Podcasts de história

Harry Houdini

Harry Houdini


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Erik Weisz, filho de um rabino, nasceu em Budapeste, Áustria-Hungria, em 24 de Budapeste, 1874. A família emigrou para os Estados Unidos e se estabeleceu em Appleton, Wisconsin.

Ainda muito jovem, tornou-se trapezista em circos. No entanto, na virada do século, ele mudou seu nome para Harry Houdini e logo se tornou conhecido por seus ousados ​​feitos de desencarceramento. Isso incluía escapar de qualquer tipo de vínculo ou contêiner, desde celas de prisão até caixas subaquáticas trancadas com cadeado. Ele se tornou mundialmente famoso quando exibiu suas habilidades em vários filmes.

Houdini escreveu dois livros sobre magia, Miracle Mongers e seus métodos (1920) e Um mágico entre os espíritos (1924). Harry Houdini morreu de peritonite em 31 de outubro de 1926, como resultado de um soco no estômago.

O único mágico do mundo que escapa de todas as algemas, algemas nas pernas, cintos insanos e jaquetas de força depois de ser totalmente despido. Boca selada e minuciosamente examinada da cabeça aos pés, provando que ele não carrega chaves, molas, fios ou acessórios escondidos.


Harry Houdini

Harry Houdini, nascido Ehrich Weiss em 6 de abril de 1874, em Budapeste, Hungria, era filho do Dr. Mayer Samuel Weiss, um rabino judeu, e Cecilia Steiner Weiss. Ele mudou legalmente seu nome em 1913. Houdini é considerado um dos mágicos mais influentes do século XX. Sua especialidade era qualquer tipo de fuga, incluindo escorregar de cordas, correntes e algemas trancado em baús e latas de leite ou submerso na água. Houdini se tornou mundialmente famoso por barnstorming pela América e ao redor do mundo. Ele morreu em 31 de outubro de 1926, aos 52 anos de idade, depois que seu apêndice rompeu e começou a peritonite. Houdini teve pouca educação formal, mas sua auto-educação foi uma busca por toda a vida. & # 34Minha mente, & # 34 ele é freqüentemente citado como dizendo, & # 34é a chave que me liberta. & # 34 Quando Houdini tinha seis anos, ele já havia desenvolvido um gosto pela magia e prestidigitação. Seu primeiro truque foi fazer uma ervilha seca aparecer em qualquer uma das três xícaras. Quando menino, ele passava o tempo praticando acrobacias e fazendo bicos como vendedor de jornais e engraxate. Quando Harry tinha nove anos, um circo chegou à cidade. Ele mostrou ao empresário seus truques e o homem ficou tão impressionado com o talento de Harry em se soltar das amarras e pegar alfinetes com as pálpebras, que o contratou para se apresentar enquanto o circo estava na cidade. Aos 11 anos, Houdini começou a trabalhar para um chaveiro local e logo conseguiu arrombar qualquer fechadura. Depois de ler um livro de memórias do famoso mágico francês Houdin, Houdini decidiu segui-lo em sua carreira. Com um amigo chamado Hayman, ele fundou os Irmãos Houdini, em homenagem ao francês. Quando Hayman e Harry se separaram, o irmão de Harry, Theodore, tornou-se seu parceiro. Inicialmente, a carreira mágica de Harry teve pouco sucesso, mas em 1893, aos 19 anos, ele conheceu a também performer Wilhelmina Beatrice (Bess) e se casou com ela após um namoro de três semanas. Depois que Houdini lhe ensinou os princípios da conjuração e da leitura da mente, Bess trabalhou como assistente de palco pelo resto de sua carreira artística. Houdini inicialmente se concentrou em cartas e outros atos de cartas tradicionais. Em um ponto, ele se autodenominou o & # 34Re das cartas. & # 34 Uma de suas ilusões de palco mais notáveis ​​foi realizada em 1918 no palco bem iluminado do Hipódromo na cidade de Nova York. Lá Houdini fez um elefante de 10.000 libras desaparecer. Quando Houdini disparou uma pistola, Jennie, o Elefante, desapareceu de vista e a multidão enlouqueceu. Houdini logo começou a experimentar mais atos de fuga. Sua grande chance veio em 1899, quando conheceu o showman Martin Beck. Impressionado com o número de algemas de Houdini, Beck o aconselhou a se concentrar em atos de fuga e o registrou no circuito Orpheum Vaudeville. Em poucos meses, Houdini estava se apresentando nas melhores casas de vaudeville do país. Em 1900, ele viajou para a Europa para se apresentar. Quando voltou, em 1904, havia se tornado uma sensação. Entre os anos de 1904 e 1920, Houdini se apresentou em todos os EUA com grande sucesso. Em 1913, ele introduziu talvez seu ato mais famoso de todos, a Célula de Tortura da Água Chinesa, na qual foi suspenso de cabeça para baixo em um gabinete de vidro e aço trancado cheio de água até o topo. Muitas de suas fugas foram originalmente realizadas atrás das cortinas, com ele saindo livre no final. No entanto, Houdini descobriu que o público ficava mais impressionado e entretido quando as cortinas eram eliminadas, para que pudessem vê-lo lutar para sair. Em mais de uma ocasião, ele realizou sua fuga em camisa de força, pendurado de cabeça para baixo no telhado de um edifício para aumentar o efeito dramático e para a emoção absoluta dos espectadores. Em 1919, Houdini assinou um contrato com o produtor de cinema B.A. Rolfe, para estrelar seu seriado de 15 partes, & # 34The Master Mystery. & # 34 No entanto, dificuldades financeiras resultaram na falência de Rolfe. Houdini foi então contratado pela Famous Players-Lasky Corporation, para quem fez dois filmes antes de abrir sua própria produtora de filmes. Chamado de & # 34Houdini Picture Corporation & # 34, ele produziu e estrelou três filmes. Embora o sucesso no cinema o tenha evitado e ele tenha desistido do negócio em 1923, sua fama se espalhou tanto que, anos depois, ele ganhou uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood. Na década de 1920, após a morte de sua amada mãe, Houdini voltou suas energias para desmascarar médiuns e autoproclamados médiuns. O treinamento em magia de Houdini permitiu-lhe expor fraudes que haviam enganado muitos cientistas e leigos. Houdini era membro de um comitê & # 34Scientific American & # 34 que oferecia um prêmio em dinheiro a qualquer médium que pudesse demonstrar habilidades sobrenaturais com sucesso. Graças aos esforços de Houdini, o prêmio nunca foi coletado. Houdini começou a frequentar as sessões disfarçado, acompanhado por um repórter e um policial. Possivelmente, a médium mais famosa que ele desmascarou foi a espiritualista de Boston Mina Crandon, também conhecida como & # 34Margery. & # 34 Houdini morreu de peritonite devido a uma ruptura de apêndice quando recebeu um golpe surpresa no abdômen do estudante de boxe J. Gordon Whitehead em Montreal duas semanas antes. Foi uma parte de longa data do ato de Houdini desviar esses golpes. Mas Houdini estava reclinado em seu sofá após sua apresentação, neste caso, e foi atingido várias vezes, sem chance de se preparar. Apesar da crença popular, foi a apendicite e não o golpe a causa de sua morte, embora se pense que a dor infligida pelos golpes pode ter mascarado a dor da apendicite, que impediu Houdini de procurar tratamento. O funeral de Houdini foi realizado em 4 de novembro de 1926, em Nova York, com mais de 2.000 pessoas presentes. Seus restos mortais foram enterrados no Cemitério Machpelah, Queens, Nova York, com o brasão da Sociedade dos Magos Americanos inscrito no túmulo. A sociedade realiza sua cerimônia & # 34Broken Wand & # 34 no túmulo no aniversário de sua morte até hoje. Pouco antes de sua morte, Houdini fez um pacto com sua esposa para contatá-la do outro lado, se possível, e entregar uma mensagem codificada previamente combinada. Todo Halloween durante os próximos 10 anos, Bess realizou uma sessão espírita em um esforço para entrar em contato com seu marido. Em 1936, depois de uma última sessão sem sucesso no telhado do Knickerbokker Hotel, ela apagou a vela que mantinha acesa ao lado de uma foto de Houdini desde sua morte. Mais tarde, ela foi citada como tendo dito: "Dez anos é tempo suficiente para esperar por qualquer homem."


