured. It was a catastrophe—and Lee’s army never recovered. “That man murdered my division,” Pickett said of Lee after the war.

For Jubal Early partisans, this kind of talk hit a nerve. Longstreet and his defenders were not only traitors to the South, willing to accept loss and move on, they had been right about Gettysburg. And Lee, the great symbol of southern nobility, had been wrong.

What followed after the Early and Pendleton addresses was a flurry of charges and counter-charges over Gettysburg that played out in the nation’s dailies—and in the pages of the Virginia-based Artigos da Southern Historical Society. The influence of the Papéis was significant: It was one of the most respected publications in the South, a powerful tool in the hands of prominent ex-soldiers and an influential political voice in the region. It was also controlled by Early, an unabashed white supremacist. He kept doubts about Lee’s leadership out of the Papéis as long as he ran it.

The essence of Early’s argument was this: Although the South had been wrong to secede from the Union, the North had been wrong in its attempt to impose racial equality on the region during Reconstruction. And the North had only won the war, he argued, because of its overwhelming numbers. In a fair fight, the South—ever noble and chivalrous—would have been victorious. The patron saints of this “Lost Cause” theory were Lee and the martyred Confederate General Stonewall Jackson, who had died—after being shot by friendly fire—during the war.

While most Americans might now shake their heads at such reverence, the views of Early and his followers are still widely circulated in certain quarters. When I offhandedly, but foolishly, noted in a 1999 meeting of Virginia historians in Richmond that Jackson had fallen asleep during the Battle of Gaines’ Mill (he was a notorious sleeper, nodding off at odd times—and sometimes in the middle of chewing his food), I was nearly hissed from the room. Later, a colleague approached me shaking his head, and making sure no one could overhear him: “Don’t you know that Stonewall Jackson died for our sins?” ele perguntou.

It’s impossible to exaggerate the influence of Jubal Early’s Virginia mafia. Its Lost Cause vision of the South—a region of swaying oaks and mint juleps that fought valiantly against overwhelming odds to salvage its culture, only to have it overrun during Reconstruction by thieving Northern carpetbaggers and their uppity and gullible black political allies—permeated academia (in the writings of Columbia University Professor William Archibald Dunning and “Dunning School” adherents), Hollywood films ( Birth of a Nation) and novels ( E o Vento Levou) for decades. Historians now call it the “myth of the Lost Cause” for good reason. It’s bunk. But it’s bunk that has taken a long time to debunk.

The real shift in thinking about Lee, Gettysburg and Longstreet didn’t come until 100 years later—during the avalanche of monographs, papers and books that accompanied the celebration of the Civil War Centennial, in the early 1960s. Many of these historical researchers focused more clearly on Early, who, it turns out, fought poorly at Gettysburg, was later given the job of defending the Shenandoah Valley with his army and was dismissed by Lee when he returned without it. And historians also noted that William Pendleton (“granny Pendleton” as he was derisively called due to his forgetfulness and shuffling gait) had actually removed a part of Lee’s artillery at a crucial moment prior to Pickett’s charge. Both men had plenty of reasons for blaming the Gettysburg loss on Longstreet, not least because doing so would divert attention from their own considerable mistakes.

But it is one thing to undo a military theory and quite another to unravel a cultural myth—to reveal the dark side hidden behind the veneer of hoop skirts and lilting drawls. The process began in 1955, when historian C. Vann Woodward published The Strange Career of Jim Crow, which repudiated Dunning’s views and attacked the Lost Cause myth. Martin Luther King Jr. later called Woodward’s book “the Bible of the Civil Rights Movement.”

The most important recent work on the era has been done by Professor Douglas Egerton, whose As guerras de reconstrução, goes further than any previous work on the topic. Reconstruction was not an attempt by the North to subjugate the South, Egerton writes, but an attempt to carry through the social and political revolution begun by the Emancipation Proclamation and sealed by Lee’s defeat. Reconstruction was a progressive revolution that was opposed and undone by powerful Southern forces, including white supremacists, the inheritors of and true believers in Jubal Early’s mythic Lost Cause. “Reconstruction did not fail,” Edgerton writes, “it was violently overthrown.”

Today, 151 years after Lee’s defeat at Gettysburg, 148 years after the end of a Civil War that took more than 630,000 American lives, 143 years after Jubal Early made his first “sunrise attack order” allegation—and 49 years after Lyndon Johnson signed the Voting Rights Act, the sunrise attack order retains its power among a small sect of last-ditch Southerners who celebrate the Lost Cause as a noble enterprise undone by “traitors” like Longstreet. Yet, while they remain past persuading, most everyone else has come around—and even an allegation that was accepted as fact for 100 years is finally being seen for the falsehood it is.

It is for this reason that Dick Cheney and Bill Clinton should be advised to take great care in what they say. For while finger-pointing can yield important short-term political benefits, history always gets it right.


Assista o vídeo: Jubal - Through Flesh and Bone Full EP (Junho 2022).


Comentários:

  1. Foley

    Nele algo está. Obrigado pela ajuda, como posso agradecer?

  2. Azaryah

    Peço desculpas, mas não se aproxima absolutamente de mim.

  3. Lauriano

    Respeito ao autor e muito obrigado !!!

  4. Kazilar

    Que ótima pergunta

  5. Matchitisiw

    Que frase divertida

  6. Colyn

    Na minha opinião, ele está errado. Tenho certeza.

  7. Powwaw

    Sinto muito, mas, em minha opinião, você está enganado. Eu posso defender a posição. Escreva para mim em PM, vamos nos comunicar.

  8. Betlic

    É uma pena, que agora não posso expressar - é obrigado a sair. Mas voltarei - necessariamente escreverei o que penso sobre essa questão.



Escreve uma mensagem