Pluralismo

Três modelos principais foram desenvolvidos para explicar quem exerce o poder no Reino Unido - o modelo pluralista, o modelo de elite e o modelo marxista.

De acordo com o modelo pluralista, o poder é exercido pela massa da população, e não por um pequeno grupo de elite. Esta conclusão é derivada de dois argumentos principais. Primeiro, os pluralistas observam que, se a maioria das pessoas não gosta do que seus representantes estão fazendo, eles podem votar fora do cargo na próxima eleição. Os representantes, portanto, devem agir de uma maneira que agrade à maioria. Segundo, os pluralistas consideram que o voto tem apenas um significado irregular. As eleições gerais ocorrem periodicamente e os indivíduos são convidados a votar em pacotes de políticas elaborados por partidos políticos. Portanto, os eleitores não têm a oportunidade de exercer influência sobre questões específicas que lhes dizem respeito; portanto, os pluralistas afirmam que as pessoas são capazes de exercer poder entre as eleições se juntando a grupos de interesse - como partidos políticos, sindicatos e outros grupos de pressão. A atividade de grupo, eles argumentam, é vital para o funcionamento bem-sucedido do sistema político.

O que importa para os pluralistas sobre a distribuição do poder na sociedade não é que seja desigual, mas que seja amplamente dispersa em vez de concentrada nas mãos de poucos. Segue-se também que, de acordo com o modelo pluralista, o Estado age imparcialmente - respondendo às demandas de diferentes pressões populares. Nenhum grupo isolado pode dominar a sociedade, pois, para cada força exercida por um grupo, existe uma força igual e oposta exercida por outros grupos. Os pluralistas argumentam que esse sistema é saudável porque incentiva a participação política, garante que as pessoas possam exercer influência sobre os tomadores de decisão, garante que o poder seja disperso em vez de concentrado nas mãos de poucos e, ao mesmo tempo, permite que visão dos grupos minoritários a serem expressos.


Assista o vídeo: Pr. Ricardo Agreste - O que e o pluralismo? (Outubro 2021).