Infância de Houdini

Ao longo de sua vida, Houdini propagou muitas lendas sobre seu início, que foram repetidas com tanta frequência que tem sido difícil para os historiadores reunir a verdadeira história da infância de Houdini. No entanto, acredita-se que Harry Houdini nasceu Ehrich Weisz em 24 de março de 1874, em Budapeste, Hungria. Sua mãe, Cecilia Weisz (neé Steiner), teve seis filhos (cinco meninos e uma menina), dos quais Houdini era o quarto filho. O pai de Houdini, o rabino Mayer Samuel Weisz, também tinha um filho de um casamento anterior.

Com as condições parecendo sombrias para os judeus na Europa Oriental, Mayer decidiu emigrar da Hungria para os Estados Unidos. Ele tinha um amigo que morava na pequena cidade de Appleton, Wisconsin, e então Mayer mudou-se para lá, onde ajudou a formar uma pequena sinagoga. Cecilia e os filhos logo seguiram Mayer para a América quando Houdini tinha cerca de quatro anos. Ao entrar nos EUA, os funcionários da imigração mudaram o nome da família de Weisz para Weiss.

Infelizmente para a família Weiss, a congregação de Mayer logo decidiu que ele era muito antiquado para eles e o deixou ir depois de apenas alguns anos. Apesar de ser capaz de falar três idiomas (húngaro, alemão e iídiche), Mayer não falava inglês - uma séria desvantagem para um homem que tentava encontrar um emprego na América. Em dezembro de 1882, quando Houdini tinha oito anos, Mayer mudou-se com a família para a cidade muito maior de Milwaukee, na esperança de melhores oportunidades.

Com a família em dificuldades financeiras, os filhos conseguiram empregos para ajudar no sustento da família. Isso incluía Houdini, que fazia biscates vendendo jornais, engraxando sapatos e realizando tarefas. Em seu tempo livre, Houdini lia livros da biblioteca sobre truques de mágica e movimentos contorcionistas. Aos nove anos, Houdini e alguns amigos estabeleceram um circo de cinco centavos, onde ele usava meias de lã vermelha e se autodenominava "Ehrich, Príncipe do Ar". Aos onze anos, Houdini trabalhou como aprendiz de serralheiro.

Quando Houdini tinha cerca de 12 anos, a família Weiss mudou-se para a cidade de Nova York. Enquanto Mayer ensinava hebraico aos alunos, Houdini encontrou um emprego cortando tecidos em tiras para gravatas. Apesar de trabalhar muito, a família Weiss sempre teve pouco dinheiro. Isso forçou Houdini a usar sua inteligência e confiança para encontrar maneiras inovadoras de ganhar um pouco de dinheiro extra.

Em seu tempo livre, Houdini provou ser um atleta nato, que gostava de correr, nadar e andar de bicicleta. Houdini até recebeu várias medalhas em competições de cross-country.


Quem Quer Assassinar Harry Houdini?

No mundo cruel de mágicos e médiuns, Harry Houdini fez inimigos.

Ele acumulou tanta má vontade na época de sua misteriosa morte, na verdade, que algumas pessoas suspeitaram que ele tinha sido envenenado por médiuns cujas alegações ele desmascarava regularmente.

A causa da morte de Houdini & rsquos & mdash neste dia, Halloween, em 1926 & mdash foi oficialmente uma combinação de apendicite e peritonite, uma infecção do revestimento abdominal. Mas seu início foi rápido e surpreendente no de 52 anos de idade, de outra forma saudável, conhecido por sua força sobre-humana e a habilidade de escapar de todas as dificuldades em que se encontrava & mdash, incluindo ser enterrado vivo, um dos quatro & ldquoclose-ups com a morte & rdquo de sua carreira, de acordo com um New York Vezes história.

o Vezes relataram uma série de eventos bizarros que levaram à infecção fatal, incluindo uma enxurrada de socos no estômago de um estudante universitário que queria testar a força dos músculos abdominais de Houdini. Embora um médico tenha lhe dito que seu apêndice provavelmente havia rompido, Houdini se apresentou em um show programado em vez de se submeter a uma cirurgia imediata, revela seu obituário.

Logo surgiu a teoria de que sua morte não foi acidental, e o boato continuou. Ainda em 2008, Houdini e rsquos sobrinho-neto pediram permissão para exumar seu corpo e fazer um teste de veneno, observando que o mago franco havia dado a muitas pessoas o motivo do assassinato.

Além de ser um mestre em fuga que se livrou de algemas e camisas de força, prisões e celas acolchoadas, uma bolsa de correio de couro e uma lata gigante de leite cheia de água, Houdini era um crítico acérrimo dos clarividentes que acreditava estarem fraudando o público. Ele denunciou médiuns famosos como membros da Americano científico Committee on Psychic Phenomena em 1924, como a TIME relatou, e passou a recriar seus truques antes de seu próprio público mais tarde.

Em 1926, ele testemunhou perante o Congresso a favor de um projeto de lei para regulamentar médiuns e videntes, pelos quais mostrou ceticismo e desprezo. Era fácil ver por que eles queriam que ele ficasse fora do caminho.

Apesar de sua suspeita de espíritos, ele não descartou a possibilidade de se comunicar com os espíritos. Ele e sua esposa concordaram que, quando um deles morresse, eles deveriam tentar entrar em contato com o outro, qualquer que fosse o mundo em que se encontrassem.

Wilhelmina Houdini cumpriu sua parte no trato: por mais de três anos após sua morte, ela tentou fazer contato. E embora vários supostos espiritualistas tenham dito a ela que eles haviam recebido mensagens de seu marido, era fácil dizer que eram falsos, de acordo com um despacho de 1930 da TIME: & ldquoShe e Houdini pré-arranjaram um código, no qual nenhum médium ainda trouxe palavra dele. & rdquo

Finalmente ela desistiu, interpretando o silêncio dele como um sinal de que o mundo espiritual não existe - ou, pelo menos, não fala. Os inimigos psíquicos de Houdini, por outro lado, interpretaram isso como um sinal de que ele continuava a ofendê-los desde o além-túmulo.

De acordo com TIME: & ldquoSpiritualists replicou que não provou nada. Alguns até acusaram o espírito de Houdini de ser teimoso. & Rdquo

Leia mais sobre a conclusão da Sra. Houdini & # 8217s, aqui nos arquivos da TIME & # 8217s: Houdini, Doyle


Biografia [editar | editar fonte]

Harry Houdini nasceu em Budapeste, Áustria-Hungria, em 24 de março de 1874. Seus pais eram Rabino Mayer Sámuel Weisz (1829–1892) e Cecília Weisz (nascida Steiner 1841–1913). Houdini foi um dos sete filhos: Herman M. (1863–1885) que era meio-irmão de Houdini, pelo primeiro casamento do rabino Weisz, Nathan J. (1870–1927) Gottfried William (1872–1925) Theodore "Theo" (1876–1945 ) Leopold D. (1879–1962) e Carrie Gladys (nascida em 1882–1959) que ficou quase cega após um acidente ocorrido durante sua infância.

Weisz chegou aos Estados Unidos em 3 de julho de 1878, no SS Fresia com sua mãe (que estava grávida) e seus quatro irmãos. [7] A família mudou a grafia húngara de seu sobrenome alemão para Weiss (a grafia alemã) e o nome de Erik foi alterado para Ehrich. Os amigos o chamavam de "Ehrie" ou "Harry".

Eles viveram primeiro em Appleton, Wisconsin, onde seu pai serviu como Rabino da Congregação Judaica da Reforma de Zion.

De acordo com o censo de 1880, a família morava na Appleton Street. Em 6 de junho de 1882, o Rabino Weiss tornou-se cidadão americano. Perdendo seu mandato em Zion em 1887, o Rabino Weiss mudou-se com Ehrich para a cidade de Nova York, onde moraram em uma pensão na East 79th Street. O resto da família juntou-se a ele assim que o rabino Weiss encontrou um alojamento permanente. Quando criança, Ehrich Weiss conseguiu vários empregos, fazendo sua estreia pública como um trapezista de 9 anos, chamando a si mesmo de "Ehrich, o Príncipe do Ar". Ele também foi campeão de cross country na juventude. Quando Weiss se tornou um mágico profissional, ele começou a se chamar de "Harry Houdini" em homenagem ao mágico francês Jean Eugène Robert-Houdin após ler a autobiografia de Robert-Houdin em 1890. Weiss erroneamente acreditava que um i no final de um nome significava "como" em Francês. Mais tarde na vida, Houdini afirmou que a primeira parte de seu novo nome, Harry, era uma homenagem a Harry Kellar, a quem ele também admirava. [Carece de fontes?]

Depois de muita pesquisa, em 1908 Houdini publicou The Unmasking of Robert-Houdin, no qual chamava seu antigo ídolo de mentiroso e de fraude por ter reivindicado a invenção de autômatos e efeitos como suspensão aérea que já existiam há muitos anos.

Houdini era um maçom ativo e membro da Loja St. Cecile # 568 na cidade de Nova York

Em 1918, ele se inscreveu para o serviço seletivo como Harry Handcuff Houdini.

Ele começou sua carreira mágica em 1891, mas teve pouco sucesso. Ele se apresentou em museus e shows paralelos, e até dobrou como "O Homem Selvagem" em um circo. Houdini se concentrou inicialmente em truques de cartas tradicionais. Em um ponto, ele se autodenominou o "Rei das Cartas". Ele logo começou a experimentar atos de fuga.

Em 1893, enquanto se apresentava com seu irmão "Dash" (Theodore) em Coney Island como "Os Irmãos Houdini", Harry conheceu uma colega performer, Wilhelmina Beatrice "Bess" Rahner. Bess foi inicialmente cortejada por Dash, mas ela e Houdini se casaram em 1894, com Bess substituindo Dash no ato, que ficou conhecido como "The Houdinis". Pelo resto da carreira artística de Houdini, Bess trabalhou como seu assistente de palco.

A grande chance de Houdini veio em 1899, quando ele conheceu o empresário Martin Beck em St. Paul, Minnesota. Impressionado com o ato de algemas de Houdini, Beck o aconselhou a se concentrar em atos de fuga e o registrou no circuito de vaudeville de Orpheum. Em poucos meses, ele estava se apresentando nas melhores casas de vaudeville do país. Em 1900, Beck organizou uma turnê de Houdini pela Europa. Após alguns dias de entrevistas infrutíferas em Londres, Houdini conseguiu despertar o interesse de Dundas Slater, então gerente do Teatro Alhambra. Ele deu uma demonstração de fuga das algemas na Scotland Yard e conseguiu confundir a polícia de forma tão eficaz que foi autuado em Alhambra por seis meses.

Houdini ficou amplamente conhecido como "O Rei da Algema". Ele viajou pela Inglaterra, Escócia, Holanda, Alemanha, França e Rússia. Em cada cidade, Houdini desafiou a polícia local a prendê-lo com algemas e trancá-lo em suas prisões. Em muitas dessas fugas de desafio, Houdini foi primeiro despido e revistado. Em Moscou, Houdini escapou de uma van de transporte da prisão da Sibéria. Houdini afirmou que, se não tivesse conseguido se libertar, teria que viajar para a Sibéria, onde a única chave estava guardada. Em Colônia, ele processou um policial, Werner Graff, que alegou que ele escapou por meio de suborno. Houdini ganhou o caso quando abriu o cofre do juiz (ele disse mais tarde que o juiz havia esquecido de trancá-lo). Com sua riqueza recém-descoberta, Houdini comprou um vestido que dizem ter sido feito para a Rainha Vitória. Ele então organizou uma grande recepção, onde apresentou sua mãe com o vestido a todos os parentes. Houdini disse que foi o dia mais feliz de sua vida. Em 1904, Houdini voltou aos EUA e comprou uma casa por $ 25.000, um brownstone em 278 W. 113th Street em Harlem, Nova York.

De 1907 e ao longo da década de 1910, Houdini se apresentou com grande sucesso nos Estados Unidos. Ele se libertou de prisões, algemas, correntes, cordas e camisas de força, muitas vezes pendurado em uma corda à vista do público de rua. Por causa de imitadores, em 25 de janeiro de 1908, Houdini deixou seu "ato de algema" para trás e começou a escapar de uma lata de leite cheia de água e trancada. A possibilidade de fracasso e morte emocionou seu público. Houdini também ampliou seu repertório com seu ato de desafio de fuga, no qual convidava o público a inventar engenhocas para segurá-lo. Isso incluía caixotes de embalagem pregados (às vezes baixados na água), caldeiras rebitadas, lençóis úmidos, malas postais e até mesmo a barriga de uma baleia que havia chegado à costa em Boston. Cervejeiros em Scranton, Pensilvânia e outras cidades desafiaram Houdini a escapar de um barril depois de enchê-lo de cerveja.

Muitos desses desafios foram combinados com comerciantes locais em um dos primeiros usos do marketing vinculado em massa. Em vez de promover a ideia de que era ajudado por espíritos, como fizeram os irmãos Davenport e outros, os anúncios de Houdini mostravam-no escapando por meio da desmaterialização, embora o próprio Houdini nunca tenha afirmado ter poderes sobrenaturais.

Em 1913, Houdini introduziu talvez seu ato mais famoso, a Célula de Tortura da Água Chinesa, na qual ele foi suspenso de cabeça para baixo em um gabinete de vidro e aço trancado cheio até transbordar de água. O ato exigiu que Houdini prendesse a respiração por mais de três minutos. Houdini fez a fuga pelo resto de sua carreira. Durante sua carreira, Houdini explicou alguns de seus truques em livros escritos para a irmandade mágica. Em Handcuff Secrets (1909), ele revelou quantas fechaduras e algemas podiam ser abertas com força aplicada adequadamente, outras com cadarços. Outras vezes, ele carregava chaves ou lockpicks escondidos. Quando amarrado com cordas ou camisas de força, ele ganhava espaço de manobra alargando os ombros e o peito, movendo os braços ligeiramente para longe do corpo.

Sua fuga da camisa de força foi originalmente realizada atrás das cortinas, com ele saindo livre no final. O irmão de Houdini, (que também era um artista de escape, se autodenominando Theodore Hardeen), descobriu que o público ficava mais impressionado quando as cortinas eram removidas para que pudessem vê-lo lutar para sair. Em mais de uma ocasião, os dois realizaram fugas em camisa de força enquanto se balançavam de cabeça para baixo no telhado de um prédio na mesma cidade.

Durante a maior parte de sua carreira, Houdini foi uma manchete no vaudeville. Por muitos anos, ele foi o artista mais bem pago do vaudeville americano. Uma das ilusões de palco mais notáveis ​​de Houdini não escapou foi apresentada no Hippodrome Theatre de Nova York, quando ele fez um elefante adulto (com seu treinador) desaparecer do palco, embaixo do qual havia uma piscina. Em 1923, Houdini tornou-se presidente da Martinka & amp Co., a empresa de magia mais antiga da América. O negócio ainda está em operação hoje.

Ele também serviu como presidente da Sociedade de Magos Americanos (também conhecida como SAM) de 1917 até sua morte em 1926. Fundada em 10 de maio de 1902 na sala dos fundos da loja de mágica de Martinka em Nova York, a Sociedade se expandiu sob a liderança de Harry Houdini durante seu mandato como Presidente Nacional de 1917 a 1926. Houdini foi o maior visionário da magia. Ele procurou criar uma grande rede nacional unificada de mágicos profissionais e amadores. Onde quer que ele viajasse, Houdini fazia um longo discurso formal para o clube de magia local, fazia discursos e geralmente dava um banquete para os membros às suas próprias custas. Ele disse: "Os clubes mágicos em geral são pequenos: eles são fracos. Mas se fôssemos unidos em um grande corpo, a sociedade seria mais forte e isso significaria tornar os pequenos clubes poderosos e valiosos. Os membros seriam bem-vindos em qualquer lugar eles passaram a ser e, inversamente, a salvaguarda de uma linha direta de cidade a cidade para rastrear denunciantes e outros indesejáveis. "

Harry Houdini, retrato de corpo inteiro, em pé, de frente para a frente, acorrentado.

Durante a maior parte de 1916, durante sua turnê de vaudeville, Houdini, às suas próprias custas, recrutou clubes de mágica locais para se juntar ao S.A.M. em um esforço para revitalizar o que ele sentia ser uma organização fraca. Houdini persuadiu grupos em Buffalo, Detroit, Pittsburgh e Kansas City a aderirem. Como havia acontecido em Londres, Houdini convenceu os mágicos a se juntarem. O Buffalo Club juntou-se como o primeiro ramo, (mais tarde assembleia) da Sociedade. A Assembleia No. 3 de Chicago foi, como o nome indica, o terceiro clube regional a ser estabelecido pelo S.A.M., cujas assembleias agora chegam às centenas. Em 1917, ele assinou a carta constitutiva da Assembléia Número Três, e essa carta e este clube continuam a fornecer aos mágicos de Chicago uma conexão entre si e com seu passado. Houdini jantou, discursou e recebeu promessas de clubes semelhantes em Detroit, Rochester, Pittsburgh, Kansas City, Cincinnati e outros lugares. Este foi o maior movimento da história da magia. Em lugares onde não existiam clubes, ele reunia mágicos individuais, apresentava-os uns aos outros e os incentivava a participar.

No final de 1916, clubes de mágicos em São Francisco e outras cidades que Houdini não havia visitado estavam se oferecendo para se tornarem assembleias. Ele havia criado a organização de mágicos mais rica e mais duradoura do mundo. Agora abrange quase 6.000 membros pagantes e quase 300 assembleias em todo o mundo. Em julho de 1926, Houdini foi eleito, pela nona vez consecutiva, presidente da Society of American Magicians. Todos os outros presidentes serviram por apenas um ano. Ele também foi presidente do Clube dos Magos de Londres.

Nos últimos anos de sua vida (1925/26), Houdini lançou seu próprio show noturno, que ele classificou como "Três shows em um: Magic, Escapes, and Fraud Mediums Exposed".

Harry Houdini morreu de peritonite, secundária a um apêndice rompido às 13h26. em 31 de outubro de 1926, no quarto 401 do Grace Hospital, em Detroit, aos 52 anos. Em seus últimos dias, ele acreditava com otimismo que se recuperaria, mas suas últimas palavras antes de morrer foram: "Estou cansado de lutar. "[18] Testemunhas oculares de um incidente no camarim de Houdini no Princess Theatre em Montreal deram origem à especulação de que a morte de Houdini foi causada por um estudante da Universidade McGill, J. Gordon Whitehead, que desferiu um ataque surpresa de vários golpes no abdômen de Houdini.

As testemunhas oculares, estudantes chamados Jacques Price e Sam Smilovitz (às vezes chamados de Jack Price e Sam Smiley), relataram o incidente que geralmente corroborava um ao outro. Price descreve Whitehead perguntando a Houdini "se ele acreditava nos milagres da Bíblia" e "se era verdade que socos no estômago não o machucaram". Ele então deu "alguns golpes bem parecidos com um martelo abaixo da cintura". Houdini estava reclinado em um sofá na época, tendo quebrado o tornozelo durante uma apresentação vários dias antes. Price afirma que Houdini estremeceu a cada golpe e parou Whitehead repentinamente no meio de um soco, gesticulando que ele tinha o suficiente, e acrescentando que não teve oportunidade de se preparar contra os golpes, pois não esperava que Whitehead o golpeasse tão repentina e vigorosamente. Se seu tornozelo não tivesse sido quebrado, ele teria se levantado do sofá para uma posição melhor para se preparar.

Ao longo da noite, Houdini se apresentou com grande dor. Ele não conseguiu dormir e continuou com dores constantes nos dois dias seguintes, mas não procurou ajuda médica. Quando ele finalmente foi ao médico, descobriu-se que ele tinha febre de 102 ° F (39 ° C) e apendicite aguda, e foi aconselhado a uma cirurgia imediata. Ele ignorou o conselho e decidiu continuar com o show. Quando Houdini chegou ao Garrick Theatre em Detroit, Michigan, em 24 de outubro de 1926, para o que seria sua última apresentação, ele estava com febre de 40 ° C. Apesar do diagnóstico, Houdini subiu ao palco. Ele teria desmaiado durante o show, mas foi revivido e continuou. Depois disso, ele foi hospitalizado no Grace Hospital de Detroit.

Não está totalmente claro que relação o encontro no camarim teve com a eventual morte de Houdini. Como Snopes aponta, a relação entre trauma contuso e apendicite não é clara. Uma teoria sugere que Houdini não sabia que estava sofrendo de apendicite. Se ele não tivesse percebido que suas dores de estômago eram sintomáticas de apendicite, não teria apreciado o efeito potencialmente crítico dos golpes em seu abdômen.

Depois de receber declarações de Price e Smilovitz, a seguradora de Houdini concluiu que a morte se devia ao incidente do camarim e pagou indenização em dobro.


Experiência Americana

Poucos artistas já capturaram a imaginação do público como Harry Houdini. Desde sua descoberta em 1899 até sua morte em 1926, Houdini foi um dos artistas mais populares do mundo, uma verdadeira estrela do palco e da tela. Vez após vez, suas fugas de apuros aparentemente impossíveis emocionaram o público, que encontrou nele uma metáfora para suas próprias vidas, uma afirmação da capacidade humana de superar as adversidades. Escapismo em ambos os sentidos da palavra. Mas, embora quase todo mundo esteja familiarizado com a personalidade teatral de Houdini, sua vida pessoal pouco conhecida é igualmente reveladora. Tomadas como um todo, as visões pública e privada fazem de "The Elusive American" uma janela excepcionalmente poderosa para o seu tempo.

Seu amor pela América era tal que ele sempre reivindicou Appleton, Wisconsin, como seu local de nascimento. Mas o homem conhecido como Houdini nasceu na verdade Ehrich Weiss em Budapeste, Hungria. Ele não chegaria a Wisconsin até quatro anos depois, quando ele, sua mãe Cecelia e quatro irmãos se juntaram a seu pai, que se tornara rabino de uma pequena congregação reformada ali. Embora fosse um homem culto, Herman Mayer Weiss (Weisz foi mudado para Weiss por cortesia dos funcionários da imigração) não estava destinado ao sucesso na América. Sua luta ao longo da vida para sustentar sua família causaria uma impressão duradoura em seu filho "Ehrie", que foi forçado a trabalhar desde pequeno para ajudar a sobreviver. Ainda assim, o menino foi atraído para a performance, fazendo sua estreia em um circo da vizinhança como o trapezista de nove anos de idade, "Ehrich, o Príncipe do Ar".

Em 1887, após uma série de nomeações rabínicas fracassadas no meio-oeste, Herman Mayer Weiss trouxe o jovem Ehrich com ele para Nova York, onde viveram em uma pensão e encontraram o que puderam. Quando não estava trabalhando, Ehrich se destacava nos esportes, principalmente natação, boxe e corrida, desenvolvendo os dons atléticos naturais que seriam vitais para seu futuro ato. Ele também redescobriu um interesse infantil pela magia e, em 1891, juntou-se a um amigo chamado Jacob Hyman em um ato que eles chamaram de "Os Irmãos Houdini". Depois que seu azarado pai morreu em 1892, Ehrich, de dezoito anos, deixou a mãe e os irmãos em Nova York e pegou a estrada. Os Irmãos Houdini realizaram seu ato - uma coleção comum de cartas e outros truques de mágica - em museus baratos e pequenos teatros no interior do estado de Nova York e no Meio-Oeste. Eles se apresentaram no Midway da notável Exposição de Columbia do Mundo de 1893 em Chicago. Em 1894, o irmão mais novo de Harry, Dash, substituiu Hyman, mas não por muito tempo. Naquele verão, Harry conheceu e se casou com uma colega artista, uma pequena garota de dezoito anos do Brooklyn chamada Wilhelmina Beatrice Rahner. "Bess" foi nomeada assistente de Harry, e os Irmãos Houdini se tornaram simplesmente "Os Houdinis".

Enquanto eles ganharam alguma atenção com uma fuga de porta-malas que chamaram de "A Metamorfose", a vida no circuito dos museus foi cansativa para o jovem casal. Embora tivesse apenas 25 anos, em 1898 Houdini estava tão cansado disso que pensou seriamente em desistir, e até enviou um catálogo para a "Escola de Magia de Harry Houdini" enquanto estava com sua mãe em Nova York em um intervalo prolongado. Mas ele e Bess voltaram à estrada e, na primavera de 1899, Houdini finalmente teve sua grande chance. A reviravolta da sorte veio quando Martin Beck, um magnata em ascensão no novo mundo do teatro vaudeville, viu os Houdinis em um beergarden em St. Paul, Minnesota. Ignorando o resto do ato, Beck viu algo nas fugas das algemas de Houdini e o desafiou no dia seguinte com suas próprias algemas de que Houdini escapou facilmente. Poucos dias depois, Beck - que estava com o circuito Orpheum que dominava o vaudeville no oeste - telegrafou a Houdini de Chicago: "Você pode abrir o Omaha em março vinte e seis e sessenta dólares, provavelmente verá que o ato provavelmente lhe fará propostas para toda a próxima temporada. " Como Houdini escreveu mais tarde: "Este fio mudou toda a jornada de minha vida."

No final do ano, Beck tinha os Houdinis tocando nas principais casas de vaudeville do meio-oeste à Califórnia no início de 1900, eles também eram um sucesso no circuito da costa leste de Keith. Exibindo um talento para a publicidade que se equipara às suas habilidades como artista de fuga, Houdini realizou fugas da prisão e outras acrobacias públicas para atrair as pessoas aos cinemas. Houdini, known variously as "The Celebrated Police Baffler," "The King of Handcuffs," and a host of other names, developed the basic routines which would make him a legend. After nearly a decade playing dime museums and circuses, vaudeville must have seemed like a different world. The Houdinis performed fewer shows -- before upscale audiences in lavishly appointed theaters -- and made far more money. At the turn of the century, vaudeville was the top of the entertainment pyramid, and Harry Houdini became one of its stars.

But as wonderful as this was, no amount of success in America, which had barely begun to emerge from Europe's cultural shadow, could compare with acceptance across the Atlantic. Already bickering with Beck, he arranged his own tour of Europe, where he would spend the bulk of the next five years. Tirelessly crisscrossing the continent and British Isles, Houdini delighted crowds just as he had in America. He also continued the practice of staging public exhibitions and taking challenges. One such memorable challenge came from the London Espelho newspaper, which commissioned a special set of handcuffs for Houdini. After more than an hour -- and several theatrical flourishes -- Houdini emerged free of the "Mirror Cuffs," setting off pandemonium in the music hall. In Germany, he caused an even bigger stir when he ran up against the Kaiser's formidable police force. When a Cologne policeman accused him of fraud, Houdini charged him with slander rather than backing down. Even though he had to reveal some of his tricks to the court in order to prevail, the resulting windfall of publicity only reinforced his status as Germany's "König der Handschellen."

After conquering Europe, Houdini returned to America in 1905 and put down roots, buying a small farm in Connecticut and a stately brownstone in Manhattan. Although being an entertainer meant constant travel, the brownstone became home base for his family, particularly Cecelia Weiss. Houdini had always been close to his mother, but since his father's death had demonstrated a fierce devotion rivaled only by his love for Bess. When word of her death reached him in Sweden in 1913, he reportedly fainted, then wept uncontrollably when he came to. "I am what would be called a Mothers-boy," admitted the man hailed around the world as a real-life superman. He would grieve for her the rest of his life.

This devotion, along with a fierce desire to succeed as his father never had, led Houdini to drive himself relentlessly, and helps account for his incredible career. When others would have retired to enjoy their success, Houdini reinvented himself time and again, finding new ways to maintain his public appeal. In 1908 he introduced the famous milk can escape, reminding audiences that "Failure Means a Drowning Death." Around the same time, he staged a series of "manacled bridge jumps" which drew large crowds and a great deal of publicity. In 1913, he added the elaborate Chinese Water Torture Cell escape, which he usually referred to as "the Upside Down." Some consider it Houdini's greatest trick, and it certainly had all the elements of a Houdini performance: brilliant technical conception, great physical strength, and highly dramatic presentation.

After almost three decades of public performances, Houdini eventually found a new and powerful way to reach people: the motion picture. He made his first film, a serial called "The Master Mystery," in 1918, just as the movie business was about to take off. Although his acting was wooden and screen magic held none of the mystery of live magic, Houdini became one of Hollywood's first action heroes, and his movies delighted audiences around the world. Now in his mid-forties and physically worn-out, he was thrilled to be able to perform an escape once and have it preserved forever. And in typical fashion, Houdini jumped into the new medium with both feet: not content just being a star, he started his own production company and several other movie-related ventures, all of which lost money.

Another great passion of Houdini's emerged in the early '20s, when he became a leading critic of the Spiritualist movement sweeping Europe and America in the wake of World War I. Perhaps embarrassed by his lack of formal education, Houdini had always worked hard to educate himself his great passion was the history of magic, and he amassed one of the greatest collections of such material in the world. Thus when Spiritualist mediums gained considerable attention by claiming to be in touch with the spirit world, the world's most famous illusionist felt compelled to reveal them for what they were: highly skilled performers. Houdini's crusade, which he approached with characteristic passion, led to two particularly revealing episodes. One was his friendship with English author Sir Arthur Conan Doyle, a leading advocate of Spiritualism. Although Houdini was eager to remain friends with the noted man of letters, their differing views eventually led to a falling out. The other episode was his very public battle with the most noted medium of the day, Mina Crandon, a.k.a. "Margery," the wife of a prominent Boston surgeon. As part of a committee organized by "Scientific American" magazine, Houdini helped expose Margery as a fraud after a series of combative seances. He even published a forty-page illustrated pamphlet entitled "Houdini Exposes the tricks used by the Boston Medium 'Margery'" at his own expense. As generous as he was with family and friends, Houdini made an implacable foe.

Houdini began 1926 on a high note, reaching the height of success with his own one-man show on Broadway. The two and a half hour "HOUDINI" featured a bit of everything that had made him a legend since the dime museum days: small-scale illusions, blockbuster escapes, and a Spiritualism expose. The show was such a success he took it on the road. But during a stay in Montreal in October, Houdini was assaulted by a young man in his dressing room. The stomach blows -- which he had invited as a test of his legendary strength -- aggravated a case of appendicitis, and he soon became seriously ill. In a final display of stamina and willpower, Houdini performed the next day and again in Detroit. His appendix was removed on October 25th, but the delay had allowed an infection to set in, and he died in Detroit on Halloween.

Banner headlines, long obituaries, and a crowded public funeral in New York marked Houdini's passing. These were but a few of the signs that the world knew it had lost one of the most original and beloved entertainers of all time.


Bess Houdini

Wilhelmina Beatrice Rahner was born in Brooklyn, New York (before New York City was consolidated) in 1876 to German immigrants Gebhard Rahner (a cabinet maker) and Balbina Rahner (née Bugel).

Bess was working at Coney Island in a song and dance act called The Floral Sisters when she was first courted by Houdini's younger brother, Theo (a.k.a. Theodore Hardeen). But it was the older Houdini brother, Harry, that she fell in love with and married on June 22, 1894. [2] The pair worked as The Houdinis for several years before Houdini hit it big as The Handcuff King. But he and Bess continued to occasionally perform their signature trick, Metamorphosis, throughout his career. Bess also looked after their menagerie of pets, collected dolls, and made the costumes for Houdini's full evening roadshow. [3] The Houdinis remained childless throughout their marriage. Bess's niece, Marie Hinson Blood, said Bess suffered from a medical condition that prevented her from having children. [4]

After Houdini died on October 31, 1926, Bess opened a tea house in New York, and briefly performed a vaudeville act in which she froze a man in ice. [5]

She moved to Inwood, Manhattan, and would try to contact Harry during seances, with a code that only Harry and Bessie knew about, to be sure that the spirit medium was not a fraud. [6] The code was: Rosabelle – answer – tell – pray – answer – look – tell – answer – answer – tell. Bess' wedding band bore the inscription "Rosabelle", the name of the song she sang in her act when they first met. The other words correspond to a secret spelling code used to pass information between a magician and his assistant during a mentalism act. Each word or word pair equals a letter. The word "answer" stood for the letter "B", for example. "Answer, answer" stood for the letter "V". Thus, the Houdinis' secret phrase spelled out the word "BELIEVE". [7]

In the 1930s she moved to Hollywood, California, and worked to promote Houdini's memory along with her manager and partner, Edward Saint. On Halloween 1936, Bess and Saint conducted a "Final Houdini Séance" on the roof of the Knickerbocker Hotel in Hollywood. At the conclusion of the failed séance, beside a photograph of Houdini, she put out the candle that was said to have burned for ten years. In 1943 she said "ten years [was] long enough to wait for any man." [8]

After the 1936 séance, Bess asked Walter B. Gibson—writer of the mystery series The Shadow and a friend, confidant, publicist and ghostwriter for Houdini—to carry on the yearly tribute. He held them for many years at New York's Magic Towne House with such magical notables as Houdini biographer Milbourne Christopher. Before he died, Gibson passed on the tradition [9] to Dorothy Dietrich. [10]

Bess Houdini died from a heart attack on February 11, 1943 while in Needles, California, aboard an eastbound train traveling from Los Angeles to New York City. She was 67 years old. [11] [12] [13] Her family would not allow her to be interred with her late husband at the Machpelah Cemetery in Queens, New York as she had been raised a Roman Catholic and he was a Jew. She is interred instead at Gate of Heaven Cemetery in Hawthorne, New York.

In film Edit

Bess Houdini appeared as herself in the 1938 film Religious Racketeers (a.k.a. Mystic Circle Murder) directed by Frank O'Conner and produced by Fanchon Royer. In the film, she expressed her belief that communication with those who have died is impossible. The film sparked controversy among spiritualists, but was praised by magicians. It was released on DVD in 2006 by Alpha Video. [14]

Bess has been portrayed in film by Janet Leigh (Houdini, 1953), Sally Struthers (The Great Houdini, 1976), Stacy Edwards (Houdini, 1998), and Kristen Connolly (Houdini, 2014). On stage, she has been played by Judith Bruce (Man of Magic, 1966), Viviane Thomas (Houdini – A Circus Opera, 1979), Kim Lores (The Great Houdini, 1999), and Evanna Lynch ("Houdini", 2013). [15] [16] [17]

In music Edit

The Kate Bush song Houdini from her 1982 album The Dreaming is about the story of Bess Houdini and her attempts to communicate with her deceased husband Harry. [ citação necessária ]

The My Chemical Romance song This Is How I Disappear was inspired by the séance performed by Houdini to contact her dead husband, Harry. [18]

Bálint Varga and Lia Barcellona Tamborra's 2020 album musical/audiobook d'ILLUSION: The Houdini Musical depicts Harry and Bess' relationship as part of the plot. She is portrayed by Quiana Holmes. [19] [20] [21] [22] [23]


The spirit world calls

Steve and Patricia Hanson related in a Los Angeles magazine article that Houdini became interested in "making contact with those who had gone beyond" after his mother's death in 1913. His attempts in this area brought him into contact with writer Sir Arthur Conan Doyle (1859�), the creator of the Sherlock Holmes character. In 1908, as a publicity stunt, Houdini had written a letter to "Holmes," asking for help in catching crooks who were stealing his tricks. By 1920 the two men had formed a friendship based on their talent and their grief—just as Houdini had lost his beloved mother, Doyle had lost his son, Kingsley, who had been killed in World

After a while the friendship began to weaken. Houdini was not as strong a believer as Doyle. Part of Houdini's career was devoted to exposing fakes who pretended to be able to contact spirits. As the Hansons noted in Los Angeles, Houdini felt that Doyle was too blinded by grief to see clearly, and Doyle thought that Houdini was not open-minded enough and was too anxious to expose fraud. The two men's friendship ended.


8. Houdini assisted with the American war effort during WWI

Although he was brought into the world in Hungary, Houdini was an American patriot and staunch supporter of U.S. involvement in The Second Great War. He persuaded the Society of American Magicians to sign loyalty oaths to President Woodrow Wilson and later canceled his touring season to invest in entertaining soldiers and raising money for the war effort.

Houdini also drew on his arsenal of magician’s tricks to give special instruction to American troops. In a series of classes held at New York’s Hippodrome, he counseled doughboys on the best way to escape sinking ships and extricate themselves from ropes, handcuffs, and other restraints in case of capture by the Germans.


The Great Harry Houdini

Harry Houdini was born on March 24, 1874 in Budpest, Hungary, with the name of Ehrich Weisz. He was one of six children and the son of Rabbi Mayer Weisz and his second wife, Cecilia Steiner. In 1876, Mayer Weisz immigrated to the United States with the dream of a better life. He found work as a rabbi and changed his last name to Weiss. In 1876, the remainder of the family joined him in the United States.

The family moved to Milwaukee when Ehrich was eight years old. During his early years, Ehrich sold newspapers and shined shoes to help support the family. On October 28, 1883, nine year old Ehrich made his first appearance on stage, performing a trapeze act. He billed himself, "Ehrich, the Prince of the Air." At 12, Ehrich hopped a freight car and ran away from home. A year later her returned to New York and continued to help support his family by working as a messenger, necktie cutter, and photography assistant. Nothing is known of his year away from his family.

About this time, Ehrich and his brother Theo began to pursue an interest in magic. As a stage name, Ehrich Weiss became Harry Houdini by adding an ìiî to the last name of his idol, French magician Robert Houdin. Harry is simply an Americanized version of his nickname, Ehrie. At 17, Ehrich, now known as Harry Houdini, left his family to pursue his magic career. By the age of twenty, Harry had been performing small acts throughout New York. He soon married and joined a circus where he began to develop and perfect his escape tricks.

Through the years, Houdini gained fame after repeatedly escaping from police handcuffs and jails. Harry was even given certificates from various wardens for escaping from their prisons. After making his name in America, Harry toured Europe, where he expanded his repertoire by escaping from straitjackets and coffins. Eventually, Harry was able to accomplish his dream of having a full show dedicated to his magic.

In his later years, Harry took his talent to the film arena, where he both acted and started his own film laboratory called The Film Development Corporation. Years later, Harry would receive a star on the Hollywood Walk of Fame. In addition, Harry showed interest in the field of aviation and was the first person to ever fly over Australian soil.

In the 1920s, Harry became interested in the occult, specifically in debunking mediums and psychics. His training in magic helped him expose frauds that scientists and academics could not. He chronicled his time investigating the occult in his book, A Magician Among the Spirits.

In 1926 Houdini died as a result of a ruptured appendix, after suffering a blow to the abdomen by university student J. Gordon Whitehead. Houdini refused to seek medical help and continued to travel, eventually succumbing to periotonitis on October 24, 1926 at the age of 52.


Assista o vídeo: The Life And Magic Of The Real Harry Houdini. The Magic Of Houdini. Timeline (Julho 2022).


Comentários:

  1. Chris

    Você não estava errado

  2. Gelasius

    Você pode recomendar que visite o site, com um grande número de artigos sobre o tópico que lhe interessa.

  3. Forsa

    a resposta)))

  4. Zulkibei

    Lamentamos que interfiram... Mas estão muito próximos do tema. Pronto para ajudar.

  5. Letitia

    concordo, ótima ideia



Escreve uma mensagem